Características da Geração de Josué (#21-25)

Mike Parsons

O véu está aberto: em espírito podemos entrar nas regiões celestiais através do véu que é a carne de Jesus. Então poderemos viver lá. Precisamos entrar nessa dimensão. A Terra Prometida não está relacionada somente com a terra, mas sim em trazer o céu para terra. Como vimos da última vez, se nós realmente quisermos ser agentes de mudança, temos que aprender a governar nos céus para que possamos trazer de lá a autoridade que precisamos para exercer na terra. Hoje voltaremos a observar as características da geração de Josué, sendo assim, quero te encorajar a olhar para elas tendo em mente essa necessidade de entrarmos nas dimensões celestiais.

Outro Josué

Antes, porém, deixe me falar um pouco sobre outro Josué, que viveu muito tempo depois, para nós ajudar a entender melhor. Este Josué era o Sumo Sacerdote que foi chamado para entrar na dimensão dos céus.

“E ele disse a Josué: O SENHOR Todo-Poderoso lhe diz o seguinte: “Se você obedecer às minhas leis e cumprir os seus deveres conforme eu ordeno, você será o administrador do Templo. Cuidará do santuário e de todos os outros edifícios; e, como estes anjos que estão aqui, você terá o mesmo direito de estar na minha presença..” (Zacarias 3:6-7).

“Se você obedecer às minhas leis e cumprir os seus deveres conforme eu ordeno”, isso se refere às coisas que fazemos aqui nessa dimensão. O Salmo 119:1-40, nos ajuda entender melhor sobre os caminhos do Senhor, ou seja, Suas ordenanças, Seu caráter e Sua natureza. Se obedecermos ao Senhor agindo de acordo com Sua palavra, e de acordo com os princípios do reino aqui nessa dimensão, veremos a manifestação do reino aqui na terra como é no céu.

“…você será o administrador do Templo”, o Templo referido aqui é uma dimensão do reino dos céus, portanto administrar o Templo é algo que é feito nas regiões celestiais. E nós também somos o templo do Espírito Santo, a casa de Deus.

“…também tu julgarás a minha casa e guardarás os meus átrios…” (Zac 3:7 RA), os átrios dos céus é o lugar de onde o Senhor administra a justiça, e de onde a jurisdição do reino do reino de Deus, manifesta nos céus, pode ser aplicada aqui na terra.

“… e, como estes anjos que estão aqui, você terá o mesmo direito de estar na minha presença…”, ou seja, estar diante do trono, no céu. O Sumo Sacerdote tinha acesso para entrar na presença de Deus. Se nós formos capazes de administrar o Templo, e guardar os átrios, nós teremos acesso para permanecer na presença de Deus. É a diferença entre fumaça e fogo. Onde há fumaça, há fogo. A presença de Deus que experimentamos aqui na adoração é como a fumaça. Mas além da fumaça, há Deus em pessoa, que é o fogo. Esta passagem de Zacarias está descrevendo o protocolo que devemos seguir para sermos capazes de permanecer em pé no fogo.

Agora vamos voltar ao nosso Josué original:

21 A geração de Josué vai encorajar as pessoas a ouvirem diretamente a voz de Deus

Josué 3:9 Então Josué disse ao povo: — Venham cá e prestem atenção naquilo que o SENHOR, nosso Deus, vai dizer.

Para nós como indivíduos é importante entrarmos na presença do Senhor e ouvirmos o que Ele tem a nos dizer, e treinar outros a fazer o mesmo. Precisamos entrar diante do trono, ir aos átrios e administrar o templo. Minha intenção em fazer isso, e ensinar a você, e para que você tenha essa experiência.

Entrar no reino dos céus é para cada um de nós. Além disso, eu tenho um papel que é operar sinais milagres e maravilhas. Eu estou buscando isso para mim. Mas você, também precisa saber o que está escrito no seu pergaminho, e buscar isso para você. Cada um de nós precisa cumprir o que está escrito no pergaminho. Temos que encontrar nosso pergaminho nas regiões celestes, para que possamos ler, comer, colocar no nosso coração, e começar aplicar tudo que está nele.

22 A geração de Josué será honrada e respeitada pela próxima geração.

Haverá uma cultura de honra. Jesus disse, “Quem receber um profeta, porque este é profeta, terá uma parte da recompensa dele” (Mat 10:41). Temos que honrar os dons e o chamado das pessoas para que possamos receber a recompensa nas nossas vidas. Queremos honrar e receber um ao outro, por que cada um de nós têm um chamado e dons, sendo assim precisamos ajudar um ao outro a cumprir o chamado e exercitar os dons.

“Naquele dia o SENHOR fez com que o povo de Israel ficasse sabendo que Josué era um grande homem. E, durante a vida de Josué, eles o respeitaram assim como haviam respeitado a Moisés.” (Josué 4:14)

23 A geração de Josué irá libertar a próxima geração da culpa das gerações passadas e de suas consequências, para uma nova revelação sobre práticas antigas.

“A nação inteira ficou acampada até que sararam todos os que foram circuncidados. E o SENHOR disse a Josué: — Hoje eu tirei de vocês a vergonha de terem sido escravos no Egito. Foi por isso que chamaram aquele lugar de Gilgal. E este nome continua até hoje.  Os israelitas estavam acampados em Gilgal, na planície em volta da cidade de Jericó, e ali comemoraram a Páscoa na noite do dia catorze do primeiro mês.”(Josué 5:8-10)

Fizemos coisas para o reino de Deus e para igreja de acordo com o nível de revelação que tínhamos. Mas agora tudo está se movendo num nível mais alto.

