Um canal de Deus

Mike Parsons
com Jeremy Westcott

Jesus foi transfigurado aqui na terra e brilhou com glória.

Essa é a intenção de Deus para todos nós, que brilhemos com a Sua glória. Nós podemos começar a manifestar a glória de Dele através de nossas vidas, quando Ele vive em nós e nos tornamos um canal Dele.

Agora mais uma vez, você pode achar estranho porque canalizar é algo que as pessoas da Nova Era fazem. Mas eles pegam um conceito que é verdadeiro, no entanto aplica-o de uma maneira contrária a Deus.

Deus está dentro de nós, em nosso espírito, e se Ele quiser se manifestar no nosso exterior, ele precisa vir através de nossa alma e corpo. Então nos tornamos um canal, uma interface entre Deus e o mundo ao nosso redor, um meio pelo qual Ele pode se manifestar. Quando Jesus fez todos os milagres e sinais, foi o Pai que manifestou Nele Suas obras.

Deus está nos chamando para um relacionamento assim, para fazermos o que vemos o Pai fazer. Isso vem da revelação de que somos transformados de glória em glória. 

Quando falamos sobre ‘transformação’, não é simplesmente o nosso comportamento que irá mudar. Isso é o que eu estava ressaltando no post anterior sobre nosso DNA. Se nos submetermos ao processo de transformação, além de desfrutarmos de um relacionamento mais íntimo com Deus, e vencermos o pecado em nossas vidas, seremos radicalmente mudados, transformados em ‘filhos da luz’.

A expressão ‘filhos da luz’ fala de algo que vai muito além do que a maioria das pessoas possa imaginar. O mínimo que ocorrerá é que recuperaremos algumas das habilidades latentes que estão no nosso DNA. Elas serão ligadas novamente, restaurando o que Adão tinha antes do pecado, e além daquilo.

Provavelmente ainda não entendemos todos os detalhes. No entanto, com aquilo que entendemos, sabemos que Deus é poderoso para fazer muito além do que pedimos ou imaginamos.

Artigo original em Inglês
Outros artigos de Freedom ARC

Facebook: Vida Sobrenatural (@umavidasobrenatural)

 

Anúncios

Doze Filamentos, Doze Pedras

 

Mike Parsons
com Jeremy Westcott

Adão foi criado como um ser espiritual, e estava vestido com glória. Ele era espírito, alma e corpo, ou seja, seu espírito estava do lado de fora e seu corpo do lado de dentro. Não havia sangue, porque ele era um ser de luz.

Originalmente o DNA de Adão tinha uma hélice tripla com três filamentos, que representavam corpo, alma e espírito de acordo com a imagem de Deus. Ele foi criado com o potencial para se tornar um filho de Deus completo e maduro, com os nove filamentos (3×3) de DNA que representam a plenitude de Deus, somadas aos seus três filamentos para formar os doze, que representam o pleno governo.

Ao longo desse post vou explicar isso com mais detalhes, mas o importante agora é você entender que nós temos a capacidade para mudar, para ser transformados, a um nível muito além do que jamais imaginamos.

97% de DNA inativo

O pecado fez com que o filamento de luz do DNA fosse perdido (os comprimentos de onda de Deus que estavam conosco). Agora nós só temos 3% de nosso DNA ativo. 97% dele está inativo, codificado.

Cientistas russos, trabalhando no projeto genoma humano, descobriram que há linguagem e sintaxe nos 97% e que poderia ser mudado e recodificado por frequências, sons ou até mesmo palavras com um feixe de luz de lazer. Pesquisas recentes confirmaram que esta área do DNA tem gatilhos ou interruptores que podem ser ligados ou desligados (pelo meio ambiente, palavras, ou traumas, por exemplo), e o que eles ligam são habilidades genéticas e fraquezas. Nós podemos ser conformados a imagem de Deus, e novamente nos tornamos um ser de luz transfigurado, porque nosso DNA tem a capacidade de ser resequenciado.

[Um novo campo de estudos científicos, chamado epigenética, mostra que não somente o DNA pode ser mudado, mas também que essas mudanças podem ser passadas para próxima geração, ou seja, agora estudos científicos concordam com o que a Bíblia sempre disse sobre a iniquidade passada até a terceira e quarta geração.]

O espírito de Adão implodiu no seu ser interior quando ele pecou, então seu espírito passou a ficar no seu interior. E Deus lhe deu pele. Deus não matou um animal e vestiu Adão com suas peles: Ele deu a Adão pele, três camadas, para cobrir o seu sangue, porque sangue é luz congelada (isso pode soar estranho, mas se você fazer uma pesquisa no Google, você encontrará informações científicas sobre isso).

