168. O Fogo da Transformação

Mike Parsons
com Jeremy Westcott –  

Fogo do Refinador

Existem três coisas que você precisa para o fogo: calor, ar e uma fonte de combustível. A presença de Deus é o calor e o vento do Espírito Santo é o ar (quanto mais sopra o vento do Espírito, mais quente o fogo queima). Agora, quem está disposto a ser uma fonte de combustível? Não há outro combustível para este fogo. Para entrar na glória, devemos passar pelo fogo da transformação. Estamos sendo preparados para que Ele possa comparecer pessoalmente.

O fogo muda a composição de uma substância em nível molecular. Quimicamente, este é o processo, e haverá paralelos para nós em nossas vidas também:

  • Aquecimento – aumentos de temperatura
  • Transição – suavização de vínculos
  • Degradação – quebra de vínculos
  • Decomposição – liberação de gases
  • Oxidação – combustão
  • Transformação – mudança de substância (por exemplo, madeira para carvão)

Fogo do céu

Podemos ver exemplos nas escrituras em que o fogo de Deus caiu:

Saiu fogo da presença do Senhor e consumiu o holocausto e as porções de gordura sobre o altar. E, quando todo o povo viu isso, gritou de alegria e prostrou-se rosto em terra. (Lv 9:24 NVI) [ver também  2 Crônicas 7:1, 1 Crônicas 21:26, Apocalipse 8:5].

Mas não dependemos de fogo caindo do céu. Temos acesso ao céu, onde está o fogo. Podemos entrar no fogo da presença de Deus todos os dias.

Puro de coração

Bem-aventurados os puros de coração; pois verão a Deus (Mt 5: 8 NVI).

Nossas vidas se tornam uma oferta quando passamos por esse processo de refinamento e purificação. Pureza significa que não há mistura. Demos sinal verde a Deus para isso quando oramos “Prove-me, ó Deus” (do Salmo 139) um pouco antes. ‘O Senhor prova o coração’ (Pv 17: 3), e ‘provando-me ele, sairei como o ouro’ (Jó 23:10).

Podemos ter alegria quando passamos por provações (Tiago 1: 2), porque sabemos que o fim fará com que tudo valha a pena. Como Sadraque, Mesaque e Abednego na fornalha ardente, não estamos sozinhos no fogo e, quando passarmos, nem cheiraremos a fumaça.

Um novo coração

Darei a vocês um coração novo e porei um espírito novo em vocês; tirarei de vocês o coração de pedra e lhes darei um coração de carne. (Ez 36:26NVI).

Precisamos de um coração puro, porque o coração carrega o testemunho de nossa vida e das gerações anteriores. O coração se forma a partir do espermatozóide e do óvulo que se unem para formar a primeira célula e contém 23 + 23 cromossomos de nossa mãe e de nosso pai. Ele contém o registro de DNA de nossa linhagem de sementes e as memórias de células de nossa linha de sangue de gerações anteriores.

Transformação é o processo de reescrever nossos corações (2 Cor 3: 3). Isso é o que vai acontecer quando começarmos a lidar com essas coisas geracionais em nossas vidas:

Derrubem os seus altares, esmigalhem as suas colunas sagradas e queimem os seus postes sagrados; despedacem os ídolos dos seus deuses e eliminem os nomes deles daqueles lugares.  (Dt 12: 3 NVI).

  • Quais são seus ídolos?
  • Quais são seus ídolos de família?
  • Onde estão seus lugares altos?
  • Onde estão os lugares altos da sua família?
  • Onde você se sacrificou?
  • Onde sua família se sacrificou?
  • Com o que você trocou?
  • Com o que sua família negociou?

Tudo isso acontece quando pedimos a Deus que nos transforme.

Reinos celestiais

Devemos colocar nossas vidas no altar e vir como um sacrifício vivo. Esse altar não está em um lugar físico na terra, mas no tabernáculo no céu.

Esta é uma representação diagramática de sete reinos do céu. Entre cada um desses reinos ou dimensões estão as portas e existem protocolos para passar por elas. Os dois querubins e a espada de fogo estão ali para bloquear o caminho para a árvore da vida, mas Jesus desbloqueou esse caminho para nós conforme viemos por Ele, através da cruz.

Quando Ele se descreveu como o Caminho, a Verdade e a Vida (os nomes dos véus entre as várias partes do templo), Seus contemporâneos entenderam muito bem que Ele estava dizendo: ‘É (e sempre foi) apenas através de MIM para que vocês possam acessar os reinos da Presença de Deus e os reinos do céu’.

O serafim e o fogo

Ao som das suas vozes os batentes das portas tremeram, e o templo ficou cheio de fumaça. Então gritei: Ai de mim! Estou perdido! Pois sou um homem de lábios impuros e vivo no meio de um povo de lábios impuros; e os meus olhos viram o Rei, o Senhor dos Exércitos! “Então um dos serafins voou até mim trazendo uma brasa viva, que havia tirado do altar com uma tenaz. Com ela tocou a minha boca e disse: “Veja, isto tocou os seus lábios; por isso, a sua culpa será removida, e o seu pecado será perdoado”.  (Is 6: 4-7 NVI).

Podemos muito bem exclamar ‘Ai de mim, estou perdido!’, Ou em linguagem mais moderna, ‘Estou totalmente destruído’, porque é assim que nos sentimos quando todas as impurezas vêm à tona no calor do fogo. O carvão em chamas purga nosso pecado e tira nossa iniquidade (culpa/pecado) quando nos envolvemos com os serafins. Se você ainda não experimentou isso, então isso também virá.

Um sacrifício vivo

Já vimos o que significa vir como um sacrifício vivo. Fique à vontade para ler essas postagens do blog agora, se ainda não o fez:

Pela fé entramos através do véu, ao altar de bronze, a Jesus, nosso Sumo Sacerdote, que prepara o sacrifício. Nossa parte é vir e nos apresentar.

Jesus nos disse que este é o protocolo se quisermos ir atrás dele: negar a nós mesmos (render-se), tomar a cruz (o lugar da troca) e segui-lo (Lucas 9:23).

Ande na luz

Se, porém, andamos na luz, como ele está na luz, temos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus, seu Filho, nos purifica de todo pecado…Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para perdoar os nossos pecados e nos purificar de toda injustiça. (1 João 1: 7, 9 NVI).

Quantos de nós aplicamos esta escritura apenas a este reino terreno? Mas é nos reinos do céu que somos limpos do pecado; é nos reinos do céu onde Jesus está, andando na luz. Essa limpeza acontece quando entramos em Sua presença por meio da cruz. Podemos experimentar a limpeza aqui neste reino apenas porque podemos fazer isso nesse reino. E podemos fazer isso em um instante, aprendendo a entrar naquele lugar, a atravessar o véu da cruz e trocar o velho pelo novo, o pecado pela justiça e assim por diante.

Aqui estão algumas declarações que você pode usar todos os dias:

Pai, agradeço-lhe que, por meio de sua misericórdia,
Você abriu um caminho para que eu acesse Sua presença celestial.

Eu escolho negar a mim mesmo, tomar a cruz e seguir o Seu caminho.
Eu escolho perder minha vida para ganhar sua vida.

Eu passo pelo véu de Jesus, pelo caminho da cruz.
Eu entro no reino do Seu governo.
Venho negociar no altar de bronze da troca de aliança.

Eu troco meu pecado por Sua justiça.
Eu troco minha rejeição por Sua aceitação.
Eu troco minha culpa por Seu perdão.
Troco minha doença pela Sua saúde.
Eu troco minha velha vida por Sua nova vida.

Eu troco minha antiga identidade por Sua nova identidade.
Eu troco meu antigo nome pelo Seu novo nome.
Eu troco minha velha natureza pela Sua nova natureza.
Eu troco minha velha escravidão por Sua nova liberdade.
Eu troco meus discos antigos por Seu novo registro.
Eu troco meu passado por Seu futuro.

Troco minhas trevas por Sua luz.
Eu troco minha fraqueza por Sua força.
Eu troco meus pensamentos por Seus pensamentos.
Eu troco minha personalidade pela Sua personalidade.
Eu troco meus caminhos pelos seus.

Eu volto para este reino
perdoado, limpo e vestido com justiça.
Estou habilitado para a transformação
Para manifestar Sua glória
Trazendo o céu para a terra através da minha vida.

Eu encorajaria você a fazer isso todos os dias. Entre e saia; troque o velho pelo novo na cruz. Seja transformado. Faça disso um modo de vida, negando-se diariamente, tomando a cruz e seguindo-O – até os reinos do céu.

Outros artigos de Freedom ARC

Página do Facebook: Vida Sobrenatural.
Grupo do Facebook: VIDA SOBRENATURAL (pedir para participar).

Artigo original em Inglês

168. The Fire of Transformation

167. Perseguir e Abraçar

Mike Parsons
com Jeremy Westcott 

Temporada de Fogo

O fogo da Presença de Deus está vindo para a igreja, para remover e reunir pedras de tropeço, para levantar uma Geração de Josué.

Devemos estar fortes e prontos para resistir às tempestades que se aproximam: e encontraremos Deus no meio de algumas delas, escondido no fogo e nas nuvens e na fumaça.

Na dedicação do templo, os sacerdotes não puderam ficar em pé e ministrar quando a glória da presença de Deus veio. Mas temos que aprender a permanecer e ministrar na tempestade da glória, na tempestade do julgamento que está vindo para a igreja, onde Deus está traçando uma linha, dizendo ‘Este sou eu, e isto não é’.

Uma guerra espiritual aberta está chegando: devemos ser capazes de resistir a ela. Quando tudo começar a desmoronar, o povo de Deus será levantado. Quando chegar a hora da tempestade e do julgamento vir sobre o mundo, não devemos apenas ter a resposta, devemos ser a resposta.

Ao sermos transformados (2 Co 3:18), estamos sendo transformados à imagem de Jesus, a imagem que tínhamos antes da fundação do mundo, de um grau de glória a outro. Esse processo de mudança nos permite exibir a glória de Deus, a presença manifesta de Deus, na terra como no céu. Não chamamos o céu para baixo, nós trazemos o céu para baixo. Para trazer o céu à terra, temos que ser capazes de acessar o céu: Deus está abrindo o céu para que possamos nos envolver nele.

