154. Cresça Seus Próprios

Mike Parsons 
com Jeremy Westcott  

Em preparando para o nosso destino , precisamos construir nosso espírito . Em várias postagens neste blog, analisamos:

Estamos indo agora para considerar um quarto meio de construir o nosso espírito:

  • Meditando nas palavras de Deus

Meu filho, dê atenção às minhas palavras; 
Incline seus ouvidos para meus ditos. 
Não os deixe afastar-se de sua vista; 
Mantenha-as no meio do seu coração. 
Pois elas são a vida daqueles que as encontram 
E a saúde de todo o seu corpo. 
Vigie seu coração com toda a diligência, 
Para que flua as fontes da vida. 
(Pv 4:20-23)

Porque a palavra de Deus é viva e ativa (Hb 4:12).

Quando Deus fala, Suas palavras estão vivas e têm poder se nos concentrarmos e meditarmos naquilo que Ele diz. Quando permitimos que esse poder nos transforme, podemos viver no poder da palavra que recebemos. Em última análise, a mais completa expressão da Palavra de Deus é o próprio Jesus. Deus fala através de muitos meios, mas a escritura é familiar e é um bom lugar para começar. Ao meditarmos nas escrituras, é como ir de 2D para uma experiência 3D. Ela ganha vida e salta da página. Você se torna parte do que está acontecendo.

Uma imagem pinta mil palavras

Há um ditado, “uma imagem pinta mil palavras”. É por isso que Jesus falou em parábolas. A Bíblia está cheia de histórias e ilustrações que nos permitem não só ouvir as palavras que estão sendo ditas, mas também imaginar e participar do que está acontecendo. Então podemos ter experiências, visões e fotos. Nós podemos ganhar revelação. Podemos experimentar coisas praticamente por nós mesmos. Podemos ver coisas às vezes em adoração, visões de imagens, transes, todo tipo de coisas experienciais em que podemos conhecer a presença de Deus. Você não pode saber algo, no sentido bíblico da palavra, com compreensão intelectual. A palavra “saber” na Bíblia significa “conhecer intimamente, por experiência pessoal”. Você não pode saber o que você não experimentou. Deus quer que recebamos essas revelações.

Armazenar ou destruir

Quando as recebemos, é realmente importante que não passemos por cima delas. Não dizemos apenas: “Eu tive essa imagem, tive esse sonho” e, depois, esqueço deles. Nós anotamos, gravamos, registramos. Então podemos voltar e rever o que vimos, o que Deus disse, e podemos revisitar essas experiências e obter mais revelação e mais compreensão delas.

Na meditação, se você volta sobre algo e continua olhando para ele, tirando a vida dele, isso mostra que você o valoriza. O que você valoriza, seu cérebro armazenará (em vez de rasgá-lo).

Nós não queremos ser apenas consumidores espirituais. Você pode se sentar e ler este blog, assistir a um dos meus clipes do YouTube, até mesmo inscrever-se em Engaging God (Envolver Deus) e permitir que eu lhe ensine algo. Mas você também pode ser um produtor, tomando o que Deus lhe revela, aplicando-o à sua própria vida e produzindo seu próprio fruto.

Posso compartilhar minhas experiências de ir para o céu e ter encontros celestiais com o Pai, com Jesus, os anjos, os homens de linho branco e assim por diante. Tudo isso é muito bom, mas Deus quer que você tenha suas próprias experiências. Eles podem não ser os mesmos que os meus, mas serão seus. Deus não mostra favoritismo. Se você fizer o que eu fiz, você vai conseguir o que eu tenho. Mas você não vai conseguir apenas lendo esses posts ou me ouvindo falar. Você tem que persegui-lo por si mesmo. Você tem que colocar em prática algumas técnicas e princípios básicos; e meditar no que Ele diz para você é um dos mais importantes deles. E meditação não é apenas algo etéreo: você tem que aplicar o que recebe em sua própria vida.

Tomates

É como tomates.

Se você gosta de comer tomates, o que a maioria das pessoas faz é comprar algumas da verdureira ou do supermercado. Isso é ser um consumidor. Alguém faz um grande esforço para cultivá-los, empacotá-los, transportá-los e oferecê-los para você comprar e comer. Mas você pode aprender a cultivar tomates para si mesmo. Você teria que ter sementes para plantar, aprender sobre tipos de solo e composto, transplantar suas mudas, lembrar-se de regar e cuidar delas, garantir que elas recebam a quantidade certa de sol e abrigo, apoiar as plantas em crescimento, podá-las e em breve. Eventualmente, você recebe tomates.

Quando você come um tomate que você cultivou, o gosto dele é bem melhor do que você comprou nas lojas? Tem um gosto maravilhoso. Não há nada como colher frutas e legumes direto do jardim e comê-los. E além de tudo isso, você coloca muito em si e também obtém um senso real de realização. É muito mais trabalho, mas muito mais gratificante.

Busque por si mesmo

Da mesma forma, quando você ouve sobre meu relacionamento com Deus e meus encontros com o Espírito Santo, isso pode te beneficiar, e você pode ser abençoado ao ouvir sobre eles. Mas talvez ouvir sobre minhas experiências crie um desejo em você por algo, para que você vá embora e busque esse relacionamento e essas experiências por si mesmo. E isso, posso prometer-lhe, abençoá-lo e beneficiá-lo em outro nível.

Esteja disposto a se apossar da verdade das palavras de Deus para você. Passe tempo em Sua presença. Aprenda a meditar nas escrituras e nas palavras ou revelações proféticas que você recebeu. Aprenda a falar em línguas, dentro e fora. Construa seu espírito para que você possa encontrar Deus por si mesmo dessa maneira. Então você terá em primeira mão o conhecimento da revelação de Deus como Pai, de Jesus como amigo, do Espírito Santo como guia.

Se você planta uma semente e simplesmente a deixa, é verdade que você pode obter alguma fruta dela. Mas é provável que seja uma planta muito mais saudável e mais frutífera se você cuidar dela e regá-la. O desejo de Deus é que aprendamos a viver do fruto do nosso relacionamento com Ele, e quando comemos, nos transforma e nos capacita.

Não é instantâneo nem automático. Mas se estivermos dispostos a nos esforçar, Deus está disposto a revelar-se a nós de maneiras mais profundas e íntimas.

