235. Nova Ordem Ekklesia

Mike Parsons
com Jeremy Westcott

O projeto que veio do céu

“Ninguém põe remendo de pano novo em roupa velha, pois o remendo forçará a roupa, tornando pior o rasgo. Nem se põe vinho novo em vasilhas de couro velhas; se o fizer, as vasilhas se rebentarão, o vinho se derramará e as vasilhas se estragarão. Pelo contrário, põe-se vinho novo em vasilhas de couro novas; e ambos se conservam”. (Mt 9:16,17 NVI).

No tempo e na cultura de Jesus, os odres velhos não eram apenas jogados fora, mas eram renovados, restaurados e recondicionados para torná-los adequados para guardar o vinho novo. Eles tinham investido muito naqueles odres. Deus investiu muito no odre da igreja (ekklesia), e Ele não está apenas jogando fora.

Eu ouço muitas pessoas falando sobre um novo odre que não é a ekklesia. Eu não aceito isso. A ekklesia ainda é o que Jesus está construindo; Ele não mudou de idéia. Ainda é o projeto que veio do céu. Por todos os meios, vamos jogar fora o velho conceito do que se tornou conhecido como ‘igreja’, com quaisquer conotações negativas e experiência passada de mágoa e autoridade controladora opressora. Mas já que a multiforme sabedoria de Deus deve ser exibida aos poderes e autoridades usurpadores através da ekklesia (Ef 3:10), precisamos reconhecer que sem ela provavelmente não veremos o reino encher a terra.

… Vocês também estão sendo utilizados como pedras vivas na edificação de uma casa espiritual para serem sacerdócio santo, oferecendo sacrifícios espirituais aceitáveis a Deus, por meio de Jesus Cristo… Vocês, porém, são geração eleita, sacerdócio real, nação santa, povo exclusivo de Deus, para anunciar as grandezas daquele que os chamou das trevas para a sua maravilhosa luz. (1 Pe 2:5, 9 NVI).

Todos nós temos a responsabilidade de ser quem Deus nos chamou para ser, tanto individualmente quanto corporativamente.

Características de uma nova ordem ekklesia

Assim, uma nova ordem ekklesia incluirá pessoas reunidas em torno de um projeto celestial. Funcionará como um sacerdócio real celestial trazendo acordo entre o céu e a terra. Ele será construído sobre um fundamento de líderes servos, um fundamento celestial do acordo dos oráculos do céu e uma forma e estilo de governo que é um reflexo do céu na terra.

Demonstrará um padrão celestial de governo – bancada de 3, bancada de 7 e bancada de 12. Não será uma cópia de nenhuma outra ekklesia, mas será estabelecida a partir de seu próprio mandato e plano celestial individual: essa variedade demonstrará a multiforme natureza da sabedoria de Deus (Efésios 3:10 novamente).

Sua forma será flexível, continuamente determinada pelas pedras vivas que crescem e amadurecem à medida que trabalham seus destinos dentro dela, e pelas pedras vivas adicionadas e retiradas. Seu objetivo é trazer um acordo entre o céu e a terra, para contribuir para a restauração de todas as coisas à intenção e propósito originais de Deus.

Flexibilidade

Localmente, temos feito a transição para uma nova ordem ekklesia ao longo de vários anos. Somos precursores e, às vezes, a experiência pode ser muito difícil, mas sabemos que estamos em uma jornada. Ao longo dos anos, produzimos vários diagramas diferentes e atualizados representando nosso projeto. Isso significa que o plano mudou? Eu não penso assim, mas é que Deus revelou (e que nos tornamos conscientes de) diferentes aspectos disso ao longo do tempo.

Quando olho para o nosso início em 1994 e a revelação de Isaías 61, uma escritura fundamental para nós, meu entendimento disso agora é totalmente diferente do que eu entendia então. O texto ainda é o mesmo, mas Deus aprofundou e expandiu progressivamente a revelação dele que pudemos receber; minha percepção disso mudou e, tenho certeza, também mudou a de todos os outros na ekklesia. Portanto, não estamos fazendo exatamente as mesmas coisas que estávamos fazendo em 1994, mas ainda estamos trabalhando a mesma escritura que agora interpretamos e expressamos.

Tínhamos um ditado, naqueles primeiros dias: ‘mudança constante está aqui para ficar’. Mal sabíamos o quão verdadeiro (ou quão importante) isso era! A estrutura de nossa ekklesia é flexível, e são as pessoas que fazem parte dela que determinam como ela será a cada momento, à medida que encontram seu lugar como pedras vivas e realizam seu destino nele.

Portanto, embora tenhamos um plano geral que diga ‘somos uma ekklesia e faremos parte de uma cidade de refúgio, uma embaixada do céu’, a forma real que ela assume será totalmente determinada por aqueles que são chamados a abraçá-la. E daqui a dez anos, quando novas pessoas surgirem, abraçarem a visão e receberem revelação, certamente verão e expressarão algo novo, e a forma da Freedom Church (Igreja da Liberdade) parecerá diferente do que é agora.

Deus sempre exige um odre novo para o vinho novo, mas é um odre constantemente renovado, não algo que não existia antes. Deus continuará liberando progressivamente vinho novo de revelação, e o odre da ekklesia deve permanecer flexível e ser continuamente renovado para recebê-lo. Nunca devemos nos tornar rígidos e fixados em nossos caminhos.

Então, o que quer que estejamos fazendo agora, posso garantir que no futuro faremos algo diferente, porque teremos recebido novas revelações de Deus para essa temporada. É por isso que o conceito de ser como os filhos de Issacar é importante: entender que Deus opera de acordo com tempos e épocas, e em cada época precisamos saber o que Deus está nos chamando para fazer e receber a provisão necessária dEle para realizar isto.

[Julho de 2022: Freedom Church está em sua própria época de desconstrução e parece muito diferente agora de quando este post foi publicado pela primeira vez em inglês em 2017. Nossa compreensão do que é ‘igreja’ e como ela opera nos céus e se manifesta no terreno continua a se desdobrar – JW].

Envolvimento Angelical

Uma ekklesia de pessoas reunidas viverá sob um céu aberto com envolvimento angelical. Jacó viu anjos subindo e descendo em um lugar que ele chamou de ‘Betel’, dizendo que era uma casa de Deus e uma porta do céu. Individualmente e corporativamente somos todos ‘Betels’ na terra.

Cada um de nós é sempre um representante ou embaixador da ekklesia 24 horas por dia, 7 dias por semana, não apenas quando estamos nos reunindo fisicamente no mesmo local. Nós não ‘vamos à igreja’, somos igreja. Toda a nossa vida é uma expressão de ser uma casa de Deus, uma ekklesia. Mas quando nos reunimos, isso é multiplicado exponencialmente. Precisamos entender o que é sermos edificados juntos como pedras vivas, unidos em amor para cumprir o propósito de Deus.

Sombra

Uma ekklesia tanto individual quanto coletivamente é uma sombra do que está estabelecido no céu. Você tem que ter algo com uma luz brilhando para produzir uma sombra do outro lado. Portanto, devemos estar no céu para lançar uma sombra sobre a terra. Se não vivemos no céu, não pode haver sombra na terra.

Eu costumava ir para o céu, tentar produzir uma sombra na terra e depois voltar do céu e ocupar essa sombra. O problema era que a sombra não existia mais porque eu não estava mais no céu. É por isso que temos que aprender a viver em reinos duplos do céu e terra ao mesmo tempo; as coisas na Terra mudarão drasticamente quando o fizermos.

Embaixada do céu

Aqui, estamos nos tornando um recurso para a comunidade local à medida que expandimos nosso trabalho e influência por meio da Freedom Community Alliance (Aliança da Comunidade da Liberdade). Há também um aspecto mundial desenvolvido através do Freedom Apostolic Ministries (Ministério Apostólico da Liberdade – Freedom ARC), do qual este blog é apenas uma pequena parte. Acredito que eventualmente toda ekklesia será uma cidade de refúgio, uma embaixada do céu, seja em si mesma ou como parte de algo maior em sua cidade, área ou região. Isso será um reflexo completo do governo do céu, com o monte da casa do Senhor elevado acima de todos os outros montes, pois somos uma expressão da família de Deus, do reino de Deus, da autoridade de Deus na terra. Todas as nações correrão para ele.

Este post do blog é adaptado do ensinamento de Mike no programa de assinatura ‘Engaging God‘ [apenas em inglês].

Outros artigos de Freedom ARC

Página do Facebook: Vida Sobrenatural.
Grupo do Facebook: VIDA SOBRENATURAL (pedir para participar).

Artigo original em inglês: 235. New Order Ekklesia

1325

234. Revolução de Amor

Mike Parsons
e Jeremy Westcott

Virando a lei de cabeça para baixo

Sempre que Deus faz algo novo, ele desafia o que já existe, porque estamos muito familiarizados com as velhas maneiras de pensar e fazer as coisas.

Quando Jesus veio desafiando todas as normas religiosas, Ele foi rejeitado pelas pessoas e instituições religiosas de seu tempo. Ele trouxe uma nova perspectiva radical, reinterpretando completamente as escrituras do Antigo Testamento e revelando a verdade por trás delas. Ele disse coisas como “o sábado foi feito para o homem, não o homem para o sábado”, virando a lei externa de cabeça para baixo, tornando-a algo que deveria ser usado para as pessoas ao invés de controlá-las ou restringi-las. A religião tem tudo a ver com manter as pessoas restritas e sob controle, então isso nunca iria ser algo bom para a elite religiosa. Eles rapidamente decidiram acabar com Ele porque perceberam que o futuro de todo o sistema religioso do qual dependiam estava ameaçado.

No Sermão da Montanha, repetidas vezes Ele disse “Vocês ouviram o que foi dito… mas eu lhes digo…”, mudando o foco da observância religiosa externa para o que realmente acontece em nossos corações. É verdade que Ele não veio para abolir a Lei e os Profetas, Ele veio para cumpri-los – mas de uma forma totalmente inesperada, no contexto do relacionamento – amor – e não no legalismo e dever religioso. Para as pessoas religiosas, educadas para guardar todas as pequenas regras e regulamentos, ouvir que o mais importante era amar o Senhor com todo o seu coração, alma, mente e força era diferente de tudo o que haviam conhececido.

Seus novos valores e novos ideais do reino desafiaram todas essas perspectivas legalistas externas. Esta foi uma revolução de amor, onde o Rei veio para servir e não para ser servido, demonstrando um modelo inteiramente novo de liderança e autoridade que não tinha nada a ver com hierarquia e controle.

