Intimidade com o Pai

Mike Parsons
com Jeremy Westcott – 

À medida que nos aproximamos do dia da volta de Jesus, Deus está nos chamando à intimidade. E mesmo quando Ele trouxer as outras fases do Calendário Profético que Ele me mostrou, esse chamado a intimidade continuará, pois isso tem que ser nossa prioridade.

Eu sei que as pessoas têm dificuldade em ter um relacionamento íntimo com Deus, pois eu mesmo já tive. Quando me tornei cristão eu tinha uns 12 anos de idade e não tinha nenhum conceito de Deus como Pai, porque eu não tinha um relacionamento muito bom com meu pai terreno. Quando eu orava era sempre para Jesus ou para “o Senhor”. Eu nunca orava para o Pai, porque fui ferido pelo meu próprio pai. E assim eu protegia meu coração.

Todos nós precisamos de amor e aceitação, e eu buscava isso em relacionamentos (principalmente com meninas, como a maioria dos adolescentes fazem). E encontrei alguém que pensei que eu amava – meu ‘primeiro amor’ se vocês preferem. Então numa tarde fui muito ferido por ela. No ônibus, no caminho para casa eu jurei que nunca mais alguém me machucaria daquela forma. Coloquei uma barreira em meu coração para me proteger de qualquer ferida ou dano, e mantinha todos a um braço de distância. Isso me manteve seguro, mas me trancou numa prisão. Eu me tornei uma pessoa bem racional, eu usava meu intelecto para embalar as coisas, assim eu não tinha que lidar com as emoções. Eu nunca tinha um relacionamento íntimo com Deus ou com qualquer pessoa. Então quando Jesus dizia ‘Veja, eu estou na porta e bato’ (Ap 3:20), eu tinha dificuldade para abrir-la.

Ao longo dos anos, Deus encontrou comigo várias vezes e Ele começou a curar meu coração. Na primeira vez, eu estava em um grupo pequeno de pessoas adorando, quando Deus falou comigo e disse ‘Eu sou seu Pai’. Tive dificuldade com a ideia, assim como muitos temos por causa de nossos próprios pais, mas Ele rompeu isso e colocou Seus braços ao meu redor. Eu senti os braços Dele, e Sua presença, isso me ajudou a começar conversar com Ele como ‘Pai’.

Ainda me lembro, quando Hannah, nossa filha mais velha, tinha cerca de um ano e meio. Um dia eu estava sentado e ela veio andando até mim, olhou nos meus olhos e disse ‘Papai, te amo’. Aquilo quebrantou meu coração. Eu não sabia como receber esse gesto e como responder para ela. Fiquei em lágrimas.

Mas me desafiou a lidar com as coisas no meu coração. Aquilo que havia me protegido e me guardado, tinha também trancado meu coração de maneira que eu não conseguia sentir o amor de Deus. Temos que vencer os obstáculos na nossa vida que nos impedem de ter intimidade.

Se feridas e experiências do passado nos levam a autoproteção, isso vai nos impedir de entrar plenamente naquilo que Deus tem para nós. E se estivermos feridos, será difícil para nós cantar canções no nosso momento de adoração, que falam sobre encontrar Deus face a face, dançar com Ele, estar em um relacionamento íntimo com Ele.

Quando pensei que já tinha lidado com todas as minhas feridas, eu estava no céu conversando com Jesus, e Ele me disse ‘Você não me vê como o Pai’ e dentro de mim eu sabia que era verdade. ‘É porque você tem uma ferida em relação ao seu pai’ Ele me explicou. Eu ia questionar Ele – mas não adianta fazer isso. Mesmo assim eu disse, ‘Mas eu já perdoei todo mundo! Perdoei meu pai, já fui ministrado. E encontrei com o Pai’ (de fato eu tinha, mas não no céu). E Jesus disse ‘Você tem uma ferida em relação ao seu pai’. Ele me mostrou a figura do meu coração com uma cicatriz grande. Ele me perguntou, ‘Você vai deixar eu te curar?’ e eu disse ‘Ok’.