Anúncios

153. Vos chamei amigos

Mike Parsons 
com Jeremy Westcott

Há um período de treinamento pelo qual temos que passar para nos sentarmos no assento de repouso, no lugar do governo e para trazer a autoridade do reino à nossa vida. Temos primeiro que abandonar o controle de nossas vidas e aprender a ser servos e mordomos. Mas além disso, Deus quer que nós façamos amizade. Em todo esse processo, estamos gradualmente conhecendo os caminhos de Deus (Zc 3:7).

Amigos

Os amigos desfrutam de uma medida de revelação que mordomos e servos não fazem. Ser amigo de Deus vem por meio do relacionamento, mas também acontece por meio da obediência, como veremos.

Maior amor não tem ninguém do que isso, que alguém entregue sua vida por seus amigos. Vocês são meus amigos, se fizerem o que eu te ordeno (João 15: 13-14).

Quando nos rendemos, Ele é capaz de nos levar a um lugar de intimidade e comunhão e revelação, onde Ele nos revela as coisas.

Já não vos chamo servos, porque o servo não sabe o que o seu senhor está fazendo; mas vos chamei amigos, porque tudo o que ouvi de meu Pai vos tornei conhecido (Jo 15:15).

Ele quer nos confiar conhecimento e revelação. Isso nos dará uma vantagem no mundo ao nosso redor e teremos o favor de Deus sobre nós. Por causa de nossa fidelidade como servos e mordomos, Ele agora confia em nós com aqueles segredos íntimos que Ele quer compartilhar conosco.

Jesus é senhor. Nós aprendemos como ser um servo e fazer as obras de Deus. Ele então começa a nos confiar como mordomos com mais recursos e responsabilidade. Ele compartilha seu coração conosco quando nos tornamos amigos. Nós começamos a aprender os caminhos de Deus. Nós nos envolvemos com o Espírito Santo e aprendemos a reconhecer Sua voz e a aprender as coisas do Espírito. O Espírito Santo está lá para nos levar a Jesus. Ele não se promove, mas nos leva a Jesus. Jesus se torna mais elevado em nossas vidas.

Senhores

Jesus é o Senhor dos senhores e nós somos os senhores de quem Ele é o Senhor. Ele nos capacita a sermos senhores que governam com autoridade e poder, e começamos a administrar os princípios do reino.

Reis

Jesus também é o Rei dos reis, então entendemos que quando Jesus nos leva a uma revelação de autoridade ainda mais elevada, nós nos tornamos reis. Um rei tem uma autoridade maior e mais ampla que um senhor. Em vez de simplesmente administrar as leis, os reis podem fazê-las. É quando podemos ‘governar a casa’ (Zc 3).

Filhos

Mas Jesus, por sua vez, não quer que permaneçamos em relação com Ele, então Ele sempre nos leva ao Pai. Quando entramos nesse relacionamento com o Pai, podemos operar como filhos. Os filhos operam em um nível totalmente diferente de autoridade e poder do que os senhores e reis.

Este é um processo e uma jornada de treinamento que tudo começa com a rendição. Eu só posso me tornar um filho se eu me tornar um servo. Estou disposto?

Deus está procurando por essa entrega para que possamos julgar as cortes do céu e operar no tipo de autoridade com que a maioria de nós nunca sonhou. Por causa das tempestades que estão vindo no mundo, Deus quer um povo que possa viver dos olhos da tempestade em autoridade e poder como senhores, reis e filhos. Ele deseja um povo que possa administrar o reino de Deus na terra como no céu.

Equipando

Quando a autoridade do reino entra em nossas vidas, podemos ordenar que as coisas ao nosso redor estejam sujeitas ao domínio do reino de Deus. Nós temos autoridade para mudar as coisas para que elas se aproximem dos propósitos de Deus para nossa vida.

Precisamos nos alinhar com o desejo de Deus, nos engajar nos propósitos de Deus e nos separar para nos rendermos ao Seu Senhorio. Ao nos rendermos ao Seu governo em nossas vidas, recebemos o equipamento dele por dentro. Isso nos permite engajar coisas externas para que elas mudem e assumam o reflexo da autoridade interna do reino de Deus dentro de nós. Então podemos entrar no caos e transformá-lo, trazendo paz e ordem, assim como Jesus fez.

Entre, saia

Terminaremos hoje, entrando na presença de Deus e nos comprometendo com Ele, dando um passo atrás, como aprendemos a fazer. Precisamos praticar entrando e saindo da presença de Deus. Isso não é apenas para orações corporativas: em nosso tempo íntimo com Ele, podemos aprender como intervir e orar assim sobre coisas particulares em nossas próprias vidas, e então sairmos trazendo respostas do céu.

Se você quiser chegar àquele lugar de entrega do qual este processo começa, então eu o encorajaria a encontrar um lugar onde você possa ficar, e será capaz de dar um passo à frente. Então, enquanto falamos essas palavras juntas, praticaremos entrando no assento de descanso.

Pai, eu te agradeço por ter feito um caminho para eu entrar em sua presença. 
Pela fé eu passo [dê  um passo adiante]
para o reino da Sua presença 

e peço que me perdoe por não me render completamente 
ao governo absoluto do Seu reino na minha vida. 
Jesus, hoje eu voluntariamente e com desejo, 
renuncio do trono do meu coração 
para que você venha e se sente como Senhor e Rei; 
como senhor dos senhores e rei dos reis sobre a minha vida

Eu entrego meu lugar de descanso,
o trono da montanha 

com seu domínio e governo,
em Suas mãos. 

Eu te dou as chaves do meu coração. 
Eu te dou as chaves para todas as portas do meu espírito, alma e corpo.

Hoje, pela fé, te agradeço
porque você está sentado no trono da minha vida como Senhor.

Treine-me, Jesus,  
para que eu possa me render ao seu Senhorio 
e chegar a esse lugar de maturidade 
para assumir a responsabilidade pela sede do governo em minha vida como um senhor

Agora, Senhor, eu passo para trás [dê um passo atrás] 
para esta dimensão terrena, 
te levando a este reino 
para me ensinar como administrar seu governo do reino 
ao mundo ao meu redor.

Amém.

Ao nos rendermos ao Seu senhorio, Ele nos treinará para sermos senhores, reis e filhos que trarão plenamente a manifestação de Seu reino como é no céu na terra através de nossas vidas.

Outros artigos de Freedom ARC

Página do Facebook: Vida Sobrenatural.
Grupo do Facebook: VIDA SOBRENATURAL (pedir para participar).