Jesus deu aos fariseus, saduceus e mestres da Lei todas as oportunidades para deixar de lado suas noções preconcebidas e segui-Lo, mas a maioria deles não conseguiu deixar de ser ofendido e ameaçado por Sua demolição dos fundamentos de seu mundo. Em última análise, essas estruturas religiosas foram varridas em 70 dC, e aqueles que estavam determinados a defendê-las tiveram um fim violento nas mãos do exército romano. Custou-lhes a vida, enquanto aqueles que abraçaram o novo e se tornaram discípulos atenderam ao aviso de Jesus e deixaram a cidade.

Novos odres para vinho novo

“Ninguém deita remendo de pano novo em roupa velha, porque semelhante remendo rompe a roupa, e faz-se maior a rotura. Nem se deita vinho novo em odres velhos; aliás rompem-se os odres, e entorna-se o vinho, e os odres estragam-se; mas deita-se vinho novo em odres novos, e assim ambos se conservam.” (Mat 9:16-17).

A velha ordem estava chegando ao fim. Devia haver algo novo, algo diferente do antigo ritual religioso de trazer sacrifícios ao Templo. Esta questão de odres novos para vinho novo é algo que já falamos antes e precisamos estar continuamente cientes porque na mentalidade religiosa há uma tendência enorme de voltar ao odre velho.

O odre da Antiga Aliança era um templo, uma cidade, uma nação; um rei, um sacerdócio terreno de uma tribo (levitas) e um sumo sacerdote de uma família (de Arão).

Tal sistema mediador impede que as pessoas acessem a Deus por si mesmas: somente os sacerdotes podiam entrar no tabernáculo e somente o Sumo Sacerdote podia entrar no Santo dos Santos, e isso apenas uma vez por ano. Isso encoraja um modelo de liderança “de cima para baixo” que é exatamente o oposto do exemplo de coração servo de Jesus. E ainda está operando hoje onde quer que vejamos divisão entre clérigos e leigos, e de uma forma mais sutil, onde os membros da família herdam posições religiosas de geração em geração. Se as pessoas forem artificialmente restritas, isso as impedirá de cumprir seu destino.

Tabernáculo de Davi

Uma pessoa no Antigo Testamento teve um vislumbre do novo e, como precursor, o adotou antes do tempo, pelo menos por um tempo. No tabernáculo de Davi havia acesso aberto a arca da aliança e a Presença de Deus na adoração, e quando você lê o que eles faziam naqueles dias é uma coisa incrível quando você considera o que a Lei prescrevia. Eu nunca entendi realmente como eles poderiam voltar a colocar Deus em uma caixa – talvez seja a prova da força dessa mentalidade religiosa novamente – mas o fato é que eles logo voltaram ao ciclo de sacrifício e ritual em um novo templo.

Sacerdotes reais celestiais

Na nova aliança, somos todos sacerdotes reais celestiais. Cada um de nós é um odre novo, uma casa de Deus e uma porta de entrada para o céu. Operamos do céu e somos a nação, a cidade e o templo. Deus está em nós e nós estamos nele. Na antiga aliança o Espírito Santo veio sobre profetas, sacerdotes e reis, mas agora Ele habita em nós. Todos nós temos acesso como sacerdotes da ordem celestial de Melquisedeque, não da ordem terrena Aarônica: quando a antiga aliança se tornou obsoleta, todas as funções e papéis sacerdotais anteriores chegaram ao fim com ela.

Cada um de nós tem um destino, uma realização terrena e celestial do reino de Deus e Seu governo. Cada um de nós é um reflexo das quatro faces de Deus, a real, profética, sacerdotal e apostólica, expressa e executada nas proporções adequadas para cumprir esse destino.

Um projeto celestial

Somos um novo odre também no sentido corporativo. Os indivíduos podem se reunir em torno de um projeto celestial como pedras vivas, sendo edificados juntos sobre um fundamento que reflete o governo do céu: liderança que ensina os fundamentos, serve as pessoas, e as libera em seu destino, em vez de impor coberturas mediadoras, restringindo o acesso a Deus e aos reinos do céu.

Edificados sobre o fundamento dos apóstolos e dos profetas, de que Jesus Cristo é a principal pedra da esquina (Ef 2:20).

Ekklesia

Pois também eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela; E eu te darei as chaves do reino dos céus; e tudo o que ligares na terra será ligado nos céus, e tudo o que desligares na terra será desligado nos céus.” (Mat 16:18-19).

Eu uso cada vez mais a palavra grega ‘ekklesia’ porque a palavra ‘igreja’ carrega muita bagagem em nosso pensamento. As estruturas e instituições do que é conhecido como “igreja” são principalmente construções feitas pelo homem baseadas em odres velhos. Elas tendem a se parecer com a antiga aliança e não com a nova. E isso não é apenas uma falha das denominações e de suas ramificações – mesmo em igrejas independentes como a Freedom, fizemos o mesmo no passado: nenhum conhecia algo melhor.

Hoje Jesus está construindo Sua ekklesia com pedras vivas de todas as formas e tamanhos. Portanto, todas as ekklesias locais serão diferentes, dependendo das pedras vivas construídas nelas usando o projeto que Deus dá. Não podemos produzir uma fórmula ou um modelo que apenas duplicamos. No próximo post veremos as características de uma nova ordem ekklesia, mas por enquanto vamos apenas concordar com isso: qualquer coisa que não tenha um fundamento que seja reflexo do que está no céu é um odre velho.

Este post do blog é adaptado do ensinamento de Mike no programa de assinatura ‘Engaging God‘ [apenas em inglês].

Outros artigos de Freedom ARC

Página do Facebook: Vida Sobrenatural.
Grupo do Facebook: VIDA SOBRENATURAL (pedir para participar).

Artigo original em inglês: 234. Revolution of Love

1310

233. Mais Alto, Largo, Profundo, Longo

Mike Parsons
com Jeremy Westcott

Face a face

Desde o início fomos criados para ter um relacionamento íntimo com Deus. Jesus nos diz em Mateus 22:37-38 (NVI) “Ame o Senhor, o seu Deus de todo o seu coração, de toda a sua alma e de todo o seu entendimento ” e em João 14:6 que a única maneira de chegarmos ao Pai é por meio dele.  O envolvimento face a face revela a realidade de quem Deus realmente é – Amor – e expõe as mentiras que podemos ter assimilado ao longo dos anos. Jesus é a expressão máxima desse Amor, então se não se parece com Jesus, então provavelmente não é Amor.

Deus quer que conheçamos a verdade de quem Ele é e quem somos como Seus filhos. É a tática do acusador nos fazer pensar erroneamente sobre Deus e sobre nós mesmos. Enquanto vemos Deus como tendo um lado sombrio, nunca confiaremos nele completamente. Sempre haverá um leve medo que contradiz o amor.

Física quântica 1.01

Por exemplo, de alguma forma chegamos a acreditar que Deus não pode olhar para o pecado e que Ele tem que virar o rosto. Se fosse verdade que Ele não pudesse olhar para o pecado, não estaríamos aqui! A física quântica 1.01 nos diz que se Ele parasse de nos observar, deixaríamos de existir.

Na cruz, quando Jesus citou as palavras iniciais do Salmo 22 (NVI): “Meu Deus, meu Deus, por que me abandonaste?” Ele estava chamando a atenção das pessoas para o conteúdo de todo o salmo e sua relevância para os eventos que se desenrolavam diante delas. Mas Ele já havia dito a seus discípulos:

Aproxima-se a hora, e já chegou, quando vocês serão espalhados cada um para a sua casa. Vocês me deixarão sozinho. Mas, eu não estou sozinho, pois meu Pai está comigo. (João 16:32 NVI).

Podemos ver claramente que a hora a que Ele se referia era a Sua crucificação. De acordo com Jesus, o Pai nunca virou o rosto Dele. Ele estava bem ali com Ele.

Justiça de Deus

Como poderíamos ter entendido errado? A resposta é, porque temos algo ainda mais fundamental errado também. Pensamos que na cruz Jesus estava tomando nosso castigo por nós, sofrendo a ira de um Deus vingativo em julgamento que deveria ter caído sobre nós. Estamos acostumados ao nosso sistema de justiça humana que exige justiça retributiva – retribuição – mas a verdade é que a justiça de Deus é sempre restauradora. Veremos todo esse assunto da expiação em detalhes em outro post, mas por enquanto vamos considerar o que era a cruz, se não o castigo.

O pecado

A palavra grega original para ‘pecado’ usada com mais frequência no Novo Testamento é ‘hamartia‘. É um substantivo (o pecado) e não um verbo (pecar). ‘O pecado’ é o pecado de Adão, escolhendo seguir o caminho DIY (faça você mesmo) da árvore do conhecimento do bem e do mal ao invés do caminho da árvore da vida. De Adão todos nós herdamos a morte espiritual (que é um relacionamento perdido com Deus e uma identidade pessoal perdida), então, como Adão, estamos vivendo em algo menos do que o desenho ou projeto original de Deus para nós, não reconhecendo nossa verdadeira identidade como uma pessoa feita em Sua imagem.

Assim, o salário do pecado é a morte (Romanos 6:23 NVI), mas Deus tem uma solução pronta: pois da mesma forma como em Adão todos morrem, em Cristo todos serão vivificados (1 Coríntios 15:22 NVI). ‘O pecado’ não precisa ser punido, como a religião nos faria acreditar, mas perdoado, corrigido, tratado e removido. Não podemos ganhar o perdão de Deus fazendo coisas ‘boas’ (essa é a árvore DIY novamente): o perdão é um presente de Deus para cada um de nós em Cristo.

A palavra da reconciliação

Deus em Cristo estava reconciliando consigo o mundo, não lançando em conta os pecados dos homens, e nos confiou a mensagem da reconciliação. (2 Co 5:19 NVI)

A palavra grega para ‘o mundo’ nesse versículo é ‘cosmos’: certamente inclui todo o planeta, e muito mais. Jesus veio para reconciliar e restaurar absolutamente tudo e todos em toda a criação de volta ao relacionamento com Deus. Isso é exatamente o que Ele realizou por meio de sua morte e ressurreição, e agora todos nós compartilhamos da vitória da cruz e da vida ressurreta. No relacionamento com Deus, todos nós temos uma identidade restaurada, sabendo que somos aceitos, perdoados, abençoados e feitos justos.

Já que agora temos o mesmo ministério de reconciliação que Jesus teve, escolhemos mostrar amor e misericórdia aos outros, assim como Ele mostrou amor e misericórdia a nós. Além disso, quanto mais nos envolvemos com o Deus real, mais alto, largo, profundo e longo, percebemos o que o amor e a misericórdia são.

Outros artigos de Freedom ARC

Página do Facebook: Vida Sobrenatural.
Grupo do Facebook: VIDA SOBRENATURAL (pedir para participar).