Adão perdeu sua habilidade de acessar a dimensão espiritual, por ter perdido o DNA de luz, além disso, ele se tornou um ser humano com um DNA físico de dois filamentos com hélice dupla. Quando nascemos de novo e nosso espírito é corretamente reintegrado com nossa alma e corpo nós recebemos de volta o DNA de luz.

Então Adão tinha um DNA com três filamentos: dois contendo o DNA físico, e um, luz. A luz pode ter informação codificada, o cabo de fibra óptica, por exemplo, é usado na tecnologia moderna para carregar informação, dados, som, e etc. No filamento de luz do DNA, há informações codificadas que podem ser som, frequência, fragrância e fórmulas matemáticas relacionadas ao nosso destino ou a nossa identidade espiritual.

Deus falou comigo sobre isso em 2010, mas por 12 meses não compartilhei nada, porque eu precisava meditar nisso e ver na palavra de Deus.  O que descobri é que isso se relaciona com as nove pedras que cobriam o corpo de Lúcifer (Ezequiel 28): aquelas pedras representam os nove filamentos do DNA de Deus. No mesmo capítulo lemos sobre Satanás nas pedras de fogo: eu já estive nessas pedras de fogo, elas são nove. E há nove passos para ascensão.

Agora você pode pensar, isso parece budismo. Mas de onde você acha que o budismo pegou essa verdade? O Budismo, nada mais é que a corrupção, a perversão da verdade. Existe ‘A Verdade’ e as pessoas pegam essa verdade, a interpretam e a aplicam de acordo com seu próprio entendimento ou propósitos, e ela fica distorcida (a um nível maior ou menor). Olhe para os escritores de ficção científica e fantasia ao redor do mundo, eles estão captando um som que está vindo do céu. Eles interpretam esse som de acordo com sua alma, para produzir livros e filmes e séries de TV, e etc., mas há verdade nele.

Maturidade como filhos

O homem não foi criado perfeito: ele foi criado sem pecado. Adão não havia pecado, mas mesmo assim, ele ainda tinha que ser transformado de acordo com a imagem de Jesus e se tornar como Ele. Sendo assim havia um processo ao qual Satanás (ou Lúcifer, naquele momento) havia recebido autoridade para ensinar ao homem como se tornar como um Filho de Deus.

Originalmente nós tínhamos três filamentos de DNA porque fomos feitos a imagem de Deus: o Pai, o Filho e o Espírito Santo. Deus tem nove filamentos de DNA de luz: três do Pai, três de Jesus, e três do Espírito. O conhecimento revelatório contido nos nove filamentos do DNA de Deus era para nos trazer a maturidade como filhos. Lúcifer era para ser o tutor do homem acerca disso, e isso estava representado nas nove pedras que cobriam o corpo dele (como um dos querubins, ele cobria o trono de Deus, e como um portador da luz era para ele refletir a luz revelatória de Deus no universo). Ao invés disso, como sabemos, Satanás pegou esse conhecimento e o negociou, e um terço dos anjos o seguiu.

Doze Pedras

Agora olhe no peitoral do Sumo Sacerdote, há doze pedras. Nove, as mesmas que cobriam o corpo de Satanás, e mais três. Foi isso que irritou Satanás, o homem tinha três pedras a mais, as pedras da filiação. O DNA humano sempre foi um campo de batalha (Gen 3:15), anteriormente havíamos escrito sobre a guerra das sementes, o conflito entre a semente de Satanás e a semente da mulher. Essa guerra tem se estendido por eras, e está sendo travada hoje na arena das tecnologias GRIN, o campo de batalha atual.

Deus deseja nos trazer de volta a perfeita filiação, sendo assim Ele quer transformar nosso DNA. Ele quer nos transformar para que novamente nos tornemos filhos da luz, assim como Jesus foi transfigurado aqui na terra e brilhou com sua glória.

Doze pedras (9+3) representam o governo pleno, a plena autoridade de Deus e o homem em unidade, juntos em um só espírito (1Co 6:17). Deus sempre quis que nos tornássemos coerdeiros maduros com Ele, e juntos governemos o universo criado, tanto o espiritual quanto o físico.

Para nós é isso é que significa ser filhos de Deus.