Então por cerca de 40 minutos o Pai veio até mim e disse as mesmas palavras várias vezes: ‘Eu te amo… Eu te amo… Eu te amo… Eu te amo…’. Cada vez que Ele falava meu coração ia sendo curado. Então olhei e a cicatriz tinha sumido. Tive momentos maravilhosos de intimidade com o Pai.

Isso é o que Ele quer para cada um de Seus filhos.

Trilha sonora: Abba por Jonathan David Helser (YouTube)

Artigo original em Inglês
Outros artigos de Freedom ARC

Facebook: Vida Sobrenatural (@umavidasobrenatural)
Facebook (em Inglês): Freedom ARC (@freedomarc.uk)
Instagram (em Inglês): freedom_arc

Anúncios

A Prova do Desejo

Mike Parsons
com Jeremy Westcott – 

Busca é a prova do desejo

‘Busca é a prova do desejo’, como nosso amigo Graham Jones diz. Se realmente queremos cumprir nosso destino, vamos focar nosso coração e nosso desejo nisso e buscar.

Vou colocar aqui alguns pensamentos sobre a busca do nosso destino, sem muitos detalhes agora, te encorajo a ler com o seu espírito, para que você veja o que te traz luz…

Dois caminhos

Há dois caminhos nas dimensões celestiais: o caminho do relacionamento e o da responsabilidade. Ambos oferecem oportunidades para transformação. Algumas vezes vou estar em um, algumas vezes no ouro, mas vou andar nos dois.

Intimidade

Não irei a lugar nenhum sem antes desfrutar de intimidade com Deus. Isso envolve ver, ouvir, sentir e experimentar quem Ele é e quem eu sou.

Ressoar

Não somos todos iguais, cada um tem uma canção e um destino. Preciso aprender a ressoar e entrar em concordância, e harmonia com toda a sinfonia do céu. Há um som maravilhoso nas dimensões celestiais que está começando a ser ouvido nessa dimensão, e posso ressoar e entrar em harmonia com ele, e assim contribuir com meu som e minha melodia única.

Permanecer em fé

Eu vou crer, e permanecer em fé. ‘Sem fé é impossível agradar a Deus’. Tenho que confiar Nele, e buscar.

O desejo pelo meu destino

Vou alimentar o desejo pelo meu destino, me alinhar, e submeter minha vida diariamente ao governo de Deus e senhorio de Jesus.

Desvendar meu livro

Vou viver para desvendar meu livro. Não me contentarei até ver que estou vivendo de acordo com ele. Não vou me acomodar com o segundo lugar, nem com a metade; quero viver plenamente meu destino.

Conhecer pela experiência

Há coisas que preciso conhecer pela experiência prática, e não pela leitura ou porque outros me falaram. Preciso conhecer o testemunho que está escrito no céu para mim. Preciso conhecer o sangue de Jesus como meu poder para vencer. Preciso ter revelação sobre minha filiação. Tenho que conhecer as cortes do céu, os jardins, a sala do tesouro, a sala dos vinhos, a sala dos registros, dos mantos e todos os outros lugares nas dimensões dos céus: lugares que eu já estive, ou outras pessoas estiveram. Tenho que conhecer.

Governar

Eu preciso saber o que está no céu para manifestar aqui na terra; preciso conhecer a autoridade que tenho lá, para governar aqui.

Viver nos céus e na terra

Então viverei nos céus e na terra, e manifestarei os céus na terra através de mim.

Artigo original em Inglês
Outros artigos de Freedom ARC

Facebook: Vida Sobrenatural (@umavidasobrenatural)
Facebook (em Inglês): Freedom ARC (@freedomarc.uk)
Instagram (em Inglês): freedom_arc

Lagartas, Borboletas e Super Heróis

Mike Parsons
com Jeremy Westcott

E todos nós, com o rosto desvendado, contemplando, como por espelho, a glória do Senhor, somos transformados, de glória em glória, na sua própria imagem, como pelo Senhor, o Espírito. (2 Coríntios 3:18).