Artigo original em Inglês

 

152. Recursos e Responsabilidades

Mike Parsons
com Jeremy Westcott – 

O primeiro passo em nosso ‘treinamento para reinar’, como vimos na última vez, é abandonar o controle de nossa própria vida e aprender a ser um servo obediente e disposto.

Mordomo

Além da servidão, há treinamento para ser um mordomo. Um mordomo tem responsabilidades – e acesso a recursos – que um servo não tem. Mordomia transporta um nível mais alto de autoridade e responsabilidade, e Jesus nos treinará para ser mordomos de todos os recursos que Ele nos disponibilizou para nossas vidas e para as obras que Ele preparou para nós fazermos.

Em Mateus 25, Jesus ensinou sobre a responsabilidade no reino:

Então o reino dos céus será comparável a dez virgens, que pegaram suas lâmpadas e saíram ao encontro do noivo. Cinco delas eram tolas e cinco eram prudentes. Porque quando as insensatos pegaram as suas lâmpadas, não levaram óleo consigo (Mt 25: 1-3).

Todas as dez foram encarregadas de uma tarefa, mas apenas cinco delas levaram sua responsabilidade a sério. Cinco não o fizeram, e a resposta de Jesus a elas foi ‘eu não te conheço’ (Mt 25:12). Eu não acredito que Ele quis dizer que elas não estavam em relação com Ele, Ele quis dizer que Ele não Se reconheceu nelas. Elas não estavam operando em boa administração.

Talentos

Pois é como um homem prestes a viajar, que chamou seus próprios servos e confiou seus bens a eles. A um ele deu cinco talentos, para outro, dois e para outro, um, cada um de acordo com sua própria capacidade (Mt 25: 14-15).

Fomos confiados às posses de Jesus enquanto Ele voltou ao céu. Todos nós temos chamados e destinos em Deus, que Ele nos dará os recursos para cumprir. Um talento era uma quantia em dinheiro, e cada um de nós precisa de um nível diferente de recursos para atingir nossa vocação específica.

Imediatamente, aquele que recebeu os cinco talentos foi e negociou com eles e ganhou mais cinco talentos. Da mesma forma, quem recebeu os dois talentos ganhou mais dois. Mas aquele que recebeu o único talento foi embora, e cavou um buraco no chão e escondeu o dinheiro do seu senhor (Mt 25: 16-18).

Negociar é pegar algo que Deus nos dá e colocá-lo para trabalhar para alcançar um resultado desejado. Aqui, os dois servos que negociavam com o dinheiro de seu amo agiam com responsabilidade e dobravam seu dinheiro para ele. Aquele que escondeu no chão era um mordomo irresponsável.

Tudo o que Deus deu, Ele deu para um propósito. Podemos escondê-lo de várias maneiras: “Não sou bom o suficiente”, “não sou digno”, “não posso fazê-lo por causa do meu passado” e assim por diante. Podemos inventar qualquer número de desculpas por que é muito difícil ou muito arriscado ir atrás de nosso destino em Deus, mas Jesus não aceitará nenhuma delas. Ele sabe o que Ele nos chamou para fazer e nos deu os meios para alcançá-lo. Ele espera que usemos nossos dons para a Sua glória.

Agora, depois de muito tempo, o mestre desses servos veio e estabeleceu contas com eles. Aquele que recebeu os cinco talentos subiu e trouxe mais cinco talentos, dizendo: ‘Mestre, você me confiou cinco talentos. Veja, ganhei mais cinco talentos. Seu mestre disse-lhe: ‘Bem feito, bom e fiel servo. Você foi fiel com algumas coisas, eu vou colocar você no comando de muitas coisas; entre na alegria do seu mestre. (Mat 25: 19-21)

Todos nós teremos que estabelecer a conta da nossa vida, diante do tribunal de Deus. Eu estive lá, e sei que não está em algum lugar que você queira ir se você estragou tudo, e não usou os recursos que Deus deu da maneira que Ele pretendia. Deus quer nos treinar para sermos fiéis em usar o que ele nos deu. Se formos fiéis com um pouco, Ele nos confiará mais. Esse é um princípio de boa mordomia no reino, e se aplica tanto nesta era como na era vindoura.

Quanto ao servo que não agiu responsavelmente com os recursos de seu mestre:

Mas seu mestre respondeu e disse-lhe: ‘Seu servo mau e preguiçoso … você deveria ter colocado meu dinheiro no banco, e na minha chegada eu teria recebido meu dinheiro de volta com juros. Portanto, tire o talento dele e entregue-o àquele que tem dez talentos. Pois a todos que têm, mais será dado, e ele terá em abundância; mas daquele que não tem, até o que ele tem será tirado. Jogue fora o servo sem valor nas trevas exteriores; naquele lugar haverá choro e ranger de dentes (Mt 25: 26-30).

Isto não é ‘inferno’, mas os tribunais exteriores. O choro e o ranger de dentes virão quando as pessoas perceberem como falharam em cumprir o chamado de Deus e desperdiçaram Seus recursos. A boa notícia é que podemos ir diante desse tribunal agora, arrepender-se e seguir nosso destino, começando a agir como mordomos fiéis. Então, não precisamos nos encontrar nessa situação.

Fiel

Quem é fiel em muito pouco é fiel no muito; e quem é injusto em muito pouco é injusto no muito (Lucas 16:10).

Deus nos testa. Ele nos dá oportunidades para demonstrar se vamos ser fiéis com o que ele nos deu. Aqueles de nós que estão procurando algo de Deus, seja unção, finanças, dons ou qualquer outra coisa, precisam ser fiéis com as pequenas coisas primeiro. Deus não nos dará um enorme ministério internacional de cura se não estivermos preparados para ministrar a cura à pessoa ao lado. O treinamento de Deus envolve nos dar oportunidades para crescer.

A autoridade vem como resultado de aprender a ser um bom administrador:

E ele disse-lhe: ‘Bem feito, bom servo, porque você tem sido fiel em uma coisa muito pequena, você deve estar em autoridade sobre dez cidades (Lucas 19:17).

Confiável

E aqui está Paulo, falando sobre as coisas que Deus revelou a ele quando foi para o céu e teve um encontro cara a cara com ele. Ele se vê como um mordomo, que sabiamente usaria esses recursos para trazer bênçãos aos outros:

Deixe um homem nos considerar dessa maneira, como servos de Cristo e mordomos dos mistérios de Deus. Neste caso, além disso, exige-se dos mordomos que se considere confiável (1 Cor 4: 1-2).