Podemos escolher perseguir e abraçar esse processo de mudança, ou não. Só assim podemos estar preparados e capazes de fazer tudo o que Deus nos chamou e nos destinou a fazer. Do contrário, corremos o risco de ficar despreparados e incapazes. Queremos ser bebês e crianças para sempre? Um dia teremos que prestar contas do que temos feito sobre o chamado de Deus e nosso livro do destino . Decidi responder ao Seu chamado e ir atrás do meu destino: e você?

Parede de fogo

“Pois eu, diz o Senhor, serei para ela um muro de fogo em redor, e para glória estarei no meio dela.” (Zc 2:5 ACF).

Para entrar na glória, temos que passar pela parede de fogo. Essa parede de fogo é a Presença de Deus. A glória no meio é a Sua Pessoa. Deus quer nos levar de experiências maravilhosas de Sua Presença para sermos capazes de olhá-Lo de frente, um nível de relacionamento completamente diferente.

Deus pode evitar que vocês caiam e pode apresentá-los sem defeito e cheios de alegria na sua gloriosa presença. (Judas v24 NTLH).

Ele nos impedirá de tropeçar (a remoção das pedras de tropeço é parte de nossa transformação), para que possamos permanecer em Sua glória e não sermos completamente destruídos por ela.

Deserto

“Alguém está gritando: “Preparem no deserto um caminho para o SENHOR, abram ali uma estrada reta para o nosso Deus passar! Todos os vales serão aterrados, e todos os morros e montes serão aplanados; os terrenos cheios de altos e baixos ficarão planos, e as regiões montanhosas virarão planícies. Então o SENHOR mostrará a sua glória, e toda a humanidade a verá. O próprio SENHOR Deus prometeu que vai fazer isso.” (Is 40: 3-5).

O ambiente no qual a transformação ocorre pode parecer um deserto. Deus tem um propósito em nos levar até lá. Estejamos dispostos a enfrentá-lo e abraçá-lo, ao contrário dos filhos de Israel:

“E disseram a Moisés: Será que não havia sepulturas no Egito? Por que você nos trouxe para morrermos aqui no deserto? Veja só o que você fez, nos tirando do Egito! O que foi que lhe dissemos no Egito? Pedimos que nos deixasse em paz, trabalhando como escravos para os egípcios. Pois é melhor ser escravo dos egípcios do que morrer aqui no deserto! ” (Êx 14: 11-12 NTLH).

“Porém Moisés respondeu: Não tenham medo. Fiquem firmes e vocês verão que o Senhor vai salvá-los hoje. Nunca mais vocês vão ver esses egípcios. Vocês não terão de fazer nada: o Senhor lutará por vocês.” (Êx 14: 13-14 NTLH).

Eles temiam a incerteza da mudança, preferindo a escravidão de sua vida anterior. Eles eram como bebês cristãos, salvos do Egito, mas não dispostos a serem transformados. Quantos de nós responderam a um evangelho de salvação em vez de ao verdadeiro evangelho do reino, e ficamos surpresos com o custo de nos tornarmos discípulos de Jesus? Vimos a salvação como um evento único, enquanto a palavra grega ‘sozo’ implica um processo de transformação.

Se queremos que nossa velha vida “nunca mais seja vista para sempre”, não podemos continuar olhando para ela. Em vez disso, nos concentramos no que está por vir, na mudança que Deus deseja. O deserto é um lugar de separação no qual podemos lidar com nossas almas e permitir que essa transformação aconteça. É um lugar de vocação, como Moisés foi chamado na sarça ardente. É um lugar de teste e superação, pois Jesus foi testado e saiu vitorioso.

Os precursores irão para o deserto para preparar o caminho para outros. Pode ser inconveniente, desconfortável, inóspito, mas aqui podemos aprender a lutar, a vencer, a ser obedientes, a confiar na provisão de Deus. Aqui podemos estar preparados para possuir nossa herança. Aqui, Deus pode entregar uma mensagem que transformará nossas vidas.

Aqui, Ele pode endireitar os caminhos tortuosos de nosso comportamento. Ele pode preencher os vales, os lugares baixos de nossa falta de confiança, nossas inadequações, inseguranças e fraquezas. As montanhas de orgulho, agendas e ambições pessoais, autopromoção, autossuficiência e competitividade que Ele pode diminuir.

Nossas maneiras tortuosas e desiguais de pensar e compreender, nossos segredos cuidadosamente ocultos e compromissos morais, Ele pode endireitar. Ele pode esclarecer o terreno acidentado de nossos defeitos de personalidade e caráter. Ele trará mudanças em nossas atitudes, crenças e ações para nos alinhar com o reino, para que a Glória do Senhor possa ser revelada em nós.

A estrada da santidade

Haverá ali uma estrada que será chamada de “Caminho da Santidade”. Nela, não caminharão os impuros, pois ela pertence somente ao povo de Deus. Até os tolos andarão nela e não se perderão. (Is 35: 8 NTLH).

A justiça nos é concedida, para que possamos escolher ser santos. A estrada da santidade é construída em nossas almas, em nossos corações. Nesse processo, procuremos ser implacáveis, honestos e abertos à luz. Identificaremos por revelação os padrões de pecado, fraqueza, mágoas, mentalidades, problemas de caráter, frutos comportamentais e assim por diante que estão operando em nossas vidas. Lidaremos com eles possuindo-os, confessando, arrependendo-nos, renunciando e perdoando. Os bloqueios serão removidos de nossa consciência, imaginação, mente, emoções e vontade.

“Aconselho-te que de mim compres ouro provado no fogo, para que te enriqueças; e roupas brancas, para que te vistas, e não apareça a vergonha da tua nudez; e que unjas os teus olhos com colírio, para que vejas. Eu repreendo e castigo a todos quantos amo; sê pois zeloso, e arrepende-te.”  (Ap 3: 18-19 ACF).

Como compramos? Nós nos apresentamos para a transformação, como sacrifícios vivos . Entramos na presença de Deus através do caminho ou véu de Jesus, através da cruz. Ele fará o trabalho em nós, mas cuidado: será em um nível mais profundo do que jamais experimentamos.

Se entendermos isso e estivermos dispostos a nos submeter a Ele, então vamos orar:

Pai, pela fé, escolho entrar em Sua presença celestial.
Eu recebo sua aceitação, amor, misericórdia e graça.
Eu permaneço na vitória da cruz perdoado, justificado e limpo.

Agradeço por me vestir com vestes brancas de justiça.
Eu sou a justiça de Deus em Cristo.

Pai, eu escolho dar a Você permissão total 
Para fazer o que for preciso para me mudar 
E me transformar na imagem de Jesus.
Eu dou permissão total para remover todas as pedras de tropeço de mim.

Eu Te dou total permissão para usar qualquer meio que você achar adequado
Para purificar, refinar e restaurar minha condição eterna original.

Pai, eu escolho negar a mim mesmo
E entregar o controle de minha vida a Você.

Eu te dou minha consciência.
Eu me arrependo e renuncio a tudo que a danificou.
Peço que purifique e restaure minha consciência,
Dirija-me e proteja-me por meio de minha consciência
Por um fluxo de reverência e temor ao Senhor.

Eu te dou meu centro da razão.
Eu me arrependo e renuncio à dúvida, à incredulidade,
ao
racionalismo, ao ceticismo, ao cinismo e à negação.
Peço que me purifique de todas as falsas doutrinas, filosofias e ideais.

Peço que renove e restaure minha razão.
Use minha razão para interpretar seus pensamentos
e entender seus caminhos

Eu te dou minha imaginação.
Eu me arrependo e renuncio por ver qualquer imagem que tenha me poluído.
Eu peço que você apague toda imagem negativa com o sangue de Jesus.

Purifique e restaure minha imaginação.
Restaure minha tela, visão e revelação

Eu te dou meu coração, minha mente subconsciente.
Eu me arrependo e renuncio a todas as fortalezas,
Crenças
negativas e sistemas de valores,
votos, palavras, maldições, doutrinas, gatilhos,
mecanismos de enfrentamento e defesa.

Peço que limpe todas as memórias negativas.
Purifica, restaura e reprograma o meu coração
Com a tua verdade, os teus valores e o meu destino.

Eu te dou minhas emoções.
Eu me arrependo e renuncio a toda falta de perdão, amargura e raiva.
Peço que purifique e restaure minhas emoções.
Use minhas emoções para sentir Seu coração e me guie através da intuição.

Eu te dou minha vontade.
Eu me arrependo e renuncio a todo pecado,
Rebelião, teimosia, obstinação, controle, medo,
Dúvida, incredulidade e indecisão

Peço que purifique e restaure minha vontade.
Restaure minha coragem, perseverança e ousadia.
Use minha vontade para me capacitar a fazer a Sua vontade
Por meio da obediência e da adoração verdadeira.

Pai, eu entrego meu espírito, alma e corpo a Ti.
Eu declaro que Jesus é o Senhor das portas da minha vida.

Eu volto para este reino
prontamente disponível para fazer Sua vontade e propósitos.
Manifestar Sua glória e presença através de minha vida.
Manifeste a autoridade e o poder do Seu reino através de mim e ao meu redor.

Amém

Se você fez essa oração, por favor, não se surpreenda com o que Deus traz à tona em sua vida como resultado … e por favor, não me culpe! Esteja disposto a lidar com essas coisas quando elas surgirem, para que Deus possa ter o Seu caminho.

Outros artigos de Freedom ARC

Página do Facebook: Vida Sobrenatural.
Grupo do Facebook: VIDA SOBRENATURAL (pedir para participar).

Artigo original em Inglês

167. Pursue and Embrace

 

166. Girinos e lagartas

Mike Parsons
com Jeremy Westcott –#

[Nós] segundo a sua imagem estamos sendo transformados com glória cada vez maior (2 Cor 3:18 NVI).

Devemos ser transformados na imagem de Jesus. Como João Batista disse: “Ele deve aumentar, mas eu devo diminuir ” (João 3:30). Ele acrescenta para mim o que é como ele, e tira de mim o que não é como ele.

Não vivam como vivem as pessoas deste mundo, mas deixem que Deus os transforme por meio de uma completa mudança da mente de vocês. Assim vocês conhecerão a vontade de Deus, isto é, aquilo que é bom, perfeito e agradável a ele. (Rm 12: 2 NTLH).