Transformação, transfiguração, mudança, metamorfose: todos esses vocábulos são traduções para a mesma palavra na Bíblia.

Todos nós estamos em processo de mudança. Você deve ter notado a borboleta no nosso logo. Uma borboleta não é igual a uma lagarta, mesmo que venha de uma. Como filhos de Deus, filhos da luz, não seremos os mesmos que éramos antes de nascer de novo e sermos transformados na imagem de Jesus. Como vimos, os filhos terão os 12 filamentos de DNA ativos; cumpriremos nosso destino ativamente, e nossas habilidades sobrenaturais serão plenamente restauradas.

Eu amo filmes e programas sobre super heróis. Há um monte deles, porque escritores estão captando algo que está vindo do céu. Por que gosto tanto deles? Porque sei que algumas das habilidades que eles têm, eu terei. Vou ser como o Super Homem, porque Jesus foi assim (exceto que Ele não tinha que se preocupar com a criptonita, pois o mal não tinha direito sobre Ele). Além disso, Ele estava no meio de uma geração perversa e incrédula, enquanto nós estaremos no meio do maior reavivamento que o mundo já viu, rodeados de seres sobrenaturais semelhantes a nós, e iremos fazer coisas maiores do que Ele fez.

Vamos voltar para a lagarta. Na fase de pupa, o DNA da lagarta literalmente vira um mingau, e do meio dessa fornalha de repente sai uma borboleta, que pode voar. Você pode ver tudo nesse vídeo curto:

Você quer voar? Eu quero voar para o meu destino. Não quero ser como uma galinha que bate as asas e não vai para lugar nenhum, quero ser uma águia, voando, e vivendo tudo o que Deus tem para mim. Estou certo de que essa é a razão pela qual, pessoas proféticas em nosso meio estão vendo águias.

Porque Deus, que disse: Das trevas resplandecerá a luz, ele mesmo resplandeceu em nosso coração, para iluminação do conhecimento da glória de Deus, na face de Cristo. (2 Coríntios 4:6)

Essa luz e conhecimento estão resplandecendo em nossos corações, para nos transformar a fim de que demonstremos a glória de Deus.

Agora, se você não conhece Deus de verdade, então a primeira coisa que você precisa é se reconectar a Ele e nascer de novo, coloque sua fé em Jesus, ore e entregue sua vida a Ele. Nós podemos te ajudar a fazer isso se você entrar em contato conosco na seção de comentários. Assim que você conhecer a Deus, você já pode começar a acessar seu destino. Seu passado é perdoado e limpo, e você tem um novo futuro.

O destino e a herança são nossos, mas temos que nos apropriar deles. Temos que escolher nos alinhar aos desejos de Deus para nós, nos render ao nosso destino, e então seremos restaurados a criação original. Poderemos nos tornar o que sempre devíamos ser.

Artigo original em Inglês
Outros artigos de Freedom ARC

Facebook: Vida Sobrenatural (@umavidasobrenatural)

Um canal de Deus

Mike Parsons
com Jeremy Westcott

Jesus foi transfigurado aqui na terra e brilhou com glória.

Essa é a intenção de Deus para todos nós, que brilhemos com a Sua glória. Nós podemos começar a manifestar a glória de Dele através de nossas vidas, quando Ele vive em nós e nos tornamos um canal Dele.

Agora mais uma vez, você pode achar estranho porque canalizar é algo que as pessoas da Nova Era fazem. Mas eles pegam um conceito que é verdadeiro, no entanto aplica-o de uma maneira contrária a Deus.