Deus quer nos confiar tudo o que Ele tem para nós, mas Ele nos inicia com um pouco, para que possamos aprender a ser fiéis, e adquirir a sabedoria para lidar com maior unção, maior revelação, maiores níveis de financiamento, maior honra.

Como cada um recebeu um dom especial, empregue-o em servir uns aos outros como bons mordomos da multiforme graça de Deus (1 Pedro 4:10).

Em nossas finanças, se pudermos ser fiéis ao que temos, Ele nos dará mais. Quando o honramos administrando um pouco fielmente, Ele é capaz de nos confiar tudo. Estamos usando fielmente nossos dons e habilidades, sejam espirituais ou naturais, para os propósitos para os quais Deus os deu? Como estamos usando nossos relacionamentos de aliança, uns com os outros e com Ele?

Atitude de coração

Tudo o que temos pertence a Deus e Ele quer nos treinar para sermos bons e fiéis mordomos. Afinal, somos apenas mordomos de tudo o que temos. Nosso dinheiro, casas, carros e posses pertencem a ele. Quando fazemos de Jesus Senhor, fazemos tudo o que temos disponível para o Seu uso. Se tudo isso pertence a ele, então ele tem primeiro direito sobre ele, seja qual for e quando Ele quiser. Quando Ele nos pede para dar algo, revelará a atitude do nosso coração (particularmente se Ele nos pedir para dar algo precioso).

Estamos dispostos a entregar tudo a ele? Uma atitude que diz “Tudo pertence a você” – essa é a marca de um bom e fiel mordomo.

Outros artigos de Freedom ARC

Página do Facebook: Vida Sobrenatural.
Grupo do Facebook: VIDA SOBRENATURAL (pedir para participar).

Artigo original em Inglês

 

151. Abdicar e Servir

Mike Parsons
com Jeremy Westcott

Quando Jesus viveu na terra, Ele tinha poder sobre a natureza, poder sobre a doença, poder sobre os demônios, poder sobre tudo. Ele ensinou sobre falar com a montanha e dizer para ela se mover. Ele operou no poder do reino para colocar tudo em sujeição á vontade e propósito de Deus. Ele quer que a gente viva da mesma maneira.

Treinamento para reinar

Aqueles que recebem a abundância da graça e do dom da justiça reinará em vida por meio de Um só, Jesus Cristo. (Rm 5:17)

É claro a partir deste verso que nós reinaremos. Reinar é o que é feito por um rei, em um trono, sobre um território ou uma área que eles governam (seu reino). Observe que aqueles que devem reinar precisam recebê-lo como um presente. Não é alcançado através de nossa própria força, auto-esforço ou auto-estima. É através do recebimento do dom da justiça.

E para o nosso Deus nos fizeste reis e sacerdotes; e reinaremos sobre a terra. (Apocalipse 5:10)

Há um período de treinamento que temos que percorrer para isso. Muitos de nós nos encontramos naquele lugar de treinamento agora. Se tentarmos permanecer no controle, sentados no trono da nossa vida (que contém o rolo do nosso destino), não há lugar de descanso ou governo para nós. Temos que abdicar do trono de nossas vidas em favor de Jesus. Nós temos que desistir do trono, desistir do controle de nossas vidas.

Quando fazemos Jesus Senhor, Ele pode nos treinar para sermos senhores. Esse treinamento envolve provações, dificuldades e tribulações, circunstâncias que nos ensinam a superar e a crescer, situações nas quais manifestamos Seu reino.

Servo

Mas a primeira coisa que Ele quer que façamos é aprender a sermos servos.

Nós cantamos sobre ‘elevar Jesus mais alto’. A primeira maneira de elevá-lo mais alto é descermos. Quando abdicamos do trono de nossas vidas, quando estamos em nossos rostos em obediência, Ele é maior. O servo faz as obras de Deus. Isso faz parte do nosso treinamento para ocupar o trono e a sede do governo.

Jesus é nosso exemplo do que significa ser um servo. Mesmo sendo um rei, ele veio para servir. Tudo no reino de Deus começa com um coração de servo:

 “Quem quiser tornar-se grande entre vós será teu servo” (Mt 20:26)

“Pois o próprio Filho do homem não veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida em resgate por muitos.” (Mc 10:45)

“Se alguém me serve, ele deve seguir-me, e onde eu estou, meu servo estará também, se alguém me servir, o Pai o honrará” (Jo 12:26)

Quando Jesus fala sobre “onde estou” neste verso, Ele está se referindo ao relacionamento que tem com o Pai: Ele está no Pai e o Pai está Nele. Ele diz que podemos fazer parte desse relacionamento também.

Humildade e obediência

Quando nos humilharmos, quando nos curvamos em obediência para servi-lo, o Pai nos levantará. Não é para nós nos erguermos e tentarmos entrar em um trono. Nós certamente não tentamos dominar sobre outras pessoas, ou procurar controlar ou manipular situações. Nós nos inclinamos em humildade entregamos nossas vidas àquele que nos equipará para estar num trono. Se nos sentamos em um trono e não sabemos como usar a autoridade corretamente, abusaremos dessa autoridade. O uso correto da autoridade trará bênçãos para nós mesmos e para os outros. E Deus nos honrará.

Jesus foi obediente para fazer as obras que o Pai O instruiu a fazer. Em força absoluta, Ele entregou essa força ao Pai. Ele aprendeu a permitir que Deus trabalhasse através Dele.

Mas Jesus respondeu, e disse-lhes: Na verdade, na verdade vos digo que o Filho por si mesmo não pode fazer coisa alguma, se o não vir fazer o Pai; porque tudo quanto ele faz, o Filho o faz igualmente.(Jo 5:19)

Não crês tu que eu estou no Pai, e que o Pai está em mim? As palavras que eu vos digo não as digo de mim mesmo, mas o Pai, que está em mim, é quem faz as obras.” (Jo 14:10)

Obediência é o treinamento para saber que somos uma habitação da presença de Deus; saber que Deus operará através de nós como um canal de Sua glória e poder – se nos rendermos.

“Em verdade, em verdade vos digo que aquele que crê em mim, as obras que eu faço, também o fará; e maiores obras do que estas ele fará; porque eu vou para o Pai” (João 14:12).

