136. Portas da Alma

Mike Parsons
com Jeremy Westcott – 

Portas da Alma

Nós demos uma olhada nas portas do nosso espírito, pelas quais queremos que Deus flua de dentro para fora. Agora é a vez de vermos as portas da nossa alma.

As portas da nossa alma são: consciência, razão, imaginação, mente, emoções, escolha e vontade.

Consciência

Nossa consciência é o ouvido do nosso coração. Ela é nossa protetora e diretora, nosso guarda, e nosso guia. Nossa consciência vai nos guardar das coisas erradas e nos direcionar ao certo. Infelizmente, nossa consciência pode ser cegada ou cauterizada pela repetida exposição ao pecado (Tito 1:15). Precisamos estar com nossa consciência limpa, pura e aguçada.

Razão

Não é ter razão e tentar trabalhar com o intelecto. Razão tem haver com ser capaz de traduzir e interpretar as palavras que Deus nos diz, e entender e explicar essas palavras.

Imaginação

Os olhos do nosso coração são, com certeza, a chave para desenvolvermos nossa imaginação.

Nossa cultura ocidental e nosso sistema de educação desvalorizam a imaginação. No entanto, foi Deus quem nos deu nossa imaginação, para que pudéssemos ver o que Ele está fazendo, e também, para que pudéssemos ter visões, sonhos, ver as dimensões do céu, na tela da nossa imaginação. Precisamos aprender como usá-la novamente e treiná-la para que ela cresça e se desenvolva.

Mente

Em nossa mente, consciente e subconsciente , é onde os programas estão arquivados, ou seja, é onde encontramos nossas memórias, a palavra de Deus, e nosso sistema de crenças. Tudo está armazenado lá, como se fosse o HD de um computador. O subconsciente, nosso coração, fica em algum lugar entre nosso espírito e nosso consciente. Memórias, crenças, valores, mentiras, verdades, padrões de pensamento. Jesus chamou isso de ‘solo’ e pode haver todo tipo de sementes plantadas nele.

Nosso subconsciente é afetado pelo nosso DNA, o qual vem dos nossos pais, e que estabelece em nós mecanismos de defesa e de cópia. Nossos padrões de comportamento vêm do que nós acreditamos. Nossa criação também nos afeta, pois durante nossa vida passamos por um monte de experiências, e na nossa educação recebemos uma quantidade imensa de ensino, que nos treinam a agir de determinada maneira. Outra coisa que nos afeta são os traumas, coisas que aconteceram conosco que nos levam a fazer votos e tomar decisões baseadas na nossa experiência. Todas essas coisas também se conectam com espíritos familiares designados para nossa vida. Eles nos conhecem, e mentem para nós, para que nos venhamos agir com base em um falso sistema de crenças.

Todas essas coisas dentro de nós se manifestam na maneira como pensamos. Dessa forma nossas reações, atitudes, respostas, medos, e preocupações, vêm do nosso interior e se manifestam em nossa mente.

Quando a revelação vem da palavra de Deus, e do Espírito Santo, as coisas começam a mudar. Então temos a oportunidade de nos rendermos a Ele, e Ele pode lidar com os espíritos familiares que mentem para nós. Nosso padrão de comportamento começa a vir da revelação da verdade da palavra de Deus, especialmente sobre quem somos. Nossos padrões de pensamento são baseados na verdade de quem Deus diz que somos. Nossas atitudes, sugestões, e ideias fluem do nosso espírito para nossas mente de dentro para fora.

Mas se não lidarmos com todas essas coisas em nosso interior, teremos sempre “gatilhos” que nos levarão a agir de determinada forma, e é ai que acontecem os conflitos. Temos que ter o desejo de permitir que Deus nos transforme de dentro para fora.

Emoções

Nossa alma tem emoções, onde estão nossas reações e nossos sentimentos, onde somos comovidos, e temos aquelas impressões. As emoções afetam nossa, autoestima, nosso senso de valor, se sentimos amor, segurança, aceitação e valorização.

Todos nós temos necessidades que não foram atendidas. Talvez em nossa infância, ou em relacionamentos, não recebemos todo amor, segurança, aceitação, e encorajamento que precisávamos. Então acabamos tendo uma baixa autoestima, ou frustração em nossa vida. Isso pode resultar em insegurança, rejeição, dependência de outras pessoas, ou em relacionamentos codependentes.

Nós tentamos suprir nossas necessidades dessa maneira porque não estamos tendo um relacionamento correto com Deus, e Ele é o único capaz de suprir cada uma das nossas necessidades. Nós temos olhado para o mundo, e temos sido feridos. Nós experimentamos culpa e vergonha, e carregamos um monte de feridas não curadas, por causa de pessoas que nos colocaram para baixo, e nos machucaram. Quando não aprendemos a perdoar e liberar essas pessoas, ficamos cheios de raiva, ressentimento, e amargura, que são coisas emocionais.

Essas emoções podem governar totalmente nossas vidas – se nós permitimos. Temos que lidar com elas. Elas afetam a nossa consciência, e acionam nossas reações o tempo todo. Nosso comportamento não simplesmente acontece. Ele é originado de coisas que estão dentro de nós e Deus deseja que nos perdoemos, e sejamos restaurados, mudados e renovados, para que as fortalezas e toda ferida e dor que houver sejam tratadas.

Vontade

Nós também temos uma vontade. Se pecamos, por teimosia ou rebelião, nossa vontade é prejudicada, e se torna uma barreira eficaz para impedir a vontade de Deus para nossas vidas, pois gera em nós descrença, indecisão, controle, dúvida e medo. Quando lidamos com isso, Deus substitui por humildade, confiança, ousadia, coragem, persistência, determinação, perseverança, domínio próprio (que é o fruto do Espírito). Todas essas coisas podem acontecer se permitirmos Deus nos transformar de dentro para fora.

É muito importante para nós entendermos o que está acontecendo dentro de nós e como funcionamos. Alguns de nós aprendemos a nos descascar como uma cebola, para expor o que está acontecendo em nosso interior; isso pode ser bom, contanto que não tentemos nos transformar de fora para dentro, por que se fizermos isso, com certeza essa batalha já está perdida.

Se focarmos no problema, maior ele se tornará. Se focarmos na solução, o problema se tornará menor. Em Jesus nada é impossível. Nada irá impedir o Senhor de fazer o que Ele precisa, se nós nos rendermos a Ele.

Escolha

A última porta é a escolha. No final, tudo termina com uma pergunta. Depois de havermos limpado tudo o que nos impede de nos rendermos a Deus e de permitimos nosso espírito governar, temos que fazer uma escolha consciente diariamente. O que vamos escolher fazer?

Vamos buscar para que todas essas portas sejam transformadas e fluam com a vida de Deus. Nesse momento a maioria delas não está assim. Não podemos transformar a nós mesmos. Temos que pedir para que Deus venha em cada uma dessas portas e nos transforme.

Seria muito perigoso se a glória de Deus começasse a manifestar através de nós, através de uma vida impura; seria um perigo para nós e para as pessoas ao nosso redor. Ele não permitiria Sua presença se manifestar através de nós, até que tivéssemos uma vida santa, através da qual Ele pudesse fluir.

Mas Ele quer manifestar Sua presença através de nós.

Artigo original em Inglês
Outros artigos de Freedom ARC

Facebook: Vida Sobrenatural (@umavidasobrenatural)

Autor: Freedom ARC

Freedom Apostolic Resource Centre, Barnstaple, UK.