Entrando na dimensão do céu

Deus deseja que nós entremos nas dimensões do céu, aqui e agora enquanto estamos vivendo na terra. Se você está pronto, hoje chegou o dia de ter essa experiência.

Mike Parsons
com Jeremy Westcott  

Nós já vimos em vários posts como Deus deseja que nós entremos nas dimensões do céu, aqui e agora enquanto estamos vivendo na terra.

Se você está pronto, hoje chegou o dia de ter essa experiência.

Entrando, saindo

Se você pode, por favor levanter-se e ore em línguas por um minuto – se for possível alto, só para ativar o seu espírito. Por favor, não pule essa parte. Se nesse momento você não pode orar alto, não tem problema continuar lendo, mas volte a esse post num momento que você possa fazer isso, por que esse post é muito prático. E é importante que você siga passo a passo as instruções.

Quando você tiver orando em línguas por um minuto ou mais (não pare, continue orando em línguas),

Veja que há uma porta aberta.
O Senhor está na porta,
E Ele está te convidando a entrar na dimensão dos céus

Há uma escada, com anjos subindo e descendo.
Mas você não tem que subir a escada para chegar à porta,
Porque Deus está te chamando para entrar, te dando boas vindas, te convidando para ir.

Então enquanto você ora em línguas,
Dê um passo para frente, um passo físico,
E entre na dimensão, onde está seu trono, nos céus.

Você está agora na presença de Deus.
A glória de Deus está te cercando,
A presença do reino de Deus está ao seu redor.

Entre e receba sua posição como senhor,
Entre como um senhor,
Você vai receber autoridade para governar
Na montanha que está operando com seu espírito

Você está nas dimensões do céu.
Você entrou na presença do Senhor
E Ele está te entregando
O direito e o poder para governar sua vida

Saia das dimensões do céu
(Dê um passo para trás)

E agora você tem autoridade,
E você pode exercê-la no seu monte
Para ver as coisas mudarem nessa dimensão, na terra.

Eu quero te encorajar, você pode entrar e sair das dimensões do céu quantas vezes você quiser por dia. Entre nas dimensões do céu; saia das dimensões trazendo com você autoridade para que você possa aplicar na sua vida.

Se surgirem problemas durante o dia, simplesmente entre nas dimensões do céu. Receba as vestes de justiça e então saia de lá e exerça autoridade na justiça de Deus, aqui na terra.

Pratique entrar e sair.
Ore em línguas intensamente.
Isso irá fortalecer o seu espírito para que você consiga entrar e sair.

Comunhão com Deus em nosso jardim

Nós temos um jardim em nossa alma. Nosso jardim é parte do nosso coração (há quatro recamaras do coração). Vamos começar a ter comunhão com Deus lá, quando nós abrimos a porta, aquele ‘portal eterno’ que está em cada um de nós, para deixar que o Senhor entre.

Então oramos em línguas por um minute ou dois, continue orando…

[2 minutos]

E agora nós vamos abrir aquela porta.

Abrimos a porta em nosso coração.
Damos boas vindas ao Rei da Glória para que Ele entre
E seja entronizado em nossa vida.

Recebemos seu senhorio, Sua autoridade em nosso espírito,
Para que nosso espírito governe nosso corpo, nossa alma e tenha autoridade.

Nós operamos na autoridade do reino: no céu, em nossas vidas, em nosso espírito.
Então desenvolvemos aquela conexão espiritual com Deus onde o Rio de Vida está fluindo,
Onde o jardim de Deus se torna o jardim em nosso coração.
Assim como no céu, é feito na terra, em nós e através de nós.

Você pode aprender entrar todo dia, abrir sua porta, deixar o Rei da Glória entrar. E Ele vai governar o trono da sua vida à medida que você render o governo dela para Ele.

Assim que começamos a fazer isso, Ele governa. Nós rendemos nossa vida a Ele. Então à medida que continuamos, Ele nos dá mais autoridade. Ele confia em nós para fazermos coisas na terra assim como no céu. Assim que aprendemos a render nosso espírito, alma e corpo, Ele nos dará o trono na nossa própria vida para governarmos com Ele.

Entre todo dia. Abra as portas. Deixe o Rei da glória entrar. Entronize-O na sua vida. Então comece a exercer o senhorio nos portões do seu corpo, da sua alma, e do seu espírito. Exercite para que suas portas sejam abertas e fluam livremente (você pode usar o diagrama do Ian Clayton a seguir para te ajudar). O Espírito de Deus começará a manifestar através de você no seu dia a dia.

Você pode sempre entrar e sair das dimensões dos céus, como Deus planejou.

Portas

No diagrama das portas do nosso espírito, alma e corpo de Ian Clayton, você verá que a Glória de Deus está no centro do nosso ser, e as portas são as maneiras de vermos Ele se manifestando em nossas vidas. Elas não são para que ‘Ele entre’, mas sim para que ‘Ele saia’, e se manifeste. Comece com a porta do Primeiro Amor, e continue uma por uma, peça ao Senhor para que Ele mostre se há alguma coisa bloqueando suas portas, e então exerça autoridade do céu para vê-las abertas e fluindo livremente. Quanto mais nossas portas estiverem abertas, mais Deus poderá se manifestar em nossa vida diária.

Em teu jardim

Essa é a música “Em teu Jardim” que você pode ouvir e entrar na presença Deus em seu jardim.

Também essa é uma música de Misty Edwards (em inglês) que geralmente usamos para entrar na presença de Deus em nosso jardim.

Outros artigos de Freedom ARC
Artigo original (em Inglês)

O Caminho, a Verdade e a Vida

Mike Parsons
com Jeremy Westcott

Nessa série ‘Dimensões do Reino’ começamos a entender como Deus deseja que nós tenhamos acesso ao céu agora mesmo. Para fazer isso, no entanto, há certos passos que precisamos seguir. Ele disse para Josué, o Sumo Sacerdote:

—O SENHOR Todo-Poderoso lhe diz o seguinte: “Se você obedecer às minhas leis e cumprir os seus deveres conforme eu ordeno, você será o administrador do Templo. Cuidará do santuário e de todos os outros edifícios; e, como estes anjos que estão aqui, você terá o mesmo direito de estar na minha presença”. (Zac 3:7)

A terra está cheia da sua glória

Isaías viu o Senhor em Seu trono.

