164. A imagem de Jesus

Mike Parsons
com Jeremy Westcott

Transformação: abraçar a estação

Estamos entrando em uma estação nos preparando para a santidade; uma temporada de remoção de obstáculos; uma estação de preparação para cruzar o limiar para o reino da glória; uma estação de transformação. Não apenas um pequeno ajuste na aparência da superfície, mas uma mudança fundamental e radical que afeta o corpo, a alma e o espírito.

Não vamos resistir, mas abraçar. Vamos cooperar na mudança da glória para a glória sempre crescente. Entrar no processo de refino e purificação é totalmente voluntário. Dito isto, sabemos que às vezes Deus planejará as circunstâncias em torno de nossas vidas para nos dar mais oportunidades de voluntariado! Podemos cair sobre a Rocha, ou a Rocha pode cair sobre nós.

Como você nunca soube

Aqui está, parte de uma palavra profética que Deus me deu antes de eu ensinar pela primeira vez esta série na Igreja da Liberdade, em 2012:

“É hora de orar para que a tampa se solte e de chamar meus anjos que estão esperando para começar a reunir e remover obstáculos, tanto dentro como fora. O fogo da santidade está chegando, a estrada da santidade foi preparada. É hora de andar no rio de fogo. Você já andou sobre ela e sentiu seu calor, mas agora é hora de ser batizado no fogo. O calor transformará os ídolos novamente no pó de onde vieram: estar debaixo de seus pés, não em seus corações.

Chame os anjos que se reúnem. As tampas estão saindo dos esgotos, as coisas secretas e ocultas do coração estão prestes a serem expostas. Tudo o que peço é a disposição de me submeter ao fogo que irá refinar, purificar e preparar você para a verdadeira santidade.

Estou prestes a restaurar suas almas como vocês nunca conheceram e conduzi-los por caminhos de retidão como vocês nunca conheceram.

Eu vou podar a igreja. Vou cortar os galhos que não produzem frutos. Vou remover os obstáculos ao verdadeiro governo do reino. Vou fechar as portas de acesso que o inimigo teve. Alguns já foram removidos.

Estou procurando aqueles que estão dispostos a ser podados nas áreas improdutivas de suas vidas, em seus desejos e prioridades…”

Metamorfoseado, transfigurado

Vimos isso acontecer na Igreja da Liberdade (o governo do reino está sendo estabelecido aqui, mas, no processo, as tampas certamente saíram de alguns esgotos e experimentamos algumas podas dolorosas, tanto corporativas quanto pessoais). O que é verdadeiro para nós localmente é verdadeiro para você, onde (e quando) estiver lendo isso. Deus deseja que Sua igreja inteira seja transformada, metamorfoseada, transfigurada, mudada, conformada à imagem de Jesus; não modelada, moldada, conformada com o mundo.

Portanto, meus irmãos, por causa da grande misericórdia divina, peço que vocês se ofereçam completamente a Deus como um sacrifício vivo, dedicado ao seu serviço e agradável a ele. Esta é a verdadeira adoração que vocês devem oferecer a Deus. 2Não vivam como vivem as pessoas deste mundo, mas deixem que Deus os transforme por meio de uma completa mudança da mente de vocês. Assim vocês conhecerão a vontade de Deus, isto é, aquilo que é bom, perfeito e agradável a ele. (Rm 12: 1-2 NTLH). 

Transformação é um processo de mudança, renovação, restauração da condição original; não como Adão era antes de seu pecado, mas como ele teria se tornado. Como seriam as coisas hoje se o Homem não tivesse caído, mas tivesse passado os séculos seguintes perseguindo o plano de Deus para ele e para a criação? Como seríamos?

Nosso objetivo na transformação é tornar-se totalmente como Jesus; viver como ele; fazer como Ele fez, e coisas maiores (João 14:12); estar em conformidade com a Sua imagem.

Pois aqueles que de antemão conheceu, também os predestinou para serem conformes à imagem de seu Filho. (Romanos 8:29  NVI)

De um grau para outro

Em nossos dias, os livros proféticos (portais) foram abertos e estamos recebendo níveis mais profundos de revelação e entendimento. Mas isso também exige níveis mais profundos de transformação. É como ir da matemática pré-escolar (reconhecer um número), passando pela escola primária (contagem, somas simples, adição, multiplicação), até a escola secundária (álgebra, equações, cálculo), graduação, pós-graduação e assim por diante. Eu suspeito que muitos de nós ainda não estamos muito além da pré-escola.

Mas todos nós, com rosto descoberto, refletindo como um espelho a glória do Senhor, somos transformados de glória em glória na mesma imagem, como pelo Espírito do Senhor. (2 Cor 3:18) ACF

Existem níveis progressivos de transformação em maturidade, níveis progressivos de responsabilidade e autoridade. Deus quer nos levar de servo para servo de aliança; de  mordomo para amigo; de senhor para rei para filho.

Pelas misericórdias de Deus

Liberdade do pecado (Rm 6: 16-18); o dom da vida eterna (Rm 6:23); paz com Deus (Rm 5: 1); a graça de Deus (Rm 5: 2); salvação da ira (Rm 5: 9); o dom do arrependimento (Rm 2: 4-5); o amor de Cristo (2 Cor 5: 14-15): as misericórdias de Deus são novas todas as manhãs e motivam-nos a nos apresentar como sacrifícios vivos, prontos para a transformação.

É realmente um processo, e pode levar algum tempo. Mas podemos começar hoje (e todos os dias) oferecendo-nos como sacrifício vivo. Podemos convidá-lo a fazer o que ele precisa fazer em nós.

Ele desafiará nossa consciência, imaginação, razão, mente, emoções, vontade e escolha; nossos motivos, desejos, atitudes, mentalidades, sistemas de crenças, espíritos familiares, padrões de pecado, sistemas de negociação, ídolos, pedras de tropeço, emaranhados; feridas, dores, rejeições, medos, inadequações, inferioridades, decepções e muito mais. Ele lidará com nosso pecado, transgressão e iniquidade. Ele restaurará nossas habilidades sobrenaturais.

Estamos prontos para isso?
Se sim, vamos orar:

Deus, obrigado pela sua presença na minha vida.
Abro o portão do primeiro amor e convido você a entrar em meu espírito.
Convido você a ativar meus sentidos espirituais e a fluir através de mim.
Você é o senhor da minha vida.

Eu escolho ser um servo de aliança.
Treine-me como um bom mordomo
Para que eu possa ser seu amigo.

Renove minha mente
Cure minhas emoções
Restaure minha consciência
Limpe minha imaginação
Dirija minha vontade.

Treine meus sentidos para ouvir sua voz
Para conhecer seu coração
Ver sua visão
E ser guiado por sua paz.

Limpe minha linhagem e linha de sementes.
Transforme meu DNA.

Pai, eu escolho seguir meu destino eterno
em senhorio, reinado e filiação.
Eu escolho, como embaixador do céu,
administrar o governo do reino de Deus
na terra como no céu.

Mostre-me como um filho da luz na terra.
Manifeste seu reino governe através de mim para o mundo ao meu redor.

Outros artigos de Freedom ARC

Página do Facebook: Vida Sobrenatural.
Grupo do Facebook: VIDA SOBRENATURAL (pedir para participar).

Artigo original em Inglês

164. The Image of Jesus

162. Esferas de influência

Mike Parsons
com Jeremy Westcott 

Governar

Seu destino é governar, trazer o reino de Deus à terra como no céu. Este é o seu ‘plano A’, e ele não tem outro plano. Deus disse a Adão e Eva quando eles foram criados:

Seja fecundo e multiplique, encha a terra e submeta-a; e governe (Gênesis 1:28).

Ele pretende que tragamos Sua vontade (Seu reino) do céu para a Terra. É o nosso destino individual, e também o destino da igreja: o monte da casa do Senhor se elevará acima de todos os outros montes (Is 2: 2).

Mas a pessoa que está unida ao Senhor se torna um espírito com Ele (1 Cor 6:17).

É no relacionamento com Ele que nos tornamos um. Levará tempo, dedicação e obediência, mas quanto mais estivermos sintonizados com Ele, mais Sua vontade, propósito e reino serão realizados por nós. Nosso destino para governar vem somente através do relacionamento com Ele, e é baseado no amor.

Espírito, alma, sentidos corporais

Esta é uma imagem que vimos antes, mostrando como podemos nos relacionar com Deus e como Ele pode fluir através de nós.

Uma vez, não tínhamos o conceito de que a glória de Deus pudesse estar dentro de nós. Nosso Portal do Primeiro Amor estava fechado. Não tínhamos conexão com Deus e nosso espírito estava morto para ele. Mas agora sabemos que Ele vive dentro de nós, nos capacitando a viver, a mudar, a ser transformado.

Todos nós temos um corpo, alma e espírito. Nosso corpo nos permite nos relacionar com o mundo; nossa alma se relacionar conosco; nosso espírito para se relacionar com Deus. Nosso destino flui através de um espírito forte, mas pode ser bloqueado por uma alma dominante. Portanto, é vital que tenhamos nossa alma restaurada e refinada, e espírito – alma – corpo na ordem correta, e não o contrário.

Quando nascemos de novo, nos tornamos uma habitação da presença de Deus. O céu é uma dimensão espiritual ao nosso redor , e agora estamos conectados a ele através de Deus que está em nós. Temos um fluxo de vida abundante fluindo através de nós como um rio do céu (do reino espiritual) e podemos experimentar a bondade de Deus por dentro .

Isso significa que tudo o que estamos acostumados a receber de fora, Deus pode nos dar muito mais efetivamente a partir de dentro. Deus é amor, para que agora possamos experimentar o amor de Deus por dentro, em vez de procurar suprir essa necessidade de amor de outro lugar (o que, em última análise, é insatisfatório). Deus é luz, para que possamos receber entendimento e conhecimento Dele, por dentro.