Metamorfose

Transformação (a palavra grega é metamorfose) é uma mudança de uma forma para outra, como uma lagarta em uma borboleta ou um girino em um sapo. Não é algo que acontece apenas na superfície. O tipo de transformação que Deus requer afetará nosso espírito, nossa alma (mente, vontade e emoções) e nosso corpo, até o nível do DNA.

Veja os ciclos de vida da borboleta e do sapo:

Existem semelhanças e uma grande diferença. O girino desfruta de liberdade enquanto ele muda gradualmente, um pouco de cada vez. A lagarta é fechada em um casulo e alterada radicalmente, de uma só vez. Alguns desses casulos parecem muito bonitos, mas o que acontece dentro realmente não é. A lagarta é dissolvida, seu DNA é completamente desconstruído, transformado em mingau e recodificado para formar uma borboleta. A borboleta emergente luta para escapar do casulo, mas essa luta produz força para vencer e voar.

Eu sei que tipo de transformação eu preferiria.

Agora, um girino pode viver apenas na água, mas um sapo está em casa, tanto na água quanto na terra. Uma lagarta está ligada à terra, enquanto uma borboleta pode voar no ar ou pousar no chão. Como resultado de nossa transformação, somos capacitados a operar efetivamente nos dois reinos do céu e da terra.

Visões de uma nuvem escura

Várias pessoas viram uma nuvem escura sobre nós aqui na Freedom. Não é um aviso de que algo ruim está para acontecer: a nuvem escura é como um casulo, um dossel sobre nós, nos protegendo e nos permitindo operar como um porto seguro, uma cidade de refúgio, mesmo quando somos transformados aqui. É a nuvem que cerca Sua glória:

… houve trovoadas e relâmpagos, uma nuvem escura apareceu no monte… Todo o monte Sinai soltava fumaça, pois o Senhor havia descido sobre ele no meio do fogo. A fumaça subia como se fosse a fumaça de uma fornalha, e todo o povo tremia muito. (Êx 19: 16,18 NTLH).

Podemos ver nosso lugar de transformação como uma nuvem, como um casulo, um deserto, um crisol, uma fornalha. Em todas essas situações, serão nossas situações, circunstâncias e relacionamentos que Deus usa para obter o resultado que deseja. Podemos nos fazer perguntas de busca. Onde estou? Quem sou eu? O que eu sou? Porque sou eu?

Quando a nuvem obscurece, o Espírito está meditando, pairando, ressoando: fazendo-nos entrar em harmonia com Ele. A energia vibratória do Espírito Santo causa tremores, realinhamento no nível mais profundo e nos leva à ressonância, à harmonia com nossa identidade e destino como filhos. Sua superação sempre produz mudanças:

o Espírito de Deus se movia sobre a face das águas. (Gn 1:2 NVI).

“O anjo respondeu: — O Espírito Santo virá sobre você, e o poder do Deus Altíssimo a envolverá com a sua sombra. …” (Lucas 1:35 NTLH).

Perseguição (a prova do desejo)

Podemos correr, podemos criticar o fogo por estar muito quente, podemos reclamar que outras pessoas são antipáticas e indiferentes. Ou podemos nos submeter e permitir que Ele siga o seu caminho. Vamos até buscar e abraçar a nuvem e o fogo transformadores da presença de Deus. O que está enterrado no fundo de nós virá à superfície. O que está oculto será revelado. Podemos nos sentir desorientados; que está escuro, restrito, quente; que estamos caindo aos pedaços (pode haver alguma verdade nisso). Mas calor e pressão transformam carvão em diamantes e ervas daninhas em composto fértil. Nossa identidade como filhos é forjada nos fogos da adversidade e do desafio.

Meus irmãos, considerem motivo de grande alegria o fato de passarem por diversas provações, pois vocês sabem que a prova da sua fé produz perseverança. E a perseverança deve ter ação completa, a fim de que vocês sejam maduros e íntegros, sem lhes faltar coisa alguma.  (Tiago 1: 2-4 NVI).

Não só isso, mas também nos gloriamos nas tribulações, porque sabemos que a tribulação produz perseverança; a perseverança, um caráter aprovado; e o caráter aprovado, esperança. E a esperança não nos decepciona, porque Deus derramou seu amor em nossos corações, por meio do Espírito Santo que ele nos concedeu.  (Rm 5:3-5 NVI).

Temos que lutar, pressionar, apertar e não desistir. Nós devemos buscar nossa herança; não sendo colonos, mas pioneiros. Também não devemos ceder à pressão para ajudar os outros a sair de seu casulo. Podemos incentivar e apoiar, mas não devemos tentar resgatá-los de sua luta, porque é a luta que lhes permitirá voar.

Desde os dias de João Batista até agora, o Reino dos céus é tomado à força, e os que usam de força se apoderam dele. (Mt 11:12 NVI).

Pronto para mudar?

Deus está sempre em movimento, e Ele quer que nós o persigamos até a maturidade. Ele nos deixa desconfortáveis ​​onde estamos: pode ser que não encontremos mais as técnicas e disciplinas espirituais em que confiamos, que não possamos ver ou ouvir como antes. Ele está nos movendo da Sua presença para a Sua glória.

Estamos prontos para avançar quando o pilar de fogo ou nuvem se mover? Ele não está onde estava; Ele não está fazendo as coisas como estava. Mas Sua glória e graça partem lentamente – no Antigo Testamento eles não sabiam que Ele havia deixado o templo (Ezequiel 8-11).

Deus está nos chamando para a transformação porque Ele nos ama; chamando-nos de ‘abismo a abismo’ (Sl 42:7) para envolver o céu; nos chamando para um estilo de vida sobrenatural; chamando-nos do deserto para a nossa verdadeira herança. Ele quer que vivamos em reinos duplos, para que possamos trazer Seu governo do reino do céu para a terra.

A transformação é o único caminho para a maturidade, a filiação e a verdadeira realização de nosso destino, que nada mais é do que a restauração de todo o universo (Rm 8:19).

Eu te desafio a fazer esta oração; desafio você a continuar orando enquanto o calor e a pressão aumentam e você se envolve com o processo de mudança; desafio você a não parar de orar até que seja totalmente transformado à semelhança de Jesus:

Ó Deus, examina-me e conhece o meu coração! Prova-me e conhece os meus pensamentos. Vê se há em mim algum pecado e guia-me pelo caminho eterno. (Sl 139:23-24 NTLH).

Sonda-me, ó Deus, e analisa o meu coração. Examina-me e avalia as minhas inquietações! Vê se há em mim algum sentimento funesto, e guia-me pelo Caminho da vida eterna! (Sl 139:23-24 KJA).

Outros artigos de Freedom ARC

Página do Facebook: Vida Sobrenatural.
Grupo do Facebook: VIDA SOBRENATURAL (pedir para participar).

Artigo original em Inglês

166. Tadpoles and Caterpillars

165. Misericórdia: Amor da aliança de Deus

Mike Parsons
com Jeremy Westcott 

Portanto, meus irmãos, por causa da grande misericórdia divina, peço que vocês se ofereçam completamente a Deus como um sacrifício vivo, dedicado ao seu serviço e agradável a ele. Esta é a verdadeira adoração que vocês devem oferecer a Deus. Não vivam como vivem as pessoas deste mundo, mas deixem que Deus os transforme por meio de uma completa mudança da mente de vocês. Assim vocês conhecerão a vontade de Deus, isto é, aquilo que é bom, perfeito e agradável a ele. (Rm 12:1-2 NTLH).

Deus quer que estejamos prontos para que Sua glória venha cada vez mais. Se não estivermos prontos, seríamos tolos em se aventurar em qualquer lugar perto de Sua glória, mas Deus está procurando um povo que possa permanecer nessa glória e refletir isso para o mundo. Precisamos ser transformados.

Disciplina, não punição

Transformação requer disciplina, mas não vamos confundir disciplina com punição. Podemos ter sido educados por pais ou professores que nos puniram em vez de disciplinarem, e teremos que superar isso, se quisermos que Deus nos discipline. Ele não está lá nos ameaçando com uma grande vara. Se essa é a nossa visão de Deus, então precisamos nos arrepender (pensar novamente, alinhar nosso pensamento com a maneira como Deus pensa) e lidar com essa mentalidade. É a Sua bondade que nos leva ao arrependimento (Rm 2:4), não ao medo das consequências. Certamente, toda ação tem suas próprias consequências, mas Deus não leva em conta  nossos pecados.

Deus em Cristo estava reconciliando consigo o mundo, não levando em conta os pecados dos homens, e nos confiou a mensagem da reconciliação. (2 Cor 5:19 NVI).

Uma disciplina é feita com amor, para benefício da pessoa que está sendo disciplinada.

A palavra hebraica muwcar e a palavra grega paideia significam ‘reprovar, corrigir, treinar, anunciar, educar, instruir’. Punição é sobre retorno, sobre uma imposição de uma penalidade. Deus não exige que façamos as pazes. Ele não pune as pessoas (e também não puniu a Jesus em nosso nome), mas Ele nos disciplina para nos treinar e nos ajudar a viver corretamente.

Nenhuma disciplina parece ser motivo de alegria no momento, mas sim de tristeza. Mais tarde, porém, produz fruto de justiça e paz para aqueles que por ela foram exercitados. (Hebreus 12:11 NVI).

A disciplina é uma coisa boa, porque corrige, treina e nos transforma. Quando encaramos honestamente a realidade da nossa vida, pode ser desconfortável, até doloroso, a curto prazo. Mas se  permitirmos que Deus trabalhe em nós, isso produzirá frutos em nós e nos levará a um lugar de paz e alegria na medida que perseveramos.

Amor da aliança

As misericórdias do Senhor são a causa de não sermos consumidos, porque as suas misericórdias não têm fim; Novas são cada manhã; grande é a tua fidelidade. (Lm 3:22-23 ACF).

A palavra “misericórdia” está checed, tradicionalmente traduzida como “bondade”, mas na verdade significa “amor da aliança”. É pelas misérias de Deus que nos apresentamos como um sacrifício vivo a ser transformado, como nos diz a passagem de Romanos 12 no início deste post.

A aliança é um compromisso, acordo ou contrato que termina com morte e geralmente é selado em sangue, caminhando através dos pedaços de um sacrifício de animais. É um compromisso total com outro. Ela vincula cada parte a amar e fazer o bem a outra, compartilhar tudo o que têm e apoiar-se mutuamente quando atacados por alguém de fora. Traz estipulações e termos que ambas as partes conhecem antes de entrar nela e é ratificado por troca, por exemplo de casacos ou armas.