Artigo original em inglês: 233. Wider, Deeper, Longer, Higher

1298

232. O Maior Escândalo da Época

Mike Parsons
com Jeremy Westcott

Novas Coisas

“Eis que as primeiras coisas já se cumpriram, e as novas eu vos anuncio, e, antes que venham à luz, vo-las faço ouvir.”
(Isa 42:9)

Pense em tudo que já aconteceu em sua vida… e agora Deus está dizendo ‘eu declaro coisas novas’. Tudo o que é velho se foi, tudo o que pode ter trazido sentimentos de indignidade, culpa e vergonha, se foi por causa do poder da cruz.

As coisas velhas não podem mais nos ser úteis, se é que alguma vez foram. Deus já decretou e declarou para nós um novo lugar de relacionamento. Precisamos estar cientes de que as coisas antigas se foram, para que possamos aceitar as coisas novas que o poder da ressurreição de Jesus abriu para nós.

Como aqueles que são chamados para governar e reinar como filhos de Deus, precisamos conhecer Deus como nosso Pai, caso contrário, agiremos como se fôssemos órfãos, como se não tivéssemos um relacionamento com Ele. Além disso, somos feitos à imagem de Deus, mas se a imagem que temos Dele for distorcida, agiremos de maneira distorcida. Então, se nossa visão de Deus O tem como irado e vingativo, é exatamente assim que seremos como filhos – e se você olhar para o mundo, é um lugar raivoso e vingativo. Muito disso veio da forma como a religião O apresentou: mesmo que as pessoas não ‘acreditem em Deus’, essa ainda é a imagem que elas têm do Deus em que não acreditam. Deus quer se revelar para nós e para o mundo, de uma forma completamente diferente.

Escândalo

Deus falou comigo no final de 2016 e disse:

“Filho, o maior escândalo da época está prestes a ser exposto. Muitos não vão acreditar, mas a verdade de quem eu sou (e, portanto, quem vocês são como meus filhos) será revelada. As mentiras da religião serão expostas à pura luz da verdade. O grande Eu sou está prestes a se revelar como o amante de suas almas o que trará uma realidade totalmente nova”.

Muito do que acreditamos sobre Deus e a versão da realidade que a religião apresentou à igreja e ao mundo, Deus está prestes a expor como uma mentira completa. E quando for exposto seremos capazes de ver a verdade de quem é Deus e quem somos nós.

O pecado

Podemos nos envolver com Deus face a face, porque nunca foi Ele quem se escondeu de nós, apenas o contrário. Quando Adão e Eva caíram, e Deus veio encontrá-los no Jardim, Ele não disse: “O que você fez?” Ele disse: “Onde você está?” Eles estavam escondidos porque estavam focados no que tinham feito, mas Ele ainda estava procurando um relacionamento. O inimigo sempre tentará nos manter focados no que fizemos, mas Deus não.

O pecado não é realmente sobre comportamento, não é sobre o que fizemos de errado. A palavra mais comum para “pecado”, usada 174 vezes no Novo Testamento, é “hamartia”. É um substantivo, não um verbo, ‘o pecado’ em vez de ‘pecar’, e não tem nada a ver com nossos ‘feitos’. A religião está principalmente preocupada com “fazeres”: como se todas essas coisas ruins que fizemos significassem que Deus realmente não gosta de nós e não quer um relacionamento conosco. Mas o que quer que tenhamos feito não afeta como Deus nos vê ou o quanto Ele nos ama. Nós é que achamos que sim.

A árvore do “faça você mesmo”

O pecado traz suas próprias consequências. A tradução literal de Romanos 6:23 diz:

Porque o salário do pecado [é] a morte, e o dom gratuito de Deus [é] a vida contínua em Cristo Jesus nosso Senhor. (Literal Standard Version).

O pecado não precisava ser punido, mas perdoado, corrigido, tratado e removido. Isto é o que Jesus realizou por sua morte e ressurreição. Ele não veio para lidar com nossas ações individuais, mas veio para lidar com o pecado como um poder, algo que estava na raiz de nossa situação. Foi o pecado de Adão em seguir o caminho “faça você mesmo” da árvore do conhecimento do bem e do mal, tentando se tornar como Deus por seus próprios esforços. Foi com isso que Jesus veio tratar; todo o resto é apenas uma consequência disso.

Embora a serpente tenha dito: “Se você comer desta árvore, você se tornará como Deus”, a verdade é que Adão já foi criado à semelhança e imagem de Deus. Adão falhou em compreender e manter sua verdadeira identidade e semelhança da perspectiva de Deus. Assim, embora Deus nunca tenha mudado a forma como Ele nos vê, Adão de repente se viu como menos do que era. Nessa cegueira espiritual sobre si mesmo e sobre Deus, ele perdeu de vista o fato de compartilhar e participar da própria imagem e semelhança de Deus.

Essa cegueira afetou a todos desde então. Tentamos esconder e cobrir nossa nudez com folhas de figueira porque acreditamos em uma mentira sobre como Deus nos vê. Não nos vemos como Deus realmente nos vê ou como Ele nos criou para ser. A morte espiritual que herdamos é fundamentalmente uma perda de relacionamento com Deus e uma perda de identidade pessoal.

Pois assim como em Adão todos morrem, assim também em Cristo todos serão vivificados (1 Co 15:22).

Leia essa escritura novamente, e desta vez considere os dois todos. Assim como todos herdaram essa morte espiritual e cegueira de Adão; assim como todos participaram da morte espiritual da alma que ela criou, todos compartilham a vitória da cruz e a vida de ressurreição de Jesus.

Amor

Quando nos envolvemos com Deus face a face, veremos como Ele realmente é. Deus é amor. Tudo o que Ele faz é amor. Pense nisso, então compare como a religião O retratou! Muitas vezes, aqueles não crentes que mencionei anteriormente parecem estar bem com Jesus, mas não têm tanta certeza sobre ‘Deus’. Jesus veio para compartilhar a verdade de quem Ele era e quem era Seu Pai. Na realidade, Ele não é algum tipo de esquizofrênico, Ele não tem uma personalidade dividida. Pai, Filho e Espírito estão em completa unidade, e se você viu Jesus, você viu o Pai.

Outros artigos de Freedom ARC

Página do Facebook: Vida Sobrenatural.
Grupo do Facebook: VIDA SOBRENATURAL (pedir para participar).

Artigo original em inglês: 232. The Greatest Scandal of the Age

1291

231* Encontre o Deus Real

Mike Parsons
com Jeremy Westcott

Novo para velho

Deus está sempre fazendo coisas novas.

Por favor, entenda que, como dissemos antes, Ele é sempre o mesmo, fiel e cheio de bondade, e nunca mudou. Mas quando O envolvemos intimamente, Ele se revela de maneiras continuamente novas, surpreendentes e às vezes até chocantes.

Vejam! As profecias antigas aconteceram, e novas eu anuncio; antes de surgirem, eu as declaro a vocês”. (Isaías 42:9 NVI)

Esqueçam o que se foi; não vivam no passado. Vejam, estou fazendo uma coisa nova! Ela já está surgindo! Vocês não o percebem? Até no deserto vou abrir um caminho e riachos no ermo.  (Isaías 43:18,19 NVI)

Deus está revelando coisas novas em nossos dias, mas muitas vezes tentamos nos apegar ao que é velho, confortável e familiar, assim como os filhos de Israel fizeram no deserto. Antiga ordem da igreja como governo, ministério, oração, evangelismo, doutrina e teologia estão sendo desafiadas por novas e frescas revelações da verdade.

Você já parou para questionar o quanto do que acreditamos é porque sempre acreditamos nisso, com base no que alguém nos ensinou, ou a partir de uma construção religiosa, doutrina ou teologia? Quanto é derivado ou influenciado por nossa cultura e sociedade particulares? E, finalmente, quanto é realmente da revelação, vindo de nossa experiência pessoal direta do relacionamento com o próprio Deus? Resumindo, até que ponto estamos ‘inclinados ao nosso próprio entendimento’?

Geração de Josué é precursora do novo. Estamos encontrando um novo nível de relacionamento experiencial com Deus, um novo nível de comunicação com Ele, nova capacidade de ouvir e ver o que Ele revela. Estamos descobrindo o que significa ter a mente de Cristo !

Deus está nos chamando para deixar o velho e abraçar o novo: novas mentalidades e novos paradigmas, novas visões de mundo. Não devemos ficar surpresos se encontrarmos grande resistência à mudança, e não apenas dos quartéis que poderíamos esperar. Certamente algumas pessoas nas antigas igrejas estabelecidas se oporão ao que Deus está fazendo, mas a maior resistência provavelmente virá de movimentos mais recentes de Deus que se estabeleceram no modo de manutenção.

Profundamente arraigado

Mesmo dentro de nós mesmos, podemos lutar para superar a confortável inércia de querer manter as coisas como estão. Experimentamos um pouco disso dentro da igreja aqui: por um tempo, a antiga forma pastoral de governo da igreja se opôs e resistiu firmemente à nova ordem apostólica celestial. Descobrimos o quão profundamente algumas dessas coisas estão arraigadas em nosso pensamento e prática. Mas eventualmente tomamos uma decisão individual e corporativa de entrar no novo.

“… A dinâmica de nossa estratégia é revelada na capacidade de Deus de desengajar mentalidades e percepções que mantiveram as pessoas cativas em pseudo-fortalezas por séculos! Toda ideia e argumento elevado contra o conhecimento de Deus é rejeitado e exposto para ser uma mera invenção da nossa própria imaginação” (2 Coríntios 10:5-6 Mirror Bible).

Deus começou a desafiar os próprios pilares de nossas mentes. Encontramo-nos em um momento de transição, de incerteza e mudança, no qual não podemos ter certeza de nada que pensávamos saber. Ele mesmo nos disse,

“Vocês foram convidados a conhecer o verdadeiro Eu, para que possam ser precursores da presença da glória”.

Se Ele está nos convidando a conhecer o verdadeiro Deus, que Deus pensávamos conhecer? É possível que tenhamos visto e apresentado uma imagem falsa Dele todo esse tempo? Se for assim, estamos apenas apresentando aos novos crentes a mesma imagem falsa que temos adorado. E se o mundo rejeitou essa imagem de Deus (e muitas vezes tem), então o que pode acontecer quando apresentamos a verdadeira natureza de Deus, quando ‘mostramos e contamos’ como Ele realmente é?

“Let love come teach me who You are again.” Jenn Johnson // In Over My Head #WeWillNotBeShaken // ‘In Over My Head’ via Pinterest.

Precisamos encontrá-lo e experimentá-lo por nós mesmos. Então, o que estamos oferecendo às pessoas não será uma perspectiva e doutrina teórica, teológica, mas um relacionamento real com um Deus vivo. E é disso que o mundo precisa; como nós, ele precisa encontrar o Deus real, não a imagem que foi pintada Dele até agora.

Me viu, viu o Pai

Jesus é o esplendor da glória de Deus e a representação exata do Seu ser.