No ano da morte do rei Uzias, eu vi o Senhor assentado sobre um alto e sublime trono, e as abas de suas vestes enchiam o templo. Serafins estavam por cima dele; cada um tinha seis asas: com duas cobria o rosto, com duas cobria os seus pés e com duas voava. E clamavam uns para os outros, dizendo: Santo, santo, santo é o SENHOR dos Exércitos; toda a terra está cheia da sua glória. (Isa 6:1-3).

Então o Senhor senta em Seu trono, no topo de Seu monte. A estrutura desse lugar é como o templo. Há serafins que ficam acima Dele (observaremos o reino angelical com mais detalhes em outro post). Eles estão profetizando a revelação que receberam: que a terra é para ser cheia da glória de Deus. E Deus escolheu a igreja, Ele nos escolheu, para manifestar a plenitude de Sua glória na terra.

O Templo

O templo possui Átrios Externos e Internos, o Santo Lugar e o Santo dos Santos. Os véus (ou cortinas) entre as dimensões celestiais são o caminho, a verdade e a vida.

Nos Átrios Externos há trevas. Se não quisermos passar nossa eternidade lá, devemos buscar cumprir nosso propósito e nosso chamado. Nesse lugar é onde encontraremos aqueles que não cumpriram o que estava escrito em seus rolos (livros) e o destino que Deus lhes havia dado.

Nós já vimos isso antes: aqueles que como as cinco virgens tolas, e como aqueles que dizem ‘Senhor, Senhor, em Seu nome nós profetizamos, em Seu nome expulsamos, e em Seu nome operamos milagres?’ para os quais Jesus diz ‘Apartai-vos de Mim, pois não vos conheço’; eles serão lançados nas trevas. Isso não é o inferno, pois o inferno não é escuro, já que é cheio de chamas de fogo.

O Caminho, a Verdade e a Vida

Quando Jesus descreveu a si mesmo como ‘o Caminho, a Verdade e a Vida’, Ele estava se referindo as portas ou véus que separavam as áreas ou dimensões do tabernáculo do céu e da terra. Para aqueles que estavam ouvindo Ele, isso era perfeitamente claro, pois eles estavam familiarizados com essas partes do templo. Ele estava dizendo que se seguirmos a Ele, nós podemos entrar no Santo dos Santos e encontrar vida abundante. Claro, se nos aproximarmos com uma mentalidade grega ao invés de uma mentalidade hebraica, isso perderá o sentido.

Há um processo para isso, uma série de protocolos que Deus preparou para nos capacitar a entrar no Santo dos Santos.

Portais Eternos

Vamos observar este diagrama novamente.

Clique na imagem para ver em tamanho maior

A maioria da atividade do inimigo que temos enfrentado hoje está na atmosfera da terra, e é ai onde as forças espirituais do mal, e os dominadores deste mundo tenebroso e as potestades estão operando em principados (ou regiões geográficas).

O modelo que está no céu é refletido em nós. Nós fomos feitos a imagem de Deus. Nós somos corpo, alma e espírito. Sendo assim, nós também temos uma porta para a dimensão dos céus, a qual podemos abrir e experimentar o reino de Deus em nós.

Da mesma maneira, há também os Portais Eternos na fronteira entre a atmosfera da terra e dos céus. Lemos isso nos versos 7 e 9 do Salmo 24. Esses portais são governados por coisas que precisamos remover. Eu já vi Deus abrir algumas dessas portas, geralmente como resposta a oração e intercessão. Quando elas são abertas, o reavivamento acontece, e a presença de Deus e Sua glória se tornam acessíveis na dimensão terrena.

Montes e tronos

Clique na imagem para ver em tamanho maior

Na dimensão do Reino da Terra é onde ‘andamos em Seus caminhos’ (Zacarias 3:6-7). No Reino de Deus é onde ‘guardamos Suas leis’, e reinamos como senhores. Na dimensão do Reinos dos Céus é onde ‘governamos Sua casa’.

Em cada uma dessas dimensões há montes e tronos, que Deus deseja que governemos. Por exemplo, no Reino de Deus, nós, Freedom Church, temos sete montes como igreja, e sete rolos ligados a essas montanhas. Outras igrejas terão seus montes e rolos também.

Cada um de nós como indivíduos também temos nossos lugares de governo. Esses lugares são de acordo com nosso destino, chamado, e dom, e temos que ocupá-los como senhores. Jesus é o Rei dos reis e Senhor dos senhores. Nós somos esses reis e senhores, dos quais Ele é Senhor e Rei. Como senhores e reis, discipulamos pessoas, para que elas se tornem senhores e reis.

Os sete espíritos de Deus estão diante do trono na dimensão do Céu. Ele não são Deus, eles são criaturas, e estão lá como tutores para nos trazer revelação sobre Deus e Seus caminhos. Precisamos ter contato com eles para aprender deles, se quisermos ser manifestos como filhos de Deus.

Está é outra visão das dimensões do céu, baseada no diagrama em forma de ‘menorah’ de Ian Clayton.

Clique na imagem para ver em tamanho maior

Você pode ver como essas dimensões de autoridade nos céus são posicionadas da mesma forma que a estrutura do templo: Átrio Exterior, Átrio Interior, Santo Lugar, Santo dos Santos. Há protocolos que podemos seguir que irão nos ajudar a acessar cada uma dessas dimensões. Mas se queremos entrar no Lugar Santo e ouvir ‘Muito bem, servo bom e fiel’, nós precisamos cumprir nosso destino. Cada um de nós precisamos governar como um senhor, e um rei, e nos posicionar como um filho.

 A natureza criada aguarda, com grande expectativa, que os filhos de Deus sejam revelados (Rom 8:19 NVI).

E nós nos manifestaremos como filhos na terra, do modo como Deus sempre quis.

Outros artigos de Freedom ARC
Artigo original (em Inglês)

Uma porta para a experiência

Mike Parsons
com Jeremy Westcott – 

O Senhor está nos convidando “suba aqui”. Ele deseja que cada um de nós, tenhamos nossas próprias experiências nas dimensões do Céu.  Na verdade eu tenho acessado essas dimensões e cada lugar que mencionei nos posts anteriores, são lugares em que realmente estive, e posso afirmar que é possível você entrar nessas dimensões também. Há muitos outros lugares onde não fui ainda. Além disso, algo que descobri é que quando Deus me dá experiências, algumas vezes é só mais tarde que Ele me dá a revelação sobre onde é o lugar em que estive. Sendo assim, há lugares onde fui que ainda não consigo dizer a você onde é.

A Palavra como uma porta

Você não precisa ficar apenas com as minhas palavras a respeito disso.