O rio flui do céu através de Deus em nós, para nosso espírito, alma e corpo, e dali para o mundo ao nosso redor. A vontade de Deus (Seu reino governa) no céu é capaz de operar em nós, através de nós e ao nosso redor. Cada pessoa que lê isso pode mudar o mundo. Mesmo que você esteja mudando apenas no seu próprio mundo, isso ainda é algo de significado eterno.

Bênçãos espirituais

Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, que nos abençoou com todas as bênçãos espirituais nos lugares celestiais em Cristo (Ef 1: 3).

Em nosso relacionamento com Cristo, somos abençoados. E essas bênçãos espirituais podem se manifestar no reino físico, equipando-nos para ter sucesso na vida. Essas bênçãos celestiais podem fluir para nós, através de nós e ao nosso redor.

Mas mais do que estar conectado, temos acesso para realmente entrar nesses lugares celestiais:

… e nos levantou com Ele, e nos assentou com Ele nos lugares celestiais em Cristo Jesus (Ef 2: 6).

Para que possamos nos envolver com as coisas eternas de Deus e manifestá-las aqui e agora.

Fluxo

Um fluxo de revelação vem do céu para nossas vidas através da presença de Deus. Em vez de tentar construir nosso intelecto de fora e obter conhecimento mundano (o que pode ser bom, mas não é de valor eterno), obtemos o conhecimento da revelação de Deus. Nesse fluxo, também existem recursos, autoridade, luz, glória, presença e poder de Deus, todos provenientes da dimensão celestial espiritual invisível no reino físico, através do portal de nossas vidas.

… a água que eu darei a ele se tornará uma fonte de água brotando (fluindo, borbulhando) [continuamente] dentro dele para  a vida eterna (João 4:14 AMP).

Aquele que crê em Mim [que se apega e confia em Mim], como a Escritura disse: De seu ser mais íntimo fluirá [continuamente] fontes e rios de água viva (João 7:38 AMP).

No mundo, tudo flui de fora para dentro. Mas com Deus, tudo flui de dentro para fora. Portanto, se estamos olhando para mudar, para ser transformados, podemos ser mudados de dentro para fora, em vez de eliminar os sintomas de nosso comportamento e remover as camadas de cebola uma a uma. Podemos ir direto para a raiz, de dentro para fora.

Superior

Esse reino físico é mantido unido pelo reino espiritual, que é mais alto que o reino físico em poder e autoridade:

Pois por Ele todas as coisas foram criadas, tanto no céu como na terra, visíveis e invisíveis, sejam tronos, domínios, governantes ou autoridades – todas as coisas foram criadas através dele e para ele. Ele está diante de todas as coisas, e Nele todas as coisas se mantêm juntas (Col 1: 16-17).

As leis ou princípios espirituais substituem as leis e princípios naturais: a cura anula as enfermidades e doenças; a liberdade anula o cativeiro e a escravidão, e assim por diante. Jesus é o nosso exemplo do céu que governa a terra através de Sua vida – a vontade do Pai foi perfeitamente demonstrada por meio dele. Ele demonstrou a autoridade superior do reino espiritual sobre o natural. Ele andou sobre a água, transformou a água em vinho, multiplicou a comida, passou por multidões de pessoas e desapareceu da vista natural. Ele fez dinheiro aparecer na boca de um peixe, controlou o clima, acalmou a tempestade, curou os doentes e expulsou demônios, restaurou membros e ressuscitou os mortos – o reino espiritual tem autoridade mesmo sobre a morte, comprovada pela ressurreição.

Se devemos fazer o mesmo, e coisas maiores (como Ele disse que faríamos), também precisamos de acesso e familiaridade com esse reino espiritual.

Aprendemos a nos relacionar com o mundo ao nosso redor através de nossos cinco sentidos físicos, de fora para dentro. Nossa alma também possui sentidos que foram treinados de fora, por natureza, nutrição e trauma. Mas nossos sentidos espirituais só podem ser treinados de dentro para fora, através de nosso relacionamento com Deus. Não podemos treiná-los em nenhum outro lugar. Isso também transformará os sentidos da alma e do corpo por dentro.

Ele é onisciente, onipotente, onipresente – e conectado a nós, o que nos dá acesso a tudo o que sabe, a tudo que faz e aonde quer que esteja. Por meio dele, estamos conectados a tudo, em qualquer lugar e a qualquer momento.

Posicionado para receber

Estamos em posição de receber um fluxo espontâneo de conhecimento revelador: informações privilegiadas. Profecia, por exemplo, é informação do futuro: Deus divulgando para nós o que está por vir. Portanto, se queremos informações antecipadas sobre o que vai acontecer, para saber tudo sobre o nosso dia antes de vivê-lo, podemos entrar em contato com Deus pela manhã e pedir que Ele nos mostre. Deus quer nos dar uma vantagem. A informação que podemos obter do mundo físico nunca será maior do que a revelação que podemos obter da mente de Cristo que está em nós.

Os pensamentos de Deus dançam em nossa mente, como Einstein disse. Os sentimentos de Deus movem nossas emoções; as impressões que Deus dá motivam nossas vontades; Ele faz com que visões e imagens se formem em nossa imaginação. Podemos aprender a sintonizar, a ouvir a voz de Deus por dentro. Podemos aprender a ver de dentro – ver anjos, ver essa dimensão espiritual, os sinais espirituais que as pessoas estão dando. Aprenda a ouvir de dentro, aquela voz mansa e delicada, o sentimento de paz, o árbitro em nossos corações; sentir por dentro, movido pela compaixão de Deus; cheirar por dentro – fragrâncias espirituais, que frequentemente indicam o que Deus está fazendo; tocar por dentro – muitos de nós experimentamos calor ou vibração quando colocamos as mãos em alguém para orar.

Precisamos ativar nossos sentidos espirituais : o temor de Deus, intuição, revelação, adoração, esperança, fé, reverência e oração. Alguns desses sentidos podemos usar mais do que outros por causa de nossos dons e chamados particulares, mas todos precisamos usá-los até certo ponto.

Canais, Conduítes

É quando temos esses sentidos em funcionamento que nossas vidas se tornam um portal aberto para manifestar a presença de Deus neste mundo: Seu governo, como no céu, na terra, através de nós. Cada um de nós tem uma esfera de influência do reino na qual temos autoridade para governar. Para alguns, pode ser mais amplo que outros, mas todos temos o poder do reino de Deus para trazer influência divina para o lar, a família, as reuniões sociais, o local de trabalho, a rua, a igreja e o ministério. Se o local de trabalho é miserável, você pode entrar com alegria e paz para transformá-lo. Vamos começar a trazer o céu para o nosso local de trabalho e para todos os outros ambientes de nossas vidas.

Podemos mudar a atmosfera, e podemos mudar uma situação, porque carregamos o reino dos céus dentro de nós. Se vemos alguém doente, podemos trazer cura. Se vemos alguém na pobreza, podemos trazer bênçãos. Podemos encontrar a vontade de Deus no céu e trazer essa vontade à terra como uma manifestação do reino.

Chaves do reino

Precisamos usar as chaves do reino.

Eu te darei as chaves do reino dos céus; e tudo o que você ligar na terra será preso no céu, e tudo o que você soltar na terra será solto no céu (Mt 16:19).

Temos que prendê-lo ou soltá-lo no céu primeiro. Nós nos ligamos à vontade de Deus, à verdade e assim por diante; nos livramos das restrições e correntes do inimigo.

Precisamos estar fluindo de dentro para fora, o reino de Deus se manifestando através de nós. Precisamos conhecer nossa identidade como filhos de Deus, que temos o direito de levar o governo de Deus aonde quer que vamos. Então podemos entrar em uma situação com ousadia, sabendo que vamos afetá-la e trazer mudanças a ela, em vez de sermos afetados e alterados por nós mesmos.

Podemos mudar nossas vidas, e as dos outros, sendo abertos ao domínio do reino de Deus.

Seu destino é governar.
Seu destino é ser um transformador do mundo.

Deus, obrigado por sua presença em minha vida.
Abro o portão do primeiro amor e convido-o a entrar em meu espírito.
Convido-o a ativar meus sentidos espirituais e a fluir através de mim.
Jesus, entrego o controle de minha vida a Seu senhorio. Você é o senhor do meu espírito.

Me transforme na imagem de Jesus de dentro para fora
Renove minha mente, cure minhas emoções, restaure minha consciência, limpe minha imaginação
Treine meus sentidos para ouvir Sua voz,
Conhecer seu coração, ver Sua visão, ser dirigido por Sua paz.
Manifestar Seu reino e governo através de mim para o mundo ao meu redor.

Outros artigos de Freedom ARC

Página do Facebook: Vida Sobrenatural.
Grupo do Facebook: VIDA SOBRENATURAL (pedir para participar).

Artigo original em Inglês

162. Spheres of Influence

161. Familiar, Mas Perigoso

Mike Parsons
com Jeremy Westcott – 

Pois a palavra de Deus é viva, ativa e mais afiada do que qualquer espada de dois gumes, e penetrante até a divisão da alma e do espírito, das articulações e da medula, e capaz de julgar os pensamentos e intenções do coração (Hb 4 : 12)

… penetrando na linha divisória do sopro da vida (alma) e [do imortal] espírito, e das articulações e medula [das partes mais profundas da nossa natureza], expondo e peneirando e analisando e julgando os próprios pensamentos e propósitos do coração (Hb 4:12 AMP).

Pois Deus não vê como o homem vê, porque o homem olha para a aparência exterior, mas o SENHOR olha para o coração (1 Sm 16: 7)

Deus está mais interessado em nossos motivos do que em nossas aparências ou ações externas. Portanto, ao nos prepararmos para cumprir nosso destino, precisamos olhar atentamente para o nosso coração.

