133. De dentro para fora

Mike Parsons
com Jeremy Westcott – 

Anteriormente escrevi sobre como Deus me deu quatro palavras: investidura, sucessão, entronização e coroação. Você perceberá que uma vez você foi investido com autoridade, antes que você sente no trono, há uma sucessão.

Se nós somos investidos com poder do reino, temos que destronar as coisas que estão governando nossas vidas: nosso eu, nossa alma; mim, eu mesmo, e eu. Se eu quero ver o reino de Deus fluindo através da minha vida não há mais espaço no trono para “mim, eu mesmo, e eu”. O ‘eu’ só atrapalha, só serve para bloquear o caminho, então precisa ser destronado.

A natureza, que me programou, e programou o meu DNA de gerações passadas, precisa ser restaurada e renovada. A fonte de nutrição, o meio que programou a minha vida: minha formação, o que havia ao meu redor precisa ser restaurado e renovado. O trauma, que é uma programação experimental, coisas que vivi que me levaram a responder de certa maneira, e ter certas atitudes, precisa ser reprogramado. Eu preciso ser transformado, restaurado a minha condição eterna original. Isso é o que Deus quer que aconteça aqui, nessa dimensão, não apenas na eternidade, pois o que acontece aqui determinará o que farei na eternidade, quando o tempo for extinto.

Esta é uma figura que veio do céu. Foi dada em um rolo para Ian Clayton, e descreve como podemos começar a operar no reino de Deus.

Ela começa com a glória de Deus, Sua presença dentro de nós. Em nosso espírito, o Pai, o Filho e o Espírito Santo vem fazer morada em nós como Jesus prometeu. Eles querem ocupar o trono nas nossas vidas. Quando abrimos aquela porta interior do primeiro amor, a glória de Deus flui no nosso espírito e desenvolve nossos sentidos espirituais.  Então ela flui para nossa alma e a transforma. Deus vem para o nosso coração, onde nosso rolo ou livro está, e começa a nos transformar. Eventualmente Sua glória flui para o nosso corpo, uma manifestação de transfiguração, onde a luz da glória de Deus brilhará através de nós.

Perceba como o fluir é sempre de dentro. Tudo acontece no reino de dentro para fora. Não adianta nada tentarmos mudar nossas vidas de fora para dentro. Precisamos aprender a nos render a presença de Deus em nosso interior, para que essa presença flua através de todo nosso ser e nos transforme.

Nós começamos abrindo a porta do Primeiro Amor. Esse é o lugar onde Jesus está batendo em Apocalipse 3:20. Ele quer que nos alegremos em um relacionamento íntimo com Ele, e Ele quer ter acesso a toda nossa vida, espírito, alma e corpo. A maçaneta da porta só está no nosso lado da porta.

Aqui está uma versão em animação do diagrama, em inglês,  criada por Adam Butterick para Son Of Thunder (clique aqui ou na imagem abaixo para assistir o vídeo em uma nova aba/janela).

gateways animated .jpg

Nos próximos posts daremos mais uma olhada nesse diagrama. Há portas entre cada uma dessas partes de nossas vidas, e elas têm sido bloqueadas, geralmente por coisas que vem de fora.

As coisas que vimos, cheiramos, ouvimos, experimentamos e tocamos afetam nossa alma. Se tentarmos trocar essas coisas por aquilo que podemos ver, cheirar, ouvir, experimentar e tocar no nosso exterior, não produzirá efeito. Com isso, só conseguiremos reforçar as reações do ego.

Mas se permitimos o Espírito de Deus fluir em nós, permitimos a Sua presença nos mudar e nos transformar de dentro para fora.

Artigo original em Inglês
Outros artigos de Freedom ARC

Facebook: Vida Sobrenatural (@umavidasobrenatural)

Anúncios

Autor: Freedom ARC

Freedom Apostolic Resource Centre, Barnstaple, UK.

3 comentários em “133. De dentro para fora”

Os comentários estão encerrados.