Nesse post vou te dar um monte de escrituras. Sei que alguns de vocês ficam dizendo, ‘onde está a base bíblica que prova que podemos acessar as dimensões do espírito?’ E se você não acredita que pode ir lá, nem sabe o que a Bíblia diz a respeito, então você nunca terá essa experiência. Você precisa saber que tudo isso é fundamentado nas escrituras, dessa forma você pode ter confiança em entrar nas regiões celestes. Use estas escrituras como uma porta de acesso. Experimente, e descubra por si mesmo a realidade do que você lê: suas experiências poderão então, ser uma âncora para mais.

Os reis da terra

E da parte de Jesus Cristo, a Fiel Testemunha, o Primogênito dos mortos e o Soberano dos reis da terra. Àquele que nos ama, e, pelo seu sangue, nos libertou dos nossos pecados (Ap 1:5).

Quem são os ‘reis da terra’? Nós somos. Ao menos, deveríamos ser. Nós fomos designados para manifestar o reino dos céus na terra.

Assim que eles ouviram isso, adoraram todos juntos a Deus, dizendo: — Senhor, tu és o Criador do céu, da terra, do mar e de tudo o que existe neles! Tu falaste por meio do Espírito Santo e do nosso antepassado Davi, teu servo, quando ele disse: “Por que as nações pagãs ficaram furiosas? Por que os povos fizeram planos tão tolos? Os seus reis se prepararam, e os seus governantes se ajuntaram contra o Senhor Deus e contra o Messias, que ele escolheu.” (Atos 4:24-26).

Aqui temos novamente os reis da terra, mas desta vez se opondo a Cristo. Sendo assim, esses reis e governantes, não se referem a nós. Nessa passagem os discípulos estão fazendo uma citação do Antigo Testamento, e se refere a um tempo antes da cruz. Esses são os governadores nas regiões celestes, os principados e potestades, que se reuniram para se opor a Jesus. Eles estavam tentando destruir a semente, e fizeram de tudo para conseguir isso, mas Ele os derrotou.

No céu, na terra, e debaixo da terra

Mas não havia ninguém, nem no céu, nem na terra, nem debaixo da terra que pudesse abrir o livro e ver o que lá estava escrito. (Ap 5:3).

Nesse texto você pode ver que há pelo menos três dimensões: céu, terra, e debaixo da terra. Isso está bem claro, para aqueles que estão perguntando, ‘Como podemos saber se há algo debaixo da terra?’ Aqui está como podemos saber. Novamente,

Então ouvi todas as criaturas que há no céu, na terra, debaixo da terra e no mar, isto é, todas as criaturas do Universo, que cantavam: “Ao que está sentado no trono e ao Cordeiro pertencem o louvor, a honra, a glória e o poder para todo o sempre!” (Ap 5:13).

O trono de Deus está acima de todas essas outras dimensões.

Regiões celestiais

“Bendito o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, que nos tem abençoado com toda sorte de bênção espiritual nas regiões celestiais em Cristo, assim como nos escolheu nele antes da fundação do mundo, para sermos santos e irrepreensíveis perante ele; e em amor” (Ef 1:3-4).

Deus nós abençoou com todas as bênçãos espirituais nas ‘regiões celestes’. Observe ‘regiões’ está no plural, isso significa que há mais de um lugar nos céus. E, ‘assim como Ele nos escolheu Nele antes da fundação do mundo’: sempre foi intenção de Deus que nós pudéssemos governar as dimensões do céu, e trazer o governo do céu para terra – e dessa maneira teríamos acesso tanto a terra como ao céu. Quando Jesus veio, Ele acessou tanto uma dimensão quanto a outra.

Se você ler Gênesis 28, onde Jacó sonhou com uma escada, e uma porta aberta no céu, você verá que Deus estava em pé na porta dando boas vindas para as pessoas. Aquela escada não passava por outras dimensões. As regiões celestes não são lineares, ou seja, para ir para o cinco, você não tem que primeiro passar pelo um, dois, três e quatro, você pode ir direto. Podemos ter acesso direto às dimensões do Céu, por que o nosso trono está lá.

Nossa herança

Desvendando-nos o mistério da sua vontade, segundo o seu beneplácito que propusera em Cristo, de fazer convergir nele, na dispensação da plenitude dos tempos, todas as coisas, tanto as do céu, como as da terra; nele, digo, no qual fomos também feitos herança, predestinados segundo o propósito daquele que faz todas as coisas conforme o conselho da sua vontade (Ef 1:9-11).

Nós vivemos em uma época em que a dispensação, ou seja, a administração está sendo confiada a nós, pois o Senhor fez de nós reis. Essa administração é nossa herança. Deus planejou assim, e nós temos que fazer nossa parte. Mas não podemos fazer isso a partir da nossa posição aqui na terra. Temos que entrar nas dimensões do céu para que possamos ter sucesso, porque é de lá que vem a autoridade que nos capacitará a trazer a vontade do Senhor para terra.

Até agora, a igreja tem tentado mudar as coisas na atmosfera da terra a partir de sua posição aqui na dimensão da terra. Na verdade o que precisamos é entrar nas dimensões mais altas, nas regiões acima da atmosfera terrestre, e exercer de lá autoridade para operar as mudanças que precisamos. Assim é que oramos dentro dessas dimensões.

Olhe novamente o primeiro diagrama que compartilhei no início dessa série. Nossa autoridade vem das três dimensões acima, e da dimensão do Céu. Essa autoridade é que nos capacita a entrar na atmosfera terrestre, para quebrar o poder do inimigo, reivindicá-la e purifica-la. O inimigo a roubou, ou melhor, Adão entregou a terra para ele, mas por causa da cruz, nós podemos tomá-la de volta.

Sentados com Ele

Nós sabemos que podemos entrar nesses lugares celestiais. O versículo a seguir, nos diz que estamos assentados com Ele:

E, juntamente com ele, nos ressuscitou, e nos fez assentar nos lugares celestiais em Cristo Jesus (Ef 2:6).

Novamente, se lermos cuidadosamente, veremos que essa passagem diz que há muitos lugares celestiais, e muitos tronos onde nós estamos sentados. Precisamos ter acesso ao lugar onde eles estão, e ter certeza de que estamos assentados neles.

Ele desceu, Ele subiu

O que quer dizer “ele subiu”? Quer dizer que ele também desceu até os lugares mais baixos da terra, isto é, até o mundo dos mortos. Assim, quem desceu é o mesmo que subiu, acima e além dos céus, para encher todo o Universo com a sua presença. (Ef 4:9-10).