Deus está dentro de nós, em nosso espírito, e se Ele quiser se manifestar no nosso exterior, ele precisa vir através de nossa alma e corpo. Então nos tornamos um canal, uma interface entre Deus e o mundo ao nosso redor, um meio pelo qual Ele pode se manifestar. Quando Jesus fez todos os milagres e sinais, foi o Pai que manifestou Nele Suas obras.

Deus está nos chamando para um relacionamento assim, para fazermos o que vemos o Pai fazer. Isso vem da revelação de que somos transformados de glória em glória. 

Quando falamos sobre ‘transformação’, não é simplesmente o nosso comportamento que irá mudar. Isso é o que eu estava ressaltando no post anterior sobre nosso DNA. Se nos submetermos ao processo de transformação, além de desfrutarmos de um relacionamento mais íntimo com Deus, e vencermos o pecado em nossas vidas, seremos radicalmente mudados, transformados em ‘filhos da luz’.

A expressão ‘filhos da luz’ fala de algo que vai muito além do que a maioria das pessoas possa imaginar. O mínimo que ocorrerá é que recuperaremos algumas das habilidades latentes que estão no nosso DNA. Elas serão ligadas novamente, restaurando o que Adão tinha antes do pecado, e além daquilo.

Provavelmente ainda não entendemos todos os detalhes. No entanto, com aquilo que entendemos, sabemos que Deus é poderoso para fazer muito além do que pedimos ou imaginamos.

Artigo original em Inglês
Outros artigos de Freedom ARC

Facebook: Vida Sobrenatural (@umavidasobrenatural)

 

Doze Filamentos, Doze Pedras

 

Mike Parsons
com Jeremy Westcott

Adão foi criado como um ser espiritual, e estava vestido com glória. Ele era espírito, alma e corpo, ou seja, seu espírito estava do lado de fora e seu corpo do lado de dentro. Não havia sangue, porque ele era um ser de luz.

Originalmente o DNA de Adão tinha uma hélice tripla com três filamentos, que representavam corpo, alma e espírito de acordo com a imagem de Deus. Ele foi criado com o potencial para se tornar um filho de Deus completo e maduro, com os nove filamentos (3×3) de DNA que representam a plenitude de Deus, somadas aos seus três filamentos para formar os doze, que representam o pleno governo.

Ao longo desse post vou explicar isso com mais detalhes, mas o importante agora é você entender que nós temos a capacidade para mudar, para ser transformados, a um nível muito além do que jamais imaginamos.

97% de DNA inativo

O pecado fez com que o filamento de luz do DNA fosse perdido (os comprimentos de onda de Deus que estavam conosco). Agora nós só temos 3% de nosso DNA ativo. 97% dele está inativo, codificado.

Cientistas russos, trabalhando no projeto genoma humano, descobriram que há linguagem e sintaxe nos 97% e que poderia ser mudado e recodificado por frequências, sons ou até mesmo palavras com um feixe de luz de lazer. Pesquisas recentes confirmaram que esta área do DNA tem gatilhos ou interruptores que podem ser ligados ou desligados (pelo meio ambiente, palavras, ou traumas, por exemplo), e o que eles ligam são habilidades genéticas e fraquezas. Nós podemos ser conformados a imagem de Deus, e novamente nos tornamos um ser de luz transfigurado, porque nosso DNA tem a capacidade de ser resequenciado.

[Um novo campo de estudos científicos, chamado epigenética, mostra que não somente o DNA pode ser mudado, mas também que essas mudanças podem ser passadas para próxima geração, ou seja, agora estudos científicos concordam com o que a Bíblia sempre disse sobre a iniquidade passada até a terceira e quarta geração.]

O espírito de Adão implodiu no seu ser interior quando ele pecou, então seu espírito passou a ficar no seu interior. E Deus lhe deu pele. Deus não matou um animal e vestiu Adão com suas peles: Ele deu a Adão pele, três camadas, para cobrir o seu sangue, porque sangue é luz congelada (isso pode soar estranho, mas se você fazer uma pesquisa no Google, você encontrará informações científicas sobre isso).