Deus sempre lidou com os homens por meio de aliança (você pode ver isso com Adão, Noé, Abraão, Moisés, Davi e Jesus). A aliança de Deus com Abraão foi realmente com sua semente; e Jesus é a semente, como Paulo explica (Gl 3:16). Uma vez que estamos Nele, também nos beneficiamos dessa aliança.

E, se vocês são de Cristo, são descendência de Abraão e herdeiros segundo a promessa. (Gl 3:29 NVI).

Herdeiro do mundo

Abraão e a sua descendência receberam a promessa de que ele seria o herdeiro do mundo. (Rom 4:13 NVI).

Não se tratava da posse de um pequeno pedaço de terra no Oriente Médio. Essa aliança é para o mundo inteiro. Não é restrito a um grupo de pessoas: é para todos Em Sua morte na cruz, Cristo colocou as promessas à nossa disposição. O evangelho vai até os confins da terra, trazendo bênçãos a todos.

Não fizemos essa aliança, portanto não podemos quebrá-la. A Nova Aliança é o cumprimento de Deus por Suas promessas a Abraão, através de Jesus. É totalmente confiável. Deus nunca quebrará uma aliança que fez no sangue de seu próprio Filho. E esta é a base sobre a qual podemos ser salvos, curados e transformados.

Quando Jesus morreu, eu morri. Ele foi meu representante para lidar com o poder do pecado. A misericórdia (amor da aliança) aplica o poder da aliança e a vitória da cruz em nossas vidas.

Troca de Aliança

Essa é a troca de aliança que ocorreu na cruz. Podemos vir para a cruz a cada minuto de cada dia e entrar na vida que é nossa na eternidade. Sua misericórdia, seu amor da aliança, são novas todas as manhãs.

Graça

… por meio de quem obtivemos acesso pela fé a esta graça na qual agora estamos firmes; (Rm 5:2 NVI).

Agora permanecemos na graça de Deus, seu divino poder capacitador, para ser transformado. Isso não é algo que  podemos fazer por nosso próprio poder ou habilidade, mas somente pela submissão e entrega voluntária a Ele. Por causa da Sua graça, temos a oportunidade de abandonar nosso antigo modo de vida e seguir um caminho diferente, voltando para o caminho que Deus nos chamou para viver.

pois não temos um sumo sacerdote que não possa compadecer-se das nossas fraquezas, mas sim alguém que, como nós, passou por todo tipo de tentação, porém, sem pecado. Assim sendo, aproximemo-nos do trono da graça com toda a confiança, a fim de recebermos misericórdia e encontrarmos graça que nos ajude no momento da necessidade. (Hb 4:15-16 NVI).

O Pai e o Filho

Deus é um Deus que faz alianças. A aliança expressa seu amor inesgotável e supremo. O amor entre o Pai, o Filho e o Espírito Santo é o amor da aliança, e somos trazidos para essa família de amor.

Ao dar a vida pelos pecados do mundo, Jesus entrou em uma Nova Aliança em Seu sangue com o Pai. Foi compromisso total e doação sem reservas em nome de ambas as partes. O Pai e o Filho fizeram aliança por nós. Para que pudéssemos entrar na plenitude do relacionamento com Deus. Essa aliança é mais forte que a morte; não pode ser quebrada ou anulada: sustenta nossa salvação e possibilita nossa transformação.

Essa Nova Aliança significa que tudo que pertence ao Pai agora pertence a Jesus. E já que estamos em Cristo, tudo que pertence ao Pai agora nos pertence. Temos acesso a tudo de Deus. Temos acesso à onipotência de Deus, à onipresença de Deus, à onisciência de Deus: certamente isso nos permitirá cumprir nosso destino e nosso propósito.

Venha para a cruz

Gostaria de encorajá-lo a meditar nas escrituras sobre as misericórdias de Deus, Sua bondade e amor da aliança, porque elas são a base da nossa transformação. As misericórdias de Deus são motivadas por Seu amor, e Seu amor nos motiva a mudar.

Existe alguma coisa antiga que você precisa trocar? Algo que é a morte para você que você deseja trocar pela vida? Venha para a cruz. Se você tem uma mentalidade que tem medo do que Deus possa fazer se você se render e permitir que Ele o transforme, então venha para a cruz. Se você acha que Deus vai punir, está punindo ou já o puniu, então você realmente precisa vir à cruz.

Você pode fazer isso de uma maneira prática, se achar útil. Assim como as partes de uma aliança andam através dos pedaços divididos do animal sacrificado em um símbolo de oito ou eternidade, você pode seguir um caminho da mesma forma e chegar ao cruzamento, ponto de cruzamento, ponto de troca.

Nesse ponto, você pode partir o pão e trocar o antigo pelo novo. Você pode se libertar da escravidão e de tudo o que o impede, porque você caminha pela vitória que Jesus garantiu para você.

Você pode vir à cruz hoje.

Outros artigos de Freedom ARC

Página do Facebook: Vida Sobrenatural.
Grupo do Facebook: VIDA SOBRENATURAL (pedir para participar).

Artigo original em Inglês

165. Mercy: God’s Covenant Love

164. A imagem de Jesus

Mike Parsons
com Jeremy Westcott

Transformação: abraçar a estação

Estamos entrando em uma estação nos preparando para a santidade; uma temporada de remoção de obstáculos; uma estação de preparação para cruzar o limiar para o reino da glória; uma estação de transformação. Não apenas um pequeno ajuste na aparência da superfície, mas uma mudança fundamental e radical que afeta o corpo, a alma e o espírito.

Não vamos resistir, mas abraçar. Vamos cooperar na mudança da glória para a glória sempre crescente. Entrar no processo de refino e purificação é totalmente voluntário. Dito isto, sabemos que às vezes Deus planejará as circunstâncias em torno de nossas vidas para nos dar mais oportunidades de voluntariado! Podemos cair sobre a Rocha, ou a Rocha pode cair sobre nós.

Como você nunca soube

Aqui está, parte de uma palavra profética que Deus me deu antes de eu ensinar pela primeira vez esta série na Igreja da Liberdade, em 2012:

“É hora de orar para que a tampa se solte e de chamar meus anjos que estão esperando para começar a reunir e remover obstáculos, tanto dentro como fora. O fogo da santidade está chegando, a estrada da santidade foi preparada. É hora de andar no rio de fogo. Você já andou sobre ela e sentiu seu calor, mas agora é hora de ser batizado no fogo. O calor transformará os ídolos novamente no pó de onde vieram: estar debaixo de seus pés, não em seus corações.

Chame os anjos que se reúnem. As tampas estão saindo dos esgotos, as coisas secretas e ocultas do coração estão prestes a serem expostas. Tudo o que peço é a disposição de me submeter ao fogo que irá refinar, purificar e preparar você para a verdadeira santidade.

Estou prestes a restaurar suas almas como vocês nunca conheceram e conduzi-los por caminhos de retidão como vocês nunca conheceram.

Eu vou podar a igreja. Vou cortar os galhos que não produzem frutos. Vou remover os obstáculos ao verdadeiro governo do reino. Vou fechar as portas de acesso que o inimigo teve. Alguns já foram removidos.

Estou procurando aqueles que estão dispostos a ser podados nas áreas improdutivas de suas vidas, em seus desejos e prioridades…”

Metamorfoseado, transfigurado

Vimos isso acontecer na Igreja da Liberdade (o governo do reino está sendo estabelecido aqui, mas, no processo, as tampas certamente saíram de alguns esgotos e experimentamos algumas podas dolorosas, tanto corporativas quanto pessoais). O que é verdadeiro para nós localmente é verdadeiro para você, onde (e quando) estiver lendo isso. Deus deseja que Sua igreja inteira seja transformada, metamorfoseada, transfigurada, mudada, conformada à imagem de Jesus; não modelada, moldada, conformada com o mundo.

Portanto, meus irmãos, por causa da grande misericórdia divina, peço que vocês se ofereçam completamente a Deus como um sacrifício vivo, dedicado ao seu serviço e agradável a ele. Esta é a verdadeira adoração que vocês devem oferecer a Deus. 2Não vivam como vivem as pessoas deste mundo, mas deixem que Deus os transforme por meio de uma completa mudança da mente de vocês. Assim vocês conhecerão a vontade de Deus, isto é, aquilo que é bom, perfeito e agradável a ele. (Rm 12: 1-2 NTLH). 

Transformação é um processo de mudança, renovação, restauração da condição original; não como Adão era antes de seu pecado, mas como ele teria se tornado. Como seriam as coisas hoje se o Homem não tivesse caído, mas tivesse passado os séculos seguintes perseguindo o plano de Deus para ele e para a criação? Como seríamos?

Nosso objetivo na transformação é tornar-se totalmente como Jesus; viver como ele; fazer como Ele fez, e coisas maiores (João 14:12); estar em conformidade com a Sua imagem.

Pois aqueles que de antemão conheceu, também os predestinou para serem conformes à imagem de seu Filho. (Romanos 8:29  NVI)

De um grau para outro

Em nossos dias, os livros proféticos (portais) foram abertos e estamos recebendo níveis mais profundos de revelação e entendimento. Mas isso também exige níveis mais profundos de transformação. É como ir da matemática pré-escolar (reconhecer um número), passando pela escola primária (contagem, somas simples, adição, multiplicação), até a escola secundária (álgebra, equações, cálculo), graduação, pós-graduação e assim por diante. Eu suspeito que muitos de nós ainda não estamos muito além da pré-escola.

Mas todos nós, com rosto descoberto, refletindo como um espelho a glória do Senhor, somos transformados de glória em glória na mesma imagem, como pelo Espírito do Senhor. (2 Cor 3:18) ACF

Existem níveis progressivos de transformação em maturidade, níveis progressivos de responsabilidade e autoridade. Deus quer nos levar de servo para servo de aliança; de  mordomo para amigo; de senhor para rei para filho.

Pelas misericórdias de Deus

Liberdade do pecado (Rm 6: 16-18); o dom da vida eterna (Rm 6:23); paz com Deus (Rm 5: 1); a graça de Deus (Rm 5: 2); salvação da ira (Rm 5: 9); o dom do arrependimento (Rm 2: 4-5); o amor de Cristo (2 Cor 5: 14-15): as misericórdias de Deus são novas todas as manhãs e motivam-nos a nos apresentar como sacrifícios vivos, prontos para a transformação.

