151. Abdicar e Servir

Mike Parsons
com Jeremy Westcott

Quando Jesus viveu na terra, Ele tinha poder sobre a natureza, poder sobre a doença, poder sobre os demônios, poder sobre tudo. Ele ensinou sobre falar com a montanha e dizer para ela se mover. Ele operou no poder do reino para colocar tudo em sujeição á vontade e propósito de Deus. Ele quer que a gente viva da mesma maneira.

Treinamento para reinar

Aqueles que recebem a abundância da graça e do dom da justiça reinará em vida por meio de Um só, Jesus Cristo. (Rm 5:17)

É claro a partir deste verso que nós reinaremos. Reinar é o que é feito por um rei, em um trono, sobre um território ou uma área que eles governam (seu reino). Observe que aqueles que devem reinar precisam recebê-lo como um presente. Não é alcançado através de nossa própria força, auto-esforço ou auto-estima. É através do recebimento do dom da justiça.

E para o nosso Deus nos fizeste reis e sacerdotes; e reinaremos sobre a terra. (Apocalipse 5:10)

Há um período de treinamento que temos que percorrer para isso. Muitos de nós nos encontramos naquele lugar de treinamento agora. Se tentarmos permanecer no controle, sentados no trono da nossa vida (que contém o rolo do nosso destino), não há lugar de descanso ou governo para nós. Temos que abdicar do trono de nossas vidas em favor de Jesus. Nós temos que desistir do trono, desistir do controle de nossas vidas.

Quando fazemos Jesus Senhor, Ele pode nos treinar para sermos senhores. Esse treinamento envolve provações, dificuldades e tribulações, circunstâncias que nos ensinam a superar e a crescer, situações nas quais manifestamos Seu reino.

Servo

Mas a primeira coisa que Ele quer que façamos é aprender a sermos servos.

Nós cantamos sobre ‘elevar Jesus mais alto’. A primeira maneira de elevá-lo mais alto é descermos. Quando abdicamos do trono de nossas vidas, quando estamos em nossos rostos em obediência, Ele é maior. O servo faz as obras de Deus. Isso faz parte do nosso treinamento para ocupar o trono e a sede do governo.

Jesus é nosso exemplo do que significa ser um servo. Mesmo sendo um rei, ele veio para servir. Tudo no reino de Deus começa com um coração de servo:

 “Quem quiser tornar-se grande entre vós será teu servo” (Mt 20:26)

“Pois o próprio Filho do homem não veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida em resgate por muitos.” (Mc 10:45)

“Se alguém me serve, ele deve seguir-me, e onde eu estou, meu servo estará também, se alguém me servir, o Pai o honrará” (Jo 12:26)

Quando Jesus fala sobre “onde estou” neste verso, Ele está se referindo ao relacionamento que tem com o Pai: Ele está no Pai e o Pai está Nele. Ele diz que podemos fazer parte desse relacionamento também.

Humildade e obediência

Quando nos humilharmos, quando nos curvamos em obediência para servi-lo, o Pai nos levantará. Não é para nós nos erguermos e tentarmos entrar em um trono. Nós certamente não tentamos dominar sobre outras pessoas, ou procurar controlar ou manipular situações. Nós nos inclinamos em humildade entregamos nossas vidas àquele que nos equipará para estar num trono. Se nos sentamos em um trono e não sabemos como usar a autoridade corretamente, abusaremos dessa autoridade. O uso correto da autoridade trará bênçãos para nós mesmos e para os outros. E Deus nos honrará.

Jesus foi obediente para fazer as obras que o Pai O instruiu a fazer. Em força absoluta, Ele entregou essa força ao Pai. Ele aprendeu a permitir que Deus trabalhasse através Dele.

Mas Jesus respondeu, e disse-lhes: Na verdade, na verdade vos digo que o Filho por si mesmo não pode fazer coisa alguma, se o não vir fazer o Pai; porque tudo quanto ele faz, o Filho o faz igualmente.(Jo 5:19)

Não crês tu que eu estou no Pai, e que o Pai está em mim? As palavras que eu vos digo não as digo de mim mesmo, mas o Pai, que está em mim, é quem faz as obras.” (Jo 14:10)

Obediência é o treinamento para saber que somos uma habitação da presença de Deus; saber que Deus operará através de nós como um canal de Sua glória e poder – se nos rendermos.

“Em verdade, em verdade vos digo que aquele que crê em mim, as obras que eu faço, também o fará; e maiores obras do que estas ele fará; porque eu vou para o Pai” (João 14:12).

Fazer obras maiores do que Jesus pode parecer bastante impressionante, mas na verdade é apenas ser um servo.

Servo de aliança

“Porque não nos pregamos a nós mesmos, mas a Cristo Jesus, o Senhor; e nós mesmos somos vossos servos por amor de Jesus.” (2 Co 4:5)

No Antigo Testamento quando alguém era vendido como escravo, eles podiam se libertar depois de sete anos. Muitos optaram por não ser livres e tornaram-se servos de aliança. Assim, um servo de aliança é alguém que poderia ter sido livre, mas optou por não fazê-lo; alguém que escolheu render sua liberdade para servir seu mestre. Eles usavam uma argola no ouvido para mostrar que esse era seu status. É assim que Paulo descreve a si mesmo e a Jesus:

De sorte que haja em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus, Que, sendo em forma de Deus, não teve por usurpação ser igual a Deus, Mas esvaziou-se a si mesmo, tomando a forma de servo, fazendo-se semelhante aos homens; E, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até à morte, e morte de cruz. (Fp 2:5-8)

Ainda que era Filho, aprendeu a obediência, por aquilo que padeceu. (Hb 5:8)

Através das coisas que Jesus passou em sua vida (e morte), Ele aprendeu a obediência. Aprendemos a obedecer exatamente através do mesmo processo, mesmo através das coisas difíceis que ás vezes acontecem conosco. Jesus se humilhou totalmente e entregou sua autoridade e poder para que o Pai pudesse usá-Lo para os propósitos de Seu reino.

Jesus era um servo de aliança, e Deus está procurando aqueles que estão dispostos a se tornar servos de aliança assim como Ele. Porque eles podem ser treinados para serem reis e , finalmente, revelados como filhos.

Outros artigos de Freedom ARC

Página do Facebook: Vida Sobrenatural.
Grupo do Facebook: VIDA SOBRENATURAL (pedir para participar).

Artigo original em Inglês

Autor: Freedom ARC

Freedom Apostolic Resource Centre, Barnstaple, UK.

Uma consideração sobre “151. Abdicar e Servir”

Os comentários estão encerrados.