Adão perdeu sua habilidade de acessar a dimensão espiritual, por ter perdido o DNA de luz, além disso, ele se tornou um ser humano com um DNA físico de dois filamentos com hélice dupla. Quando nascemos de novo e nosso espírito é corretamente reintegrado com nossa alma e corpo nós recebemos de volta o DNA de luz.

Então Adão tinha um DNA com três filamentos: dois contendo o DNA físico, e um, luz. A luz pode ter informação codificada, o cabo de fibra óptica, por exemplo, é usado na tecnologia moderna para carregar informação, dados, som, e etc. No filamento de luz do DNA, há informações codificadas que podem ser som, frequência, fragrância e fórmulas matemáticas relacionadas ao nosso destino ou a nossa identidade espiritual.

Deus falou comigo sobre isso em 2010, mas por 12 meses não compartilhei nada, porque eu precisava meditar nisso e ver na palavra de Deus.  O que descobri é que isso se relaciona com as nove pedras que cobriam o corpo de Lúcifer (Ezequiel 28): aquelas pedras representam os nove filamentos do DNA de Deus. No mesmo capítulo lemos sobre Satanás nas pedras de fogo: eu já estive nessas pedras de fogo, elas são nove. E há nove passos para ascensão.

Agora você pode pensar, isso parece budismo. Mas de onde você acha que o budismo pegou essa verdade? O Budismo, nada mais é que a corrupção, a perversão da verdade. Existe ‘A Verdade’ e as pessoas pegam essa verdade, a interpretam e a aplicam de acordo com seu próprio entendimento ou propósitos, e ela fica distorcida (a um nível maior ou menor). Olhe para os escritores de ficção científica e fantasia ao redor do mundo, eles estão captando um som que está vindo do céu. Eles interpretam esse som de acordo com sua alma, para produzir livros e filmes e séries de TV, e etc., mas há verdade nele.

Maturidade como filhos

O homem não foi criado perfeito: ele foi criado sem pecado. Adão não havia pecado, mas mesmo assim, ele ainda tinha que ser transformado de acordo com a imagem de Jesus e se tornar como Ele. Sendo assim havia um processo ao qual Satanás (ou Lúcifer, naquele momento) havia recebido autoridade para ensinar ao homem como se tornar como um Filho de Deus.

Originalmente nós tínhamos três filamentos de DNA porque fomos feitos a imagem de Deus: o Pai, o Filho e o Espírito Santo. Deus tem nove filamentos de DNA de luz: três do Pai, três de Jesus, e três do Espírito. O conhecimento revelatório contido nos nove filamentos do DNA de Deus era para nos trazer a maturidade como filhos. Lúcifer era para ser o tutor do homem acerca disso, e isso estava representado nas nove pedras que cobriam o corpo dele (como um dos querubins, ele cobria o trono de Deus, e como um portador da luz era para ele refletir a luz revelatória de Deus no universo). Ao invés disso, como sabemos, Satanás pegou esse conhecimento e o negociou, e um terço dos anjos o seguiu.

Doze Pedras

Agora olhe no peitoral do Sumo Sacerdote, há doze pedras. Nove, as mesmas que cobriam o corpo de Satanás, e mais três. Foi isso que irritou Satanás, o homem tinha três pedras a mais, as pedras da filiação. O DNA humano sempre foi um campo de batalha (Gen 3:15), anteriormente havíamos escrito sobre a guerra das sementes, o conflito entre a semente de Satanás e a semente da mulher. Essa guerra tem se estendido por eras, e está sendo travada hoje na arena das tecnologias GRIN, o campo de batalha atual.

Deus deseja nos trazer de volta a perfeita filiação, sendo assim Ele quer transformar nosso DNA. Ele quer nos transformar para que novamente nos tornemos filhos da luz, assim como Jesus foi transfigurado aqui na terra e brilhou com sua glória.