Fazer obras maiores do que Jesus pode parecer bastante impressionante, mas na verdade é apenas ser um servo.

Servo de aliança

“Porque não nos pregamos a nós mesmos, mas a Cristo Jesus, o Senhor; e nós mesmos somos vossos servos por amor de Jesus.” (2 Co 4:5)

No Antigo Testamento quando alguém era vendido como escravo, eles podiam se libertar depois de sete anos. Muitos optaram por não ser livres e tornaram-se servos de aliança. Assim, um servo de aliança é alguém que poderia ter sido livre, mas optou por não fazê-lo; alguém que escolheu render sua liberdade para servir seu mestre. Eles usavam uma argola no ouvido para mostrar que esse era seu status. É assim que Paulo descreve a si mesmo e a Jesus:

De sorte que haja em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus, Que, sendo em forma de Deus, não teve por usurpação ser igual a Deus, Mas esvaziou-se a si mesmo, tomando a forma de servo, fazendo-se semelhante aos homens; E, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até à morte, e morte de cruz. (Fp 2:5-8)

Ainda que era Filho, aprendeu a obediência, por aquilo que padeceu. (Hb 5:8)

Através das coisas que Jesus passou em sua vida (e morte), Ele aprendeu a obediência. Aprendemos a obedecer exatamente através do mesmo processo, mesmo através das coisas difíceis que ás vezes acontecem conosco. Jesus se humilhou totalmente e entregou sua autoridade e poder para que o Pai pudesse usá-Lo para os propósitos de Seu reino.

Jesus era um servo de aliança, e Deus está procurando aqueles que estão dispostos a se tornar servos de aliança assim como Ele. Porque eles podem ser treinados para serem reis e , finalmente, revelados como filhos.

Outros artigos de Freedom ARC

Página do Facebook: Vida Sobrenatural.
Grupo do Facebook: VIDA SOBRENATURAL (pedir para participar).

Artigo original em Inglês

150. No Olho da Tempestade

Mike Parsons
com Jeremy Westcott – 

Fique quieto

É realmente bom simplesmente sentar na presença de Deus e não fazer nada.

Isso pode parecer muito fácil, mas na verdade não é. Lembro-me de passar por um período de dois a três meses em que Deus me ensinou simplesmente a descansar em sua presença e não fazer nada. Eu podia ouvir sua voz, mas Ele me manteve em um lugar escuro sob a sombra de sua asa, de modo que eu não podia ver nada. Eu não estou acostumado a isso.

Se queremos construir nosso espírito, temos que acalmar nossa mente. Então, não estamos entrando em sua presença já pensando em todos os tipos de outras coisas, e podemos realmente focar nossa atenção em Jesus. É o nosso espírito que queremos nos envolver, não a nossa mente. Quando nosso espírito começar a se envolver com Deus, descobriremos que ele começa a se desenvolver e crescer, e a discernir a presença de Deus para que possamos nos envolver com Ele mais prontamente.

Nesse lugar, podemos estar em adoração e adorar a Ele. Adoração não é realmente sobre cantar. É uma atitude de entrega e obediência a Deus. A partir daí podemos continuar a ouvir e receber revelações Dele.

Se praticarmos essas coisas, nosso espírito continuará a crescer mais forte. Nós nos encontraremos capazes de nos envolver mais claramente com o reino espiritual ao nosso redor, nos envolver com o reino do céu, e ver Deus face a face quando nos encontrarmos com Ele.

Nós olhamos a última vez para o lugar do descanso, uma das coisas mais importantes que podemos entender, se quisermos nos envolver com o reino de Deus nos reinos celestiais e depois trabalhar as coisas aqui.

Cansados e Pesados

Venham a Mim, todos que estão cansados e estão pesados e sobrecarregados, e eu vos darei descanso. [Eu irei confortar, aliviar e revigorar suas almas.] Tomai o meu jugo sobre vós e aprendei de mim, pois sou manso e humilde de coração, e encontrareis descanso (alívio, conforto, descanso, recreação e abençoado silêncio) para suas almas. (Mt 11:28-29 AMP)

Este é o momento de tomar o jugo de Jesus e unir-se a Ele. Quando Ele define o campo, o caminho e a direção, então Ele carregará o peso. Somos todos chamados a viver em um estado de descanso, independentemente do que está acontecendo ao nosso redor em nossas vidas. O que nos desgasta é tentar fazer as coisas com nossas próprias forças. As tempestades da vida chegam a todos: é como respondemos a elas que demonstrarão até que ponto o reino de Deus se manifesta através de nós.

Somos chamados a viver no olho da tempestade. Pode haver ventos violentos soprando ao nosso redor, mas no olho tudo é completamente pacífico. Jesus nunca prometeu que não teríamos problemas – o oposto, na verdade. Mas Ele nos dá o Seu amor, alegria e paz, para que possamos viver em repouso o tempo todo.

Isso não é automático: temos que aprender como fazer isso.

Paz, fique quieto

Jesus é nosso exemplo. Ele estava dormindo no barco, atravessando o lago, quando uma grande tempestade se levantou. Seus discípulos estavam em pânico, embora Ele já tivesse dito a eles que estavam indo para o outro lado. Eles O acordaram e Ele trouxe a paz. Ele repreendeu a tempestade e tudo ficou calmo (aquela tempestade em particular foi demoníaca, projetada pelo inimigo para impedir que Jesus chegasse ao outro lado onde Ele libertaria um homem de uma legião de demônios).

Eu sei que ás vezes podemos nos sentir para cima ou nos sentir para baixo de acordo com as nossas circunstâncias, mas a verdadeira alegria e a paz vem do nosso relacionamento com Deus. Precisamos ser capazes de viver na paz e alegria que vem desse relacionamento e não depende de nossas circunstancias. Precisamos viver com uma atitude de gratidão e louvor, regozijando sempre. Isso nos manterá no olho da tempestade.

Escolhas

Trazer um sacrifício de louvor é uma escolha. Sacrifício significa que nos custa algo. Podemos não nos sentir bem por causa do que está acontecendo em nossas vidas, mas ainda assim escolhemos louvá-lo. Nós escolhemos reconhecer a Ele, Sua misericórdia, Sua bondade, Seu amor.