“Jesus é o crescendo da conversa de Deus; ele dá contexto e conteúdo ao pensamento autêntico. Tudo o que Deus tinha em mente para a humanidade é expresso nele. Jesus é a linguagem de Deus. Ele é a expressão radiante e impecável da pessoa e intenção de Deus. Ele espelha o caráter de Deus e exibe todos os seus atributos em forma humana. Ele é a voz de Deus anunciando nossa inocência redimida. Essa voz é a dinâmica que sustenta todo o cosmos. Ele é a força do universo sustentando tudo o que existe como autoridade executiva de Deus, entronizado na medida ilimitada de sua majestade” (Hebreus 1:3 Mirror Bible).

Ele declarou: “Se você me viu, você viu o Pai”. Como diz o tradutor da Mirror Bible, François Du Toit, “ a melhor tradução seria sempre aencarnação”.

Então Jesus tem que ser a lente através da qual nós vemos e projetamos como Deus realmente é.

Transformação

Como ‘precursores da presença da glória’, devemos conhecer essa presença por nossa própria experiência. A glória é a glória do Deus verdadeiro, não uma imagem fraca, fraturada e distorcida Dele. O princípio é que seremos transformados no que vemos: se virmos Deus como zangado e vingativo, procurando todas as oportunidades para nos atacar e nos derrubar quando sairmos da linha, então exibiremos as mesmas características. Assim, enquanto procuramos desmascarar o que Brad Jersak chama de ‘ as representações tóxicas de Deus‘ tão prevalente na igreja tradicional (e, portanto, na sociedade ocidental secular), temos que ter o cuidado de operar em amor para com aqueles com quem entramos em discussão. Só podemos fazer isso se estivermos contemplando o Deus real. O fermento dos fariseus e de Herodes ainda está se espalhando pela massa: os espíritos religiosos e políticos amam a disputa. Vendo e revelando a verdade e operando em amor, podemos ajudar as pessoas a se envolverem com Deus, em vez de sentirem que precisam se envolver em discussões.

Quando Josué conduziu Israel à Terra Prometida, houve antes de tudo um tempo de consagração. Juntamente com novas experiências, novos pensamentos e novos níveis e padrões de autoridade, devemos exibir novos níveis de abertura, honestidade, sinceridade, honra, respeito e compromisso.

Vacas sagradas

O velho, o confortável e o familiar devem ser deixados para trás quando Deus nos traz para um novo dia. Se quisermos receber tudo o que Deus tem para nós, precisaremos deixar de lado esses velhos modos familiares, porque eles não serão mais eficazes. Duas tribos e meia optaram por renunciar à sua herança  na Terra Prometida. Não devemos ficar presos ao passado: os velhos hábitos não devem se tornar ídolos que não abandonaremos.

Então, quais são suas doutrinas, ideologias, métodos e outras vacas sagradas? Você está disposto a encontrar Deus como Ele realmente é e pedir a Ele para expô-los, removê-los e substituí-los?

Outros artigos de Freedom ARC

Página do Facebook: Vida Sobrenatural.
Grupo do Facebook: VIDA SOBRENATURAL (pedir para participar).

Artigo original em inglês: 231. Meet the Real God

*Alguns artigos foram omitidos.
Queremos que este blog reflita o ensino atual de Mike, então alguns artigos originalmente publicados em inglês não serão publicados em português.

1268

173. Pisos de comércio divino – Negociação (3)

Mike Parsons
com Jeremy Westcott – 

Nos dois últimos posts, vimos o lado negativo do comércio, os acordos que podemos ter feito com o inimigo. Agora, embora isso realmente não faça parte da série Transformação, neste post eu quero escrever sobre o lado positivo.

Quando Ian Clayton começou a falar sobre o comércio, algumas pessoas ficaram confusas porque não entenderam bem o que isso significava. O fato é que todos nós negociamos, mas podemos ter outra terminologia que usamos para isso. Negociar é oferecer algo em troca de outra coisa. Pode ser dinheiro, ou bens, ou outras coisas físicas, mas também pode ser amor, uma promessa de Deus, sua vida, até mesmo o sangue de Jesus. Em sua forma mais simples, é uma troca de aliança. Quando eu entro em um relacionamento de aliança com Deus, então o que é meu pertence a Ele e o que é Dele pertence a mim.

Assim como existem diferentes pisos de comércio demoníacos, também existem diferentes locais sagrados. Por exemplo, quando eu pego uma oferta e a ofereço a Deus, eu realmente vou para a sala do tesouro no céu, onde Melquisedeque preside em sua qualidade de Chanceler.

Semeando e colhendo

Por muitos anos, ensinamos o comércio financeiro como o princípio de semear e colher. Deus promete aumentar o que semeamos: trazemos essa promessa conosco e a trocamos pelo seu cumprimento, pelo que colheremos. Ela nos dá acesso ao retorno cêntuplo (ou mesmo ao milhar de Deuteronômio 1.11, que eu prefiro).

Efetivamente, podemos negociar com a palavra de Deus. Se encontrarmos uma promessa nas escrituras, ou se Ele nos deu uma promessa pessoalmente, podemos ir e pedir que Ele realmente cumpra. Ele não se importa com isso: ele gosta de ser lembrado do que disse. Pela fé nos comprometemos e usamos Sua palavra para nos levar à troca de alianças. Visto que Deus falou isso, e nós estamos em Cristo na nova aliança, então ela pertence a nós.

 Pois quantas forem as promessas feitas por Deus, tantas têm em Cristo o “sim”. Por isso, por meio dele, o “Amém” é pronunciado por nós para a glória de Deus. (2 Cor 1:20 NVI).

Podemos usar uma escritura como essa para negociar. Podemos ir, porque estamos em Cristo, e receber essas promessas. Isso é uma troca, uma negociação.

O sangue e a cruz

Eu negocio principalmente usando o corpo e sangue de Jesus em comunhão, trocando isso pela transformação em minha própria vida e ressoando com a frequência de Deus. Isto é, realmente eu dou tudo a Ele e Ele devolve tudo para mim, multiplicado, e para os Seus propósitos (não os meus). Como vimos antes, a cruz é o lugar de troca mais importante para nós. Na cruz, podemos trocar nossos pecados por perdão, injustiça por retidão, velhos por novos, doença por saúde e muito mais.

Negociando no mar de vidro

Sabemos a importância dos motivos e desejos do nosso coração. Precisamos ter certeza de que tudo o que estamos procurando quando vamos a Deus está enraizado no puro desejo de trazer glória, honra e bênção para ele. Não se trata de nos elevar ou promover, de nos dar um nome: não estamos negociando para conseguir algo para nós mesmos: estamos negociando para ver o reino de Deus avançar e se expandir. É tudo sobre ele.

Então, quando alguém nos elogia, nos afirma ou nos exalta, podemos vir e levar essas coisas a Deus. Assim como os anciãos lançam suas coroas diante do trono no mar de vidro (que só parece vidro, aliás), nós também podemos oferecer a Ele os aplausos e a posição que os homens nos concederam. Não é que a opinião de outras pessoas sobre nós não tenha valor, mas que optamos por valorizar nosso relacionamento e intimidade com o Pai, e Sua afirmação de nós, mais ainda.

Algumas das pedras de fogo são pisos de comércio, onde vamos e trocamos nossa vida e recebemos de volta o fruto do Espírito, ou a revelação dos preceitos de Deus.

Sacrifício vivo

Damos nossa vida em troca de um retorno. Portanto, sempre que me rendo como um sacrifício vivo a Deus no altar de incenso, estou negociando. Estou trocando o meu antigo pelo novo que vem da revelação do relacionamento com Ele e da intimidade que tenho com ele.

‘Já não sou eu quem vive, mas Cristo vive em mim’ (Gl 2:20 NVI): Troco a minha velha vida por uma nova n’Ele; ‘a vida que agora vivo no corpo, vivo-a  pela fé no Filho de Deus’ – vivo em união e em conexão com Ele

Apresento-me a Ele como um instrumento de justiça. Estou morto, nego a mim mesmo e toda a sua vida se abre para mim.

Plantar no meu jardim

Como mencionei, não devemos ser religiosos quanto à terminologia. Uma vez eu tirei algumas coisas da barriga de um gigante e fui e plantei no meu jardim. Alguém me perguntou por que não negociei com eles no mar de vidro. A resposta é que fiz o que meu espírito me levou a fazer. Eu fui e plantei algo em meu jardim e cresceu, e então da árvore saíram duas trombetas de prata. Quando você planta algo no solo, ele morre para você para que Deus possa devolver as coisas para você como resultado – geralmente na multiplicação. Uma semente é lançada na terra e morre , e ainda assim produz vida daquela morte, em uma forma multiplicada.

Existe uma aplicação específica de negociação que você pode ter visto em uma reunião. Quando um orador diz algo e as pessoas querem se envolver nisso, eles vêm e dão uma pequena quantia em dinheiro para negociar na revelação: eles estão honrando essa revelação e querem receber a bênção por se envolverem com ela. Se refletir o desejo do coração de alguém, pode ser útil para essa pessoa; mas pessoalmente nunca senti realmente a necessidade de fazer isso, ou de encorajá-lo aqui.

Continue perseguindo-o

Precisamos ter certeza de que estamos vindo com pureza de coração nessas coisas, porque isso vai causar uma multiplicação para a qual temos que estar prontos. Deus é tão gracioso. Ele não nos dá tudo o que queremos de uma vez, porque sabe que nem sempre temos sabedoria para lidar com isso. Até a revelação vem em progressão, ao invés de tudo de uma vez. Dessa forma, continuaremos perseguindo-O e reconhecendo nossa dependência Dele ao invés de pensar: ‘Ei, eu sei tudo’. Na verdade, provavelmente sei menos de um bilionésimo de um por cento de tudo. Eu só quero saber mais sobre ele.

Quanto a mim, só negocio conscientemente quando meu espírito me leva a fazê-lo. Não é algo que eu faço o tempo todo naturalmente, porque então correria o risco de se tornar uma fórmula (e não quero que nada se torne uma fórmula, quero ser conduzido e dirigido pelo Espírito). Quero que meu espírito se envolva no que faço, e tudo o que faço, eu quero que haja vida nisso. Se não tenho fé para isso, então estou apenas fazendo de acordo com a letra e não com o espírito, e isso não traz nenhum benefício.

Existe um velho ditado que diz que você nunca pode dar mais do que Deus. Ele sempre nos dá mais do que nós, e é aí que vem qualquer comércio.

Deus vai restaurar

A revelação do comércio celestial foi paralisada por eventos que aconteceram na história humana. Por exemplo, Deus escreveu os Dez Mandamentos em tábuas de pedra por Suas próprias mãos : quando Moisés os tirou do céu, ele estava em um piso de comércio de safira. Ele estava trazendo o compromisso da revelação de Deus para este reino do céu. Mas quando ele viu o bezerro de ouro e tudo o que estava acontecendo no acampamento, Moisés  quebrou as pedras – e o entendimento da negociação no piso de comércio de safira foi perdido como resultado. Eu acredito que Deus vai restaurar esse conhecimento de revelação nos dias que virão. Ele revelará muito mais revelações sobre como usar os pisos de comércio no céu, e os sete espíritos de Deus nos ensinarão a entender o comércio em uma dimensão maior do que ainda conhecemos.