Em verdade, em verdade vos digo, quem crê em Mim, as obras que eu faço, ele também fará; e obras maiores do que estas ele fará; porque eu vou ao Pai (João 14:12).

Ele deseja que operemos na plenitude do poder do Espírito, assim como Jesus. Mas quem recebe a glória quando eu faço um milagre? Se é Deus, isso é ótimo. Mas as evidências da história e de todo o mundo sugerem que nem sempre é esse o caso. Quando fazemos coisas que as pessoas apreciam, isso pode alimentar uma necessidade em nós.

Deus fará coisas terríveis através de nós, para Sua glória. Mas vamos usá-los para nós mesmos, para ganhar dinheiro, posição, popularidade ou poder? Essas são as tentações da carne.

Dois exemplos

Vejamos dois exemplos bíblicos disso:

Em Atos 5, Ananias e Safira venderam propriedades, deram parte do dinheiro aos apóstolos e retiveram parte de si mesmos (como na verdade eles estavam perfeitamente autorizados a fazê-lo). Mas eles mentiram e alegaram que estavam dando tudo, então Pedro perguntou a Ananias: ‘Por que você concebeu essa ação em seu coração?’ Era porque eles queriam ser considerados mais generosos do que realmente eram. Eles estavam buscando a aprovação das pessoas.

Caíram mortos por causa do que havia em seus corações. Eu não quero que ninguém morra. Mas com maior poder vem uma maior responsabilidade. Temos que ser puros de coração.

Em Atos 8, Simão, o feiticeiro, dizia ser alguém grande. Ele creu e foi batizado, mas porque ainda estava procurando uma posição, tentou comprar o poder de impor as mãos às pessoas para receber o Espírito Santo. Pedro o admoestou a ‘orar para que a intenção do seu coração possa ser perdoada’.

Busca-me

Esta é uma oração familiar para muitos de nós agora:

Busca-me, ó Deus, e conhece o meu coração;
Tente-me e conheça meus pensamentos ansiosos;
E veja se há em mim algum caminho ofensivo,
e me conduza no caminho eterno.

(Salmo 139: 23-24)

Familiar, mas perigoso. Estamos dispostos a Deus nos mostrar o que está em nossos corações? Estamos dispostos a que Ele mude e nos transforme? Não sejamos rápidos em responder sem considerar o custo. Nem sempre é fácil concordar com ele. Podemos achar difícil aceitar que temos motivos errados, que nosso coração não está certo. Também não gostamos que os outros pensem isso de nós. Pensamos que estamos bem. Mas esta é a nossa oportunidade de nos humilharmos e permitir que Deus faça o que precisa ser feito.

Encontros em uma nuvem escura

Deixe-me compartilhar com você dos meus diários um pouco de como isso foi para mim.

15 de novembro de 2010: vi uma nuvem, como uma nebulosa, e meu pergaminho do destino relampejou diante dos meus olhos. No centro havia um ponto crucial. Todas as coisas estavam levando a esse ponto no tempo no pergaminho e todas as coisas estavam fluindo a partir desse ponto. Eu vi um fogo, uma chama.

fireandsmoke

Janeiro a maio de 2011: Se queremos entrar na presença de Deus, a presença de Sua Pessoa, temos que passar por um lugar escuro. A nuvem negra existe para nossa proteção, mas, com a preparação, podemos atravessá-la (ver Gn 15:12; Dt 4:11; Salmo 18: 11-12; Salmo 97: 2). Você não quer encontrar Deus despreparado (ouvi dizer que o Sumo Sacerdote tinha uma corda amarrada à perna quando ele entrou no Santo dos Santos, para que pudessem arrancar seu corpo se ele não tivesse se preparado adequadamente e estivesse queimado).

3 de maio de 2011: perguntei: “Pai, como te encontro no fogo e na fumaça?”

“Filho, você me conheceu, mas não está com fome e sede o suficiente para chegar onde estou na nuvem densa. Você se conteve, ficou com medo. Você não estava pronto para entregar tudo. Se você realmente quer vir, pode, mas nunca será o mesmo. Você não pode agir da mesma maneira. Você deve querer vir acima de tudo, precisa vir”.

“Você tem muitos ônus por vir; eles te ancoram no mundo. Você deve estar disposto a dissolvê-los. Você está muito confortável. Os anjos de colheita precisam retirar de você as coisas que o prendem ao chão e restringem sua amplitude de movimento”.

“Filho, eu temo que, se você vier agora, não voltará. Se prepare; discipline a carne, discipline sua mente. Entregue suas emoções novamente e eu darei as boas-vindas para você Me ver ”.

6 de novembro de 2011: Durante um tempo de adoração, eu estava perdido na presença de Deus na pista de dança, dentro de uma cortina em espiral e fui instruído a passar os próximos 4 meses no jardim, pista de dança, sala de imersão e câmara nupcial. Eu deveria fazer um contrato de casamento e levá-lo ao dossel das trevas, à presença da pessoa de Deus, para consumação.

Foi-me mostrado que 20 de fevereiro seria o meu dia da inovação.

O jardim do amor, a pista de dança da alegria, a sala de imersão da paz e a câmara nupcial da esperança – quatro meses assim não pareciam tão ruins. Mas acabou sendo um tempo de escuridão, no qual eu não podia fazer nada, não ver nada, não saber nada, enfim até ser nada, um tempo de testes intensos.

Ele me disse: “Não preciso da sua ajuda, apenas da sua rendição”.

Eu confiaria nEle sem ver e saber o que Ele estava fazendo? A alegria poderia vir de nada externo, somente do Senhor? Eu estava disposto a aceitar o jugo de Jesus, a oferecer minha obediência mesmo quando não fazia sentido?

No quarto mês, na câmara nupcial, fui instruído a esperar com esperança na esperança.

Entrei em 21 dias de jejum e passei os primeiros 6 dias revisando 15 meses de meus diários. Eu não estava doente há 16 anos, mas fiquei doente bebendo água contaminada, porque não havia limpado o bebedouro adequadamente. Eu não dormi por 5 dias, não conseguia nem manter a água e estava correndo vazio, todas as reservas desapareceram. Eu não fiz o que eu aconselharia a outros, não lutei, resisti à doença ou chamei os anciãos – Deus disse apenas para esperar.

O Salmo 22: 1 tornou-se muito real para mim. ‘Meu Deus, meu Deus, por que você me abandonou?’

Comecei a perder minhas habilidades de raciocínio, não conseguia me concentrar, estava lutando até para orar em línguas. Emocionalmente, comecei a me sentir realmente vulnerável, que precisava arrumar minha casa. Comecei a pensar que ninguém em casa sentiria minha falta se eu não estivesse por perto. Percebi que havia semeado 18 anos de minha vida na igreja em detrimento de meus relacionamentos com minha esposa e família, que minhas prioridades precisavam mudar.

Eu me perguntei se chegaria a 20 de fevereiro, meu dia da descoberta.

Uma noite houve intenso fogo por dentro e por fora, ondas de perda rolando sobre mim: decepção, desespero, desânimo, tristeza. Os 59 pontos do contrato de casamento, que eu havia elaborado em obediência ao que Deus havia me dito, foram perdidos um a um. E ele estava perguntando: “Você ainda me ama?”

Se nenhum dos meus sonhos fosse realizado
Se nenhuma das profecias acontecesse
Se o meu destino nunca fosse cumprido

Eu ainda amaria a Deus?
Eu ainda confiaria em Deus?
Eu ainda teria alegria e paz?
Ainda seria capaz de me alegrar e agradecer?
Deus ainda seria um bom Deus?

Deus poderia confiar em mim?
Era tudo sobre ele? Ou eu?
Foi sobre o que Ele poderia fazer por mim?
Foi sobre o que eu poderia fazer por Ele?

Tudo valeu a pena apenas por um relacionamento com Ele e mais nada?
Eventualmente, a resposta foi SIM.

“Quando você passar pelas águas, eu estarei com você; E através dos rios, eles não vão transbordar. Quando você andar no fogo, não será chamuscado … ” (Is 43: 2)

Segunda-feira, 20 de fevereiro: fui totalmente restaurada à saúde e à totalidade. As algemas foram removidas e eu estava livre para ministrar novamente. Imediatamente eu descobri que era capaz de envolver Deus nos céus.

Eu me encontrei cara a cara com ele.

Fogo

Deus pode confiar em nós, Sua igreja, com tudo o que Ele deseja nos dar?
Deus é mais importante para nós do que o que Ele faz por nós?

Não sem a purificação de nossos corações. São os puros de coração que verão a Deus.

Seu fogo está chegando, para refinar e purificar. Vi Deus no Seu trono com uma lata grande rotulada de ‘acelerador’. Jesus está se preparando para vir e purificar seu templo. O julgamento começará com a casa de Deus.

Deus disciplina aqueles a quem ama, porque deseja o melhor para nós. Nem todo mundo terá que passar pelo que passei. Eu sou um precursor: eu passo para os outros seguirem. Mas você está disposto a passar pelo fogo do refinamento, purificação, preparação? O que isso significa para você, você está realmente disposto a testar os motivos do seu coração no fogo?

Cuidado como você responde.

[Esta postagem é baseada na sessão 10 da série de ensino de Mike, Preparando-se para o destino.]

Outros artigos de Freedom ARC

Página do Facebook: Vida Sobrenatural.
Grupo do Facebook: VIDA SOBRENATURAL (pedir para participar).