Se Ele desceu até os lugares mais baixos da terra, e nós devemos fazer todas as obras que Ele faz, e fez, então o que nós temos que fazer? Esses lugares mais baixos da terra também são regiões onde deveríamos estar reinando. Aqui não estou falando sobre Júlio Verne,e Viagem ao Centro da Terra. Muito menos sobre descermos fisicamente até lá. Esses lugares são regiões espirituais de governo e autoridade. No centro da terra há um trono no qual Adão teria reinado em glória.

Também está escrito que Jesus subiu. Sendo assim, todas as dimensões devem ser cheias com a glória de Deus.

O eterno propósito de Deus

Isso só vai acontecer através de nós, através da igreja, porque é assim o modo como Deus planejou:

E manifestar qual seja a dispensação do mistério, desde os séculos, oculto em Deus, que criou todas as coisas, para que, pela igreja, a multiforme sabedoria de Deus se torne conhecida, agora, dos principados e potestades nos lugares celestiais, segundo o eterno propósito que estabeleceu em Cristo Jesus, nosso Senhor,. (Ef 3:9-11).

A multiforme sabedoria de Deus é para se tornar conhecida dos principados e potestades nos lugares celestiais através igreja, através de nós. Esse é o eterno propósito Dele. Ele sempre planejou que deveria ser assim.

Deus está em todos

E há somente um Deus e Pai de todos, que é o Senhor de todos, que age por meio de todos e está em todos. (Ef 4:6).

Nós precisamos agarrar essa verdade, porque irá explicar a razão pela qual podemos entrar em qualquer uma dessas dimensões, e para todos os lugares celestiais. Deus está em todos, e nós estamos Nele.

Quero te encorajar a pegar essas escrituras, medite nelas, peça a Deus para te levar a esses lugares celestiais e te mostrar a realidade de tudo isso.

Essa é sua herança. Você pode ter acesso total a ela.

Outros artigos de Freedom ARC
Artigo original (em Inglês)

 

Guerra contra a semente

Mike Parsons
com Jeremy Westcott – 

Quando Satanás caiu, ele estava tentado derrubar o plano eterno de Deus de que o Homem herdaria os céus. Ele queria aquela posição de governo para ele prórprio.

guerra-espiritual

 

Aqui está um diagram que eu uso quando ensino sobre batalha espiritual na Freedom Church: a escrita está um pouco pequena para ler, mas se você clicar com o botão direito do mouse na imagem, ela irá abrir maior em outra janela.

Tempo e Eternidade

Do lado esquerdo você vê eternidade, o cenário de Gênesis 1:1, ou antes que houvesse tempo, se você preferir. Deus criou a terra para ser habitada, no entanto, como vimos anteriormente, Lúcifer se rebelou e foi lançado na terra, onde trouxe o julgamento de Deus sobre ela no primeiro dilúvio.

Do lado direito, você encontrará Gênesis 1:2. Dentro do parêntese do tempo, agora. A terra está sem forma e vazia. Deus começa de novo, recriando a terra. Quanto tempo há entre os versos 1 e 2? Não temos ideia. Nem sabemos qual foi o intervalo de tempo entre os versos 2 e 3. Poderia ter sido milésimos de segundos, ou talvez 14 bilhões de anos. Nós não sabemos.

A Queda do Homem

Então vem a semana da (re-)criação, e logo em seguida a história da queda de Adão, e como Satanás atrai Adão e Eva, oferecendo a única coisa que ele tinha para negociar: informação. Ele oferece a eles a oportunidade de serem iguais a Deus, mas sem Deus. A oportunidade de ter conhecimento, sem Deus. Para governar, sem Deus (mais tarde ele tentaria a mesma coisa com Jesus no deserto). Essa é a base do humanismo.

A negociação da semente

Ele lhes ofereceu informação em troca de alguma coisa. Eles não fizeram negócio ao comer um pedaço do fruto de uma árvore – quando olhamos o original em aramaico, vemos que essa é uma linguagem simbólica. Satanás os cobriu com sua sombra, e pegou o DNA deles. Ele sabia que DNA seria a única coisa que poderia herdar os céus.

Como agora ele tinha DNA, ele produz uma semente. Isso pode soar estranho, mas está nas escrituras. Em Gênesis 3:14-15 encontramos a primeira profecia que fala da vinda de um Messias, um redentor, e no verso 15 lemos sobre a semente de Satanás: “E porei inimizade entre ti e a mulher e entre a tua semente e a sua semente; esta te ferirá a cabeça, e tu lhe ferirás o calcanhar.” Deus está falando com Satanás e diz, “a tua semente e a sua semente”. Está bem claro que Satanás tem semente.

Guerra das sementes

E foi assim que ele conseguiu a semente. Caim e Abel eram gêmeos, mas possuíam pais diferentes. O pai de Abel era Adão, e seu DNA era para produzir o que é chamado de “semente da mulher”. Todavia, Abel foi morto por Caim, sendo assim Deus teve que restituir essa linhagem através de Sete, pois o pai de Caim era Satanás. Esse período, então, pode ser visto como a guerra das sementes. E nesse período a semente de Caim fez de tudo para dominar.

Contaminação da Semente

Então, nos tempos de Noé, aparecem os anjos caídos – Ben Elohim (filhos de Deus) – que caíram na terra, deixando o lugar que lhes era destinado (Judas 1:6). Eles fazem com as mulheres humanas, algo semelhante ao que Satanás havia feito, cobrem elas com sua sombra (isso não se refere a sexo, mas sim lançar sombras no DNA delas) para produzir uma raça de gigantes chamados de Nefilins. A batalha espiritual se tornou intensa. Havia uma luta pela pureza da semente. O julgamento vem novamente com dilúvio, mas Deus preserva a semente da mulher.

Jesus a Semente

Nós sabemos que Jesus é a semente que viria, aquele que pisaria na cabeça de Satanás (mesmo que o calcanhar Dele fosse ferido pela serpente). Satanás não sabia disso, então tentou de todas as maneiras, impedir o cumprimento dessa profecia, eliminando ou corrompendo a semente antes que aquilo pudesse acontecer.

Abraão e sua semente

Lembre-se da aliança que Deus fez com Abraão, era uma aliança com ele e ‘sua semente’(Gal 3:16). Durante todo período do Antigo Testamento, Satanás fez de tudo para tentar frustrar o plano de Deus, desde genocídio promovido por Faraó até a matança dos inocentes ordenada por Herodes. Ele queria de todas as maneiras impedir o cumprimento da palavra de Deus em Gênesis 3:15. Até mesmo quando Jesus estava pronto para começar Seu ministério, como mencionei anteriormente, no deserto Satanás tentou impedir Jesus de cumprir Seu destino.