Outros artigos de Freedom ARC

Página do Facebook: Vida Sobrenatural.
Grupo do Facebook: VIDA SOBRENATURAL (pedir para participar).

Atribuição de imagem: A imagem A cruz iguala o amor é a foto de Jeremy Westcott de um quadro-negro de sua filha Beth Lane na Valley Church, Bamber Bridge, Lancashire UK. http://bethwestcott.wix.com/bethanydesign

172. Sete Pisos de Comércio – Negociação (2)

Mike e Deb Parsons
com Jeremy Westcott 

Sem condenação

Estaremos examinando alguns assuntos difíceis neste post. Por favor, não se deixe levar por sentimentos de culpa e condenação por causa de qualquer coisa que escrevemos aqui. Vamos nos lembrar de que não há condenação para nós. O Espírito Santo certamente trará a convicção do pecado onde existe pecado; mas podemos nos arrepender (isto é, parar de pensar em nós mesmos [e como agimos] de acordo com nosso próprio entendimento, mudar nossas mentes e nos ver da maneira que Deus nos vê), abandonar isso e renuncia-lo, receber perdão e buscar transformação .

Comércio ímpio

Adão e Eva negociaram com o acusador e deram seu DNA por posição e poder para ser como Deus (humanismo, racionalismo). Essa inclinação para o comércio ímpio foi passada para cada um de nós.

Sempre que não buscamos primeiro o reino de Deus, estamos negociando por nós mesmos; procurando ser deuses de nossas próprias vidas (exatamente o que Adão e Eva foram oferecidos). Esaú trocou seu direito de primogenitura por uma tigela de guisado, e nós trocamos hoje pelas coisas que virão amanhã.

Precisamos até mesmo considerar o benefício de quem estamos exercendo o ministério: a aprovação do homem é temporal, não eterna. Em Mateus 6, Jesus falou sobre praticar a justiça perante os homens, chamando a atenção para o nosso dar, jejuar e orar: não há nada de errado com essas atividades, exceto o motivo.

Qualquer coisa que fizermos deve ser para Deus, para Sua glória, não para nós. Jesus introduziu um novo padrão, baseado não na adesão externa, mas no motivo do coração. Raiva é igual a assassinato, luxúria é igual a adultério; ame seus inimigos, ore por aqueles que o perseguem:

“Porque vos digo que, se a vossa justiça não exceder a dos escribas e fariseus, de modo nenhum entrareis no reino dos céus.” (Mt 5:20 ACF).

Se a nossa justiça não traz glória a Deus, não é justiça de forma alguma.

Sabedoria terrena, mundana e demoníaca

Porque essas coisas não são a espécie de sabedoria que vem do alto; antes, são terrenas, mundanas e demoníacas. Pois onde há inveja e ambição egoísta, também há confusão e males de todo tipo.  (Tiago 3: 15-16 NVT)

Que fonte de sabedoria influencia, motiva e direciona nossas decisões?

  • Sempre que procuramos usar nosso próprio conhecimento em oposição ao de Deus, estamos negociando falsamente.
  • Sempre que usamos um substituto em vez da provisão de Deus, estamos negociando falsamente.
  • Sempre que os motivos do nosso coração são egoístas, estamos negociando falsamente

Isso dá acesso ao mundo demoníaco para nos influenciar e nos afetar, nos restringindo e tirando a nossa herança.

Pisos comerciais

Quando comecei a ensinar esse assunto, sabia que não poderia fazer isso sem ter passado por isso na minha própria vida, mas continuei adiando. Ian Clayton foi um precursor nisso, e ele levou 8 meses para superar isso em sua própria vida. No final, fiz isso em três semanas, porque eu já estava no meio do caminho para ensinar esta série e estava ficando sem tempo. Foi a coisa mais difícil que já fiz. Tive que reconhecer como estava atendendo às minhas próprias necessidades do meu jeito e tive que tratar com as razões disso em meu coração.

Há pelo menos sete pisos comerciais ímpios que reconheci. Passei por cada um deles, perguntando a Deus em cada um como e onde negociei com eles. Deus me mostrou em detalhes e, emocionalmente, foi muito difícil lidar com isso.

Então eu precisei trabalhar meu arrependimento. Pedi a Deus que aguçasse minha consciência para que eu parasse se voltasse a seguir esse caminho. Descobri que com perseverança é possível levar cativos os pensamentos, reconhecer os sussurros, antes mesmo de entrar nesse caminho.

Sete pisos

Eu direi apenas algumas palavras sobre cada um dos pisos de comércio aqui. Peça ao Pai para mostrar se você  tem negociado com cada um deles em sua própria vida,
1. Tiro – dinheiro, materialismo

O rei de Tiro saqueou e roubou o templo de Deus, usando o ouro para construir uma cidade comercial para sua própria glória e ganho.

Frequentemente, trata-se de dinheiro tirado de Deus e usado para nossos próprios fins. Isso inclui áreas como ofertas, jogos de azar, trapaça financeira e dívidas.

2. Jezabel – manipulação, controle, dominação, bruxaria

Jezabel era filha de Etbaal (o rei de Tiro), que se casou com o rei de Israel para obter o controle do sistema religioso.

Isso envolve questões como o uso de emoções, política, artifícios sexuais, suborno ou chantagem e uso de substâncias para alterar como nos sentimos.

3. Atália – semente real

Atália era filha de Jezabel (ou, segundo alguns relatos, cunhada). Ela se casou com o rei de Judá e tentou controlar a futura semente matando todos os herdeiros possíveis. Ela usou o sistema político para usurpar autoridade e se tornar a única rainha que Judá já teve.

Autoimagem pobre, acreditar em mentiras e espíritos familiares, e envolvimento maçônico, tudo isso pertence a este piso de comércio.

O rei de Tiro, Jezabel e Atália eram todos adoradores de Baal – envolvidos na idolatria, no culto da fertilidade, sensualidade e sacrifício infantil.

4. Caim – assassinato

Caim era filho de Satanás, semente da serpente, que assassinou Abel, seu meio-irmão, por causa do ciúme e da natureza que ele herdou de Satanás.

Não se trata apenas de ataques físicos, mas de qualquer tipo de raiva, assassinato de caráter, acusações e egoísmo.

5. Dalila – sedução

Ela ofereceu prazer e gratificação, seduzindo Sansão para roubá-lo de seu destino.

Esse piso de comércio é onde encontramos pessoas vivendo em uma fantasia (especialmente romântica ou sexual), encontrando maneiras de ganhar (ou manter) aceitação, aprovação ou afirmação; e um desejo por dinheiro, poder ou influência.

6. Leviatã – fofoca, mentira, engano

Uma criatura marinha demoníaca, um monstro do mar.

Trata-se de mentir ou trapacear para fazer os outros pensarem melhor sobre você; meias-verdades; autopromoção, procurando impressionar, fofocar … e o que você está compartilhando no Facebook?

7. Apolion – se opõe ao evangelho

Um anjo caído que se opõe à pregação do evangelho.

Sempre que diluímos o evangelho do reino, e oferecemos um evangelho de salvação barato, nos envolvemos com falsos cultos, somos governados pelo medo ou constrangimento, ou deixamos de compartilhar a verdade completa do evangelho por qualquer motivo, negociamos neste piso de comércio .

Se, contudo, o vigia vê o inimigo, mas não dá o sinal de alarme para advertir o povo, ele é responsável. Eles morrerão em seus pecados, mas considerarei o vigia responsável pela morte deles’.  (Ez 33: 6 NVT).

O que deveríamos fazer?

Nada disso é fácil de admitir quando o descobrimos em nossas vidas. Mas a verdade é que todos nós temos, e muito. Está nos afastando do que Deus tem para nós. Ele quer que entremos em Sua glória, mas isso é impossível com tudo isso no lugar. Precisamos nos livrar disso!

Devemos ser implacavelmente honestos sobre nosso passado, não encobrindo ou fingindo. É realmente difícil enfrentar as coisas horríveis que fizemos, mas a realidade é que, a menos que o façamos, não estaremos livres delas.

Lembre-se de que Deus nos ama. Seu amor é uma tenda sobre nós, isso nos dá um lugar seguro para tratar com essas coisas. Lembre-se de tudo que escrevi no primeiro parágrafo deste post. Não há condenação para nós.

Isso não é fácil, mas como os precursores já passaram por lá, eles tornaram as coisas um pouco menos difíceis para nós (e se o fizermos, as coisas serão um pouco menos difíceis para aqueles que nos seguem). Nós devemos:

  • possuir nossas negociações e motivos anteriores
  • confessar nossa negociação como pecado
  • buscar revelação sobre qualquer negociação familiar que possa nos influenciar (veremos isso mais detalhadamente em uma postagem futura sobre a iniquidade).

Podemos achar útil usar este diagrama que vimos antes :

Podemos usar o sistema judicial no céu. O tribunal móvel é um lugar muito eficaz para lidar com tudo isso, devemos:

  • Aceitar a acusação e receber o julgamento de Deus por nossas próprias negociações e pelas de nossa família
  • Arrepender-se e renunciar as negociações falsas (seja muito específico)
  • Separar-se da negociação falsa
  • Convidar Deus para ativar nossas portas espirituais da ‘reverência’ e ‘temor do Senhor’, de modo que a nossa porta da ‘consciência’ esteja sensível e ativada.

Armados com essa revelação e experiência, no futuro podemos reconhecer quando estamos trilhando o caminho para o comércio negativo. Quanto mais cedo pudermos nos segurar (ou ouvir o aviso do Espírito Santo) e dar meia-volta, será melhor. Realmente queremos chegar ao ponto em que nossa consciência entra em ação imediatamente, de modo que negociações negativas não sejam mais uma opção para nós.

Tudo isso faz parte do processo de renovação da nossa mente para que possamos ser transformados à imagem de Jesus.

Oração do tribunal de acusação

Antes de usar esta oração, recomendo que você trabalhe por si mesmo através dos pisos de comércio, seja muito específico sobre cada um em como você tem negociado nele.

Pai, eu te agradeço porque você me ama
E porque o seu reino é baseado na retidão e na justiça.

Pela fé, eu entro no tribunal de acusação.
Encaro os meus acusadores e aceito e concordo que negociei erroneamente.

Aceito que segui o caminho do conhecimento do bem e do mal.
Aceito que fui influenciado e motivado
pela sabedoria terrena, mundana e demoníaca.
Eu estou aqui representando a mim mesmo e a meus antepassados, identificando-me com eles.