Artigo original em Inglês

TrilhaSonora: Black Cloud [Nuvem Negra] – Pista de imersão instrumental da Creative Sound – Frequência do Óleo Êxodo II

160. Nosso Momento Definitivo

Mike Parsons
com Jeremy Westcott  

Deus só tem ‘Plano A’. Não existe um ‘Plano B’. Cada um de nós tem um destino , conferido e acordado antes da fundação do mundo, e com esse destino vêm a capacidade criativa e a autoridade para cumpri-lo. Deus tornou isso realmente simples para nós. Podemos avançar, dizer “sim” ao Seu plano e cumprir o nosso destino, ou hesitar, reter, dizer “não” e sentir falta.

Três gerações

Deus está chamando uma geração em nossos dias. De fato, Ele está falando com três gerações e chamando-os a cumprir seu destino.

  1. Uma geração de Josué, que verá a Terra Prometida, entrará nela como precursores e atrairá outras pessoas com elas.
  2. Uma geração de colheitadeiras, um bilhão delas, como profetizado (em 1975, uma geração atrás – e não vamos perder o significado disso) por Bob Jones. Eles colherão a colheita final, que será muito mais numerosa e, para isso, precisarão operar na plenitude das maiores obras de Jesus (João 14:12).
  3. A geração de Moisés, que viu e experimentou a liberação de Deus e Sua provisão milagrosa. Diante dos gigantes e das cidades muradas, eles têm uma escolha a fazer. Ainda não é tarde para eles, ainda não.

A igreja hoje está em transição de um lugar para outro, ou pelo menos parte dela. E todos nós temos uma escolha a fazer. Duas tribos e meia de Israel escolheram ficar no lado mais próximo do Jordão, optaram por não aproveitar os benefícios da provisão de Deus para eles e desapareceram mais ou menos completamente da história.

A geração que entrou na Terra Prometida recebeu exatamente a mesma escolha que seus pais haviam rejeitado quarenta anos antes, com exatamente os mesmos obstáculos a serem superados, mas essa geração disse “sim” a Deus em vez de “não”. Ainda assim, o processo de tomar a terra não foi fácil. As cidades tiveram que ser conquistadas (usando a estratégia de Deus, não a deles); os gigantes e as nações tiveram que ser despossuídos. Mesmo que optemos por dizer “sim” a Ele, ainda teremos que lutar por nossa herança, e teremos que ser vencedores se quisermos cumprir nosso destino.

“Este sou eu, e isso não é”

Alguns escolherão não entrar. Vamos honrá-los pelo caminho que trilharam na vanguarda dos propósitos de Deus, alguns deles por décadas. Mas se eles não estão preparados para dar o passo final, então sabemos que no horário profético de Deus há um tempo para o julgamento chegar à casa de Deus. O julgamento é tão simples quanto Ele traçando uma linha e dizendo: “Este sou eu, e isso não é. Qual você escolherá?

A Vigária de Dibley

A igreja geralmente tem uma reputação muito ruim com o mundo. Podemos rir de programas de comédia como ‘A Vigária de Dibley’ e ‘Rev’, mas eles são um reflexo preciso de como o mundo nos vê. Quando eu ensinei essa série pela primeira vez em 2012, Deus me disse que em três anos ele viria para derrubar as mesas dos cambistas em Seu templo. Chegando a nós individualmente como o templo do Espírito Santo, certamente. Mas também vindo à igreja, onde quer que não seja uma representação verdadeira Dele.

Obras autênticas do reino

Podemos pensar que aqui na Freedom nossa reputação com o mundo (pelo menos localmente) é um pouco diferente. Estamos nos engajando e atendendo às necessidades das pessoas em nossa comunidade e, é claro, existem muitas outras igrejas das quais o mesmo é verdade. Mas não podemos nos dar ao luxo de ser complacentes. Não é suficiente. Não devemos nos contentar. Nós devemos entrar, herdar nosso destino e tomar nossa Terra Prometida.

Há toda uma geração de jovens a serem conquistados por Cristo. Eles não responderão à mesma experiência chata da igreja que já rejeitaram. E não apenas os jovens – a Geração de Josué e os ceifeiros serão de todas as idades. Nada menos que uma demonstração autêntica das obras do reino os atrairá.

Limpando o templo

Eu vou agitar mais uma vez todas as coisas.
Vou virar as mesas dos cambistas no meu templo.
Vou expulsar os ladrões e salteadores do Meu templo.
Estou preparando o chicote agora
para expor as atitudes e os motivos de suas vidas.

Vou expor em Meu templo a igreja
aqueles que a estão usando para seus próprios propósitos.

Haverá muitos expostos por quem e o que são.

Meu templo será novamente conhecido como a casa do Pai;
um lugar de habitação.

Meu templo será conhecido como Casa de Oração,
onde Minhas palavras de verdade libertarão Meu povo.
E através de homens livres
O mundo será libertado do caos,
confusão e domínio das trevas em que se encontra.

Meu desejo é revelar filhos ao mundo; filhos verdadeiros vivendo na verdade.
Verdadeiros templos onde rios da Minha presença e poder estão fluindo para cumprir Meus propósitos.

Agora estou preparando o chicote.
Portanto , esteja pronto para que motivos egoístas e egocêntricos
sejam revelados.

Saiba com certeza que Meu templo será conhecido
como uma verdadeira casa de oração.

(Ver Mateus 21: 12-13, João 2: 13-22).

Jesus está trançando um chicote, e todos aqueles que estão negociando para seus próprios propósitos serão despejados. Esse período de três anos será concluído no início de 2015, quando também serão 40 anos desde a profecia de Bob Jones. Este é um negócio sério.

Visões

Tivemos a visão de um dossel estendido sobre nós e de águias voando, carregando os quatro cantos dele para longe.

Em outra visão, houve uma abertura de portal e anjos chegando em grandes números. Eles carregavam cordas presas às estacas e as jogavam aos pés das pessoas. Alguns ignoraram completamente as apostas, outros os jogaram no chão onde estavam, mas outros os pegaram e os levaram o mais longe que puderam, até que as cordas foram puxadas com força e os levaram até lá.

A mensagem é clara e a forma como respondemos é de importância crítica.

“Escolham hoje a quem servirão … mas, como eu e minha casa, serviremos ao Senhor.” (Josué 24:15).

[Esta é uma palavra ‘agora’, embora grande parte deste material tenha sido originalmente ensinada na sessão 9 de ‘Preparando-se para o Destino’ (‘Preparing For Destiny’) na Freedom Church em 2012 e se refira a uma mudança radical em 2015. O áudio e as notas de Mike para toda a série de ensino estão disponíveis em nosso site (apenas em inglês). – Jeremy]

Outros artigos de Freedom ARC

Página do Facebook: Vida Sobrenatural.
Grupo do Facebook: VIDA SOBRENATURAL (pedir para participar).

Artigo original em Inglês

158. Um Fluxo de Revelação Espontânea

Mike Parsons 
com Jeremy Westcott – 

Deus fala conosco em um fluxo de revelação espontânea. Ele se comunica através de pensamentos, imagens, sentimentos e impressões que precisamos captar. Precisamos ser capazes de nos sintonizar com eles; para ver, sentir, ouvir e tocá-los. Ler as escrituras pode ser um bom começo, mas a Bíblia é o começo da experiência, não o fim dela.

A escritura se torna um portal para encontros com Jesus, com o Espírito Santo, com nosso Pai. Também se torna uma âncora para experiências que temos agora e uma plataforma para mais experiências ainda por vir. Podemos ir à Bíblia e descobrir se há uma escritura que fala sobre aspectos de nossa experiência. É isso que quero dizer ao encontrar uma âncora nela.

Nós cantamos que queremos encontrá-lo ‘cara a cara’. Essa é uma realidade que todos podemos desfrutar aqui e agora.

Anote tudo

A palavra hebraica para “conhecer” significa “experimentar por encontro pessoal”, e é possível termos experiências, encontros, visões, sonhos e revelações. As Escrituras estão repletas de exemplos de tais coisas.

Eu quero encorajá-lo, se você quiser se beneficiar de encontros com Deus, escreva-os. Anote tudo para que você possa voltar, revê-lo, meditá-lo e extrair mais revelações. Você também pode rever a experiência. Quanto mais repetimos experiências, mais nosso cérebro aprende a valorizar e armazenar essas experiências, em vez de esquecer e rasgar as memórias.

Existem três fases de experiência com Deus que podemos identificar:

  1. Visões

Estas são imagens de instantâneos ou imagens em movimento, como visto de fora, uma espécie de experiência de terceira pessoa de ver a nós mesmos ou a outra pessoa.

  1. Visitação

Nestes nós experimentamos algo na 1ª pessoa, e nos envolvemos na ‘ação’. Isso pode envolver estar em transe, como o que Pedro teve no telhado quando Deus lhe mostrou uma folha descendo do céu cheia de animais; ou mesmo sendo traduzido.

Se você acha que tudo isso soa muito como a Nova Era, é porque os devotos da Nova Era experimentaram algo sobre o que a Bíblia fala, mas a experimentaram de uma maneira que não os conecta com Deus (para ser justo, isso não surpreende quando fizemos um trabalho tão bom de dizer-lhes que eles mesmos estão separados Dele. Eles não estão). E agora a religião nos diz que não podemos tocá-lo. Enormes seções da igreja engoliram – e proliferaram – aquela mentira em particular. E se você está preocupado, é muito parecido com a religião oriental, pergunte a si mesmo de onde vem a Bíblia. Não é da América. Não do Reino Unido. Ela vem do Oriente Médio, e esse é o cenário cultural que deve informar nossa compreensão do que ela diz.

Paulo escreveu que ele não sabia se ele estava dentro ou fora de seu corpo quando ele foi para o céu. A mentalidade ocidental tem um tempo difícil com declarações como essa. Ezequiel foi retirado de seu corpo e seu espírito foi transportado para Jerusalém para que ele pudesse ver o que estava acontecendo ali. Essas experiências são para nós também. O Espírito Santo pode vir e nos levar a lugares diferentes na Terra e a diferentes lugares no céu, e podemos não saber se estávamos lá no corpo, no espírito ou em ambos.