É realmente um processo, e pode levar algum tempo. Mas podemos começar hoje (e todos os dias) oferecendo-nos como sacrifício vivo. Podemos convidá-lo a fazer o que ele precisa fazer em nós.

Ele desafiará nossa consciência, imaginação, razão, mente, emoções, vontade e escolha; nossos motivos, desejos, atitudes, mentalidades, sistemas de crenças, espíritos familiares, padrões de pecado, sistemas de negociação, ídolos, pedras de tropeço, emaranhados; feridas, dores, rejeições, medos, inadequações, inferioridades, decepções e muito mais. Ele lidará com nosso pecado, transgressão e iniquidade. Ele restaurará nossas habilidades sobrenaturais.

Estamos prontos para isso?
Se sim, vamos orar:

Deus, obrigado pela sua presença na minha vida.
Abro o portão do primeiro amor e convido você a entrar em meu espírito.
Convido você a ativar meus sentidos espirituais e a fluir através de mim.
Você é o senhor da minha vida.

Eu escolho ser um servo de aliança.
Treine-me como um bom mordomo
Para que eu possa ser seu amigo.

Renove minha mente
Cure minhas emoções
Restaure minha consciência
Limpe minha imaginação
Dirija minha vontade.

Treine meus sentidos para ouvir sua voz
Para conhecer seu coração
Ver sua visão
E ser guiado por sua paz.

Limpe minha linhagem e linha de sementes.
Transforme meu DNA.

Pai, eu escolho seguir meu destino eterno
em senhorio, reinado e filiação.
Eu escolho, como embaixador do céu,
administrar o governo do reino de Deus
na terra como no céu.

Mostre-me como um filho da luz na terra.
Manifeste seu reino governe através de mim para o mundo ao meu redor.

Outros artigos de Freedom ARC

Página do Facebook: Vida Sobrenatural.
Grupo do Facebook: VIDA SOBRENATURAL (pedir para participar).

Artigo original em Inglês

164. The Image of Jesus

163. Portas abertas, fluindo livremente

Mike Parsons
com Jeremy Westcott – 

Mim, Eu mesmo e Eu

Digo, porém: Andai em Espírito, e não cumprireis a concupiscência da carne. Porque a carne cobiça contra o Espírito, e o Espírito contra a carne; e estes opõem-se um ao outro, para que não façais o que quereis. (Gálatas 5: 16-17) (ACF Version)

Auto-egocentrismo, egoísmo, auto-importância, auto-promoção, auto-controle, auto-respeito, auto-estima, auto-valorização, auto-imagem, auto-confiança, auto-suficiência, auto-crença, auto-justiça, auto-ajuda, auto-expressão, auto-satisfação, auto-indulgência …

Você pode pensar que nem tudo isso é ruim. Mas isso realmente depende do que está dirigindo nossas vidas. Se quisermos refletir a glória de Deus e fluir com a vida dele, então ‘mim, eu mesmo e eu’ teremos que morrer.

Nossa alma deve receber revelação e direção de Deus, por dentro . Uma vez que encontre a verdadeira fonte da vida e se acostume a extrair dessa fonte, não desejará mais nada. Mas enquanto tentamos alimentá-lo de duas fontes, ele permanece confuso. Temos que treiná-lo novamente para receber de dentro para fora.

Estávamos olhando em nosso post anterior o diagrama de Ian Clayton das nossas portas do espírito, alma e corpo , e entendemos que precisamos de todas as nossas portas abertas e fluindo livremente.

Então, o que pode bloquear e fechar nossas portas da alma?

Bloqueios comuns

Pecado: falta de perdão, rebelião, independência, egocentrismo.
Fortalezas: mentalidades, crenças, mentiras.
Emoções negativas: medo, dúvida, descrença.
Demoníaco: espíritos familiares, espíritos geracionais.
Enganação, confusão, controle.

Porta da mente: fortalezas, palavras ditas, palavras recebidas, maldições, medo, doutrinas falsas
Porta da imaginação: imagens vistas ou imaginadas, TV, filmes, livros, fantasia, jogos, internet
Porta das emoções: rejeição, decepções, falta de perdão, traição
Consciência: pecado, decepção, orgulho, independência, julgamento, crítica, defensividade

Necessidades não atendidas afetam os desejos e motivos da nossa alma. Dores não curadas afetam nossas emoções. Problemas não resolvidos afetam nossa confiança e alimentam dúvidas. O pecado e a rebelião embotam nossa consciência, para que as coisas não pareçam mais erradas, para que nos sintamos confortáveis ​​com nossas fraquezas e padrões de pecado e, eventualmente, elas nos parecem comportamentos normais e aceitáveis.

Como podemos abrir nossas portas?
Como podemos mantê-las abertas?

Seja o que for que bloqueou nossa(s) portas(s), devemos possuir, confessar, arrepender-se e renunciar. Ao aplicarmos o sangue de Jesus, não há culpa, vergonha ou condenação para nós: recebemos perdão e purificação. Limpar as portas pelo sangue de Jesus é essencial para abrir totalmente o fluxo.

Etapa 1: Abra a porta do primeiro amor

Essa porta geralmente é mais danificada por nossas experiências naturais de mágoa, dor e rejeição. Renunciando aos votos internos, arrependendo-se do medo e perdoando as mágoas, o convidamos para entrar em nosso espírito e para sair através de nossa alma e corpo, abrindo deliberadamente a porta. Jesus está batendo: a maçaneta da porta está do nosso lado e cabe a nós abri-la (Ap 3:20).

Damos a Deus o primeiro amor, o primeiro lugar, a primeira prioridade

Etapa 2: Abrindo portas espirituais

Em nosso relacionamento de intimidade com Deus, agimos com fé e meditamos em cada porta, entregando nosso espírito a ele. Oramos em línguas, abrimos e damos as boas-vindas à glória e ao fogo da presença de Deus.

Aqui está um exemplo de oração por uma dessas portas (revelação). Estas são apenas palavras que eu usei – você pode usá-las ou adaptá-las, mas você pode encontrar as suas, se quiser:

Pai, eu escolho abrir a porta da ‘revelação’ em meu espírito.
Abro e entrego-a à Tua glória.
Eu recebo e libero o poder de Deus através desta porta
 Começo a receber a revelação do seu reino.
Para que isso mude minha alma à imagem do Filho de Deus que habita em mim.

Persistência e diligência são fundamentais. Podemos trabalhar em todas as portas, uma de cada vez ou em grupos, mas devemos orar até começarmos a ver os resultados – e depois continuar.

Etapa 3: Abrindo portas da alma

As portas da alma são frequentemente influenciadas por espíritos familiares demoníacos e por nossa natureza pecaminosa (que sabemos que devem ser crucificadas com Cristo e consideradas mortas diariamente (Rm 6:6, Gl 5:24)).

Quando as portas começam a se abrir, podemos esperar a guerra da nossa alma à medida que a influência do reino começa a se exercer. Temos que retomar a posse das nossas almas e despojar tudo que ali reside: espíritos demoníacos, bloqueios, fortalezas, controles ou qualquer outra coisa.

Novamente, agimos com fé, desta vez falando com nossa alma e cedendo controle à direção do nosso espírito. Tomamos a palavra de Deus como uma espada para separar nosso espírito do controle e domínio da alma (Hb 4:12), declarando: “Alma, você não vai me motivar, me controlar ou bloquear o fluxo do espírito”.

Nossa alma tira a vida do nosso espírito, mas tem sido usada para extrair do mundo, através do corpo. Ela está acostumada a governar, estar no controle, e é por isso que luta contra o espírito quando o espírito procura assumir seu devido lugar. Rompemos os laços da alma com o nosso espírito e quebramos a independência, renunciando ao controle do nosso espírito.

Aqui está o meu exemplo de oração pela porta da “consciência”:

Trago a minha consciência para a submissão ao meu espírito.
Libero a vida de Deus para fluir do meu espírito,
através das passagens da reverência e do temor do Senhor,
para uma consciência da justiça e da verdade de Deus.

Onde minha alma foi queimada pelo pecado,
agora pego a espada do espírito e abra a porta
para permitir que o fluxo de Deus por ela dite minhas ações.

Pai, torne-me consciente de minhas ações, para
que eu possa submeter-me à sua autoridade em meu espírito …

Etapa 4: tome posse da porta e coloque Cristo no centro dele

Nós cedemos as portas da alma aos ditames do espírito. Permitimos que a vida e a glória de Deus fluam através delas para o corpo, influenciando e ditando suas ações.

Etapa 5: Arrepender-se (mude de ideia e pense nessas coisas da maneira que Deus faz).

Nos arrependemos de permitir que qualquer espírito demoníaco acesse através dos portões individuais de nossas almas. Tomamos o sangue de Jesus pela fé, limpamos a porta e o redimimos. Reconhecemos que não fomos diligentes no passado e agora aceitamos e cumprimos nossa responsabilidade de guardar as portas.

Continuando meu exemplo de oração sobre minha porta da consciência:

Hoje, em nome de Jesus,
tomo autoridade sobre [a força ou condição espiritual]
que é resistente ao fluxo de Deus em mim.
Eu o solto e o expulso dessa porta em nome de Jesus.
Eu faço e coloco Jesus como Senhor sobre esse portal hoje.

Pai, te agradeço, que  a minha porta da consciência esteja cheia da sua glória.
Te agradeço, que a minha consciência receba e libere
o fluxo de piedade e santidade através dela em nome de Jesus.
Minha consciência agora ditará as ações do meu corpo no mundo.

[A gratidão é muito poderosa. Talvez eu não sinta que minha porta ainda esteja cheia da Sua glória, mas declaro como se estivesse, e dou a ela a oportunidade de usar minhas palavras para trazer isso a mim].

Persistente, diligente

Quando a vida de Deus começa a fluir, às vezes é apenas um fio. É melhor do que nenhum fluxo, mas queremos uma inundação! Esse tipo de oração precisa ser persistente para manter a vitória e ampliar o fluxo. Uma vez que nossas portas estejam abertas e funcionando, enquanto formos diligentes e mantermos contas curtas com Deus, nunca permitiremos que o pecado os bloqueie novamente. Mas, mesmo que o façamos, agora sabemos como abri-las e fluir livremente novamente.

