106. Acessando a Linha do Tempo

Mike Parsons
com Jeremy Westcott – 

No post anterior vimos sobre nosso rolo do destino, o quão importante é para nós termos revelação do que está escrito nele, e quais são os pensamentos de Deus ao nosso respeito, a fim de que possamos ser tudo aquilo que Ele planejou para nós. Cada um de nós foi criado na eternidade no coração e nos pensamentos de Deus. Ele nós conheceu. Nós tínhamos uma substância Nele. Ele sabia tudo sobre nós e sobre nosso destino. Precisamos acessar o lugar de onde viemos, quem e o que nós éramos, para que possamos viver hoje a partir daquela realidade.

Ontem, hoje, amanhã

“Eu sou o Alfa e Ômega, diz o Senhor Deus, aquele que é, que era e que há de vir, o Todo-Poderoso.” (Ap 1:8) Jesus é o mesmo ontem, hoje e para sempre (Heb 13:8). Esta é a linha do tempo. Ele vê e acessa ontem, hoje, e amanhã – Ele não está preso ao tempo. Ele pode escolher nos mostrar coisas na linha do tempo. Ele pode intervir nela em qualquer ponto, passado, presente ou futuro. E todos nós temos acesso à linha do tempo, quando começamos a entrar nas dimensões do céu. Vamos ver algumas frases sobre a linha do tempo que precisamos considerar. Peça a Deus revelação sobre isso, e medite nessas frases. Se tentarmos processar com nossa mente, vai dar um nó em nosso cérebro. Vamos deixar que nosso espírito assuma o controle:

  • Eu posso mudar quem eu sou, e o que eu sou hoje, com aquilo que eu vejo do amanhã.

Isto é chamado de profecia. Deus me mostra algo do amanhã, e assim eu modelo meu hoje para se alinhar com aquilo que Deus fala sobre mim amanhã. Eu escolho mudar, dessa forma estou equipado para lidar com o futuro. Por isso o Espírito está lá para revelar as coisas que estão por vir (João 16:13).

  • Eu posso acessar quem eu fui ontem para influenciar quem eu sou hoje, e mudar amanhã.

Meu ontem inclui o que Deus disse sobre mim na eternidade, meu destino. Se Deus diz que sou isso, então é isso que quero me tornar. Isso irá mudar quem sou hoje, e quem eu sou amanhã.

    • Eu posso acessar e mudar quem eu fui ontem para mudar quem eu sou hoje e quem eu sou amanhã.

Quando perdoo e libero pessoas por aquilo que elas disseram ou fizeram a mim no passado, não preciso mais viver amarrado a minha experiência negativa. Quando confesso e me arrependo de pecados que cometi, posso receber perdão e eles não têm mais que afetar quem sou hoje. Jesus está presente no meu passado. Ele está lá para me libertar dele, me curar e me restaurar, para que isso mude quem sou hoje, e quem serei amanhã.

Aqui uma mais simples:

  • Meu amanhã se torna meu hoje, e o hoje meu ontem.

Tudo sobre minha vida está na linha do tempo, é assim que funciona. Se eu aprender acessá-la do jeito certo, para ver através de revelação o que está por vir, estarei preparado e equipado para lidar com minha vida. Se eu souber o que foi escrito sobre mim na eternidade passada, isso irá me equipar para cumprir esse destino no meu futuro.  Quanto mais meu passado for influenciado pelo meu amanhã, mais vou refletir meu destino hoje. Todos nós podemos fazer isso, podemos ir e ter nossa própria experiência.

Testemunho

Nós conhecemos o poder do testemunho: ele dá a Deus a oportunidade de fazer de novo. Eu tenho experimentado isso. Então se mudo meu testemunho, posso mudar meu presente e meu futuro. O meu testemunho, minha experiência, e o meu potencial futuro precisam trabalhar juntos.

À medida que o tempo passa, meu potencial futuro se torna minha experiência, e esta se torna meu testemunho. Se eu acessar o que Deus disse sobre meu futuro, eu irei experimentá-lo. Então isso se tornará meu testemunho, o qual me ajudará a experimentar mais.

Tudo no pensamento hebraico é circular, ou seja, ele vai e volta, recicla. Meu testemunho modela minha experiência, para cumprir meu destino, e não para se opor a ele, por esta razão preciso que ele mude. Coisas que aconteceram para mim no passado, que ainda são meu testemunho, precisam ser transformadas. Preciso ser curado, liberto, meu modo de pensar tem que ser diferente. Então poderei ser livre para fazer as coisas que Deus me chamou para fazer.