Artigo original em Inglês
Outros artigos de Freedom ARC

Facebook: Vida Sobrenatural (@umavidasobrenatural)

 

Dois Testemunhos Ressoando

Mike Parsons
com Jeremy Westcott

Porque a carne milita contra o Espírito, e o Espírito, contra a carne, porque são opostos entre si; para que não façais o que, porventura, seja do vosso querer (Gálatas 5:17).

Batalha interior

Assim que nascemos de novo, começa uma batalha em nosso interior.

A carne e o espírito começam a guerrear pelo controle. A alma e o corpo dominaram durante toda nossa vida, eles não querem se render. De repente, nosso espírito está vivo
e conectado com Deus, Deus vive dentro de nós. Agora, a cada dia, a cada momento temos que fazer escolhas. Submeter nossa vida ao nosso espírito, ou a nossa alma.

Dois testemunhos que ressoam começam a competir, e irão criar padrões de interferência destrutivos, a não ser que decidamos com firmeza escolher um deles.

A carne não quer o que o nosso espírito deseja, e vice-versa. Se fizermos as coisas que nossa carne quer, nosso espírito não ficará feliz (e Deus também não). Vamos ser honestos conosco: quem está ganhando a competição? A cada dia, quanto estamos vivendo de acordo com os planos e os propósitos de Deus para nossas vidas, e quanto estamos desperdiçando, vivendo de acordo com os desejos da carne? Precisamos nos render diariamente aos propósitos de Deus para nós.

Dizia a todos: Se alguém quer vir após mim, a si mesmo se negue, dia a dia tome a sua cruz e siga-me (Lucas 9:23).

Sacrifícios vivos

Anteriormente postei sobre como nos oferecer como um sacrifício vivo diariamente. Quando fazemos isso, somos transformados, então podemos entrar no nosso destino.

Rogo-vos, pois, irmãos, pelas misericórdias de Deus, que apresenteis o vosso corpo por sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional. E não vos
conformeis com este século, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus (Rom 12:1-2).

Nossa mente não é nosso cérebro, é nosso subconsciente, que está em nosso coração.

Porque a palavra de Deus é viva, e eficaz, e mais cortante do que qualquer espada de dois gumes, e penetra até ao ponto de dividir alma e espírito, juntas e medulas, e é apta para discernir os pensamentos e propósitos do coração (Heb 4:12).

Quando nos alinhamos com a Palavra de Deus, isto é, com as escrituras e com aquilo que Ele escreveu no nosso rolo do destino, isto tem um efeito nos nossos pensamentos e intenções do nosso coração. Esses pensamentos são do nosso espírito ou da nossa carne?

A escolha é nossa.

Artigo original em Inglês
Outros artigos de Freedom ARC

Facebook: Vida Sobrenatural (@umavidasobrenatural)

Sacrifício vivo (1)

Mike Parsons

Paulo escreve aos Romanos, rogo-vos, pois, irmãos, pelas misericórdias de Deus, que apresenteis o vosso corpo por sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional. (Rom 12:1).

Um sacrifício vivo é um sacrifício preparado. Entender o que acontecia quando as ofertas eram oferecidas no Antigo Testamento irá nos ajudar. Quando eles ofereciam o sacrifício de um cordeiro, ele era preparado para que pudesse ser recebido como uma oferta. O Sumo Sacerdote preparava e colocava o sacrifício no altar. Nós sabemos que Jesus é nosso Grande Sumo Sacerdote (Heb 4:14), então entramos no Lugar Santo no tabernáculo celestial e nos apresentamos no altar de incenso para ser um aroma suave para Deus; convidamos Jesus para nos preparar como um sacrifício: nós sabemos o que Ele vai fazer, e permitimos espontaneamente.

Assim é que o Sumo Sacerdote preparava o sacrifício:

        1. Ele cortava a garganta e drenava o sangue do cordeiro. Se nós vamos ser preparados como um sacrifício vivo, temos que desejar que nossa garganta seja cortada e nosso sangue drenado para que nossa vida na carne seja trocada pela vida Dele no espírito. Por favor, entendam, não é cortar a garganta literalmente, nem fisicamente. Jesus disse, “ Você tem que negar a si mesmo, tomar sua cruz diariamente, e me seguir”. Perder nossa vida, para ganhar a Dele. Precisamos morrer totalmente para nossa maneira de fazer as coisas, e no lugar dizer “Eu morro para mim mesmo, eu nego meu eu”,  diariamente.
        2. A cabeça era separada. Nós não podemos estar no controle, com nossa cabeça. Temos que dizer como Jesus disse, “não seja feita a minha vontademas a Tua”. Ele é o sacrifício perfeito. Ele fez isso todos os dias. Ele apresentou-se a cada manhã como um discípulo (Is 50:4). Eu renuncio o direito ao meu livre-arbítrio, pois toda vez minha carne entra no meio, e acabo escolhendo o que me agrada em vez do que agrada a Deus. Sendo assim, que não seja feita a minha vontade, mas a Tua: não vou deixar minha cabeça decidir o que vou fazer.
        3. A pele era removida. Não podemos ter mecanismos de defesa, de proteção e de justiça própria como uma barreira: temos que ser vulneráveis e transparentes diante de Deus, e dos outros. Não podemos ficar nos protegendo, temos que viver debaixo da proteção Dele. Temos a armadura de luz, a armadura da justiça, e a armadura de Deus para nos proteger. Não poderemos usar nenhuma delas se tentarmos nos proteger com uma armadura inferior feita por nós mesmos. Temos que abrir mão.
        4. Ele abria o corpo inteiro, e lavava todo o interior. Deus quer que nosso coração seja purificado, refinado e lavado nas águas vivas de Sua Palavra e de Sua Presença. Temos que desejar abrir nosso coração, e nossa vida. O sacrifício vivo é isso, é dizer “Tudo pertence a Ti. Não estou escondendo nada de Ti. Tudo é teu.”
        5. Finalmente, Ele cortava as pernas. Não podemos andar da nossa maneira, temos que nos render diariamente e andar de acordo com a direção do Espírito. “…o Filho nada pode fazer de si mesmo, senão somente aquilo que vir fazer o Pai” (João 5:19). Jesus via o que o Pai fazendo, é por isso que Ele operou milagres. Ele está nos chamando para fazermos o mesmo que Ele fez, ou seja, operarmos milagres, sinais, e maravilhas, sermos guiados pelo Espírito diariamente, seguindo-O, sem fazer do nosso jeito ou de acordo com nossas ideias, e diariamente entregamos cada dia para Deus dizendo, “Deus, este dia pertence a Ti. Este é o Seu dia, sou apenas teu servo. Guia-me, usa-me, me enche de poder e visão, mostra-me o que Você está fazendo.”

      Quando entramos no céu e Ele nos dá revelação lá, quando passamos tempo no espírito, em comunhão e relacionamento com Ele; se nos apresentarmos como um sacrifício vivo, Ele se revelará a nós. Ele nos usará se dermos a Ele oportunidade. Mas temos que nos render e permitir que Jesus nos prepare ara sermos o sacrifício, e não podemos nos oferecer da boca para fora; porque se fizermos isso; Ele saberá.

      Artigo em outros idiomas
    • Present A Living Sacrifice (1) (Artigo original em Inglês)
    • Se présenter comme un sacrifice vivant (1) (en français)

Facebook: Vida Sobrenatural (@umavidasobrenatural)

 

Transformação através da Ceia

Mike Parsons
com Jeremy Westcott – 

Aplicando o Corpo e o Sangue de Jesus

Nós vimos como podemos ser transformados pelo DNA de Deus ao tomar a santa ceia. Aqui estão as declarações que nos fazemos na Freedom Church quando participamos da ceia:

Eu me envolvo no DNA de Deus

Eu tomo posse do poder transformador do corpo e do sangue de Jesus

Eu tomo posse do registro que contém a luz, o som e a frequência da imagem de Deus para transfiguração

Eu tomo posse do registro das dimensões do reino liberadas no meu corpo pelo DNA de Deus

Eu tomo posse desse registro de DNA e aplico aos meus ossos para saúde e completude e para remover todo interruptor hereditário epigenético negativo

Eu falo a minha medula e comando que ela seja uma nova fonte de sangue que irá transformar o DNA das minhas células para que eu possa ser transfigurado e viver para sempre

Eu aplico a frequência do DNA de Deus para me transformar na imagem de Jesus

Eu comando que todo registro genético seja transformado e que meu DNA seja resequenciado em alinhamento com minha imagem eterna

Eu aplico o sangue de Jesus para transformar todo material genético impuro – seja transformado

Eu aplico o sangue de Jesus em todo padrão genético iníquo – seja limpo

Eu ordeno que todo meu material genético resoe de acordo com o DNA de Deus e entre em alinhamento com minha imagem eterna

Eu escolho trazer a imagem do celestial, minha imagem eterna conformada à imagem e semelhança do meu Pai e Irmão no céu, e ser transfigurado para resplandecer Sua glória (1Co 15:49)

Que o fôlego de Deus seja soprado em minha vida, me transformando em um ser vivente, unido ao Senhor e um só espírito com Ele

Eu declaro palavras criativas ao meu DNA para liberar as habilidades sobrenaturais de Deus

Eu ativo a habilidade de ver e mover no reino espiritual

Eu ativo a habilidade de transformar matéria e controlar luz e som

Você pode encontrar a versão em PDF para download aqui: Aplicando o Corpo e o Sangue de Jesus. Sinta-se a vontade para compartilhar.