O cumprimento da Profecia

Ele havia pensado que a cruz seria o seu momento de triunfo. Até que descobriu que, apesar de todo seu esforço, tudo o que ele havia feito contribuiu com o eterno propósito de Deus, e cooperou com o prometido golpe esmagador em sua própria cabeça.

Outros artigos de Freedom ARC
Artigo original (em Inglês)

A Queda de Lúcifer, o portador da luz

Mike Parsons
com Jeremy Westcott – 

Nós já vimos que algo catastrófico aconteceu entre os dois primeiros versículos de Gênesis. Satanás caiu.

Quando Deus fez a terra, como a conhecemos agora, Ele a removeu da esfera em que estava e a colocou no tempo e no espaço. Deus disse, “Que haja luz” antes Dele criar o sol, a lua e as estrelas. Porque Ele é luz, e esta luz é a luz criativa. Há duas velocidades da luz: a que opera no reino dos céus, e a que opera aqui, que é mais devagar (como alguns cientistas sugerem), antes, porém, as duas tinham a mesma velocidade. Por causa da queda de Adão, a velocidade da luz começou a diminuir, e o tempo costumava ser mais rápido (se você entende o que quero dizer). Por esta razão a terra parece ter 10.000 anos de acordo com o cálculo bíblico, mas de acordo com a ciência 14 bilhões de anos. O tempo era diferente, ele foi esticado, e os céus também.

Esses zombadores esquecem, de propósito, que há muito tempo Deus deu uma ordem, e os céus e a terra foram criados. Esquecem que a terra foi formada da água e no meio da água e também que pela água do dilúvio o mundo antigo foi destruído. (2 Pedro 3:5-6).

Aqui não está se referindo ao dilúvio de Noé. Está falando sobre a primeira destruição da terra, e a queda de Satanás. A terra estava coberta de água, foi o primeiro dilúvio. Por isso o Espírito de Deus estava pairando sobre a superfície das águas em Gênesis 1:2.

O querubim ungido para cobrir

Precisamos ver o que aconteceu quando Satanás caiu. Originalmente, ele era um dos querubins que cobria o trono, um dos que clamavam ‘Santo, santo, santo’. Cada vez que ele clamava ‘santo’, ele estava exclamando isso com admiração, porque havia recebido de Deus mais uma revelação acerca de Seus propósitos.

Em algum momento, Deus revelou Seu plano de usar o Homem, uma pessoa com DNA, para carregar o DNA de Deus na terra. E Deus revelou que seriam seus filhos de DNA que iriam herdar a terra e os céus (ao invés dos seus filhos de glória, os anjos).

Desta vez, ao invés de clamar ‘santo’, de repente, outra coisa começou a brotar no coração de Satanás. Ele se rebelou, e no seu coração estava dizendo, ‘Eu que subir ao lugar onde eu vou ser daquele jeito!’

Satanás tinha uma forma reptiliana, e estava coberto com pedras. Ele era chamado Lúcifer, o portador da luz, e era o líder da adoração no céu. Sendo assim, as pedras que ele tinha deveriam refletir a glória de Deus, e ele seria, supostamente, o responsável em treinar o homem para entrar na plenitude de Deus.

Em Ezequiel 28 podemos ler sobre a queda de Satanás.

Filho do homem, levanta uma lamentação contra o rei de Tiro e dize-lhe: Assim diz o SENHOR Deus: Tu és o sinete da perfeição, cheio de sabedoria e formosura. Estavas no Éden, jardim de Deus; de todas as pedras preciosas te cobrias: o sárdio, o topázio, o diamante, o berilo, o ônix, o jaspe, a safira, o carbúnculo e a esmeralda; de ouro se te fizeram os engastes e os ornamentos; no dia em que foste criado, foram eles preparados. (Ez 28:12-13).

O jardim de Deus (Éden) estava conectado a terra. O livro de Gênesis fala que Deus tinha um jardim no Éden, e que Ele plantou um jardim ao leste do Éden. Sendo assim, havia dois jardins, e naquela época terra e céus eram sobrepostos. O jardim de Deus era onde Ele andava, e Adão tinha acesso a ele. Ali estava a Árvore da Vida.

Em seguida lemos sobre todas as pedras que cobriam o corpo de Satanás. Você irá perceber que ele tinha nove pedras, mas o Homem tem 12: no peitoral do Sumo Sacerdote havia 12 pedras, havia 12 tribos, a Nova Jerusalém tem 12 fundamentos, e há 12 frutos na Árvore da Vida. O número 12 fala de governo, e o homem estava destinado a exercer um governo divino.

[Numerologia bíblica é muito interessante: os números três, sete, dez, doze e quarenta estão em toda parte, mas não podemos entrar em detalhe aqui.]

Então continua,

Tu eras querubim da guarda ungido, e te estabeleci; permanecias no monte santo de Deus, no brilho das pedras andavas. Perfeito eras nos teus caminhos, desde o dia em que foste criado até que se achou iniquidade em ti. Na multiplicação do teu comércio, se encheu o teu interior de violência, e pecaste; pelo que te lançarei, profanado, fora do monte de Deus e te farei perecer, ó querubim da guarda, em meio ao brilho das pedras. (Ez 28:14-16).

O Céu está num monte, ‘o monte santo de Deus’ (v14). Toda estrutura do céu está em um monte, onde há um platô no topo. No monte há um trono e desse trono correm rios de fogo – imagine como lava saindo de um vulcão. Há pedras que operam naquele fogo, as quais são as pedras da revelação. Eu já estive naquele monte e andei sobre aquelas pedras, em outra ocasião eu poderei explicar o que elas são. Elas representam o que Satanás deveria ter feito para levar o Homem a plenitude de Deus.

Mas então iniquidade foi achada nele. A revelação que Deus havia dado a ele, e seu papel como um querubim que cobria o trono, fez com que a iniquidade dele fosse exposta.  As escrituras falam do comércio de Satanás e de como o interior dele se encheu de violência.