Tratar provações e atribulações como alegria e oportunidade de crescimento e transformação: isso também é uma escolha. Quando algo acontece, podemos escolher não reagir; podemos escolher como reagimos a isso. Podemos escolher ficar nesse lugar de descanso e viver no olho da tempestade. P

O que Jesus fez, Ele nos chamou para fazer. Então, assim como Jesus disse “Paz”, podemos dizer “Paz”. Quando Ele disse “Paz”, a tempestade parou. Precisamos tomar autoridade e viver do lugar onde podemos mudar as situações ao nosso redor. Não podemos mudar a situação ao nosso redor enquanto estamos sendo varridos a 300 km/h, apanhados no furacão. Mas do assento do descanso nós podemos.

O assento de descanso é o reino de Deus dentro. É a manifestação da plenitude do governo de Deus em nós para trazer a revelação do reino ao mundo ao nosso redor. Quando vivemos do assento do descanso, o mundo vê uma manifestação do reino de Deus.

Do lugar de descanso, Jesus exercia o poder do reino a fim de colocar tudo em sujeição á vontade e propósito de Deus. Ele quer nos treinar para viver da mesma maneira.

Outros artigos de Freedom ARC

Página do Facebook: Vida Sobrenatural.
Grupo do Facebook: VIDA SOBRENATURAL (pedir para participar).

Artigo original em Inglês

Imagem: Typhoon Haitang 7-15-2005 1402 UTC.jpg via Wikimedia Commons (public domain).

149. Lugar de descanso

Mike Parsons
com Jeremy Westcott

“Venham a Mim, todos vocês que estão cansados ​​e estão sobrecarregados e esgotados, e eu farei com que vocês descansem. [Eu confortarei e aliviarei e trarei refrigério as vossas almas.] Tomai o meu jugo sobre vós e aprendei de mim, pois sou manso e humilde de coração, e encontrareis descanso (alívio, conforto, descanso, recreação e bendito silêncio) para as vossas almas” (Mt 11: 28-29, tradução da versão inglesa AMP).

Um dos meus encontros mais significativos nas dimensões dos céus foi face a face com Jesus quando Ele me falou através desta escritura. Ele me sentou e falou comigo sobre viver de um lugar de descanso, um lugar de paz e plenitude. Ele me deu uma revelação desta passagem em que eu posso viver e que Ele quer que todos nós vivamos.

Tome o meu jugo

Jesus nos pede para tomar o seu jugo sobre nós. Nós devemos nos unir a ele. Nós vamos aonde Ele vai. Isso significa que não podemos escolher em qual campo vamos arar. Jesus define o campo, o caminho e a direção.

Ele quer carregar o peso de nossos fardos para que possamos descansar. Mas também precisamos aprender com Ele. Ao olhar para a sua vida, podemos aprender a viver em repouso. Em seu relacionamento com o Pai e como Ele operou, Ele modelou como viver em descanso. Jesus quer nos treinar e nos discipular nisso.

Ele se descreve como “gentil e humilde de coração”. Ser gentil não é ser bobo e se permitir ser tratado como um capacho. O significado da palavra grega usada aqui é a de um garanhão selvagem que foi quebrado e tem um cabresto na sua boca. Deus nos quer fortes e poderosos, mas totalmente submetidos à Sua vontade e propósitos.

É o mesmo com humildade. Ser humilde não é dizer “Oh, eu sou um verme e não homem! Eu não sou nada!’. Humildade é reconhecer quem você é como filho de Deus e aceitar sua identidade real, seu destino e seu chamado. Jesus assumiu a forma de servo, embora fosse o Senhor da criação. Mas Ele sabia quem Ele era e o que Ele foi chamado para ser. Ele viveu totalmente entregue à vontade de seu Pai: “Eu só faço as coisas que vejo o Pai fazendo” (João 5:19). Devemos aceitar quem somos como filhos de Deus e viver desse conhecimento.

Cansado, sobrecarregado

A maioria de nós diria que quer viver em “descanso, alívio, tranquilidade, descanso, recreação e quietude abençoada”, prosperando em tudo o que fazemos e não tendo que lutar. Mas não estaremos em repouso se nos sentirmos cansados, esgotados ou sobrecarregados.

Então, se eu me sentir cansado, vou pedir a Jesus que me mostre se estou:

  • tentando sobreviver e lidar com a vida sozinho. Ou eu se me rendi a ele?
  • tentando prover para mim mesmo. Ou Deus é meu provedor?
  • tentando me proteger. Ou eu se confio em sua proteção para mim?
  • tentando encontrar significância nas conquistas.
  • tentando criar minha própria auto-imagem.
  • tentando me comparar com os outros. Ou estou contente em ser único?
  • tentando ser outra pessoa. Não há problema em ter modelos, mas preciso ser eu.
  • tentando satisfazer as expectativas dos outros. Talvez até as expectativas que meus pais colocaram em mim quando criança? São as expectativas de Deus que preciso cumprir: esse é o meu destino.
  • tentando usar uma máscara de fingimento. Mantendo as aparências.
  • tentando manter o controle. Ou eu entreguei o controle a Deus?
  • tentando encobrir minhas inadequações. Ele conhece todas as minhas falhas e fraquezas e me ama de qualquer maneira. Ele me ama o suficiente para me aceitar, mas também o suficiente para me transformar e me tornar completo.
  • tentando ser bom e justo com as obras mortas. O sacrifício de Jesus forneceu tudo de que preciso para a salvação e para a transformação.
  • tentando agradar a Deus, aos outros e a mim mesmo. Não posso agradar a todos: devo escolher agradar a Deus.
  • tentando reparar meu passado. Ou receber perdão como um presente gratuito?

Se eu me sentir sobrecarregado, estou carregando coisas que não deveria?

  • sobrecarregado por falsas responsabilidades por família, finanças ou futuro?
  • sobrecarregado pelo pecado, culpa, vergonha e condenação? Em Cristo não há condenação. Em Cristo sou purificado e faço a justiça de Deus.
  • sobrecarregado pelo peso das expectativas?
  • sobrecarregado por frustrações e tristezas? Jesus veio para carregar minhas mágoas e tristezas. Há um processo de luto, mas não tenho que suportar sozinho.
  • sobrecarregado por decepções? A esperança adiada deixa o coração doente (Pv 13:12).
  • sobrecarregado por falta de perdão? Esse provavelmente seria o peso mais pesado para eu carregar. Eu fui perdoado completamente e sem reservas: ele quer que eu seja capaz de perdoar todos os outros.
  • sobrecarregado de preocupação, ansiedade, medo?
  • sobrecarregado por dívida?
  • sobrecarregado por carregar a responsabilidade pela minha própria vida?