A razão de tudo isso é para nos permitir trazer o céu para a terra.

  1. Habitações

É quando vivemos nos reinos duais do céu e da terra simultaneamente, como Jesus fez:

Ninguém subiu ao céu senão aquele que desceu do céu, isto é, o Filho do Homem que está no céu (João 3:13, ênfase minha). Jesus estava na terra, falando com Nicodemos, mas disse que Ele estava no céu ao mesmo tempo.

É assim que Jesus foi capaz de ver as coisas que o Pai estava fazendo, porque Ele estava em constante conexão espiritual com o Pai nos reinos celestes. O que quer que Jesus tenha feito, Ele disponibilizou para nós. Ele disse: “Vocês farão as obras que eu faço e maiores que estas, porque eu vou para o Pai” (João 14:12 ). Ele foi abrir esta porta para nós, esta avenida nos reinos celestes.

Abra os olhos do nosso coração

Podemos ver com nossos olhos naturais, mas ao mesmo tempo também podemos ver com nossos olhos espirituais e fluir na revelação que vem da presença de Deus. É aqui que a meditação se torna tão importante. A meditação é um processo que podemos usar para abrir os olhos do nosso coração para ver; encontrar a verdade de quem Deus é de maneira prática e experiencial.

Definições

Aqui estão algumas definições do dicionário sobre meditação: o ato de focalizar os pensamentos: ponderar, pensar, meditar, refletir, contemplar, balbuciar, resmungar, imaginar; murmurar; conversar consigo mesmo; ruminar (mastigar o rumino e extrair toda a bondade dele).

Não é loucura falar consigo mesmo. Eu falo comigo mesmo o tempo todo. Enquanto falamos em voz alta, estamos comunicando as coisas de Deus ao nosso espírito, que crescerá e se envolverá com elas. E usar nossa imaginação é parte do processo de meditação. Se estamos “imaginando”, o que há de errado nisso? É assim que Deus fala conosco.

A música é muito útil na meditação. Ela fornece uma plataforma que envolve nossa imaginação. O lado direito do nosso cérebro é onde a criatividade e a imaginação residem. Quando falamos em línguas, os cientistas descobriram que é o lado direito do nosso cérebro que está envolvido nessa atividade. E o lado direito do cérebro se ativa melhor, e mais sangue flui fisicamente para lá, quando estamos em repouso. Portanto, é melhor meditar quando estamos em estado de relaxamento, o que podemos alcançar acalmando-nos, respirando fundo e assim por diante. Novamente, isso não está errado: é uma preparação simples e sensata do nosso corpo.

Logos para Rhema

A meditação transforma o logos (palavra escrita e fixa) na palavra rhema (falada para nós agora), estimulando a fé da qual podemos viver. Transforma o conhecimento da cabeça em experiência pessoal e nos permite ouvir a voz de Deus. Na meditação, Deus pode usar uma escritura para falar conosco (às vezes completamente fora do contexto – Ele a escreveu e pode usá-la da maneira que Ele desejar), para nos transmitir algo que Ele quer que nós ouçamos e entendamos.

Este livro da lei não se apartará da sua boca, mas meditará nele dia e noite, para que você seja cuidadoso em fazer conforme tudo o que está escrito nele; pois então você fará o seu caminho próspero, e então você terá sucesso (Josué 1: 8).

Meditar me permitirá prosperar, em meu destino, no que Deus me chamou para fazer em minha vida, quero prosperar; Eu quero ter sucesso e exceder ao mais alto nível.

Você não quer o mesmo?

Outros artigos de Freedom ARC

Página do Facebook: Vida Sobrenatural.
Grupo do Facebook: VIDA SOBRENATURAL (pedir para participar).

Artigo original em Inglês

157. Manifestando Sua Presença

Mike Parsons 
com Jeremy Westcott

A presença de Deus está dentro de nós. Ele quer que abrimos a porta para que Ele possa preencher todo o nosso ser.

Eis que estou à porta e bato; se alguém ouvir a minha voz e abrir a porta, entrarei em sua casa e jantarei com ele, e ele comigo.  (Apocalipse 3:20)

Oportunidade para o mundo

Jesus está nos convidando a ter um relacionamento com ele. Deus está dentro de nós. Ele quer fluir através de nós para que possamos manifestar a Sua presença ao nosso redor. Dessa forma, o mundo tem a oportunidade de interagir com o reino de Deus.

Existem sentidos em nosso espírito. Eles são portas pelas quais Deus pode fluir. Dependendo do seu destino , algumas dessas portas serão usadas ​​mais do que outras.

GATES 92.br

Revelação de Deus

Eu passei muito tempo meditando nas minhas portas. Ao orar, eu imaginava uma porta e meditava nela, pedindo a Deus que me mostrasse o que aquela porta em particular significava para mim. Eu fiz isso por todas aquelas portas em meu espírito, alma e corpo até que tive uma revelação de Deus sobre todas elas. Eu passei por um processo de abrir minhas portas e aprender a permitir que o fluxo de revelação passasse pelo meu espírito, alma e corpo.

Eu ensinei aos outros como fazer isso e eles concordam com o quão desafiador é, como Deus destaca as áreas que são bloqueios para o Seu fluxo. Mas eles também concordam em como é eficaz abrir suas vidas para receber revelação de Deus. Sua experiência (e minha) é que isso pode transformar sua vida.

Passei muito tempo considerando cada uma das combinações de portas através das quais a vida de Deus pode fluir através do meu espírito e alma e sair do meu corpo. Demorou um pouco, porque acho que há algo como 280 delas. Mas valeu a pena o esforço, porque me abriu para ser capaz de ouvir Deus, vê-lo e fluir nele muito mais do que jamais poderia antes.

Removendo os bloqueios

O processo é de perseverança e prática. Mas quando você começa a entender como isso funciona, você descobre que existem coisas operando em você, que são bloqueios para as coisas do espírito.

Eles podem vir até você como imagens. Algumas pessoas vêem arbustos ou correntes por todos os portões. Alguns vêem suas portas todas fechadas com madeira e pregos e estão gritando “Eu não posso abri-lo! Eu não posso abrir! ” A verdade é que seremos capazes de abri-lo, mas pode haver coisas com as quais Deus quer que lidemos e nos livramos, para que a porta seja desbloqueada. Nós temos que passar pelo processo.

Transforme o mundo

Jesus está batendo e eu só quero encorajar todos os dias a abrir a porta dentro de nós. Deixe-o entrar. Deixe-o entrar em nosso espírito. Convide-o a ser o Senhor da nossa vida. Permita que Ele comece a fluir através das portas de nosso espírito, alma e corpo e assim sair para o mundo ao nosso redor.

Ao fazermos isso, descobrimos que começamos a mudar e a transformar não apenas nossas próprias vidas e como vivemos, mas também o que acontece ao nosso redor. Nós nos tornamos sujeitos ao reino de Deus que flui de nós em vez do que está vindo de fora para fora de nós, então aprendemos a superar as coisas como doenças e a ter autoridade sobre elas. Isso é algo que Deus está nos ensinando a fazer.

Quando Jesus veio, Ele era o modelo do reino. Todos os que vieram a Ele, Ele curou de todas as doenças. Todos que vieram a Ele, Eles se libertaram da influência demoníaca que estava operando em suas vidas. Ele trouxe as pessoas para a plenitude da alegria, paz e esperança.

Fluindo como Jesus? Não acontece da noite para o dia. Mas com dedicação, prática e perseverança, poderemos experimentar isso em nossas próprias vidas.

A questão é, quanto queremos?

Outros artigos de Freedom ARC

Página do Facebook: Vida Sobrenatural.
Grupo do Facebook: VIDA SOBRENATURAL (pedir para participar).

Artigo original em Inglês

152. Recursos e Responsabilidades

Mike Parsons
com Jeremy Westcott – 

O primeiro passo em nosso ‘treinamento para reinar’, como vimos na última vez, é abandonar o controle de nossa própria vida e aprender a ser um servo obediente e disposto.

Mordomo

Além da servidão, há treinamento para ser um mordomo. Um mordomo tem responsabilidades – e acesso a recursos – que um servo não tem. Mordomia transporta um nível mais alto de autoridade e responsabilidade, e Jesus nos treinará para ser mordomos de todos os recursos que Ele nos disponibilizou para nossas vidas e para as obras que Ele preparou para nós fazermos.

Em Mateus 25, Jesus ensinou sobre a responsabilidade no reino:

Então o reino dos céus será comparável a dez virgens, que pegaram suas lâmpadas e saíram ao encontro do noivo. Cinco delas eram tolas e cinco eram prudentes. Porque quando as insensatos pegaram as suas lâmpadas, não levaram óleo consigo (Mt 25: 1-3).

Todas as dez foram encarregadas de uma tarefa, mas apenas cinco delas levaram sua responsabilidade a sério. Cinco não o fizeram, e a resposta de Jesus a elas foi ‘eu não te conheço’ (Mt 25:12). Eu não acredito que Ele quis dizer que elas não estavam em relação com Ele, Ele quis dizer que Ele não Se reconheceu nelas. Elas não estavam operando em boa administração.

Talentos

Pois é como um homem prestes a viajar, que chamou seus próprios servos e confiou seus bens a eles. A um ele deu cinco talentos, para outro, dois e para outro, um, cada um de acordo com sua própria capacidade (Mt 25: 14-15).

Fomos confiados às posses de Jesus enquanto Ele voltou ao céu. Todos nós temos chamados e destinos em Deus, que Ele nos dará os recursos para cumprir. Um talento era uma quantia em dinheiro, e cada um de nós precisa de um nível diferente de recursos para atingir nossa vocação específica.