Agarramos as portas da nossa vida pela fé como nossa herança, de modo que exercitamos nosso direito dado por Deus de exercer domínio e autoridade ali. Expulsamos qualquer espírito que busque exercer autoridade naquelas portas. Jesus é o Senhor das portas apenas quando Lhe damos o direito de fluir através delas. No espírito, pela fé, levantamos a bandeira da vitória sobre cada porta como uma declaração de que Jesus reside lá.

O desejo de Deus é que manifestemos Seu reino, para que o mundo possa ver Seu amor, Sua graça e Sua misericórdia, fluindo livremente para eles através de nós. Vamos começar a impor o reino de Deus a partir do ponto de autoridade em nosso espírito, para que ele inunde nossa alma, nosso corpo e o mundo.

Outros artigos de Freedom ARC

Página do Facebook: Vida Sobrenatural.
Grupo do Facebook: VIDA SOBRENATURAL (pedir para participar).

Artigo original em Inglês

163. Gateways Open, Flowing Freely

162. Esferas de influência

Mike Parsons
com Jeremy Westcott 

Governar

Seu destino é governar, trazer o reino de Deus à terra como no céu. Este é o seu ‘plano A’, e ele não tem outro plano. Deus disse a Adão e Eva quando eles foram criados:

Seja fecundo e multiplique, encha a terra e submeta-a; e governe (Gênesis 1:28).

Ele pretende que tragamos Sua vontade (Seu reino) do céu para a Terra. É o nosso destino individual, e também o destino da igreja: o monte da casa do Senhor se elevará acima de todos os outros montes (Is 2: 2).

Mas a pessoa que está unida ao Senhor se torna um espírito com Ele (1 Cor 6:17).

É no relacionamento com Ele que nos tornamos um. Levará tempo, dedicação e obediência, mas quanto mais estivermos sintonizados com Ele, mais Sua vontade, propósito e reino serão realizados por nós. Nosso destino para governar vem somente através do relacionamento com Ele, e é baseado no amor.

Espírito, alma, sentidos corporais

Esta é uma imagem que vimos antes, mostrando como podemos nos relacionar com Deus e como Ele pode fluir através de nós.

Uma vez, não tínhamos o conceito de que a glória de Deus pudesse estar dentro de nós. Nosso Portal do Primeiro Amor estava fechado. Não tínhamos conexão com Deus e nosso espírito estava morto para ele. Mas agora sabemos que Ele vive dentro de nós, nos capacitando a viver, a mudar, a ser transformado.

Todos nós temos um corpo, alma e espírito. Nosso corpo nos permite nos relacionar com o mundo; nossa alma se relacionar conosco; nosso espírito para se relacionar com Deus. Nosso destino flui através de um espírito forte, mas pode ser bloqueado por uma alma dominante. Portanto, é vital que tenhamos nossa alma restaurada e refinada, e espírito – alma – corpo na ordem correta, e não o contrário.

Quando nascemos de novo, nos tornamos uma habitação da presença de Deus. O céu é uma dimensão espiritual ao nosso redor , e agora estamos conectados a ele através de Deus que está em nós. Temos um fluxo de vida abundante fluindo através de nós como um rio do céu (do reino espiritual) e podemos experimentar a bondade de Deus por dentro .

Isso significa que tudo o que estamos acostumados a receber de fora, Deus pode nos dar muito mais efetivamente a partir de dentro. Deus é amor, para que agora possamos experimentar o amor de Deus por dentro, em vez de procurar suprir essa necessidade de amor de outro lugar (o que, em última análise, é insatisfatório). Deus é luz, para que possamos receber entendimento e conhecimento Dele, por dentro.

O rio flui do céu através de Deus em nós, para nosso espírito, alma e corpo, e dali para o mundo ao nosso redor. A vontade de Deus (Seu reino governa) no céu é capaz de operar em nós, através de nós e ao nosso redor. Cada pessoa que lê isso pode mudar o mundo. Mesmo que você esteja mudando apenas no seu próprio mundo, isso ainda é algo de significado eterno.

Bênçãos espirituais

Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, que nos abençoou com todas as bênçãos espirituais nos lugares celestiais em Cristo (Ef 1: 3).

Em nosso relacionamento com Cristo, somos abençoados. E essas bênçãos espirituais podem se manifestar no reino físico, equipando-nos para ter sucesso na vida. Essas bênçãos celestiais podem fluir para nós, através de nós e ao nosso redor.

Mas mais do que estar conectado, temos acesso para realmente entrar nesses lugares celestiais:

… e nos levantou com Ele, e nos assentou com Ele nos lugares celestiais em Cristo Jesus (Ef 2: 6).

Para que possamos nos envolver com as coisas eternas de Deus e manifestá-las aqui e agora.

Fluxo

Um fluxo de revelação vem do céu para nossas vidas através da presença de Deus. Em vez de tentar construir nosso intelecto de fora e obter conhecimento mundano (o que pode ser bom, mas não é de valor eterno), obtemos o conhecimento da revelação de Deus. Nesse fluxo, também existem recursos, autoridade, luz, glória, presença e poder de Deus, todos provenientes da dimensão celestial espiritual invisível no reino físico, através do portal de nossas vidas.

… a água que eu darei a ele se tornará uma fonte de água brotando (fluindo, borbulhando) [continuamente] dentro dele para  a vida eterna (João 4:14 AMP).

Aquele que crê em Mim [que se apega e confia em Mim], como a Escritura disse: De seu ser mais íntimo fluirá [continuamente] fontes e rios de água viva (João 7:38 AMP).

No mundo, tudo flui de fora para dentro. Mas com Deus, tudo flui de dentro para fora. Portanto, se estamos olhando para mudar, para ser transformados, podemos ser mudados de dentro para fora, em vez de eliminar os sintomas de nosso comportamento e remover as camadas de cebola uma a uma. Podemos ir direto para a raiz, de dentro para fora.

Superior

Esse reino físico é mantido unido pelo reino espiritual, que é mais alto que o reino físico em poder e autoridade:

Pois por Ele todas as coisas foram criadas, tanto no céu como na terra, visíveis e invisíveis, sejam tronos, domínios, governantes ou autoridades – todas as coisas foram criadas através dele e para ele. Ele está diante de todas as coisas, e Nele todas as coisas se mantêm juntas (Col 1: 16-17).

As leis ou princípios espirituais substituem as leis e princípios naturais: a cura anula as enfermidades e doenças; a liberdade anula o cativeiro e a escravidão, e assim por diante. Jesus é o nosso exemplo do céu que governa a terra através de Sua vida – a vontade do Pai foi perfeitamente demonstrada por meio dele. Ele demonstrou a autoridade superior do reino espiritual sobre o natural. Ele andou sobre a água, transformou a água em vinho, multiplicou a comida, passou por multidões de pessoas e desapareceu da vista natural. Ele fez dinheiro aparecer na boca de um peixe, controlou o clima, acalmou a tempestade, curou os doentes e expulsou demônios, restaurou membros e ressuscitou os mortos – o reino espiritual tem autoridade mesmo sobre a morte, comprovada pela ressurreição.

Se devemos fazer o mesmo, e coisas maiores (como Ele disse que faríamos), também precisamos de acesso e familiaridade com esse reino espiritual.

Aprendemos a nos relacionar com o mundo ao nosso redor através de nossos cinco sentidos físicos, de fora para dentro. Nossa alma também possui sentidos que foram treinados de fora, por natureza, nutrição e trauma. Mas nossos sentidos espirituais só podem ser treinados de dentro para fora, através de nosso relacionamento com Deus. Não podemos treiná-los em nenhum outro lugar. Isso também transformará os sentidos da alma e do corpo por dentro.

Ele é onisciente, onipotente, onipresente – e conectado a nós, o que nos dá acesso a tudo o que sabe, a tudo que faz e aonde quer que esteja. Por meio dele, estamos conectados a tudo, em qualquer lugar e a qualquer momento.

Posicionado para receber

Estamos em posição de receber um fluxo espontâneo de conhecimento revelador: informações privilegiadas. Profecia, por exemplo, é informação do futuro: Deus divulgando para nós o que está por vir. Portanto, se queremos informações antecipadas sobre o que vai acontecer, para saber tudo sobre o nosso dia antes de vivê-lo, podemos entrar em contato com Deus pela manhã e pedir que Ele nos mostre. Deus quer nos dar uma vantagem. A informação que podemos obter do mundo físico nunca será maior do que a revelação que podemos obter da mente de Cristo que está em nós.

Os pensamentos de Deus dançam em nossa mente, como Einstein disse. Os sentimentos de Deus movem nossas emoções; as impressões que Deus dá motivam nossas vontades; Ele faz com que visões e imagens se formem em nossa imaginação. Podemos aprender a sintonizar, a ouvir a voz de Deus por dentro. Podemos aprender a ver de dentro – ver anjos, ver essa dimensão espiritual, os sinais espirituais que as pessoas estão dando. Aprenda a ouvir de dentro, aquela voz mansa e delicada, o sentimento de paz, o árbitro em nossos corações; sentir por dentro, movido pela compaixão de Deus; cheirar por dentro – fragrâncias espirituais, que frequentemente indicam o que Deus está fazendo; tocar por dentro – muitos de nós experimentamos calor ou vibração quando colocamos as mãos em alguém para orar.

Precisamos ativar nossos sentidos espirituais : o temor de Deus, intuição, revelação, adoração, esperança, fé, reverência e oração. Alguns desses sentidos podemos usar mais do que outros por causa de nossos dons e chamados particulares, mas todos precisamos usá-los até certo ponto.

Canais, Conduítes

É quando temos esses sentidos em funcionamento que nossas vidas se tornam um portal aberto para manifestar a presença de Deus neste mundo: Seu governo, como no céu, na terra, através de nós. Cada um de nós tem uma esfera de influência do reino na qual temos autoridade para governar. Para alguns, pode ser mais amplo que outros, mas todos temos o poder do reino de Deus para trazer influência divina para o lar, a família, as reuniões sociais, o local de trabalho, a rua, a igreja e o ministério. Se o local de trabalho é miserável, você pode entrar com alegria e paz para transformá-lo. Vamos começar a trazer o céu para o nosso local de trabalho e para todos os outros ambientes de nossas vidas.