Deus escreveu algo para eu cumprir, antes que eu existisse. Eu preciso saber o que é. Esse rolo é o registro escrito do desejo de Deus, que meu espírito concordou na eternidade, para eu cumprisse. Deus não está me forçando, meu espírito estava de acordo com esse destino antes da fundação do mundo. A fim de realizá-lo preciso estar de acordo com ele agora. A eternidade é meu destino e se torna minha experiência.

Permitindo nosso passado determinar nosso future?

Nós temos uma escolha: alinhar nosso espírito com Deus, ou continuar permitindo que nossa alma nos conduza, e assim permitir que nosso passado determine nosso futuro. Nossos pensamentos e emoções precisam ser mudados e transformados, para que conquistemos tudo o que Deus destinou para nós, e não todas as coisas que o mundo estragou.

Se continuarmos a permitir que as nossas experiências negativas do passado determinem nosso presente, então nosso futuro será igual ao nosso passado, e não tem que ser assim. Nós nascemos em meio a uma batalha cósmica, na qual o inimigo está sempre tentando destruir. Não podemos permitir que qualquer coisa que foi escrita sobre nós por este mundo obscureça ou roube o que Deus disse que seria nosso futuro. Temos que lutar por nosso destino.

Outros artigos de Freedom ARC
Artigo original (em Inglês)
Outros artigos de Freedom ARC (em Inglês)

105. Rolo do Destino

Mike Parsons
com Jeremy Westcott – 

Antes que eu te formasse no ventre materno, eu te conheci, e, antes que saísses da madre, te consagrei, e te constituí profeta às nações (Jer 1:5).

Deus nos conhecia antes que fossemos formados no ventre, antes que tivéssemos um corpo físico. Ele nos conheceu como seres espirituais. Deus é espírito, e nós viemos de Dele. Nosso espírito é eterno, ou seja, nunca irá morrer, porque é da essência de Deus.

Por que estou aqui?

Vimos anteriormente que todos nós temos um destino. “Porque sou eu que conheço os planos que tenho para vocês”, diz o Senhor, “planos de fazê-los prosperar e não de lhes causar dano, planos de dar-lhes esperança e um futuro.(Jer 29:11 NVI). O plano de Deus para cada um de nós é que desfrutemos de paz e plenitude, e que tenhamos prosperidade e sucesso. Ele nos enche de esperança quando nos dá uma visão do nosso destino. E então, nós sabemos a razão de estamos aqui? Sabemos quem nós devemos ser? Sabemos nosso nome?

Isso pode até soar meio estranho, mas Deus tem um nome para nós que é o nosso nome verdadeiro, o qual engloba tudo o que somos e tudo o que Ele pretende para nós. É um nome celestial, designado para nós em concordância com nosso destino. Ele está nos nossos tronos e no nosso livro. Quando vi meu nome, eu sabia que era meu. Será assim com você também, seu espírito vai saltar testificando, assim como João saltou no ventre de Isabel quando ele sentiu Jesus no ventre de Maria. Isso é o que acontece quando aspectos do nosso destino se alinham a nossa volta. Coisas começam se mover e nosso espírito começa saltar.

Em seu livro

Nós existíamos antes de termos um corpo físico. As escrituras nos dizem que Deus nos viu quando éramos uma substância ainda informe.

Os teus olhos me viram a substância ainda informe, e no teu livro foram escritos todos os meus dias, cada um deles escrito e determinado, quando nem um deles havia ainda.

Que preciosos para mim, ó Deus, são os teus pensamentos! E como é grande a soma deles!
(Salmo 139:16-17).

Nosso rolo do destino não foi escrito antes que fossemos formados, mas sim antes de Deus criar os céus e a terra. Entender quem éramos então, mesmo quando éramos uma ‘substância ainda informe’, irá nos ajudar a compreender quem somos agora.Tudo o que somos chamados para ser agora, já estava escrito no nosso rolo.

Algumas vezes você descobrirá que fez as coisas que estão escritas nele, mesmo que nunca você o tenha lido. Isso acontecerá porque nosso destino está intrinsecamente ligado a quem somos. Quando escolhemos nos alinhar aos propósitos de Deus, e buscar a direção Dele, começamos a cumprir nosso destino.