Aqui eles celebraram a Páscoa e reinstituíram a circuncisão, que eles não fizeram no deserto. Eles se consagraram a Deus; o opróbrio do passado foi tirado, as pedras de tropeço removidas, a purificação e o refinamento aconteceram. Quando entramos num novo nível de revelação,  começamos a enxergar assuntos e coisas que antes eram familiares com um novo entendimento, a medida que o Senhor nos traz luz sobre aquilo.

24 A geração de Josué vai trabalhar junto com os anjos

Isto é algo que causa um monte de discussões sem necessidade entre os cristãos. Muitos dizem: “Por que precisamos dos anjos se eu já tenho o Espírito Santo?” Os anjos e o Espírito Santo são completamente diferentes. Os anjos têm um papel e um propósito diferentes do Espírito Santo. E na verdade, cada anjo tem uma função específica.

Por exemplo, em uma noite quando o Ian Clayton esteve aqui, ele derramou óleo de olíbano no chão, e o aroma encheu o lugar, então fui levado ao reino dos Céus e vi cobertura, e anjos grandes sendo liberados do trono. Eles tinham asas enormes, com penas que pareciam lâminas afiadas, parecia que eles iriam usá-las como armas. Eu sabia por instinto que eles eram anjos caçadores. Eles saíram para buscar uma colheita. Suas armas eram para cortar a cegueira dos olhos das pessoas, a cegueira que impedia as impediam de enxergar e responder a verdade. E Deus está liberando eles nesse momento. Eles eram diferentes da assembleia de anjos, dos anjos vigias, e outros anjos que vemos. Você percebe algo? Os anjos são descritos de acordo com sua função.

“Estando Josué ao pé de Jericó, levantou os olhos e olhou; eis que se achava em pé diante dele um homem que trazia na mão uma espada nua; chegou-se Josué a ele e disse-lhe: És tu dos nossos ou dos nossos adversários? Respondeu ele: Não; sou príncipe do exército do SENHOR e acabo de chegar. Então, Josué se prostrou com o rosto em terra, e o adorou, e disse-lhe: Que diz meu senhor ao seu servo? Respondeu o príncipe do exército do SENHOR a Josué: Descalça as sandálias dos pés, porque o lugar em que estás é santo. E fez Josué assim.” (Josué 5:13-15 RA)

Quando você lê “levantou os olhos”, quer dizer que ele estava olhando para os céus, e vendo em outra dimensão. Abraão também “levantou ele os olhos, olhou, e eis três homens de pé em frente dele”. (Gen 18:2 RA) e há outros exemplos desse “levantar os olhos” nas escrituras. Na passagem de Josué 5 o príncipe do exército do Senhor dá a Josué a estratégia que vai ajuda-lo a ser vitorioso e ter sucesso. Quando louvamos a Deus, os altos louvores liberam alguns desses anjos. Leia o salmo 149, e você verá mais sobre isso, e como nós executamos a sentença escrita e como exercer vingança contra o inimigo.

Nossa luta não é contra carne ou sangue. Estratégias terrenas não funcionam.

25 A geração de Josué ouvirá a Deus para receber estratégias de guerra

“O SENHOR Deus disse a Josué: — Olhe! Eu estou entregando a você a cidade de Jericó, o seu rei e os seus corajosos soldados. Agora você e os soldados israelitas marcharão em volta da cidade uma vez por dia, durante seis dias. Na frente da arca da aliança, irão sete sacerdotes, cada um levando uma corneta de chifre de carneiro. No sétimo dia você e os seus soldados marcharão sete vezes em volta da cidade, e os sacerdotes tocarão as cornetas. Quando eles derem um toque longo, todo o povo gritará bem alto, e então a muralha da cidade cairá. Aí cada um avançará diretamente para a cidade.” (Josué 6:2-5).

Quando Deus disse, “Olhe”, como Josué poderia ver aquilo, se ainda não tinha acontecido? A resposta é que Deus estava mostrando para ele nas regiões celestes o que iria acontecer. Da mesma forma como Jesus disse que via o que o Pai estava fazendo (João 5:19). Em que dimensão Jesus via o que Pai estava fazendo? O Espírito Santo mostrará as coisas que estão por vir, porque nós vemos  – e podemos entrar – em outra dimensão.

Novamente, quando essa passagem fala sobre uma cidade com seu rei e os seus corajosos soldados, podemos escolher entender como algo de uma dimensão terrena. Mas esse texto vai muito além, pois nas dimensões do céu, há também montanhas, governadores e reis. Na verdade, o que acontece na terra é um reflexo do que acontece no céu. Sendo assim, precisamos lidar com essas montanhas, governadores e reis nas dimensões do espírito para que possamos tratar com a representação deles aqui na terra. Como havia escrito antes, esta provavelmente é a razão histórica pela qual temos tido tanta dificuldade em prevalecer na dimensão terrena, não temos ido às dimensões celestiais primeiro. Temos que vencer nas regiões celestes primeiro, para que possamos prevalecer na terra.

Assim como Jesus, também precisamos ver o quê o Pai está fazendo, para trazer para terra. Se foi dessa maneira que Jesus exerceu seu ministério e operou milagres (e Ele nos disse que sim), então certamente é como devemos fazer também. Jesus vivia constantemente em duas dimensões, num relacionamento com o Pai.

A estratégia que Deus deu para tomar Jericó foi bem clara e detalhada. As instruções que Josué recebeu nas dimensões dos céus, tinham que ser executadas na terra. Precisamos aprender a fazer o mesmo todos os dias, e todo tempo.

Isso é o que significa viver em duas dimensões, ver o que o Pai está fazendo, e estar constantemente conectado.

E é assim que o céu é trazido para terra.

Outros artigos de Freedom ARC

Artigo original (em Inglês)


					
Anúncios

Autor: Freedom ARC

Freedom Apostolic Resource Centre, Barnstaple, UK.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s