Imediatamente, aquele que recebeu os cinco talentos foi e negociou com eles e ganhou mais cinco talentos. Da mesma forma, quem recebeu os dois talentos ganhou mais dois. Mas aquele que recebeu o único talento foi embora, e cavou um buraco no chão e escondeu o dinheiro do seu senhor (Mt 25: 16-18).

Negociar é pegar algo que Deus nos dá e colocá-lo para trabalhar para alcançar um resultado desejado. Aqui, os dois servos que negociavam com o dinheiro de seu amo agiam com responsabilidade e dobravam seu dinheiro para ele. Aquele que escondeu no chão era um mordomo irresponsável.

Tudo o que Deus deu, Ele deu para um propósito. Podemos escondê-lo de várias maneiras: “Não sou bom o suficiente”, “não sou digno”, “não posso fazê-lo por causa do meu passado” e assim por diante. Podemos inventar qualquer número de desculpas por que é muito difícil ou muito arriscado ir atrás de nosso destino em Deus, mas Jesus não aceitará nenhuma delas. Ele sabe o que Ele nos chamou para fazer e nos deu os meios para alcançá-lo. Ele espera que usemos nossos dons para a Sua glória.

Agora, depois de muito tempo, o mestre desses servos veio e estabeleceu contas com eles. Aquele que recebeu os cinco talentos subiu e trouxe mais cinco talentos, dizendo: ‘Mestre, você me confiou cinco talentos. Veja, ganhei mais cinco talentos. Seu mestre disse-lhe: ‘Bem feito, bom e fiel servo. Você foi fiel com algumas coisas, eu vou colocar você no comando de muitas coisas; entre na alegria do seu mestre. (Mat 25: 19-21)

Todos nós teremos que estabelecer a conta da nossa vida, diante do tribunal de Deus. Eu estive lá, e sei que não está em algum lugar que você queira ir se você estragou tudo, e não usou os recursos que Deus deu da maneira que Ele pretendia. Deus quer nos treinar para sermos fiéis em usar o que ele nos deu. Se formos fiéis com um pouco, Ele nos confiará mais. Esse é um princípio de boa mordomia no reino, e se aplica tanto nesta era como na era vindoura.

Quanto ao servo que não agiu responsavelmente com os recursos de seu mestre:

Mas seu mestre respondeu e disse-lhe: ‘Seu servo mau e preguiçoso … você deveria ter colocado meu dinheiro no banco, e na minha chegada eu teria recebido meu dinheiro de volta com juros. Portanto, tire o talento dele e entregue-o àquele que tem dez talentos. Pois a todos que têm, mais será dado, e ele terá em abundância; mas daquele que não tem, até o que ele tem será tirado. Jogue fora o servo sem valor nas trevas exteriores; naquele lugar haverá choro e ranger de dentes (Mt 25: 26-30).

Isto não é ‘inferno’, mas os tribunais exteriores. O choro e o ranger de dentes virão quando as pessoas perceberem como falharam em cumprir o chamado de Deus e desperdiçaram Seus recursos. A boa notícia é que podemos ir diante desse tribunal agora, arrepender-se e seguir nosso destino, começando a agir como mordomos fiéis. Então, não precisamos nos encontrar nessa situação.

Fiel

Quem é fiel em muito pouco é fiel no muito; e quem é injusto em muito pouco é injusto no muito (Lucas 16:10).

Deus nos testa. Ele nos dá oportunidades para demonstrar se vamos ser fiéis com o que ele nos deu. Aqueles de nós que estão procurando algo de Deus, seja unção, finanças, dons ou qualquer outra coisa, precisam ser fiéis com as pequenas coisas primeiro. Deus não nos dará um enorme ministério internacional de cura se não estivermos preparados para ministrar a cura à pessoa ao lado. O treinamento de Deus envolve nos dar oportunidades para crescer.

A autoridade vem como resultado de aprender a ser um bom administrador:

E ele disse-lhe: ‘Bem feito, bom servo, porque você tem sido fiel em uma coisa muito pequena, você deve estar em autoridade sobre dez cidades (Lucas 19:17).

Confiável

E aqui está Paulo, falando sobre as coisas que Deus revelou a ele quando foi para o céu e teve um encontro cara a cara com ele. Ele se vê como um mordomo, que sabiamente usaria esses recursos para trazer bênçãos aos outros:

Deixe um homem nos considerar dessa maneira, como servos de Cristo e mordomos dos mistérios de Deus. Neste caso, além disso, exige-se dos mordomos que se considere confiável (1 Cor 4: 1-2).

Deus quer nos confiar tudo o que Ele tem para nós, mas Ele nos inicia com um pouco, para que possamos aprender a ser fiéis, e adquirir a sabedoria para lidar com maior unção, maior revelação, maiores níveis de financiamento, maior honra.

Como cada um recebeu um dom especial, empregue-o em servir uns aos outros como bons mordomos da multiforme graça de Deus (1 Pedro 4:10).

Em nossas finanças, se pudermos ser fiéis ao que temos, Ele nos dará mais. Quando o honramos administrando um pouco fielmente, Ele é capaz de nos confiar tudo. Estamos usando fielmente nossos dons e habilidades, sejam espirituais ou naturais, para os propósitos para os quais Deus os deu? Como estamos usando nossos relacionamentos de aliança, uns com os outros e com Ele?

Atitude de coração

Tudo o que temos pertence a Deus e Ele quer nos treinar para sermos bons e fiéis mordomos. Afinal, somos apenas mordomos de tudo o que temos. Nosso dinheiro, casas, carros e posses pertencem a ele. Quando fazemos de Jesus Senhor, fazemos tudo o que temos disponível para o Seu uso. Se tudo isso pertence a ele, então ele tem primeiro direito sobre ele, seja qual for e quando Ele quiser. Quando Ele nos pede para dar algo, revelará a atitude do nosso coração (particularmente se Ele nos pedir para dar algo precioso).

Estamos dispostos a entregar tudo a ele? Uma atitude que diz “Tudo pertence a você” – essa é a marca de um bom e fiel mordomo.

Outros artigos de Freedom ARC

Página do Facebook: Vida Sobrenatural.
Grupo do Facebook: VIDA SOBRENATURAL (pedir para participar).

Artigo original em Inglês

 

151. Abdicar e Servir

Mike Parsons
com Jeremy Westcott

Quando Jesus viveu na terra, Ele tinha poder sobre a natureza, poder sobre a doença, poder sobre os demônios, poder sobre tudo. Ele ensinou sobre falar com a montanha e dizer para ela se mover. Ele operou no poder do reino para colocar tudo em sujeição á vontade e propósito de Deus. Ele quer que a gente viva da mesma maneira.

Treinamento para reinar

Aqueles que recebem a abundância da graça e do dom da justiça reinará em vida por meio de Um só, Jesus Cristo. (Rm 5:17)

É claro a partir deste verso que nós reinaremos. Reinar é o que é feito por um rei, em um trono, sobre um território ou uma área que eles governam (seu reino). Observe que aqueles que devem reinar precisam recebê-lo como um presente. Não é alcançado através de nossa própria força, auto-esforço ou auto-estima. É através do recebimento do dom da justiça.

E para o nosso Deus nos fizeste reis e sacerdotes; e reinaremos sobre a terra. (Apocalipse 5:10)

Há um período de treinamento que temos que percorrer para isso. Muitos de nós nos encontramos naquele lugar de treinamento agora. Se tentarmos permanecer no controle, sentados no trono da nossa vida (que contém o rolo do nosso destino), não há lugar de descanso ou governo para nós. Temos que abdicar do trono de nossas vidas em favor de Jesus. Nós temos que desistir do trono, desistir do controle de nossas vidas.

Quando fazemos Jesus Senhor, Ele pode nos treinar para sermos senhores. Esse treinamento envolve provações, dificuldades e tribulações, circunstâncias que nos ensinam a superar e a crescer, situações nas quais manifestamos Seu reino.

Servo

Mas a primeira coisa que Ele quer que façamos é aprender a sermos servos.

Nós cantamos sobre ‘elevar Jesus mais alto’. A primeira maneira de elevá-lo mais alto é descermos. Quando abdicamos do trono de nossas vidas, quando estamos em nossos rostos em obediência, Ele é maior. O servo faz as obras de Deus. Isso faz parte do nosso treinamento para ocupar o trono e a sede do governo.

Jesus é nosso exemplo do que significa ser um servo. Mesmo sendo um rei, ele veio para servir. Tudo no reino de Deus começa com um coração de servo:

 “Quem quiser tornar-se grande entre vós será teu servo” (Mt 20:26)

“Pois o próprio Filho do homem não veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida em resgate por muitos.” (Mc 10:45)

“Se alguém me serve, ele deve seguir-me, e onde eu estou, meu servo estará também, se alguém me servir, o Pai o honrará” (Jo 12:26)

Quando Jesus fala sobre “onde estou” neste verso, Ele está se referindo ao relacionamento que tem com o Pai: Ele está no Pai e o Pai está Nele. Ele diz que podemos fazer parte desse relacionamento também.

Humildade e obediência

Quando nos humilharmos, quando nos curvamos em obediência para servi-lo, o Pai nos levantará. Não é para nós nos erguermos e tentarmos entrar em um trono. Nós certamente não tentamos dominar sobre outras pessoas, ou procurar controlar ou manipular situações. Nós nos inclinamos em humildade entregamos nossas vidas àquele que nos equipará para estar num trono. Se nos sentamos em um trono e não sabemos como usar a autoridade corretamente, abusaremos dessa autoridade. O uso correto da autoridade trará bênçãos para nós mesmos e para os outros. E Deus nos honrará.