Podemos mudar a atmosfera, e podemos mudar uma situação, porque carregamos o reino dos céus dentro de nós. Se vemos alguém doente, podemos trazer cura. Se vemos alguém na pobreza, podemos trazer bênçãos. Podemos encontrar a vontade de Deus no céu e trazer essa vontade à terra como uma manifestação do reino.

Chaves do reino

Precisamos usar as chaves do reino.

Eu te darei as chaves do reino dos céus; e tudo o que você ligar na terra será preso no céu, e tudo o que você soltar na terra será solto no céu (Mt 16:19).

Temos que prendê-lo ou soltá-lo no céu primeiro. Nós nos ligamos à vontade de Deus, à verdade e assim por diante; nos livramos das restrições e correntes do inimigo.

Precisamos estar fluindo de dentro para fora, o reino de Deus se manifestando através de nós. Precisamos conhecer nossa identidade como filhos de Deus, que temos o direito de levar o governo de Deus aonde quer que vamos. Então podemos entrar em uma situação com ousadia, sabendo que vamos afetá-la e trazer mudanças a ela, em vez de sermos afetados e alterados por nós mesmos.

Podemos mudar nossas vidas, e as dos outros, sendo abertos ao domínio do reino de Deus.

Seu destino é governar.
Seu destino é ser um transformador do mundo.

Deus, obrigado por sua presença em minha vida.
Abro o portão do primeiro amor e convido-o a entrar em meu espírito.
Convido-o a ativar meus sentidos espirituais e a fluir através de mim.
Jesus, entrego o controle de minha vida a Seu senhorio. Você é o senhor do meu espírito.

Me transforme na imagem de Jesus de dentro para fora
Renove minha mente, cure minhas emoções, restaure minha consciência, limpe minha imaginação
Treine meus sentidos para ouvir Sua voz,
Conhecer seu coração, ver Sua visão, ser dirigido por Sua paz.
Manifestar Seu reino e governo através de mim para o mundo ao meu redor.

Outros artigos de Freedom ARC

Página do Facebook: Vida Sobrenatural.
Grupo do Facebook: VIDA SOBRENATURAL (pedir para participar).

Artigo original em Inglês

162. Spheres of Influence

161. Familiar, Mas Perigoso

Mike Parsons
com Jeremy Westcott – 

Pois a palavra de Deus é viva, ativa e mais afiada do que qualquer espada de dois gumes, e penetrante até a divisão da alma e do espírito, das articulações e da medula, e capaz de julgar os pensamentos e intenções do coração (Hb 4 : 12)

… penetrando na linha divisória do sopro da vida (alma) e [do imortal] espírito, e das articulações e medula [das partes mais profundas da nossa natureza], expondo e peneirando e analisando e julgando os próprios pensamentos e propósitos do coração (Hb 4:12 AMP).

Pois Deus não vê como o homem vê, porque o homem olha para a aparência exterior, mas o SENHOR olha para o coração (1 Sm 16: 7)

Deus está mais interessado em nossos motivos do que em nossas aparências ou ações externas. Portanto, ao nos prepararmos para cumprir nosso destino, precisamos olhar atentamente para o nosso coração.

Em verdade, em verdade vos digo, quem crê em Mim, as obras que eu faço, ele também fará; e obras maiores do que estas ele fará; porque eu vou ao Pai (João 14:12).

Ele deseja que operemos na plenitude do poder do Espírito, assim como Jesus. Mas quem recebe a glória quando eu faço um milagre? Se é Deus, isso é ótimo. Mas as evidências da história e de todo o mundo sugerem que nem sempre é esse o caso. Quando fazemos coisas que as pessoas apreciam, isso pode alimentar uma necessidade em nós.

Deus fará coisas terríveis através de nós, para Sua glória. Mas vamos usá-los para nós mesmos, para ganhar dinheiro, posição, popularidade ou poder? Essas são as tentações da carne.

Dois exemplos

Vejamos dois exemplos bíblicos disso:

Em Atos 5, Ananias e Safira venderam propriedades, deram parte do dinheiro aos apóstolos e retiveram parte de si mesmos (como na verdade eles estavam perfeitamente autorizados a fazê-lo). Mas eles mentiram e alegaram que estavam dando tudo, então Pedro perguntou a Ananias: ‘Por que você concebeu essa ação em seu coração?’ Era porque eles queriam ser considerados mais generosos do que realmente eram. Eles estavam buscando a aprovação das pessoas.

Caíram mortos por causa do que havia em seus corações. Eu não quero que ninguém morra. Mas com maior poder vem uma maior responsabilidade. Temos que ser puros de coração.

Em Atos 8, Simão, o feiticeiro, dizia ser alguém grande. Ele creu e foi batizado, mas porque ainda estava procurando uma posição, tentou comprar o poder de impor as mãos às pessoas para receber o Espírito Santo. Pedro o admoestou a ‘orar para que a intenção do seu coração possa ser perdoada’.

Busca-me

Esta é uma oração familiar para muitos de nós agora:

Busca-me, ó Deus, e conhece o meu coração;
Tente-me e conheça meus pensamentos ansiosos;
E veja se há em mim algum caminho ofensivo,
e me conduza no caminho eterno.

(Salmo 139: 23-24)

Familiar, mas perigoso. Estamos dispostos a Deus nos mostrar o que está em nossos corações? Estamos dispostos a que Ele mude e nos transforme? Não sejamos rápidos em responder sem considerar o custo. Nem sempre é fácil concordar com ele. Podemos achar difícil aceitar que temos motivos errados, que nosso coração não está certo. Também não gostamos que os outros pensem isso de nós. Pensamos que estamos bem. Mas esta é a nossa oportunidade de nos humilharmos e permitir que Deus faça o que precisa ser feito.

Encontros em uma nuvem escura

Deixe-me compartilhar com você dos meus diários um pouco de como isso foi para mim.

15 de novembro de 2010: vi uma nuvem, como uma nebulosa, e meu pergaminho do destino relampejou diante dos meus olhos. No centro havia um ponto crucial. Todas as coisas estavam levando a esse ponto no tempo no pergaminho e todas as coisas estavam fluindo a partir desse ponto. Eu vi um fogo, uma chama.

fireandsmoke

Janeiro a maio de 2011: Se queremos entrar na presença de Deus, a presença de Sua Pessoa, temos que passar por um lugar escuro. A nuvem negra existe para nossa proteção, mas, com a preparação, podemos atravessá-la (ver Gn 15:12; Dt 4:11; Salmo 18: 11-12; Salmo 97: 2). Você não quer encontrar Deus despreparado (ouvi dizer que o Sumo Sacerdote tinha uma corda amarrada à perna quando ele entrou no Santo dos Santos, para que pudessem arrancar seu corpo se ele não tivesse se preparado adequadamente e estivesse queimado).

3 de maio de 2011: perguntei: “Pai, como te encontro no fogo e na fumaça?”

“Filho, você me conheceu, mas não está com fome e sede o suficiente para chegar onde estou na nuvem densa. Você se conteve, ficou com medo. Você não estava pronto para entregar tudo. Se você realmente quer vir, pode, mas nunca será o mesmo. Você não pode agir da mesma maneira. Você deve querer vir acima de tudo, precisa vir”.

“Você tem muitos ônus por vir; eles te ancoram no mundo. Você deve estar disposto a dissolvê-los. Você está muito confortável. Os anjos de colheita precisam retirar de você as coisas que o prendem ao chão e restringem sua amplitude de movimento”.

“Filho, eu temo que, se você vier agora, não voltará. Se prepare; discipline a carne, discipline sua mente. Entregue suas emoções novamente e eu darei as boas-vindas para você Me ver ”.

6 de novembro de 2011: Durante um tempo de adoração, eu estava perdido na presença de Deus na pista de dança, dentro de uma cortina em espiral e fui instruído a passar os próximos 4 meses no jardim, pista de dança, sala de imersão e câmara nupcial. Eu deveria fazer um contrato de casamento e levá-lo ao dossel das trevas, à presença da pessoa de Deus, para consumação.

Foi-me mostrado que 20 de fevereiro seria o meu dia da inovação.

O jardim do amor, a pista de dança da alegria, a sala de imersão da paz e a câmara nupcial da esperança – quatro meses assim não pareciam tão ruins. Mas acabou sendo um tempo de escuridão, no qual eu não podia fazer nada, não ver nada, não saber nada, enfim até ser nada, um tempo de testes intensos.

Ele me disse: “Não preciso da sua ajuda, apenas da sua rendição”.

Eu confiaria nEle sem ver e saber o que Ele estava fazendo? A alegria poderia vir de nada externo, somente do Senhor? Eu estava disposto a aceitar o jugo de Jesus, a oferecer minha obediência mesmo quando não fazia sentido?

No quarto mês, na câmara nupcial, fui instruído a esperar com esperança na esperança.

Entrei em 21 dias de jejum e passei os primeiros 6 dias revisando 15 meses de meus diários. Eu não estava doente há 16 anos, mas fiquei doente bebendo água contaminada, porque não havia limpado o bebedouro adequadamente. Eu não dormi por 5 dias, não conseguia nem manter a água e estava correndo vazio, todas as reservas desapareceram. Eu não fiz o que eu aconselharia a outros, não lutei, resisti à doença ou chamei os anciãos – Deus disse apenas para esperar.

O Salmo 22: 1 tornou-se muito real para mim. ‘Meu Deus, meu Deus, por que você me abandonou?’

Comecei a perder minhas habilidades de raciocínio, não conseguia me concentrar, estava lutando até para orar em línguas. Emocionalmente, comecei a me sentir realmente vulnerável, que precisava arrumar minha casa. Comecei a pensar que ninguém em casa sentiria minha falta se eu não estivesse por perto. Percebi que havia semeado 18 anos de minha vida na igreja em detrimento de meus relacionamentos com minha esposa e família, que minhas prioridades precisavam mudar.

Eu me perguntei se chegaria a 20 de fevereiro, meu dia da descoberta.

Uma noite houve intenso fogo por dentro e por fora, ondas de perda rolando sobre mim: decepção, desespero, desânimo, tristeza. Os 59 pontos do contrato de casamento, que eu havia elaborado em obediência ao que Deus havia me dito, foram perdidos um a um. E ele estava perguntando: “Você ainda me ama?”