Terei que falar mais sobre esse comércio e os pisos de negociação em outro post, porque tem haver com fazer aliança e com troca. Por enquanto, vamos entender como isso funcionava: Satanás tinha informação, revelação do que Deus iria fazer, e negociou isso com os outros anjos. O Homem iria herdar os céus, ao invés dos anjos, porque os anjos eram espíritos ministradores, enviados para serviço a favor dos que hão de herdar a salvação (Hb 1:14). Todos os anjos foram criados para nós, e naquele momento isso se tornou claro. Quando Satanás descobriu essa revelação, ele foi até outros anjos negociar a informação, e um terço deles decidiram que queriam saber sobre isso e iriam agir a respeito, sendo assim eles iriam buscar governar os céus no lugar do Homem.

Como um relâmpago do céu

Jesus disse que Satanás caiu, como um relâmpago dos céus. Como resultado de sua queda, Satanás não tem mais acesso ao Céu (mas não perdeu acesso a todos os reinos dos céus). Ele não tem mais acesso ao Rio da Vida ou as pedras de fogo, ou a qualquer outro lugar desse reino celestial.

E quando ele caiu, ‘Houve peleja no céu. Miguel e os seus anjos pelejaram contra o dragão. Também pelejaram o dragão e seus anjos; todavia, não prevaleceram; nem mais se achou no céu o lugar deles. E foi expulso o grande dragão, a antiga serpente, que se chama diabo e Satanás, o sedutor de todo o mundo, sim, foi atirado para a terra, e, com ele, os seus anjos’ (Ap 12:7-9).

Aqui Satanás é chamado de dragão (eu escrevi sobre dragões e gigantes algumas semanas atrás em um post anterior). Aqui está a origem da palavra ‘dragão’: é uma descrição de Satanás.  Um terço dos anjos – um número bem grande – aceitaram a oferta de Satanás, e caíram junto com ele.

Como disse, isso aconteceu na criação original. A atividade de Satanás na terra trouxe sobre ela o julgamento de Deus, que resultou no primeiro dilúvio, como consequência o planeta ficou “sem forma e vazio”, coberto com águas, e o Espírito de Deus movia, pairava sobre a face das águas (Gen 1:2). Na segunda criação, a rebelião de Adão deu a Satanás acesso ao céu novamente e abriu algumas das dimensões do céu para ele.

Outros artigos de Freedom ARC
Artigo original (em Inglês)

Os Céus e a Terra

Mike Parsons
com Jeremy Westcott

O sumo sacerdote Josué

… e o Anjo do SENHOR estava ali, protestou a Josué e disse: Assim diz o SENHOR dos Exércitos: Se andares nos meus caminhos e observares os meus preceitos, também tu julgarás a minha casa e guardarás os meus átrios, e te darei livre acesso entre estes que aqui se encontram..” (Zac 3:6-7)

Da última vez vimos nessa passagem como há uma progressão nas coisas requeridas para Josué fazer, a fim de que ele desfrutasse de livre acesso nas dimensões do céu. O primeiro requerimento é andar nos caminhos de Deus e observar os Seus preceitos. Nós estudaremos essas dimensões, as quais ele teria acesso, mas primeiros vamos entender melhor sobre esses preceitos ou leis.

12 Leis de Jerusalém

As leis não os Dez Mandamentos, mas sim princípios, que descrevem como Deus opera em Seu Reino.

  • Lei da Vida do Espírito
  • Lei do Pecado e da Morte
  • Lei do Amor
  • Lei da Fé
  • Lei da Semeadura e da Colheita
  • Lei da Primeira Menção
  • Lei da Primogenitura
  • Lei da Abundância
  • Lei da Justiça
  • Lei do Juízo
  • Lei da Graça
  • Lei da Retidão

Estes são os princípios de como Deus opera e de como deveríamos operar no reino. Assim como Josué, quando começamos a fazer isso, ganhamos livre acesso as regiões celestes.

Dimensões do Reino

Quero compartilhar com vocês uma representação das dimensões do Céu, para que você possa ter uma ideia de como essas dimensões se relacionam uma com a outra. No entanto, é só uma representação e nossa compreensão sobre isso está crescendo o tempo todo.

dimensoes-do-reino

Você verá que há reinos debaixo da terra. De fato, há três reinos na terra, três reinos nos Céus (no reino de Deus, um reino que havia sido dado a Adão), e há a atmosfera entre terra e céus, totalizando sete. Sempre você encontrará sete nas coisas de Deus, porque sete fala de conclusão e é o número perfeito.

Cada reino celestial tem sete dimensões ou níveis de autoridade. Ainda não sei o que todos eles são ainda, só sei que eles estão ligados à estrutura das cortes (falaremos sobre isso na série de posts sobre Transformação).

Na atmosfera da terra há três reinos (o pensamento grego os vê como camadas, mas não são), reinos do domínio do Reino de Deus, e você verá o reino da terra onde experimentamos a presença de Deus. Nessa atmosfera está a região onde devemos dominar, mas está em trevas.

Debaixo da terra, há vários lugares: Sheol, a sala de troféus, e Tartarus, onde certos anjos estão aprisionados. Lá também existem outros lugares, mas esse não é o nosso foco agora.

Algo importante que você deve entender é que não temos que passar por um reino para chegar ao outro. Essa ideia é mentalidade grega. Deus tem me mostrado lugares em muitos desses reinos, e só depois de algum tempo é que eu percebo onde estão localizados.

Vamos dar uma olhada em algumas escrituras, para que possamos ver como isso aconteceu.

Queda de Satanás

No começo (Gen 1:1) Deus criou os céus e a terra. Ele criou primeiro os céus. O Céu não era apenas físico, abrangia todos aqueles reinos que estivemos observando: os reinos do Seu Reino, e os reinos de Sua autoridade. O reino está ligado à autoridade, domínio, e governo. A tarefa de Adão seria trazer o que há nos Céus para terra. A Terra deveria refletir o Céu. A Terra não estava no mesmo lugar que conhecemos agora. Isto aconteceu antes que o tempo existisse, naquele momento tempo não existia. E os filhos de Deus (particularmente os ben elohim) foram criados, os quais eram anjos, que estavam preparando a Terra para o Homem.

No verso 2 diz:  A terra era um vazio, sem nenhum ser vivente, e estava coberta por um mar profundo. A escuridão cobria o mar, e o Espírito de Deus se movia por cima da água. Deus não criou a terra assim. Alguma coisa aconteceu nesse intervalo entre Deus criando os céus e a terra, e a terra se tornando sem forma e vazia.

O que aconteceu foi o seguinte: Satanás caiu.

Isso aconteceu antes da criação de Adão. O Espírito estava pairando, se movendo sobre a face das águas. O fato de que todo planeta estava coberto com água indica que havia acontecido um julgamento. Deus não criou a terra desse jeito.