Jesus foi obediente para fazer as obras que o Pai O instruiu a fazer. Em força absoluta, Ele entregou essa força ao Pai. Ele aprendeu a permitir que Deus trabalhasse através Dele.

Mas Jesus respondeu, e disse-lhes: Na verdade, na verdade vos digo que o Filho por si mesmo não pode fazer coisa alguma, se o não vir fazer o Pai; porque tudo quanto ele faz, o Filho o faz igualmente.(Jo 5:19)

Não crês tu que eu estou no Pai, e que o Pai está em mim? As palavras que eu vos digo não as digo de mim mesmo, mas o Pai, que está em mim, é quem faz as obras.” (Jo 14:10)

Obediência é o treinamento para saber que somos uma habitação da presença de Deus; saber que Deus operará através de nós como um canal de Sua glória e poder – se nos rendermos.

“Em verdade, em verdade vos digo que aquele que crê em mim, as obras que eu faço, também o fará; e maiores obras do que estas ele fará; porque eu vou para o Pai” (João 14:12).

Fazer obras maiores do que Jesus pode parecer bastante impressionante, mas na verdade é apenas ser um servo.

Servo de aliança

“Porque não nos pregamos a nós mesmos, mas a Cristo Jesus, o Senhor; e nós mesmos somos vossos servos por amor de Jesus.” (2 Co 4:5)

No Antigo Testamento quando alguém era vendido como escravo, eles podiam se libertar depois de sete anos. Muitos optaram por não ser livres e tornaram-se servos de aliança. Assim, um servo de aliança é alguém que poderia ter sido livre, mas optou por não fazê-lo; alguém que escolheu render sua liberdade para servir seu mestre. Eles usavam uma argola no ouvido para mostrar que esse era seu status. É assim que Paulo descreve a si mesmo e a Jesus:

De sorte que haja em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus, Que, sendo em forma de Deus, não teve por usurpação ser igual a Deus, Mas esvaziou-se a si mesmo, tomando a forma de servo, fazendo-se semelhante aos homens; E, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até à morte, e morte de cruz. (Fp 2:5-8)

Ainda que era Filho, aprendeu a obediência, por aquilo que padeceu. (Hb 5:8)

Através das coisas que Jesus passou em sua vida (e morte), Ele aprendeu a obediência. Aprendemos a obedecer exatamente através do mesmo processo, mesmo através das coisas difíceis que ás vezes acontecem conosco. Jesus se humilhou totalmente e entregou sua autoridade e poder para que o Pai pudesse usá-Lo para os propósitos de Seu reino.

Jesus era um servo de aliança, e Deus está procurando aqueles que estão dispostos a se tornar servos de aliança assim como Ele. Porque eles podem ser treinados para serem reis e , finalmente, revelados como filhos.

Outros artigos de Freedom ARC

Página do Facebook: Vida Sobrenatural.
Grupo do Facebook: VIDA SOBRENATURAL (pedir para participar).

Artigo original em Inglês

148. Aquiete-se e saiba

Mike Parsons
com Jeremy Westcott – 

Na busca de edificar nosso espírito, temos visto o quanto é importante dar a Deus o primeiro amor, o primeiro lugar e a prioridade em nossas vidas, e também como orar e cantar em línguas é uma chave. O terceiro ponto que vamos considerar nesse post e no próximo é sobre esperar no Senhor e se aquietar.

Aquiete-se

Aquietai-vos e sabei que eu sou Deus (Salmo 46:10).

O que significa aquietar-se? Primeiro significa não se mover; parar de fazer o que estivermos fazendo. E então podemos saber que Ele é Deus. Se estamos sempre ‘fazendo’, não estamos permitindo que Ele seja Deus em nossas vidas.

A NVI traduz este verso como “Parem de lutar!” Deus quer que paremos de lutar, e nos rendamos. Precisamos parar de fazer as coisas nas nossas próprias forças e nos submeter a Ele. Se queremos que Deus nos guie em seu caminho e para o destino que Ele preparou para nós, temos que parar de fazer as coisas do nosso jeito.

Confia no SENHOR de todo o teu coração
e não te estribes no teu próprio entendimento.
(Provérbios 3:5)

Ele me faz repousar em pastos verdejantes.
Leva-me para junto das águas de descanso;
refrigera-me a alma.
Guia-me pelas veredas da justiça por amor do seu nome.
(Salmo 23:2-3)

Calma física

Portanto, resta um repouso para o povo de Deus. Porque aquele que entrou no descanso de Deus, também ele mesmo descansou de suas obras, como Deus das suas. Esforcemo-nos, pois, por entrar naquele descanso. (Heb 4:9-11)

Isso requer diligência: temos que buscar ativamente o descanso de Deus, Sua paz. Para cada um de nós há um lugar de descanso que Ele quer que nós entremos. Deus descansou no sétimo dia da criação, e Ele planejou o descanso para nós também. Não descansamos somente a cada sete dias: descansamos todos os dias, porque Ele é nosso descanso. No nosso relacionamento com o Senhor, nós permitimos que Ele trabalhe através de nós para que possamos alcançar nosso destino.

Foco

Portanto, também nós, visto que temos a rodear-nos tão grande nuvem de testemunhas, desembaraçando-nos de todo peso e do pecado que tenazmente nos assedia, corramos, com perseverança, a carreira que nos está proposta, olhando firmemente para o Autor e Consumador da fé, Jesus, o qual, em troca da alegria que lhe estava proposta, suportou a cruz, não fazendo caso da ignomínia, e está assentado à destra do trono de Deus. (Heb 12:1-2)

Essas testemunhas são os homens de linho branco que estão aparecendo em vários lugares do mundo, os santos de outrora que vieram antes de nós. Eles estão nos aplaudindo. Em uma corrida de revezamento 4x400m, os três primeiros corredores não fazem as malas e vão para casa depois de terem completado a volta: eles ficam de pé, torcendo e encorajando o último corredor. Eu acredito que Deus está dizendo que estamos na última etapa, e todas essas pessoas estão nos observando e nos aplaudindo. Conheci alguns deles e eles querem se envolver em nossas vidas e nos ajudar.

” Desembaraçando-nos de todo peso “: se você estiver correndo uma maratona, você não usa uma armadura, a menos que você seja tolo (ou correndo por caridade – as pessoas usam todos os tipos de coisas estranhas quando correm para caridade). Não, você se prepara, você usa um colete de corrida, shorts e sapatos apropriados. Talvez você cubra seu corpo com vaselina por causa do atrito. Você só carrega o essencial. Temos que nos livrar de tudo que pode nos prender e nos impedir de correr efetivamente. Deus quer nos libertar das coisas que estão nos segurando para que possamos correr a corrida. Nós não queremos uma bola e uma corrente ao redor da nossa perna.

” Em troca da alegria que lhe estava proposta “: A alegria que temos diante de nós é a de alcançar nosso destino, assim como Jesus. Cada um de nós tem um destino preparado para cumprir, e há uma corrida a ser executada se quisermos chegar lá. Pode ser 100m ou pode ser 26 milhas: cada competição é de um jeito e exigirá algo diferente de nós.  Todos nós temos uma corrida que Deus preparou e colocou diante de nós. Vamos correr essa corrida? Vamos permitir que Deus nos prepare para isso,  nos treine e nos equipe?

E como vamos correr? Colocando nossos olhos em Jesus. Tiramos nossos olhos de tudo o que nos rodeia, tiramos nossos olhos de nós mesmos e fixamos nossa atenção em Jesus, o autor e consumador de nossa fé. Ele foi o autor de nossa fé morrendo por nós na cruz, para nos libertar, para liberar nosso destino para nós, e Ele também nos capacitará a completar a corrida se mantivermos nossos olhos fixos nEle. Ele fez tudo isso pela alegria que foi colocada diante dEle – e a alegria que foi colocada diante Dele era nós.

Quando ele abraçou a cruz; quando no jardim Ele olhou para dentro de um copo e viu todo o nosso pecado (mesmo assim disse “não seja feita a minha vontade, mas a Tua”); quando Ele levou todo pecado, toda enfermidade sobre Si mesmo, sobre Seu próprio corpo na cruz; quando Ele tomou a punição que nos era devida; Ele passou por tudo isso porque Ele nos ama. Ele fez isso porque quer que entremos em nosso destino e encontremos a alegria; Ele quer que Sua alegria esteja em nós e deseja que nossa alegria seja plena e transbordante.

E depois que Ele fez tudo isso, Ele sentou-se à direita de Deus, acima de toda autoridade no céu e na terra, e Ele quer nos elevar para sentar com Ele naqueles reinos de autoridade também.

Deixe

Não se preocupem com nada, mas em todas as orações peçam a Deus o que vocês precisam e orem sempre com o coração agradecido. E a paz de Deus, que ninguém consegue entender, guardará o coração e a mente de vocês, pois vocês estão unidos com Cristo Jesus. (Fil 4:6-7)

“Nada” e “todas” não deixam muito espaço para argumento. Não precisamos nos preocupar com nada se entregarmos o controle das nossas vidas para Deus e confiarmos que Ele suprirá todas nossas necessidades. Se nos rendermos e pararmos de tentar fazer as coisas sozinhos, Ele fará tudo o que precisamos em nossas vidas.

Seja receptivo

Permanecei em mim, e eu permanecerei em vós. Como não pode o ramo produzir fruto de si mesmo, se não permanecer na videira, assim, nem vós o podeis dar, se não permanecerdes em mim. Eu sou a videira, vós, os ramos. Quem permanece em mim, e eu, nele, esse dá muito fruto; porque sem mim nada podeis fazer. (João 15:4-5)

Permanecer nele fala de um relacionamento. Não podemos produzir frutos de qualquer valor eterno a menos que estejamos conectados à fonte através da Videira (Jesus). Podemos ser um ramo dessa Videira, mas o ramo não fornece o alimento e o suprimento de vida em si mesmo. Se você cortar o ramo, ele morre. A vida é elaborada através das raízes e da planta para produzir a fruta. Fruta em nossas vidas vem do fluxo de ser receptivo à vida de Deus fluindo através de nós. Se queremos cumprir nosso destino, o chamado de Deus em nossas vidas, precisamos permanecer nEle.