Doze pedras (9+3) representam o governo pleno, a plena autoridade de Deus e o homem em unidade, juntos em um só espírito (1Co 6:17). Deus sempre quis que nos tornássemos coerdeiros maduros com Ele, e juntos governemos o universo criado, tanto o espiritual quanto o físico.

Para nós é isso é que significa ser filhos de Deus.

Artigo original em Inglês
Outros artigos de Freedom ARC

Facebook: Vida Sobrenatural (@umavidasobrenatural)

 

Dois Testemunhos Ressoando

Mike Parsons
com Jeremy Westcott

Porque a carne milita contra o Espírito, e o Espírito, contra a carne, porque são opostos entre si; para que não façais o que, porventura, seja do vosso querer (Gálatas 5:17).

Batalha interior

Assim que nascemos de novo, começa uma batalha em nosso interior.

A carne e o espírito começam a guerrear pelo controle. A alma e o corpo dominaram durante toda nossa vida, eles não querem se render. De repente, nosso espírito está vivo
e conectado com Deus, Deus vive dentro de nós. Agora, a cada dia, a cada momento temos que fazer escolhas. Submeter nossa vida ao nosso espírito, ou a nossa alma.

Dois testemunhos que ressoam começam a competir, e irão criar padrões de interferência destrutivos, a não ser que decidamos com firmeza escolher um deles.

A carne não quer o que o nosso espírito deseja, e vice-versa. Se fizermos as coisas que nossa carne quer, nosso espírito não ficará feliz (e Deus também não). Vamos ser honestos conosco: quem está ganhando a competição? A cada dia, quanto estamos vivendo de acordo com os planos e os propósitos de Deus para nossas vidas, e quanto estamos desperdiçando, vivendo de acordo com os desejos da carne? Precisamos nos render diariamente aos propósitos de Deus para nós.

Dizia a todos: Se alguém quer vir após mim, a si mesmo se negue, dia a dia tome a sua cruz e siga-me (Lucas 9:23).

Sacrifícios vivos

Anteriormente postei sobre como nos oferecer como um sacrifício vivo diariamente. Quando fazemos isso, somos transformados, então podemos entrar no nosso destino.

Rogo-vos, pois, irmãos, pelas misericórdias de Deus, que apresenteis o vosso corpo por sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional. E não vos
conformeis com este século, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus (Rom 12:1-2).

Nossa mente não é nosso cérebro, é nosso subconsciente, que está em nosso coração.

Porque a palavra de Deus é viva, e eficaz, e mais cortante do que qualquer espada de dois gumes, e penetra até ao ponto de dividir alma e espírito, juntas e medulas, e é apta para discernir os pensamentos e propósitos do coração (Heb 4:12).

Quando nos alinhamos com a Palavra de Deus, isto é, com as escrituras e com aquilo que Ele escreveu no nosso rolo do destino, isto tem um efeito nos nossos pensamentos e intenções do nosso coração. Esses pensamentos são do nosso espírito ou da nossa carne?

A escolha é nossa.

Artigo original em Inglês
Outros artigos de Freedom ARC

Facebook: Vida Sobrenatural (@umavidasobrenatural)

Sacrifício vivo (1)

Mike Parsons

Paulo escreve aos Romanos, rogo-vos, pois, irmãos, pelas misericórdias de Deus, que apresenteis o vosso corpo por sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional. (Rom 12:1).

Um sacrifício vivo é um sacrifício preparado. Entender o que acontecia quando as ofertas eram oferecidas no Antigo Testamento irá nos ajudar. Quando eles ofereciam o sacrifício de um cordeiro, ele era preparado para que pudesse ser recebido como uma oferta. O Sumo Sacerdote preparava e colocava o sacrifício no altar. Nós sabemos que Jesus é nosso Grande Sumo Sacerdote (Heb 4:14), então entramos no Lugar Santo no tabernáculo celestial e nos apresentamos no altar de incenso para ser um aroma suave para Deus; convidamos Jesus para nos preparar como um sacrifício: nós sabemos o que Ele vai fazer, e permitimos espontaneamente.