Se nenhum dos meus sonhos fosse realizado
Se nenhuma das profecias acontecesse
Se o meu destino nunca fosse cumprido

Eu ainda amaria a Deus?
Eu ainda confiaria em Deus?
Eu ainda teria alegria e paz?
Ainda seria capaz de me alegrar e agradecer?
Deus ainda seria um bom Deus?

Deus poderia confiar em mim?
Era tudo sobre ele? Ou eu?
Foi sobre o que Ele poderia fazer por mim?
Foi sobre o que eu poderia fazer por Ele?

Tudo valeu a pena apenas por um relacionamento com Ele e mais nada?
Eventualmente, a resposta foi SIM.

“Quando você passar pelas águas, eu estarei com você; E através dos rios, eles não vão transbordar. Quando você andar no fogo, não será chamuscado … ” (Is 43: 2)

Segunda-feira, 20 de fevereiro: fui totalmente restaurada à saúde e à totalidade. As algemas foram removidas e eu estava livre para ministrar novamente. Imediatamente eu descobri que era capaz de envolver Deus nos céus.

Eu me encontrei cara a cara com ele.

Fogo

Deus pode confiar em nós, Sua igreja, com tudo o que Ele deseja nos dar?
Deus é mais importante para nós do que o que Ele faz por nós?

Não sem a purificação de nossos corações. São os puros de coração que verão a Deus.

Seu fogo está chegando, para refinar e purificar. Vi Deus no Seu trono com uma lata grande rotulada de ‘acelerador’. Jesus está se preparando para vir e purificar seu templo. O julgamento começará com a casa de Deus.

Deus disciplina aqueles a quem ama, porque deseja o melhor para nós. Nem todo mundo terá que passar pelo que passei. Eu sou um precursor: eu passo para os outros seguirem. Mas você está disposto a passar pelo fogo do refinamento, purificação, preparação? O que isso significa para você, você está realmente disposto a testar os motivos do seu coração no fogo?

Cuidado como você responde.

[Esta postagem é baseada na sessão 10 da série de ensino de Mike, Preparando-se para o destino.]

Outros artigos de Freedom ARC

Página do Facebook: Vida Sobrenatural.
Grupo do Facebook: VIDA SOBRENATURAL (pedir para participar).

Artigo original em Inglês

TrilhaSonora: Black Cloud [Nuvem Negra] – Pista de imersão instrumental da Creative Sound – Frequência do Óleo Êxodo II

Uma Onda de Frequência de Amor

Olá a todos,

Quero compartilhar algo que o Pai compartilhou comigo hoje, para todos os membros do programa Engaging God – e a qualquer outra pessoa – para fazermos ao meio-dia da quarta-feira, 1 de abril, por 15 minutos para liberar uma onda de frequência de amor intencionalmente em todo o mundo, e continuar liberando semanalmente ou quantas vezes você sentir vontade.

Vivi Amado, Amo Viver e Vivo Amando

Bênçãos,

Mike

Filho, chame os filhos de Deus para que se levantem e ocupem seus lugares celestes para governar.

De uma posição de descanso, libere o amor, a alegria e a paz necessárias para superar o medo, que está diminuindo a frequência do planeta, tornando-o mais suscetível a doenças.

Emita o apelo à ação global para que eu possa tirar proveito da situação atual.

Filho, saiba que amo todos os Meus filhos e não quero que nenhum se perca no medo, mas que chegue ao verdadeiro conhecimento do nosso amor perfeito, que expulsará todo o medo.

Filho, emita o grito de guerra que se levanta e libera nosso amor perfeito na atmosfera espiritual em todo o mundo.

Filho, escolha um momento para enviar uma onda de amor ao redor do mundo a partir das 12 horas por 15 minutos. Sature suas atmosferas com amor, alegria e paz diariamente para subjugar e superar o medo.

160. Nosso Momento Definitivo

Mike Parsons
com Jeremy Westcott  

Deus só tem ‘Plano A’. Não existe um ‘Plano B’. Cada um de nós tem um destino , conferido e acordado antes da fundação do mundo, e com esse destino vêm a capacidade criativa e a autoridade para cumpri-lo. Deus tornou isso realmente simples para nós. Podemos avançar, dizer “sim” ao Seu plano e cumprir o nosso destino, ou hesitar, reter, dizer “não” e sentir falta.

Três gerações

Deus está chamando uma geração em nossos dias. De fato, Ele está falando com três gerações e chamando-os a cumprir seu destino.

  1. Uma geração de Josué, que verá a Terra Prometida, entrará nela como precursores e atrairá outras pessoas com elas.
  2. Uma geração de colheitadeiras, um bilhão delas, como profetizado (em 1975, uma geração atrás – e não vamos perder o significado disso) por Bob Jones. Eles colherão a colheita final, que será muito mais numerosa e, para isso, precisarão operar na plenitude das maiores obras de Jesus (João 14:12).
  3. A geração de Moisés, que viu e experimentou a liberação de Deus e Sua provisão milagrosa. Diante dos gigantes e das cidades muradas, eles têm uma escolha a fazer. Ainda não é tarde para eles, ainda não.

A igreja hoje está em transição de um lugar para outro, ou pelo menos parte dela. E todos nós temos uma escolha a fazer. Duas tribos e meia de Israel escolheram ficar no lado mais próximo do Jordão, optaram por não aproveitar os benefícios da provisão de Deus para eles e desapareceram mais ou menos completamente da história.

A geração que entrou na Terra Prometida recebeu exatamente a mesma escolha que seus pais haviam rejeitado quarenta anos antes, com exatamente os mesmos obstáculos a serem superados, mas essa geração disse “sim” a Deus em vez de “não”. Ainda assim, o processo de tomar a terra não foi fácil. As cidades tiveram que ser conquistadas (usando a estratégia de Deus, não a deles); os gigantes e as nações tiveram que ser despossuídos. Mesmo que optemos por dizer “sim” a Ele, ainda teremos que lutar por nossa herança, e teremos que ser vencedores se quisermos cumprir nosso destino.

“Este sou eu, e isso não é”

Alguns escolherão não entrar. Vamos honrá-los pelo caminho que trilharam na vanguarda dos propósitos de Deus, alguns deles por décadas. Mas se eles não estão preparados para dar o passo final, então sabemos que no horário profético de Deus há um tempo para o julgamento chegar à casa de Deus. O julgamento é tão simples quanto Ele traçando uma linha e dizendo: “Este sou eu, e isso não é. Qual você escolherá?

A Vigária de Dibley

A igreja geralmente tem uma reputação muito ruim com o mundo. Podemos rir de programas de comédia como ‘A Vigária de Dibley’ e ‘Rev’, mas eles são um reflexo preciso de como o mundo nos vê. Quando eu ensinei essa série pela primeira vez em 2012, Deus me disse que em três anos ele viria para derrubar as mesas dos cambistas em Seu templo. Chegando a nós individualmente como o templo do Espírito Santo, certamente. Mas também vindo à igreja, onde quer que não seja uma representação verdadeira Dele.

Obras autênticas do reino

Podemos pensar que aqui na Freedom nossa reputação com o mundo (pelo menos localmente) é um pouco diferente. Estamos nos engajando e atendendo às necessidades das pessoas em nossa comunidade e, é claro, existem muitas outras igrejas das quais o mesmo é verdade. Mas não podemos nos dar ao luxo de ser complacentes. Não é suficiente. Não devemos nos contentar. Nós devemos entrar, herdar nosso destino e tomar nossa Terra Prometida.

Há toda uma geração de jovens a serem conquistados por Cristo. Eles não responderão à mesma experiência chata da igreja que já rejeitaram. E não apenas os jovens – a Geração de Josué e os ceifeiros serão de todas as idades. Nada menos que uma demonstração autêntica das obras do reino os atrairá.

Limpando o templo

Eu vou agitar mais uma vez todas as coisas.
Vou virar as mesas dos cambistas no meu templo.
Vou expulsar os ladrões e salteadores do Meu templo.
Estou preparando o chicote agora
para expor as atitudes e os motivos de suas vidas.

Vou expor em Meu templo a igreja
aqueles que a estão usando para seus próprios propósitos.

Haverá muitos expostos por quem e o que são.

Meu templo será novamente conhecido como a casa do Pai;
um lugar de habitação.

Meu templo será conhecido como Casa de Oração,
onde Minhas palavras de verdade libertarão Meu povo.
E através de homens livres
O mundo será libertado do caos,
confusão e domínio das trevas em que se encontra.

Meu desejo é revelar filhos ao mundo; filhos verdadeiros vivendo na verdade.
Verdadeiros templos onde rios da Minha presença e poder estão fluindo para cumprir Meus propósitos.

Agora estou preparando o chicote.
Portanto , esteja pronto para que motivos egoístas e egocêntricos
sejam revelados.

Saiba com certeza que Meu templo será conhecido
como uma verdadeira casa de oração.

(Ver Mateus 21: 12-13, João 2: 13-22).

Jesus está trançando um chicote, e todos aqueles que estão negociando para seus próprios propósitos serão despejados. Esse período de três anos será concluído no início de 2015, quando também serão 40 anos desde a profecia de Bob Jones. Este é um negócio sério.

Visões

Tivemos a visão de um dossel estendido sobre nós e de águias voando, carregando os quatro cantos dele para longe.

Em outra visão, houve uma abertura de portal e anjos chegando em grandes números. Eles carregavam cordas presas às estacas e as jogavam aos pés das pessoas. Alguns ignoraram completamente as apostas, outros os jogaram no chão onde estavam, mas outros os pegaram e os levaram o mais longe que puderam, até que as cordas foram puxadas com força e os levaram até lá.

A mensagem é clara e a forma como respondemos é de importância crítica.

“Escolham hoje a quem servirão … mas, como eu e minha casa, serviremos ao Senhor.” (Josué 24:15).

[Esta é uma palavra ‘agora’, embora grande parte deste material tenha sido originalmente ensinada na sessão 9 de ‘Preparando-se para o Destino’ (‘Preparing For Destiny’) na Freedom Church em 2012 e se refira a uma mudança radical em 2015. O áudio e as notas de Mike para toda a série de ensino estão disponíveis em nosso site (apenas em inglês). – Jeremy]

Outros artigos de Freedom ARC

Página do Facebook: Vida Sobrenatural.
Grupo do Facebook: VIDA SOBRENATURAL (pedir para participar).

Artigo original em Inglês