Mas na verdade, se nós o lermos, podemos entrar no nosso destino em uma dimensão totalmente diferente. E Deus quer mostrá-lo para nós, embora não tudo, nem de uma vez. Seria muito para nós.

Se imaginarmos um rolo (como aquele do início desse artigo), nós podemos ver apenas uma parte dele, a que está aberta, mas ainda há muito mais para ser desenrolado para trás e para frente do trecho que estamos olhando. O mesmo ocorre com o livro: podemos ver as páginas que estão abertas, mas as outras são um mistério, até que cheguemos nelas. Se pedirmos Deus revelará uma porção ou um aspecto do que está no nosso rolo. Ele pode mostrar-nos, ler para nós, ou nos dizer de outra forma. Mas nós saberemos. E dependendo do que fizermos com aquela porção que Ele nos revelou, Ele irá nos mostrar mais.

Quão preciosos são seus pensamentos

O salmo 139 diz que Deus tem muitos pensamentos a nosso respeito, porque Ele nos conhece intimamente. Precisamos ter acesso a esses pensamentos, porque eles irão transformar a maneira como nos vemos. Imagine o quanto é transformador saber o que Deus pensa de nós. Posso garantir que nenhum de nós se vê com todo otimismo que Deus nos vê. Quanto mais permitirmos que os pensamentos de Deus ao nosso respeito influenciem a maneira como nos vemos, mais seremos transformados, e mais nos tornaremos parecidos com Jesus. Faremos tudo o que Ele fez, e coisas maiores que somos chamados a fazer.

Os pensamentos de Deus estão totalmente sintonizados com o que foi escrito em nosso rolo antes da fundação do mundo. Mas destino não é um fado. Nós temos uma escolha, concordar com Deus e buscar a vontade Dele, ou não. Nós já concordamos com Ele quando nosso rolo foi escrito. Se escolhermos concordar com Ele agora, é essencial nos descobrirmos os pensamentos Dele sobre nós e o que está escrito em nosso rolo.

Nota: A imagem do rolo no início deste post é da Wikipedia Netherlands (crédito da foto: Wikipedia)

Outros artigos de Freedom ARC
Artigo original (em Inglês)
Outros artigos de Freedom ARC (em Inglês)

Scroll of Destiny (Rolo do Destino) – @AnnaSophiasArt via Twitter

104. Questões do Destino

Mike Parsons
com Jeremy Westcott – 

Deus está fazendo algo muito emocionante na terra hoje: Ele está nos dando revelação de como entrar nas dimensões celestes. Ele está nos mostrando como nós podemos escolher a nos focar no Reino da Luz ao invés de focar no reino que está em trevas. Ele está nos encorajando a acessamos o que encontramos no reino dos céus – Sua presença, Seu poder, e todos os recursos do céu – e a manifestar essas coisas aqui na terra. Essa sempre foi a vontade Dele:

Venha o Teu reino
Seja feita Sua vontade
Assim na terra como no céu.

Há algumas chaves para conseguirmos fazer isso:

No último post, vimos como espíritos familiares procuram nos roubar de nosso destino. Se você ler ‘As cartas do inferno’ de C.S. Lewis, você vai entender rápido como os demônios planejam e trabalham para destruir nossas vidas. Mas nós vamos lutar contra os espíritos familiares. Vamos nos levantar e enfrenta-los, para que cada um de nós possa cumprir nosso destino.

Destino

Destino é algo que realmente mexe comigo, pois Deus me chamou para trazer a tona os destinos das pessoas. Todos nós temos um rolo do destino, que nos dá autoridade para governar nossas próprias vidas. O destino de cada pessoa é único. Para cada um de nós há certas palavras – ou visões ou sons, ou até mesmo cheiros, sensações ou experiências – que irão tocar, e testificar em nosso espírito, porque estão ligadas ao nosso destino.

Quando fui batizado no Espírito Santo, Deus derramou uma palavra em meu coração: reavivamento. Naquele tempo, eu nem sabia o que significava aquilo, mas testificou em mim, e ficou gravado no meu coração. Desde então, palavras como ‘restauração’, ‘renovação’, ou ‘reforma’ têm causado o mesmo efeito em mim: elas vibram no mais profundo do meu interior, e me agitam. E há coisas que começarão a te agitar também, pois estão ligadas com aquilo que Deus escreveu sobre você em seu rolo.

Para cada um de nós há pelo menos sete esferas de domínio, ou tronos, para governar em nossas próprias vidas, mas nós podemos, também, ser chamados para maiores níveis de autoridade. Todos nós precisamos ver onde estão nossos tronos, o que fomos chamados para fazer, e lidar com tudo aquilo que nos impede de cumprir nosso destino.