Não a criou vazia

Pois, nele, foram criadas todas as coisas, nos céus e sobre a terra, as visíveis e as invisíveis, sejam tronos, sejam soberanias, quer principados, quer potestades. Tudo foi criado por meio dele e para ele. (Col 1:16).

Tudo foi criado por Jesus. Tronos, soberanias, principados e potestades não são nomes de demônios, e nem de anjos caídos (embora os anjos caídos operem nessas dimensões de autoridade e poder). Então tudo isso – tronos, soberanias, principados e potestades – foi criado por Jesus. ‘Todas as coisas visíveis e invisíveis’ foram criadas por Ele. No entanto, coisas que são invisíveis aos nossos olhos naturais agora, não eram invisíveis aos olhos espirituais de Adão.

A posição do reino é que os céus venham para terra. A terra deve ser um reflexo dos céus. Tudo aquilo que você vê nos céus, Deus quer ver sendo realizado nas nossas vidas. Os princípios dos céus precisam ser refletidos nas nossas vidas, e então no mundo ao nosso redor (começando com nossas esferas de influência). Tudo que há no céu, o Senhor quer trazer para terra.

Como era a terra quando Deus a criou? Como podemos ter certeza de que não foi criada “sem forma e vazia” (como uma leitura diferente de Gen 1:2 diz que foi)? Veja esse versículo de Isaías:

Porque assim diz o Senhor que tem criado os céus, o Deus que formou a terra e a fez; ele a estabeleceu, não a criou vazia, mas a formou para que fosse habitada: Eu sou o Senhor, e não há outro (Isa 45:18 ARC).

Não a criou vazia.

Conectado ao reino do Céu

Estas são as origens dos céus e da terra, quando foram criados; no dia em que o Senhor Deus fez a terra e os céus (Gen 2:4 ACF). Você percebe como as duas metades desse versículo estão se referindo a coisas diferentes? Há “foram criados céus e terra” e então há “fez a terra e os céus”. Originalmente, o Senhor os criou, mas então alguma coisa aconteceu para estragar (e nós já sabemos o que foi); e daquilo que estava sem forma e vazio, Ele fez céus e terra. Na criação original não havia estrelas, planetas e galáxias como conhecemos agora. Eles não existiam na criação original porque a terra estava no centro daquele círculo, e tinha uma conexão direta com o céu. A Terra era (e ainda é) para ser conectada aos céus.

Agora, como nós sabemos, Adão tinha acesso para caminhar com Deus. A terra, no centro de tudo, era conectada ao reino do céu. Havia uma ligação entre o Éden (jardim de Deus), e o jardim que Deus plantou para Adão. Isso significa que Adão tinha acesso a qualquer reino do nosso diagrama, tanto os que estavam embaixo da terra quanto os que estavam em cima, incluindo o reino dos Céus. Depois da queda tudo foi movido para o tempo e espaço, e a terra foi desconectada do céu. O eixo da terra foi movido e tudo se tornou elíptico ao invés de circular, até mesmo a órbita dos elétrons ao redor do núcleo do átomo.

Se Adão não tivesse caído, e se ele tivesse comido da Árvore da Vida (que era o caminho da vida), ele teria tido acesso aos reinos mais elevados: o Reino dos Céus, a Perfeição, e a Eternidade.

Mas como já sabemos, ele escolheu um caminho diferente.

Outros artigos de Freedom ARC
Artigo original (em Inglês)

* A Lei da Primeira Menção estabelece precedente para maneira como devemos interpretar uma palavra ou frase em particular nas escrituras. Sabendo que para Deus tudo é circular, em muitos casos temos que voltar ao livro de Gênesis, para entender corretamente o que acontecerá no Apocalipse.

Dimensões do Reino

A nossa história

Nossa página no Facebook, 'Vida Sobrenatural'
Nossa página no Facebook, ‘Vida Sobrenatural’

No verão de 2010, Mike fez um jejum de 40 dias. Durante esse período e nos meses seguintes o Senhor deu a ele muitas revelações, as quais ele começou a compartilhar aqui em Barnstaple. Nesse tempo, Jeremy esteve analisando as mídias sociais e blogs num outro contexto, e em setembro de 2011 começou a sentir, que Deus estava nos convidando para usar essas novas ferramentas disponíveis, para espalhar essa revelação e ensinos a toda igreja. 

Então criamos o blog Sons Of Issachar, a conta no Twitter @FreedomARC, e a página no Facebook. Algum tempo depois, começamos a postar no Google+ e Pinterest, e criamos um canal no YouTube e um website Freedom Apostolic Resources. Nesse ano iniciamos esse blog Filhos de Issacar em Português, e a página no Facebook Vida Sobrenatural.

No blog em Português, concluímos os estudos de Mike sobre as 40 Características da Geração de Josué, que tem sido amplamente compartilhada e apreciada ao redor do mundo.

Em Suba aqui – Trazendo os Ceús para Terra, Mike começou a ter mais revelação sobre como podemos obter acesso as dimensões do céu, e porque precisamos fazer isso. Nessa nova série, ‘Dimensões do Reino’, queremos explorar mais a respeito disso, e enquanto você estiver lendo, te encorajar a acessar as dimensões do céu, para ter suas próprias experiências.
____________________________________________________________________

Livre acesso as dimensões do Céu

Mike Parsons
com Jeremy Westcott

Quando você ouve o ensino sobre as dimensões do céu pela primeira vez, você pode achar um tanto desafiador. Provavelmente você nunca ouviu sobre isso antes na igreja antes. Então não fique surpreso se seu espírito começar a responder antes que sua mente entenda. Se você tentar entender tudo pelo raciocínio lógico provavelmente você ficará confuso. Sem mencionar o fato de que alguns de vocês devem estar pensando que perdemos um parafuso.

Por favor, descanse sua mente, e deixe seu espírito conduzir. Nós não te pediremos para fazer nada que não esteja profundamente enraizado na palavra de Deus. Todavia, a palavra escrita não é o próprio Deus, mas sim um trampolim para você poder se encontrar com Ele. Na verdade, você só poderá entender isso tendo uma experiência, e é exatamente isso que queremos que você tenha.

Te darei livre acesso

Em um dos posts anteriores vimos uma passagem em Zacarias sobre o sumo sacerdote Josué:

… o Anjo do SENHOR estava ali, protestou a Josué e disse: Assim diz o SENHOR dos Exércitos: Se andares nos meus caminhos e observares os meus preceitos, também tu julgarás a minha casa e guardarás os meus átrios, e te darei livre acesso entre estes que aqui se encontram ( Zacarias 3:5-7 RA).