Eu me arrependo e renuncio a todas as negociações falsas feitas por mim e por meus antepassados
(seja muito específico aqui sobre as negociações que você reconheceu).

Eu recebo o julgamento de Deus
E eu sou justificado e feito justo através do meu advogado, Jesus.
Eu libero o julgamento de Deus contra os meus adversários e acusadores.
Recebo um mandato para ser separado de todas as negociações falsas.

Eu volto para este reino
com a autoridade para identificar e rejeitar
todas as influências e motivos demoníacos, mundanos e terrestres.

Eu escolho ser identificado como seu filho
Andando na luz
Seguindo a sabedoria celestial na terra.

Outros artigos de Freedom ARC

Página do Facebook: Vida Sobrenatural.
Grupo do Facebook: VIDA SOBRENATURAL (pedir para participar).

171. Informações para elevação – Negociação (1)

Mike Parsons
com Jeremy Westcott – 

O engano em que vivemos

Achamos difícil julgar a nós mesmos. Estamos acostumados a pensar como pensamos, acostumados a atender às nossas próprias necessidades à nossa maneira. Mas Deus vai mais fundo, revelando e julgando os pensamentos e intenções dos nossos corações. Pela revelação da Sua palavra e Seu Espírito, Ele nos mostrará a realidade dos nossos motivos.

Sonda-me, ó Deus, e conhece o meu coração; prova-me, e conhece os meus pensamentos. E vê se há em mim algum caminho mau, e guia-me pelo caminho eterno. ACF (Salmos 139: 23-24).

A diferença entre como nos vemos e como Deus nos vê é o engano em que vivemos.

A árvore do conhecimento do bem e do mal

Raízes do nosso comércio

Nossos motivos são formados por experiências e decisões passadas, em nossas próprias vidas e na vida de nossos ancestrais. Nossos corações carregam o registro de decisões anteriores sobre linhagem sanguínea geracional, e podemos ter sido programados por meio de padrões geracionais de iniqüidade. Estes, por sua vez, formam padrões em nossos corações.

A árvore do conhecimento do bem e do mal é o caminho e a fonte de todo ego. Suas raízes são provenientes do comércio de Satanás, ‘Eu irei ascender, eu serei como Deus’. O comércio é um caminho que seguimos quando procuramos atender às nossas próprias necessidades. O fruto desta árvore é sempre brilhante por fora, mas é a morte para nós. Se pudéssemos ver por baixo da pele atraente, ver a podridão e o veneno dentro, nunca cairíamos nas mentiras sedutoras de Satanás.

O Comércio é uma troca. É baseado nos desejos dos nossos corações, que estão corrompidos pelo pecado em nossa natureza, desde Adão em diante. Todo comércio pecaminoso está enraizado no desejo do coração de ser como Deus. Satanás foi o primeiro comércio negativo, antes que o tempo começasse. O primeiro comércio negativo na terra foi entre Satanás e Adão e Eva: ele ofereceu algo a eles e eles lhe deram algo em troca.

O querubim cobridor

Sobre a arca da aliança estavam dois querubins com asas estendidas, cobrindo a revelação que veio da Presença de Deus. Quando eles soltaram suas asas, a luz daquela revelação brilhou sobre as pedras que cobriam seus corpos e se refletiu na ordem criada.

Lúcifer (um dos querubins cobridores, que se tornaria Satanás) obteve a revelação do plano e dos propósitos de Deus, e viu que o futuro destino do universo não era estar sujeito a ele e aos anjos, mas sim à humanidade. Ele negociou com essa informação para liderar um terço dos anjos na rebelião, procurando impedir a realização do plano de Deus (ver Ezequiel 28 ). Ele trocou por uma posição futura.

Adão e Eva

Agora que ele foi expulso do céu, ele não pode mais ver os planos de Deus. Mas porque ele conhecia o plano de Deus para o Homem, Adão e Eva tornaram-se seu alvo assim que foram criados.

Ele foi até eles no jardim ( Gn 3: 1-7 ) e começou distorcendo as palavras de Deus, criando dúvidas sobre Deus em seus corações (Adão estava bem ali com Eva durante toda a cena). Eva respondeu acrescentando algo de sua autoria – ‘ou tocar’ – ao que Deus realmente disse, e ele passou a mentir completamente – ‘Você certamente não morrerá’. Ele lhes ofereceu um caminho para cumprir seu próprio destino à parte de Deus: sabedoria ímpia e corrompida, ‘Você será como Deus, conhecendo o bem e o mal’.

Assim que aceitaram a oferta, começaram a seguir sua própria fonte de suprimento e provisão, costurando folhas de figueira para fazer uma cobertura. E o homem tem se coberto de esforços religiosos próprios desde então.

Humanismo

O comércio da informação pela elevação, para que você possa conhecer e ser como Deus, é a raiz de todo humanismo (elevada capacidade humana) e racionalismo (elevado raciocínio humano).

Atendendo às nossas necessidades

Deus colocou em nós uma necessidade por aceitação e amor; uma necessidade por afeto, valor e merecimento; por aprovação e importância; afirmação, por identidade e propósito; segurança, proteção e provisão. Ele pretende atender a todas essas necessidades, por meio do nosso relacionamento com ele. Qualquer tentativa de nossa parte de usar outra fonte ou método é uma negociação em pregões demoníacos: oferecer algo em troca do atendimento de uma necessidade.

Nada de bom pode sair desse caminho. Todos os caminhos do conhecimento do bem e do mal produzem a morte, até mesmo os ‘bons’. Eles substituem felicidade por alegria, satisfação por realização, lazer por paz, boas causas por destino; coisas que podem parecer realmente atraentes, podem nos fazer sentir bem, mas nesse caminho todas levam à morte.

Os pregões são substitutos demoníacos da provisão de Deus. Eles oferecem um altar pervertido para o sacrifício. Pode haver padrões de geração nos atraindo para esses negócios e espíritos familiares que os ativam e operam. Eles vêm com cordas amarradas, nos sujeitando ao pecado e à morte.

Quando tomamos o caminho da árvore do conhecimento do bem e do mal; quando optamos por um atalho para gratificação, sucesso, dinheiro, posição, influência ou poder; quando derivamos nossa identidade de desempenho, trabalho ou ministério, estamos negociando.

Porque tudo o que há no mundo, a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida, não é do Pai, mas  do mundo. ACF (1 João 2:16) .

A tentação de Jesus

A tentação de Jesus por Satanás foi um exemplo de como ele tenta nos atrair para isso (Mt 4: 3-10). Ele lançou dúvidas sobre o que Deus havia dito, distorcendo a palavra de Deus e tirando-a do contexto; e tentou fazer com que Jesus suprisse Suas próprias necessidades à parte da provisão de Deus. A resposta de Jesus foi ‘está escrito’. Ao contrário de Eva, Ele não acrescentou nada ao que Deus disse.

Quando ele levou Jesus a uma alta montanha (não era neste reino terreno – não há montanha física da qual você pode ver todos os reinos do mundo), ele mostrou a Ele Sua própria herança e ofereceu-Lhe um atalho, contornando a cruz. A resposta de Jesus ?, ‘Vai-te, satanás’ (precisamos dizer o mesmo para os sussurros em nossa cabeça), ‘Ao Senhor teu Deus, adorarás, e só a ele servirás.’ Servir a nós mesmos é seguir o caminho de Satanás.

É bastante desafiador quando começamos a considerar os pensamentos e motivações dos nossos corações.

Jesus passou neste teste e saiu no poder do Espírito, fazendo milagres e destruindo as obras do maligno. Se Ele tivesse sucumbido a qualquer uma dessas tentações, Ele nunca teria sido capaz de fazer as obras do reino e nunca teria sido capaz de ir à cruz. Satanás nos fará ofertas semelhantes, geralmente por meio de espíritos familiares designados para nossas vidas.

Implacavelmente honesto

Vamos nos apresentar a Deus para exame e nos examinar regularmente. Sejamos totalmente honestos sobre nosso passado, lembrando que Ele ama cada um de nós. Vamos reconhecer nossas negociações e motivos anteriores, confessar nossas negociações como pecado e buscar revelação sobre as negociações familiares para que possamos confessar e lidar com isso também.

Pai, eu te agradeço por teres feito um caminho
Para eu acessar sua presença celestial.
Pela fé eu entro através do véu de Jesus, através do caminho da cruz
Jesus, meu sumo sacerdote, eu me apresento a ti em rendição como um sacrifício vivo

Eu me submeto à autoridade da palavra viva em minha vida
Eu passo através do véu da verdade para o Lugar Santo
Eu permaneço na luz da sua verdade

Peço que me sonde
Revele meu eu cego para mim
Mostre-me os motivos ocultos do meu coração
Mostre-me onde tenho seguido o caminho
Da árvore do conhecimento do bem e do mal

Mostre-me onde eu aceitei os enganos de Satanás
Revele onde eu segui a sabedoria terrena, natural ou demoníaca
Para atender às minhas próprias necessidades

Mostre-me onde negociei
Pegando o atalho para a gratificação
Por meio de sucesso, dinheiro, posição, influência ou poder

Mostre-me onde recebi minha identidade
através de desempenho, trabalho ou ministério

Mostre-me onde formei relacionamentos
Para atender às minhas próprias necessidades de
amor, aceitação, afirmação e aprovação

Mostre-me onde tenho procurado atender às minhas próprias necessidades
Por meio do humanismo e do racionalismo
Seguindo o caminho proibido do eu

Eu me submeto e entrego minha vida
Para seguir o caminho da árvore da vida como minha fonte
Eu me comprometo com um estilo de vida de arrependimento por todas as negociações negativas.
Eu me arrependo dos padrões de pecado em meu coração

Eu me comprometo a um estilo de vida de renúncia a todas as negociações negativas
Eu renuncio meu pecado onde eu segui o caminho
Da árvore do conhecimento do bem e do mal
Como meu estilo de vida
eu renuncio a todos os meus mecanismos de defesa, enfrentamento e sobrevivência

Dê-me a revelação da minha verdadeira identidade como filho de Deus
Dê-me um coração seguro em sua identidade
Renove minha mente para a mente de Cristo
Atenda todas as minhas necessidades não atendidas em você
Cure todas as minhas feridas não curadas
Restaure minha alma à condição original

Eu recebo seu amor incondicional,
aceitação, afirmação e aprovação
Da fonte da árvore da vida
Eu fico transparente, nu e sem medo diante de você
Eu ouço você dizer ‘Eu te vejo e te amo’
Eu recebo seu valor, estima e mérito

Eu escolho seguir o caminho
Que leva à minha fonte, a árvore da vida, Jesus

Eu dou um passo para trás neste reino para andar nos caminhos do seu reino
Manifestar sua glória através de mim na terra como no céu
Então eu vou cumprir meu destino eterno

Outros artigos de Freedom ARC

Página do Facebook: Vida Sobrenatural.
Grupo do Facebook: VIDA SOBRENATURAL (pedir para participar).