Assim é que o Sumo Sacerdote preparava o sacrifício:

        1. Ele cortava a garganta e drenava o sangue do cordeiro. Se nós vamos ser preparados como um sacrifício vivo, temos que desejar que nossa garganta seja cortada e nosso sangue drenado para que nossa vida na carne seja trocada pela vida Dele no espírito. Por favor, entendam, não é cortar a garganta literalmente, nem fisicamente. Jesus disse, “ Você tem que negar a si mesmo, tomar sua cruz diariamente, e me seguir”. Perder nossa vida, para ganhar a Dele. Precisamos morrer totalmente para nossa maneira de fazer as coisas, e no lugar dizer “Eu morro para mim mesmo, eu nego meu eu”,  diariamente.
        2. A cabeça era separada. Nós não podemos estar no controle, com nossa cabeça. Temos que dizer como Jesus disse, “não seja feita a minha vontademas a Tua”. Ele é o sacrifício perfeito. Ele fez isso todos os dias. Ele apresentou-se a cada manhã como um discípulo (Is 50:4). Eu renuncio o direito ao meu livre-arbítrio, pois toda vez minha carne entra no meio, e acabo escolhendo o que me agrada em vez do que agrada a Deus. Sendo assim, que não seja feita a minha vontade, mas a Tua: não vou deixar minha cabeça decidir o que vou fazer.
        3. A pele era removida. Não podemos ter mecanismos de defesa, de proteção e de justiça própria como uma barreira: temos que ser vulneráveis e transparentes diante de Deus, e dos outros. Não podemos ficar nos protegendo, temos que viver debaixo da proteção Dele. Temos a armadura de luz, a armadura da justiça, e a armadura de Deus para nos proteger. Não poderemos usar nenhuma delas se tentarmos nos proteger com uma armadura inferior feita por nós mesmos. Temos que abrir mão.
        4. Ele abria o corpo inteiro, e lavava todo o interior. Deus quer que nosso coração seja purificado, refinado e lavado nas águas vivas de Sua Palavra e de Sua Presença. Temos que desejar abrir nosso coração, e nossa vida. O sacrifício vivo é isso, é dizer “Tudo pertence a Ti. Não estou escondendo nada de Ti. Tudo é teu.”
        5. Finalmente, Ele cortava as pernas. Não podemos andar da nossa maneira, temos que nos render diariamente e andar de acordo com a direção do Espírito. “…o Filho nada pode fazer de si mesmo, senão somente aquilo que vir fazer o Pai” (João 5:19). Jesus via o que o Pai fazendo, é por isso que Ele operou milagres. Ele está nos chamando para fazermos o mesmo que Ele fez, ou seja, operarmos milagres, sinais, e maravilhas, sermos guiados pelo Espírito diariamente, seguindo-O, sem fazer do nosso jeito ou de acordo com nossas ideias, e diariamente entregamos cada dia para Deus dizendo, “Deus, este dia pertence a Ti. Este é o Seu dia, sou apenas teu servo. Guia-me, usa-me, me enche de poder e visão, mostra-me o que Você está fazendo.”

      Quando entramos no céu e Ele nos dá revelação lá, quando passamos tempo no espírito, em comunhão e relacionamento com Ele; se nos apresentarmos como um sacrifício vivo, Ele se revelará a nós. Ele nos usará se dermos a Ele oportunidade. Mas temos que nos render e permitir que Jesus nos prepare ara sermos o sacrifício, e não podemos nos oferecer da boca para fora; porque se fizermos isso; Ele saberá.

      Artigo em outros idiomas
    • Present A Living Sacrifice (1) (Artigo original em Inglês)
    • Se présenter comme un sacrifice vivant (1) (en français)

Facebook: Vida Sobrenatural (@umavidasobrenatural)