Naquele momento Josué não estava na terra, ele estava nas regiões celestiais, e os outros que estavam lá eram seres celestiais. Este é o lugar em que Deus promete a Josué que ele podia ter ‘livre acesso’.

Mas há condições para esse livre acesso. Deus não faz acepção de pessoas (Rom 2:11), sendo assim se cumprirmos tais condições, essa promessa se estenderá a nós. Nessas condições vemos uma progressão: ande em Seus caminhos, observe Seus preceitos, julgue Sua casa e guarde os Seus átrios, então será capaz de permanecer na presença do Senhor numa dimensão diferente.

Moisés conhecia os caminhos de Deus

Manifestou os seus caminhos a Moisés e os seus feitos aos filhos de Israel.(Salmo 103:7RA)

Moisés conhecia os caminhos de Deus. Havia uma razão para isso: ele está preparado para se arriscar a entrar na presença do Senhor, a fim de conhecê-lo face a face, enquanto o restante de Israel se mantinha longe do fogo e da fumaça no topo da montanha. Não é fácil conhecer os caminhos do Senhor, mas Ele nos convida a ir, assim como foi, as dimensões do espírito, para a Sua presença, para Sua glória.

Você se lembra de como Moisés pediu para que o Senhor lhe mostrasse Sua glória, e como Deus passou diante dele, mas Moisés não pode ver a face do Senhor, apenas o que a Bíblia chama de costas? Quando lemos essa passagem com uma mentalidade grega, provavelmente pensaremos que Moisés viu literalmente as costas de Deus. Como seriam as costas de Deus? Mas quando lemos a partir de uma visão de mundo hebraica entendemos que o que Moisés viu foi história, as coisas que Deus tinha feito, e tudo o que havia acontecido até aquele momento. Foi por essa razão que Moisés foi capaz de escrever os primeiros cinco livros da Bíblia, incluindo a história da criação e todos os outros eventos que aconteceram antes dele nascer.

O restante da nação de Israel, porém, não subiu a montanha, e tudo o que eles viram foi o que Deus fez. Eles viram Suas obras, Seus milagres, mas nem começaram a entender quem é o Senhor, e como Ele é? Deus esta nos convidando a fazer como Moisés fez, para que possamos conhecer os caminhos Dele. E quando conhecermos os caminhos do Senhor, poderemos fazer as mesmas obras que Ele faz.

Moisés realizou milagres. Ele tirou água da rocha, usando seu cajado, e exercitando poder. Israel apenas recebeu. A nação inteira viu os sinais, mas nenhum deles fez as mesmas obras que Moisés. Jesus disse que Ele fazia o que via o Pai fazer (João 5:19): e Ele espera que façamos tudo o que Ele fez e coisas maiores.

Se quisermos andar nos caminhos do Senhor, primeiro temos que conhecer Seus caminhos. Para operar os milagres de Deus, temos que conhecer os caminhos de Deus. Então poderemos estar entre aqueles que trazem o reino dos Céus para a terra.

Ande nos caminhos de Deus

A Palavra será nossa protetora, para nos manter na verdade. Será nosso modelo, nosso prumo. A Palavra de Deus Logos será uma âncora para tudo o que fizermos, pois Jesus é o Logos, a Palavra de Deus, a Palavra viva. Os caminhos de Deus revelam o Seu caráter, por isso é muito importante nos familiarizarmos com Seus caminhos.

Se observarmos os primeiros 40 versículos do Salmo 119 veremos que falam de Sua palavra, caminhos, testemunhos, julgamentos, leis, preceitos, estatutos, ordenanças, mandamentos e maravilhas. Se meditamos nesses vários ângulos de Sua revelação, veremos que todos são diferentes, e que cada um expressa um aspecto de Seu caráter.

Medite na Palavra

Com certeza a meditação é uma chave. E todos nós, com o rosto desvendado, contemplando, como por espelho, a glória do Senhor, somos transformados, de glória em glória (2 Cor 3:18). Quando meditamos na Palavra, o que está escrito nela se torna uma porta para experiência, e nos tornamos aquilo que contemplamos. Quanto mais contemplamos, mais nos tornamos parecidos com aquilo, ou com a pessoa, que contemplamos. Quando meditamos na Palavra, somos transformados profundamente, passamos por uma metamorfose, da mesma forma que uma lagarta é transformada em uma borboleta, sofrendo uma alteração no DNA.

Da mesma forma, quando recebemos o DNA de Deus ao partir o pão, a luz entra em nosso DNA e somos transformados.

Nós também precisamos ouvir a palavra rhema, a palavra que Deus está falando agora, direto ao nosso coração. Quando meditamos na palavra escrita e o Espírito Santo nos ensina sobre ela e nos traz uma revelação que se aplica a situação que estamos vivendo, essa palavra se torna uma palavra rhema para nós. Além disso, podemos ter encontros face a face com Deus, em que Ele fala uma palavra diretamente para nós. Quando isso acontecer, saberemos que é Deus porque a revelação estará de acordo com a verdade de Sua natureza, que já conhecemos, e não irá entrar em conflito ou contradizer a Palavra escrita. Isso é o que significa ter a Palavra como modelo e como prumo.

Se você voltar para os primeiros 40 versículos do Salmo 119 novamente, você irá notar outro grupo de palavras que mostram o que precisamos fazer para conhecer, experimentar e entrar nos caminhos do Senhor. Essas palavras são: andar, observar, buscar, olhar, cumprir, considerar, ter prazer, desejar, guardar, percorrer, seguir, inclinar, apegar, e render graças.

Se você ler esses versículos mais uma vez, há mais um grupo de palavras que mostra como Deus responde ao nosso caminhar e nossa busca: Ele abençoará (que quer dizer, Ele nos dará poder para prosperar, e para ter sucesso no mais alto nível), ordenará, ensinará, abrirá os olhos, repreenderá, tirará o opróbrio, reavivará, fortalecerá, alegrará o coração, dará entendimento, e nos favorecerá.

Esses são alguns dos caminhos, protocolos e processos que precisaremos seguir se quisermos experimentar e demonstrar a vida de Deus de maneira abundante.

Precisamos separar tempo para ler e meditar em escrituras como essas para nós mesmos. Que tal usar a seção abaixo “Deixe uma resposta” para compartilhar impressões que você teve quando meditou dessa forma, para encorajar outros?

Outros artigos de Freedom ARC
Artigo original (em Inglês)