Se entregarmos todas estas coisas a Jesus, Ele assumirá o peso. Como fazemos isso?

Nomes de Aliança de Deus

“Fique quieto e saiba que eu sou Deus” (Salmos 46:10)

Os nomes compostos de Deus, os nomes da aliança, são realmente importantes aqui.

Todos esses são nomes que Deus revelou porque Ele quer que vivamos e O conheçamos assim.

Lançando sobre Ele

Lançando todo o seu cuidado [todas as suas ansiedades, todas as suas preocupações, de uma vez por todas] sobre Ele, pois Ele cuida de você carinhosamente e se preocupa com você atentamente. (1 Pedro 5: 7 AMP tradução).

Ele tem ombros largos e pode carregar tudo o que gostaríamos de colocar nele. Ele deseja que nós entreguemos as cargas de nossas vidas,  nosso futuro, presente e passado a Ele.

Buscai, pois, em primeiro lugar, o seu reino e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas. (Mateus 6:33).

Lugar para viver, roupas para vestir, comida para comer: tudo o que precisamos será acrescentado a nós quando buscarmos primeiro o reino. Não posso me colocar em primeiro lugar e ainda buscar o reino. Se insistirmos em prover para nós mesmos, não podemos esperar que Deus nos proverá. É um ou outro. Deus quer que nos rendamos.

Humilhai-vos na presença do Senhor, e ele vos exaltará. (Tiago 4:10).

Deus quer nos erguer e nos dar uma posição e um lugar de autoridade e governo para cumprir nosso destino e chamado. Vamos nos render e nos humilhar diante dele?

Vamos orar sobre essas coisas, entrar na presença de Deus e permitir que Ele nos mude e nos transforme. Podemos entrar em Sua presença, porque o reino de Deus está tão próximo de nós quanto a nossa mão na frente do nosso rosto: nós temos a escolha de nos transformarmos Nele ou em outro lugar.

Então, se você realmente quer entregar a Deus todos os seus cuidados, preocupações e encargos, tudo o que está fazendo você cansado e cansado, aqui está uma oportunidade para fazê-lo.

Eu sugiro que você permaneça, se você for capaz, e encontre um lugar onde você possa dar um passo para frente e para trás, pois pela fé nós envolvemos nossos corpos físicos com este processo.

Pai te agradeço
Porque você fez um caminho
Para eu entrar em Sua presença

Pela fé (dê um passo para frente)
Eu entro na Sua presença
E te peço que me perdoe
Por fazer coisas nas minhas próprias forças

Eu me arrependo por tentar me proteger e suprir minhas necessidades
Eu me arrependo por buscar significado em conquistas
E por tentar criar minha auto imagem;
Eu me arrependo por me comparar com os outros.

Eu me arrependo por tentar ser outra pessoa
E por tentar satisfazer as expectativas dos outros;
Eu me arrependo por usar máscaras para encobrir minhas falhas;
Eu me arrependo por tentar ser bom e justo
Usando obras mortas
Para tentar agradar aos outros;
Eu me arrependo por tentar consertar meu passado.

Eu me arrependo por tentar manter o controle da minha vida.
Hoje Jesus eu escolho de coração
Entregar a responsabilidade da minha vida a Ti.
Te entrego meus fardos
Te entrego a responsabilidade
Pela minha família, finanças e futuro

Te entrego to meu pecado, culpa, vergonha e condenação
Te entrego toda minha tristeza, lamento,
Desapontamentos, preocupações, ansiedade e medos.
Te entrego todas as minhas dívidas;
Te entrego todo o peso das expectativas
Eu submeto a Ti o controle da minha vida.

Eu escolho estar ligado a ti Jesus,
Debaixo do mesmo jugo:
Treina-me em gentileza e humildade
Para me levar a maturidade.
Agora, Senhor, eu volto (dê um passo para trás)
A dimensão terrena,
Levando o seu descanso comigo
Para viver no olho da tempestade.

Eu escolho viver do lugar de descanso.

Outros artigos de Freedom ARC

Página do Facebook: Vida Sobrenatural.
Grupo do Facebook: VIDA SOBRENATURAL (pedir para participar).

Artigo original em Inglês

148. Aquiete-se e saiba

Mike Parsons
com Jeremy Westcott – 

Na busca de edificar nosso espírito, temos visto o quanto é importante dar a Deus o primeiro amor, o primeiro lugar e a prioridade em nossas vidas, e também como orar e cantar em línguas é uma chave. O terceiro ponto que vamos considerar nesse post e no próximo é sobre esperar no Senhor e se aquietar.

Aquiete-se

Aquietai-vos e sabei que eu sou Deus (Salmo 46:10).

O que significa aquietar-se? Primeiro significa não se mover; parar de fazer o que estivermos fazendo. E então podemos saber que Ele é Deus. Se estamos sempre ‘fazendo’, não estamos permitindo que Ele seja Deus em nossas vidas.

A NVI traduz este verso como “Parem de lutar!” Deus quer que paremos de lutar, e nos rendamos. Precisamos parar de fazer as coisas nas nossas próprias forças e nos submeter a Ele. Se queremos que Deus nos guie em seu caminho e para o destino que Ele preparou para nós, temos que parar de fazer as coisas do nosso jeito.

Confia no SENHOR de todo o teu coração
e não te estribes no teu próprio entendimento.
(Provérbios 3:5)

Ele me faz repousar em pastos verdejantes.
Leva-me para junto das águas de descanso;
refrigera-me a alma.
Guia-me pelas veredas da justiça por amor do seu nome.
(Salmo 23:2-3)

Calma física

Portanto, resta um repouso para o povo de Deus. Porque aquele que entrou no descanso de Deus, também ele mesmo descansou de suas obras, como Deus das suas. Esforcemo-nos, pois, por entrar naquele descanso. (Heb 4:9-11)

Isso requer diligência: temos que buscar ativamente o descanso de Deus, Sua paz. Para cada um de nós há um lugar de descanso que Ele quer que nós entremos. Deus descansou no sétimo dia da criação, e Ele planejou o descanso para nós também. Não descansamos somente a cada sete dias: descansamos todos os dias, porque Ele é nosso descanso. No nosso relacionamento com o Senhor, nós permitimos que Ele trabalhe através de nós para que possamos alcançar nosso destino.