Atribuição de imagem: A foto da janela de vidro manchado de ‘St Michael the Archangel, Findlay, OH – bread and wine‘ incorporado à imagem na cabeça deste post é de Nheyob (próprio trabalho) [CC by-sa 3,0 (http://creativecommons.org/licenses/by-sa/3.0)% 5D, via Wikimedia Commons].

Outros artigos de Freedom ARC

Facebook: Vida Sobrenatural (@umavidasobrenatural)

Artigo original (em Inglês)
Outros artigos de Freedom ARC (em Inglês)

 

Ser Espiritual, Ser Vivo, Ser Humano

Mike Parsons
com Jeremy Westcott

Adão foi criado como um ser espiritual, de fato, todos nós fomos. Ele se tornou um ‘ser vivo’ quando Deus soprou Seu fôlego nele. Isto é algo diferente de um ser espiritual. Mas quando Adão pecou, ele se tornou apenas um ser humano, perdendo sua condição de ser vivo, e de ser espiritual, porque seu espírito morreu, separado de Deus.

Nós todos nascemos como seres humanos, com um destino. Cada pessoa nascida desde Adão até hoje, com exceção de Jesus, nasceu como um ser humano. Jesus não veio de um óvulo de sua mãe e um esperma de Deus, Ele veio, em um corpo humano, inteiramente de Deus.

Jesus, o segundo Adão, venceu na cruz. Ele derrotou todos os principados e potestades, e todas as forças espirituais da maldade. Sua vitória nos deu a capacidade para nascer de novo, para ter um relacionamento com Deus, e para revindicar nosso destino.

Isso significa que podemos novamente nos tornar um ser spiritual.

No entanto, precisamos ir além e nos tornar um ser vivo. Precisamos que Deus venha e sopre Seu fôlego em nós, que Ele habite no nosso espírito. Como um ser espiritual, nós temos acesso ao nosso destino, e nosso rolo do destino que está em nosso coração começa vibrar, produzindo um som. Nós começamos, então, a ressoar com ele, e esse som começa a transformar nosso DNA físico e espiritual.

A santa ceia tem um significado muito mais profundo do que imaginamos. No partir do pão e compartilhar do vinho nós somos transformados, pois participamos do DNA de Deus (você pode ler o que Jesus disse sobre comer da Sua carne e beber do Seu sangue em João capítulo 6).

Somente a intimidade com Deus pode  nos mudar e nos transformar no ser vivo que Ele planejou para nós.

Outros artigos de Freedom ARC
Artigo original (em Inglês)
Outros artigos de Freedom ARC (em Inglês)

O Coração, o Sangue e o Cérebro

Mike Parsons 
com Jeremy Westcott – 

Nosso destino foi determinado por Deus antes de nascermos. Mas nossa alma e nosso corpo crescem ao redor do nosso rolo do destino, e assim ele se perde, e fica incapaz de ser reconhecido. Nossa carne é programada pelo que herdamos naturalmente de nossos pais, e pelo meio em que vive.

Hoje, nosso coração carrega o registro do nosso passado. Todas as experiências e características herdadas que moldam nossa maneira de pensar acerca de nós mesmos são carregadas em nosso coração. Se estamos permitindo isso nos afetar agora, precisamos nos livrar disso, e ver nosso coração curado, perdoado, restaurado e transformado.

Porque, como imaginou no seu coração, assim é ele (Prov 23:7).

A forma como pensamos acerca de nós mesmos é que determinará como vivemos. Sendo assim quando permitimos que Deus purifique nosso coração, a fim de que pensemos sobre nós da maneira que Ele pensa, nossa maneira de viver é transformada.

O coração programa o sangue, e o sangue vai para o cérebro, e programa nosso pensamento.

Outros artigos de Freedom ARC
Artigo original (em Inglês)
Outros artigos de Freedom ARC (em Inglês)