Contudo, se o que alguém edifica sobre o fundamento é ouro, prata, pedras preciosas, madeira, feno, palha, manifesta se tornará a obra de cada um… (1 Cor 3:12-13).

Quando o fogo chega, ouro, prata e pedras preciosas sobrevivem. Madeira, feno e palha não. Se fizermos algo fora de Deus e de nosso relacionamento com Ele, isso será queimado e será inútil na eternidade. Confiamos nEle, vivemos Nele, permitimos que Ele viva em nós e assim produzimos o fruto que está alinhado com o nosso destino.

Fluir espontâneo

Nosso espírito precisa fluir com a vida de Deus. Precisamos do fluxo vivo da vida de Deus em nós e fluir de nós para transformar o mundo ao nosso redor. É o Seu espírito e o Seu poder que trará essa transformação, mas Ele escolheu fluir através de nós para que nós a alcancemos.

Quem crer em mim, como diz a Escritura, do seu interior fluirão rios de água viva. (João 7:38)

No próximo post veremos mais sobre o que significa aquietar-se.

Outros artigos de Freedom ARC

Página do Facebook: Vida Sobrenatural.
Grupo do Facebook: VIDA SOBRENATURAL (pedir para participar).

Artigo original em Inglês

144. Trampolins para Mudanças

Mike Parsons 
com Jeremy Westcott 
– 

Enquanto estamos construindo nosso espírito abrindo aquele primeiro portão de amor dentro de nós, orando continuamente, e esperando no Senhor, nós também precisamos permitir que Deus trabalhe em nossa alma para que ela entre em submissão adequada ao nosso espírito.

Eu fui crucificado com Cristo; e não sou mais eu que vivo, mas Cristo vive em mim; e a vida que eu (Cristo em mim) agora vivo na carne, eu (Cristo em mim) vivo pela fé no Filho de Deus, que me amou e se entregou por mim. (Gl 2:20).

Todo o relacionamento muda quando reconheço que fui crucificado e quando morro para mim mesmo, porque Deus é então capaz de se unir a mim para se manifestar ao mundo ao meu redor.

Me procure, me experimente

Procura-me completamente, ó Deus, e conhece meu coração; 
Experimente-me e conheça meus pensamentos ansiosos;
E veja se há algum caminho doloroso em mim,
E me guie no caminho eterno.
(Sl 139: 23-24) .

Quando oramos uma oração assim, Deus nos leva à nossa palavra: Ele nos leva ao que oramos. Se estivermos dispostos a orar essa oração, Ele procurará em nosso coração. E Ele também nos permitirá saber o que está acontecendo em nosso coração. Isso faz parte do processo de mudança: temos que estar preparados para permitir que Deus procure em nossos corações e nos mostre o que está lá. Temos que estar dispostos a olhar para nós mesmos e ver o que está acontecendo por dentro.

Pois, se nos julgássemos, não seríamos julgados. (1 Coríntios 11:31 NKJV)

Ao nos julgarmos, embora, não nos comparamos a ninguém além de Jesus. Deus quer que sejamos transformados na imagem de Jesus e, se nos compararmos a Ele, podemos ver até onde chegamos e quanto mais Deus ainda precisa fazer em nossos corações.

“Ouça então a parábola do semeador. Quando alguém ouve a palavra do reino e não a entende, o maligno vem e arrebata o que foi semeado em seu coração. Este é aquele em quem a semente foi semeada ao lado da estrada. Aquele em quem a semente foi semeada nos lugares rochosos, este é o homem que ouve a palavra e imediatamente a recebe com alegria; no entanto, ele não tem raiz firme em si mesmo, mas é apenas temporário, e quando a aflição ou perseguição surge por causa da palavra, imediatamente ele cai fora. E aquele em quem a semente foi semeada entre os espinhos, este é o homem que ouve a palavra, e a preocupação do mundo e a falsidade da riqueza sufocam a palavra, e ela se torna infrutífera. E aquele em quem a semente foi semeada no bom solo … (Mt 13: 18-23)

A palavra do reino é semeada em nosso coração. Existem quatro tipos de solo mencionados aqui. Por causa do passado, pode haver áreas em nossos corações que são pisoteadas, compactadas e duras, como um caminho, e a semente não pode crescer ali. Ou podem ser as rochas e pedras em nosso coração, as coisas que nos aconteceram, que dificultam que a palavra crie raízes. Podemos nos distrair permitindo que nossa carne direcione nosso pensamento e nosso comportamento. Nossos corações precisam ser mudados, transformados em boa terra, para que a palavra do reino de Deus possa crescer em nós e florescer e dar frutos.

Considere isso alegria

Mas há um processo pelo qual precisamos passar para lidar com as coisas que estão em nossos corações.

… Fortalecendo as almas dos discípulos, encorajando-as a continuar na fé – isto soa muito bom até agora – e dizendo: “Através de muitas tribulações devemos entrar no reino de Deus.” (Atos 14:22).

Como isso é ‘encorajador’? Porque quando estamos no meio dos problemas, provações ou tribulações, precisamos saber que tudo faz parte do processo de Deus trazer transformação. Eu não estou falando sobre doenças ou coisas assim (Deus não traz nenhuma doença sobre nós), mas sobre situações e circunstâncias em nossas vidas que destacam para nós a condição de nosso coração em uma área particular.

Considere tudo isso alegria, meus irmãos, quando você se depara com várias provações, sabendo que o teste da sua fé produz perseverança. E que a perseverança tenha seu resultado perfeito, para que você seja perfeito e completo, sem nada em falta (Tiago 1: 2-4).

Quantos de nós realmente consideram nossas provações como alegria? Mas é a atitude que temos para as provações que determinarão seu resultado. E se considerarmos que Deus usa provações para nos transformar, então teremos uma abordagem diferente para as situações que enfrentamos. Podemos permitir que esses julgamentos sejam trampolins para mudança, transformação e crescimento; ou podemos resistir a essas provações e então nada em nós mudará. Temos de recebê-los com gratidão e alegria. Podemos agradecer a Deus pelas provações que Ele traz, porque sabemos que estamos sendo aperfeiçoados, nos tornando completos, e não faltará nada- assim como Jesus.

Se esse é o resultado que estamos procurando, então temos que estar dispostos a olhar dentro de nossas vidas para que possamos aprender, superar, crescer; para que possamos ver o que está no interior transformado.

Exultar em tribulações

E não apenas isso, mas também exultamos em nossas tribulações, sabendo que a tribulação traz perseverança; e perseverança, caráter comprovado; e caráter comprovado, esperança; e a esperança não decepciona, porque o amor de Deus foi derramado em nossos corações pelo Espírito Santo que nos foi dado (Rm 5: 3-5).

Exultar nas tribulações é exatamente o oposto do que nossa carne quer fazer. Dons são dados, mas o fruto cresce. Queremos crescer no fruto do Espírito e ser mais como Jesus. É ótimo receber  coisas como um dom; mas nós não temos caráter desse jeito: é um fruto de lidar com as provações e problemas em nossas vidas. Como lidamos com eles é o que molda nosso caráter e nos faz agir como Jesus.

E tudo opera através do amor. O amor de Deus foi derramado em nossos corações através do Espírito Santo , e nos capacita a lidar com todas as situações, todas as provações, todos os problemas que enfrentamos. O amor de Deus está em nós.

Não é que Ele esteja nos disciplinando porque Ele não nos ama. Muito pelo contrário: ele nos disciplina porque nos ama, cuida de nós e quer que sejamos transformados e mudados. Então Ele pode nos revelar na terra como os filhos manifestos de Deus, brilhando com Sua luz, mostrando Seu caráter e o fruto que vem de uma vida transformada pelas situações que enfrentamos.

Ele não vai desistir

O processo em si pode não parecer muito agradável. Mas será menos doloroso se nos rendermos ao processo em vez de lutarmos contra ele. Jesus disse:

E quem cair sobre esta pedra será quebrado; mas quem cair, o moerá em pó (Mt 21:44 NKJV).

Nossa alma pode ser quebrada e depois restaurada; ou pode ser esmagado. Qual você prefere? Quando permito quebrantamento em minha alma, a fragrância da presença de Deus vem de mim. A outra forma que a fragrância pode ser liberada de alguma coisa é moendo-a em pó. Deus quer que sejamos mudados. Ele não vai desistir (como temos cantado recentemente) até que Ele tenha tudo, todos nós.

Deus nos ama demais para nos deixar ir. Mais e mais vezes Ele nos dará oportunidades para crescer e ser transformado. Nós podemos dar a Ele nosso coração, e nos render ao processo, e sermos cheios de alegria, paz e amor; ou podemos combater, lutar e resistir ao que Ele quer fazer. Então tudo o que acontece é que vamos dar a volta na montanha mais uma vez, até que Ele nos dê outra oportunidade para lidar com o mesmo problema. Tenho certeza de que houve momentos em que a maioria de nós já esteve na mesma montanha mais de uma vez, até que aprendemos essa verdade.

Ele quer que olhemos para a montanha e diga: ‘Isso não vai me impedir. Eu vou lidar com isso e superá-lo. Eu vou subir esta montanha’.

Quando o fizermos, essa montanha nos levará mais para os propósitos de Deus para nossas vidas.

Artigo original em Inglês
Outros artigos de Freedom ARC

Página do Facebook: Vida Sobrenatural.
Grupo do Facebook: VIDA SOBRENATURAL (pedir para participar).