170. Sementes, raízes e frutos

Mike Parsons
com Jeremy Westcott 

Estamos procurando passar da presença de Deus para a Sua glória.

Portanto, meus irmãos, por causa da grande misericórdia divina, peço que vocês se ofereçam completamente a Deus como um sacrifício vivo, dedicado ao seu serviço e agradável a ele. Esta é a verdadeira adoração que vocês devem oferecer a Deus. Não vivam como vivem as pessoas deste mundo, mas deixem que Deus os transforme por meio de uma completa mudança da mente de vocês. Assim vocês conhecerão a vontade de Deus, isto é, aquilo que é bom, perfeito e agradável a ele. (Rm 12: 1-2 NTLH)

Deus faz a transformação (e a não conformidade). Nós apenas temos que dar a Ele nossas vidas. Nós nos apresentamos diariamente como um sacrifício vivo, e pedimos a Ele para remover todas as camadas comportamentais construídas através de:

  • Trauma – programação experiencial
  • Criação – programação ambiental
  • Natureza – programação de memória de células de DNA genético

Sonda-me, ó Deus, e conhece o meu coração; prova-me, e conhece as minhas inquietações. Vê se em minha conduta algo que te ofende, e dirige-me pelo caminho eterno. (Salmo 139: 23-24 NVI)

Entramos no lugar de Sua presença e pedimos a Ele para pesquisar, examinar e nos mostrar:

  • Nossos pecados e comportamentos
  • Pecado familiar e comportamentos
  • Pecados e comportamentos na linha de sementes
  • Nossos motivos do coração
  • O que influencia e direciona nossas escolhas diárias

Pode ser muito desconfortável quando Ele começa a nos mostrar essas coisas, mas tudo faz parte do processo.

Árvores

A Bíblia descreve nossas vidas como árvores: carvalhos da justiça (Is 61), árvores plantadas junto ao rio da vida (Sl 1). Que tipo de fruto está em nossa árvore? É fruto de retidão ou fruto de rejeição, medo, ansiedade, preocupação, depressão, vícios e assim por diante? Todas essas coisas negativas são apenas frutos e certamente Deus deseja tratar com elas. Mas se quisermos nos livrar desse fruto, precisamos primeiro tratar com as raízes que o produzem em nossas vidas. Pode até haver uma raiz em nossa linha geracional que vai ainda mais fundo.

Raiz de amargura

Cuidem que ninguém se exclua da graça de Deus. Que nenhuma raiz de amargura brote e cause perturbação, contaminando a muitos. (Hb 12:15 NVI).

Fazer as coisas com as nossas próprias forças pode fazer com que não alcancemos a graça de Deus (Sua capacidade e poder divino), e essa raiz amarga pode brotar e causar todos os tipos de problemas e contaminação.

Solo da insegurança

O solo da insegurança fornece o meio perfeito para essas raízes crescerem. No solo da insegurança, as sementes da ofensa transformam-se em raízes de amargura e produzem o fruto do ressentimento.

O solo da insegurança surge por causa da falta de amor, aceitação, afirmação, aprovação ou incentivo em nossa educação: todos nós temos um solo inseguro até certo ponto. As sementes da ofensa podem ser o pecado, ou coisas ditas ou feitas – ou mesmo coisas não ditas ou não feitas – lançadas naquele solo inseguro.

Nesse ponto, temos a oportunidade de tratar com isso antes que tenha a chance de criar raízes. Se, em vez de retirarmos a semente imediatamente, deixarmos germinar, então ela manda rapidamente para baixo aquelas raízes. As raízes em nossas vidas são as coisas que pensamos e sentimos, nossas respostas, emoções e atitudes que se desenvolvem como resultado de tolerar aquela semente de ofensa lançada em solo inseguro.

Então, eventualmente, a árvore crescerá e produzirá frutos: as coisas que dizemos e as coisas que fazemos, nosso comportamento, tudo como resultado das raízes que se desenvolveram. Quando vemos algo acontecendo na superfície, é uma indicação de que há coisas acontecendo por baixo das quais precisamos tratar.

Sementes de ofensa

Por exemplo, se começarmos a nutrir a raiva por causa do que alguém fez, isso desencadeará uma resposta em nossa mente subconsciente. Começaremos a dizer e a fazer coisas a partir das raízes de amargura, produzindo o fruto do ressentimento. Os filtros da razão entram em ação, distorcendo nossa visão de tudo, alimentando nossa raiva e ressentimento e nos levando a fazer escolhas erradas.

Se alguém nos rejeita, sementes de rejeição são plantadas em nossa vida. Uma raiz se desenvolve por causa da ferida e da dor e produz o fruto da proteção. Isso pode assumir a forma de rejeitar os outros primeiro e ficar irritadiço, ou fazer o contrário e se tornar um capacho, acomodando as pessoas e sendo excessivamente complacente, garantindo que nunca façamos nada para fazer com que alguém nos rejeite. Ainda assim, nos sentimos rejeitados mesmo quando não estamos realmente sendo rejeitados, porque vemos através desse filtro.

A injustiça pode ser uma semente de ofensa: ‘não é justo’. A vida nem sempre nos trata bem. Se permitirmos que as raízes da autopiedade (‘coitado de mim’) ou do ódio por si mesmo (eu mereço), isso produza o fruto da depressão, a raiva voltada para nós mesmos. E a mentatratade de vítima cria um ambiente no qual coisas injustas acontecem.

Quando a falta, a pobreza e a privação são a semente de ofensa, a raiz da independência pode se desenvolver, produzindo o fruto da autossuficiência por um lado e da falta de generosidade por outro. Ou uma raiz de desesperança, produzindo o fruto do fracasso.

Uma que descobri operando em mim foi a semente da falsa acusação. Isso produziu as raízes do orgulho (“Estou certo”) e o fruto da justiça própria.

Em todos esses casos, muitas vezes simplesmente tentamos retirar o fruto, para mudar nosso comportamento. Cada vez que cortamos o fruto, porém, ele continua crescendo novamente. Um dia, podemos perceber que precisamos tratar com as raízes, mas até as raízes continuam crescendo novamente.

Temos que tratar primeiro com a semente original da ofensa. Enquanto permanecer no local, atacar o fruto ou a raiz não terá sucesso duradouro. Uma vez que a semente da ofensa é tratada, podemos remover o fruto e as raízes sem que cresçam novamente. Isso funciona para nossas próprias vidas e até mesmo para as raízes da iniquidade em nossas gerações anteriores.

Perdoar e liberar

Joff Day nos ensinou os princípios de ‘Perdoar e Liberar’ na igreja Freedom no início dos anos 90, e se tornou nosso entendimento básico de como essas coisas funcionam.

Nós perdoamos quem nos ofendeu (ou nosso ancestral), e os liberamos da dívida que nos têm (os resultados negativos do que fizeram). Isso trata com a semente da ofensa. Então nos arrependemos das raízes de amargura, da nossa resposta emocional à situação, e renunciamos ao fruto. Como a semente e as raízes são tratadas, podemos realmente mudar a maneira como nos comportamos.

Confessar a verdade

O problema é que, se pararmos por aí, ainda teremos aquele solo de insegurança no coração. Se mais sementes forem plantadas, ela encontrará um meio de cultivo perfeito. Mudamos a natureza do solo do nosso coração cavando na revelação de quem somos, nossa identidade, a verdade de quem somos e quem é Deus. Confessamos a verdade. Deus atende nossas necessidades de afirmação, amor e aceitação. Sabemos que somos amados e aceitos Nele.

Como resultado disso, podemos criar novas raízes: uma árvore de justiça, plantada junto a um rio de água viva, com raízes provenientes da vida de Deus.
Então, produziremos o fruto da justiça.

Vamos orar:

Pai, eu te agradeço por teres criado um caminho para que eu acesse sua presença celestial.
Pela fé eu entro através do véu de Jesus através do caminho da cruz
Eu me apresento a você Jesus, meu Sumo Sacerdote, em rendição como um sacrifício vivo

Eu me submeto à autoridade da palavra viva em minha vida
Eu passo através do véu da verdade para o Lugar Santo
Eu permaneço na luz da sua verdade
Eu peço que você me examine

Revele meu eu cego para mim, mostre-me os motivos ocultos do meu coração
Mostre-me as sementes da ofensa e do pecado que criaram raízes em meu coração

Eu me comprometo a perdoar e liberar todas as ofensas em minha vida e minha linha geracional
Mostre-me todas as raízes de amargura que cresceram em meu coração
Eu me comprometo a um estilo de vida de arrependimento contra todas as raízes negativas
Eu me arrependo de todas as emoções e atitudes negativas enraizadas em meu coração

Mostre-me todos os frutos do ressentimento que se desenvolveram em meu comportamento
Eu me comprometo com um estilo de vida de renúncia a todos os comportamentos negativos
Eu renuncio a todos os meus mecanismos de defesa e enfrentamento
Eu renuncio meu pecado como um estilo de vida

Dê-me a revelação da minha verdadeira identidade como filho de Deus
Dê-me um coração seguro em sua identidade
Renove minha mente para a mente de Cristo
Encontre todas as minhas necessidades não atendidas em você
Cure todas as minhas feridas não curadas
Restaure minha alma

Eu recebo seu amor incondicional, aceitação, afirmação e aprovação
Eu fico transparente, nu e sem medo diante de você
Eu ouço você dizer “Eu te vejo e te amo”
Eu recebo seu valor, estima e valor
Eu escolho viver um estilo de vida de perdão, arrependimento e renúncia

Eu dou um passo para trás neste reino para andar nos caminhos do seu reino
Manifestar sua glória através de mim na terra como no céu
Então eu vou cumprir meu destino eterno

Outros artigos de Freedom ARC

Página do Facebook: Vida Sobrenatural.
Grupo do Facebook: VIDA SOBRENATURAL (pedir para participar).

Livros recomendados
Artigo original em inglês

170. Seeds, Roots and Fruit

169. Vendo como em um espelho

Mike Parsons
com Jeremy Westcott 

Portanto, meus irmãos, por causa da grande misericórdia divina, peço que vocês se ofereçam completamente a Deus como um sacrifício vivo, dedicado ao seu serviço e agradável a ele. Esta é a verdadeira adoração que vocês devem oferecer a Deus. Não vivam como vivem as pessoas deste mundo, mas deixem que Deus os transforme por meio de uma completa mudança da mente de vocês. Assim vocês conhecerão a vontade de Deus, isto é, aquilo que é bom, perfeito e agradável a ele. (Rm 12: 1-2 NTLH).