Foco

Portanto, também nós, visto que temos a rodear-nos tão grande nuvem de testemunhas, desembaraçando-nos de todo peso e do pecado que tenazmente nos assedia, corramos, com perseverança, a carreira que nos está proposta, olhando firmemente para o Autor e Consumador da fé, Jesus, o qual, em troca da alegria que lhe estava proposta, suportou a cruz, não fazendo caso da ignomínia, e está assentado à destra do trono de Deus. (Heb 12:1-2)

Essas testemunhas são os homens de linho branco que estão aparecendo em vários lugares do mundo, os santos de outrora que vieram antes de nós. Eles estão nos aplaudindo. Em uma corrida de revezamento 4x400m, os três primeiros corredores não fazem as malas e vão para casa depois de terem completado a volta: eles ficam de pé, torcendo e encorajando o último corredor. Eu acredito que Deus está dizendo que estamos na última etapa, e todas essas pessoas estão nos observando e nos aplaudindo. Conheci alguns deles e eles querem se envolver em nossas vidas e nos ajudar.

” Desembaraçando-nos de todo peso “: se você estiver correndo uma maratona, você não usa uma armadura, a menos que você seja tolo (ou correndo por caridade – as pessoas usam todos os tipos de coisas estranhas quando correm para caridade). Não, você se prepara, você usa um colete de corrida, shorts e sapatos apropriados. Talvez você cubra seu corpo com vaselina por causa do atrito. Você só carrega o essencial. Temos que nos livrar de tudo que pode nos prender e nos impedir de correr efetivamente. Deus quer nos libertar das coisas que estão nos segurando para que possamos correr a corrida. Nós não queremos uma bola e uma corrente ao redor da nossa perna.

” Em troca da alegria que lhe estava proposta “: A alegria que temos diante de nós é a de alcançar nosso destino, assim como Jesus. Cada um de nós tem um destino preparado para cumprir, e há uma corrida a ser executada se quisermos chegar lá. Pode ser 100m ou pode ser 26 milhas: cada competição é de um jeito e exigirá algo diferente de nós.  Todos nós temos uma corrida que Deus preparou e colocou diante de nós. Vamos correr essa corrida? Vamos permitir que Deus nos prepare para isso,  nos treine e nos equipe?

E como vamos correr? Colocando nossos olhos em Jesus. Tiramos nossos olhos de tudo o que nos rodeia, tiramos nossos olhos de nós mesmos e fixamos nossa atenção em Jesus, o autor e consumador de nossa fé. Ele foi o autor de nossa fé morrendo por nós na cruz, para nos libertar, para liberar nosso destino para nós, e Ele também nos capacitará a completar a corrida se mantivermos nossos olhos fixos nEle. Ele fez tudo isso pela alegria que foi colocada diante dEle – e a alegria que foi colocada diante Dele era nós.

Quando ele abraçou a cruz; quando no jardim Ele olhou para dentro de um copo e viu todo o nosso pecado (mesmo assim disse “não seja feita a minha vontade, mas a Tua”); quando Ele levou todo pecado, toda enfermidade sobre Si mesmo, sobre Seu próprio corpo na cruz; quando Ele tomou a punição que nos era devida; Ele passou por tudo isso porque Ele nos ama. Ele fez isso porque quer que entremos em nosso destino e encontremos a alegria; Ele quer que Sua alegria esteja em nós e deseja que nossa alegria seja plena e transbordante.

E depois que Ele fez tudo isso, Ele sentou-se à direita de Deus, acima de toda autoridade no céu e na terra, e Ele quer nos elevar para sentar com Ele naqueles reinos de autoridade também.

Deixe

Não se preocupem com nada, mas em todas as orações peçam a Deus o que vocês precisam e orem sempre com o coração agradecido. E a paz de Deus, que ninguém consegue entender, guardará o coração e a mente de vocês, pois vocês estão unidos com Cristo Jesus. (Fil 4:6-7)

“Nada” e “todas” não deixam muito espaço para argumento. Não precisamos nos preocupar com nada se entregarmos o controle das nossas vidas para Deus e confiarmos que Ele suprirá todas nossas necessidades. Se nos rendermos e pararmos de tentar fazer as coisas sozinhos, Ele fará tudo o que precisamos em nossas vidas.

Seja receptivo

Permanecei em mim, e eu permanecerei em vós. Como não pode o ramo produzir fruto de si mesmo, se não permanecer na videira, assim, nem vós o podeis dar, se não permanecerdes em mim. Eu sou a videira, vós, os ramos. Quem permanece em mim, e eu, nele, esse dá muito fruto; porque sem mim nada podeis fazer. (João 15:4-5)

Permanecer nele fala de um relacionamento. Não podemos produzir frutos de qualquer valor eterno a menos que estejamos conectados à fonte através da Videira (Jesus). Podemos ser um ramo dessa Videira, mas o ramo não fornece o alimento e o suprimento de vida em si mesmo. Se você cortar o ramo, ele morre. A vida é elaborada através das raízes e da planta para produzir a fruta. Fruta em nossas vidas vem do fluxo de ser receptivo à vida de Deus fluindo através de nós. Se queremos cumprir nosso destino, o chamado de Deus em nossas vidas, precisamos permanecer nEle.

Contudo, se o que alguém edifica sobre o fundamento é ouro, prata, pedras preciosas, madeira, feno, palha, manifesta se tornará a obra de cada um… (1 Cor 3:12-13).

Quando o fogo chega, ouro, prata e pedras preciosas sobrevivem. Madeira, feno e palha não. Se fizermos algo fora de Deus e de nosso relacionamento com Ele, isso será queimado e será inútil na eternidade. Confiamos nEle, vivemos Nele, permitimos que Ele viva em nós e assim produzimos o fruto que está alinhado com o nosso destino.

Fluir espontâneo

Nosso espírito precisa fluir com a vida de Deus. Precisamos do fluxo vivo da vida de Deus em nós e fluir de nós para transformar o mundo ao nosso redor. É o Seu espírito e o Seu poder que trará essa transformação, mas Ele escolheu fluir através de nós para que nós a alcancemos.

Quem crer em mim, como diz a Escritura, do seu interior fluirão rios de água viva. (João 7:38)

No próximo post veremos mais sobre o que significa aquietar-se.

Outros artigos de Freedom ARC

Página do Facebook: Vida Sobrenatural.
Grupo do Facebook: VIDA SOBRENATURAL (pedir para participar).

Artigo original em Inglês