Atos proféticos

De uns anos para cá, tenho sido levado a fazer alguns atos proféticos com pessoas ou grupos quando estou ministrando para eles, atos que trarão a tona o destino e lugar de autoridade deles.

Eu coloquei coroas do destino na cabeça das pessoas; coloquei nossa bandeira de arco-íris em alguns como um manto, dando a eles unção de autoridade. Para outros dei cetros de autoridade – e é assim que Deus identificou aqueles que se tornariam parte de nossa liderança, apesar de eu não saber na época. No meu escritório, na parede, tenho uma espada grande que Deus me disse para eu obter. Geralmente uso essa espada para chamar a existência o destino das pessoas. Quando Lindy Strong veio aqui em 2014, ela fez algo parecido, convidou as pessoas para pegarem a espada, e profetizou sobre eles. Também dei para outras pessoas armas e objetos específicos, tais como machados, bastões, esferas e etc.

Tais coisas são muito mais do que um símbolo do que está acontecendo da dimensão espiritual. Não fazemos nada simbolicamente, mas sim profeticamente. Carregamos ou balançamos bandeiras de cores específicas, de modo específico. Marchamos ao redor do nosso prédio e ao redor da nossa pegada, como Deus direcionou. Esses atos proféticos movem algo na dimensão espiritual, abrindo coisas na dimensão dos céus para nós. Quando obedecemos fazendo um ato profético, isso se junta a alguma coisa no céu, e faz algo acontecer aqui na terra.

Temos que ser obedientes, pois não sabemos que portas eles vão abrir. Se você conhecer meu passado, saberá que não sou naturalmente inclinado a fazer esse tipo de coisas, mas eu sei que são eficientes quando Deus me direciona a fazê-las, então preciso ser obediente. E isso vale para todos nós.

‘Quem sou eu?’

Algumas da perguntas que as pessoas fazem quando se fala sobre destino são: ‘Quem sou eu?’, ‘De onde eu vim?’. Essas perguntas são boas. Precisamos saber de onde viemos, para que possamos entender porque estamos aqui hoje. Isso nos levará para onde iremos amanhã. Nosso destino se realiza assim, um dia de cada vez: ontem, hoje, amanhã.

Precisamos entender a natureza do nosso criador, e nossa criação. ‘Quem me criou?’, ‘Por que e como Ele me criou?’. Todas essas perguntas nos ajudarão a entender nosso destino.

Deus é eterno. Parece bem óbvio dizer isso, mas é importante compreender isso. Ele sempre foi, Ele é, e sempre será (Ap 1:8). Ele é onipotente, isto é, todo poderoso. Ele é luz (1 Jo 1:5). Ele é amor (1Jo 4:16). Ele é espírito (Jo 4:24).

Se meditarmos nessas escrituras, e outras semelhantes, começaremos a entender quem é Deus. E se conhecermos ao Senhor, e tivermos um relacionamento íntimo com Ele, isso nos ajudará a entender que nós somos.

‘Eu te conheci’

Aqui está um versículo chave sobre quem somos.

“Antes que te formasse no ventre te conheci, e antes que saísses da madre, te santifiquei; às nações te dei por profeta” (Jer 1:5).

Aqui Deus está falando com Jeremias, mas Ele também está falando com cada um de nós. Ele conheceu a mim e você, antes Dele te formar no ventre. Conhecer é algo muito íntimo. Deus não tinha simples uma ideia vaga sobre você. Antes que você viesse a existir, antes que você estivesse no útero, Deus já te conhecia. E como intimidade é tem duas vias, na verdade, você O conheceu também.

Ele consagrou você. Ele te separou. Ele tinha um propósito para sua vida que Ele e você conheciam, antes que você fosse formado. Isso faz parte do seu ser. Ele designou cada um de nós para um papel único, para uma tarefa, ou posição. Jeremias foi destinado a ser um profeta as nações. Para o que você foi designado? O que Ele te chamou para fazer? Quem Ele te chamou para ser?

A boa notícia é que você pode saber. Deus te conhecia, mesmo antes que seu corpo físico fosse formado, e Ele quer que você saiba.

Você pode perguntar a Ele, e Ele revelará a você.

Outros artigos de Freedom ARC
Artigo original (em Inglês)
Outros artigos de Freedom ARC (em Inglês)