Nós vimos como podemos entrar no lugar santo, no tabernáculo celestial por meio da cruz, por meio de Jesus que é o Caminho, a Verdade e a Vida. Assim como o cordeiro sacrificial foi preparado pelo sumo sacerdote, Jesus nos prepara diariamente como um sacrifício vivo.

Vendo como em um espelho

Mas todos nós, com rosto descoberto, refletindo como um espelho a glória do Senhor, somos transformados de glória em glória na mesma imagem, como pelo Espírito do Senhor. (2 Cor 3:18 ACF).

Além do altar do incenso, no Lugar Santo há também uma pia (uma grande banheira, de bronze polido) (Êx 38:8) na qual os sacerdotes mergulhavam para se lavar. Esta superfície de espelho deve refletir a imagem de Deus. A palavra, a mensagem que ouvimos e levamos, é o nosso espelho (Tiago 1: 22-25); quando olhamos para aquele espelho, devemos cada vez mais ver o reflexo de Sua imagem em nós.

Portanto, irmãos, temos plena confiança para entrar no Santo dos Santos pelo sangue de Jesus, por um novo e vivo caminho que ele nos abriu por meio do véu, isto é, do seu corpo. Temos, pois, um grande sacerdote sobre a casa de Deus. Sendo assim, aproximemo-nos de Deus com um coração sincero e com plena convicção de fé, tendo os corações aspergidos para nos purificar de uma consciência culpada e tendo os nossos corpos lavados com água pura.  (Hb 10: 19-22 NVI).

Podemos ter pensado anteriormente que ‘entrar no lugar santo’ era algo que faziamos na terra. Olhe de novo: nós fazemos isso no céu. Temos acesso, através do sangue de Jesus, um caminho novo e vivo, aos reinos celestiais.

… Cristo amou a igreja e entregou-se a si mesmo por ela para santificá-la, tendo-a purificado pelo lavar da água mediante a palavra… (Ef 5: 25-26 NVI).

Vivo e ativo

Pois a palavra de Deus é viva e eficaz, e mais afiada que qualquer espada de dois gumes; ela penetra ao ponto de dividir alma e espírito, juntas e medulas, e julga os pensamentos e intenções do coração. (Hb 4 : 12 NVI).

Este versículo familiar não é sobre a Bíblia: eles realmente nem tiveram uma Bíblia por dois séculos depois que ela foi escrita. Está falando sobre a palavra específica que Deus nos fala, que aborda as questões em nossa vida. Estamos dispostos a nos submeter à autoridade dessa palavra viva em nossa vida? O Espírito de Deus pode soprar vida na palavra escrita e aplicá-la; se nos rendermos a ele e torná-lo a autoridade em nossa vida, então o logos (palavra escrita) se torna a rhema (palavra falada). Mas o Espírito também pode falar conosco diretamente ou dar vida a qualquer coisa!

Quando olhamos para a palavra, Ele fala; quando entregamos nossas vidas a ele, Deus pode nos revelar aspectos de nossa vida e comportamento para os quais temos sido cegos (nosso ‘eu cego’). Vemos e nos rendemos à verdade, e entramos na luz onde os 7 espíritos de Deus estão queimando, trazendo conhecimento, sabedoria, entendimento e assim por diante (representado pelo castiçal lá no Lugar Santo).

Quando Jesus, nosso Sumo Sacerdote, prepara nossa vida como um sacrifício, Ele remove todas as nossas coberturas, peles e máscaras; todas as nossas camadas de autoproteção. Estamos diante dele nus, transparentes, descobertos; nossa carne completamente exposta diante de Deus. Folhas de figueira não funcionaram para Adão e Eva: precisamos parar de tentar encobrir com obras mortas, justiça própria, mecanismos de defesa ou de enfrentamento, tentando atender às nossas necessidades longe de Deus. Precisamos nos render.

Três

Hebreus 4:12 (que vimos acima) fala sobre três coisas: dividir, separar, julgar; três camadas do tratamento de Deus conosco. A divisão da alma e do espírito diz respeito aos nossos comportamentos (transgressão); mas há um nível mais profundo, nossos pensamentos e intenções, nossos motivos (pecado); e ainda mais profundamente, o osso e a medula, a raiz ou fonte das coisas em nossas vidas (iniqüidade).

Somos um ser de 3 partes: espírito, alma e corpo.
Deus é um ser de três partes: Pai, Filho e Espírito.
Isso ocorre porque 3 é o número do governo.

  • O corpo tem 3 camadas de pele – derme, epiderme, sub-derme
  • O coração tem 3 camadas – endocárdio, miocárdio, pericárdio
  • O cérebro tem 3 camadas – dura-máter, aracnoide, pia-mater
  • A alma tem 3 componentes – coração, emoções, vontade

Tudo opera em três, até mesmo a transgressão, o pecado e a iniqüidade.

Trauma, criação, natureza

Deus quer que lidemos com as camadas de nossa vida. Adquirimos essas películas, camadas, máscaras e padrões de comportamento de uma das três maneiras:

  • Trauma – programação experiencial
  • Criação – programação ambiental
  • Natureza – programação genética de DNA

Trauma é o registro de nossas experiências, armazenadas como memórias em nossas vidas. Criamos camadas de proteção, mecanismos de enfrentamento e defesa por causa de coisas como

  • Abuso – físico, sexual, emocional, fisiológico, verbal
  • Incidentes e acidentes – emocionais
  • Luto e perda, morte, divórcio, mudança de casa

Criação é nossa programação ambiental, o registro de nossa educação. Podemos ter sido afetados por:

  • Pais – aceitação menos que perfeita, afeto, afirmação, aprovação – segurança
  • Família, escola, amigos, igreja
  • Palavras – maldições, votos, acordos, mentiras
  • Espíritos familiares e familiares

A natureza é nossa:

  • linha de sangue – registros de pecados familiares, comportamentos, espíritos – iniqüidade
  • linha de sementes – nosso registro genético de DNA, que pode conter semente reptiliana (Caim), semente Nephilim (híbrido angélico/humano) ou semente justa (Noé).

Podemos tratar tanto com o trauma quanto com a criação nos rendendo; entrando nos reinos do céu para nos apresentarmos como um sacrifício. Nós nos permitimos ser esfolados de todas as máscaras, coberturas e camadas; justiça própria, coberturas religiosas, negação e projeção; mecanismos de autoproteção, enfrentamento e defesa. Veremos como tratar com nossa natureza (linha de sangue e linha de semente) mais adiante nesta série.

Nosso ser

Somos feitos à imagem de Deus, espírito, alma e corpo. Nosso espírito é onde o Espírito Santo reside, com a mente de Cristo, a glória de Deus e o coração do Pai. Quando entregamos nosso espírito e o trono do governo de nossa vida a Deus, nossos sentidos espirituais são ativados para expressar a glória de Deus através de nós para o mundo ao nosso redor.


Nosso espírito está rodeado por nossa alma. Nossa mente consciente é a camada externa de nossa alma, a conexão entre ela e nosso corpo. Podemos ter mentiras disfarçadas de verdade em nosso subconsciente (na nossa igreja Freedom chamamos de nosso ‘conhecedor’ porque é onde sabemos que sabemos que sabemos as coisas). Mas só porque ‘sabemos’ algo não o torna verdadeiro. Nossas fortalezas defendem nosso direito de acreditar em mentiras. Precisamos que sejam demolidos para que as mentiras possam ser substituídas pela verdade, reprogramando a mente e renovando o coração.

Não conheço ninguém que tenha crescido com o ideal de amor perfeito, estima, valor, importância e segurança. Todos nós tivemos necessidades não atendidas que tentamos atender por meio de pessoas imperfeitas, que inevitavelmente nos decepcionaram (Deus é o único que pode atender às nossas necessidades). O dano emocional eventualmente surge por meio de nossa mente consciente e se expressa em nosso comportamento todos os dias. Vivemos sob o domínio das coisas que moldaram nossas vidas.

Se nos apresentarmos a Ele, Deus nos curará e nos restaurará.

Em nossa vontade, o pecado e a iniqüidade causaram teimosia, dúvida, medo e assim por diante. À medida que nos rendemos, ao nos apresentarmos diariamente como um sacrifício vivo, Deus substitui esses com paciência, confiança, humildade, resistência – todos os atributos positivos que você viu ali.

Se buscarmos a transformação, Deus tratará primeiro de nosso comportamento. E se perseverarmos, além disso, ainda existem motivos e raízes que Ele começará a abordar.

Me lave, me esfole

Pai, obrigado por teres criado um caminho para que eu
acesse a Sua presença celestial.
Eu entro através do véu de Jesus através do caminho da cruz.
Eu entro no reino do Seu governo

Eu olho no espelho da Sua palavra
Revele meu eu cego para mim
Mostre-me os motivos ocultos do meu coração
Mostre-me como eu sou comparado à Sua imagem
Lava-me e limpa-me com a Sua palavra viva

Eu passo através do véu da verdade para o Lugar Santo
Eu permaneço na luz da Sua verdade
Eu peço que você me examine

Apresento-me a Você, Jesus, meu Sumo Sacerdote, como um sacrifício vivo
Prepara-me para o altar de incenso
Para que minha vida seja uma oferta aceitável

Esfole- me
Remova todas as camadas da auto-justiça
Remova todas as máscaras que eu me escondo por trás
remova todos os meus padrões de comportamento defensivo
Remova todos os meus mecanismos de enfrentamento

Remova todas as mentatratades e fortalezas  que construí
Para defender minhas falsas crenças e valores.

Remova todos os padrões de pensamento,
Filosofias, ideais, mentiras e valores que não são do Seu reino

Remova todas as camadas de dúvida e incredutratade.
Remova todas as minhas camadas emocionais de rejeição, insegurança, medo, dependência,
Remova todas as camadas de culpa e vergonha.
Remova todas as camadas de raiva, ressentimento, amargura e falta de perdão.
Remova todas as camadas de controle, independência,
Teimosia e rebelião , orgulho e autossuficiência

Dê-me a revelação de minha verdadeira identidade como filho de Deus
Renove minha mente para a mente de Cristo
Atenda todas as minhas necessidades não atendidas em você mesmo
Cure todas as minhas feridas não curadas
Restaure minha alma

Eu recebo Seu amor incondicional, aceitação, afirmação, aprovação
Eu fico transparente, nu e sem medo diante de Você
Eu ouço Você dizer ‘Eu Te vejo e Te Amo’
Eu recebo Seu valor, estima e dignidade
Eu recebo Sua força, paciência, perseverança,
Coragem, ousadia, humildade e confiança

Eu volto para este reino para andar nos caminhos do Seu reino
Manifestar Sua glória através de mim na terra como é no céu

Outros artigos de Freedom ARC

Página do Facebook: Vida Sobrenatural.
Grupo do Facebook: VIDA SOBRENATURAL (pedir para participar).

Artigo original em Inglês

169. Beholding As In A Mirror