Questões do Destino

Mike Parsons
com Jeremy Westcott – 

Deus está fazendo algo muito emocionante na terra hoje: Ele está nos dando revelação de como entrar nas dimensões celestes. Ele está nos mostrando como nós podemos escolher a nos focar no Reino da Luz ao invés de focar no reino que está em trevas. Ele está nos encorajando a acessamos o que encontramos no reino dos céus – Sua presença, Seu poder, e todos os recursos do céu – e a manifestar essas coisas aqui na terra. Essa sempre foi a vontade Dele:

Venha o Teu reino
Seja feita Sua vontade
Assim na terra como no céu.

Há algumas chaves para conseguirmos fazer isso:

No último post, vimos como espíritos familiares procuram nos roubar de nosso destino. Se você ler ‘As cartas do inferno’ de C.S. Lewis, você vai entender rápido como os demônios planejam e trabalham para destruir nossas vidas. Mas nós vamos lutar contra os espíritos familiares. Vamos nos levantar e enfrenta-los, para que cada um de nós possa cumprir nosso destino.

Destino

Destino é algo que realmente mexe comigo, pois Deus me chamou para trazer a tona os destinos das pessoas. Todos nós temos um rolo do destino, que nos dá autoridade para governar nossas próprias vidas. O destino de cada pessoa é único. Para cada um de nós há certas palavras – ou visões ou sons, ou até mesmo cheiros, sensações ou experiências – que irão tocar, e testificar em nosso espírito, porque estão ligadas ao nosso destino.

Quando fui batizado no Espírito Santo, Deus derramou uma palavra em meu coração: reavivamento. Naquele tempo, eu nem sabia o que significava aquilo, mas testificou em mim, e ficou gravado no meu coração. Desde então, palavras como ‘restauração’, ‘renovação’, ou ‘reforma’ têm causado o mesmo efeito em mim: elas vibram no mais profundo do meu interior, e me agitam. E há coisas que começarão a te agitar também, pois estão ligadas com aquilo que Deus escreveu sobre você em seu rolo.

Para cada um de nós há pelo menos sete esferas de domínio, ou tronos, para governar em nossas próprias vidas, mas nós podemos, também, ser chamados para maiores níveis de autoridade. Todos nós precisamos ver onde estão nossos tronos, o que fomos chamados para fazer, e lidar com tudo aquilo que nos impede de cumprir nosso destino.

Atos proféticos

De uns anos para cá, tenho sido levado a fazer alguns atos proféticos com pessoas ou grupos quando estou ministrando para eles, atos que trarão a tona o destino e lugar de autoridade deles.

Eu coloquei coroas do destino na cabeça das pessoas; coloquei nossa bandeira de arco-íris em alguns como um manto, dando a eles unção de autoridade. Para outros dei cetros de autoridade – e é assim que Deus identificou aqueles que se tornariam parte de nossa liderança, apesar de eu não saber na época. No meu escritório, na parede, tenho uma espada grande que Deus me disse para eu obter. Geralmente uso essa espada para chamar a existência o destino das pessoas. Quando Lindy Strong veio aqui em 2014, ela fez algo parecido, convidou as pessoas para pegarem a espada, e profetizou sobre eles. Também dei para outras pessoas armas e objetos específicos, tais como machados, bastões, esferas e etc.

Tais coisas são muito mais do que um símbolo do que está acontecendo da dimensão espiritual. Não fazemos nada simbolicamente, mas sim profeticamente. Carregamos ou balançamos bandeiras de cores específicas, de modo específico. Marchamos ao redor do nosso prédio e ao redor da nossa pegada, como Deus direcionou. Esses atos proféticos movem algo na dimensão espiritual, abrindo coisas na dimensão dos céus para nós. Quando obedecemos fazendo um ato profético, isso se junta a alguma coisa no céu, e faz algo acontecer aqui na terra.

Temos que ser obedientes, pois não sabemos que portas eles vão abrir. Se você conhecer meu passado, saberá que não sou naturalmente inclinado a fazer esse tipo de coisas, mas eu sei que são eficientes quando Deus me direciona a fazê-las, então preciso ser obediente. E isso vale para todos nós.

‘Quem sou eu?’

Algumas da perguntas que as pessoas fazem quando se fala sobre destino são: ‘Quem sou eu?’, ‘De onde eu vim?’. Essas perguntas são boas. Precisamos saber de onde viemos, para que possamos entender porque estamos aqui hoje. Isso nos levará para onde iremos amanhã. Nosso destino se realiza assim, um dia de cada vez: ontem, hoje, amanhã.

Precisamos entender a natureza do nosso criador, e nossa criação. ‘Quem me criou?’, ‘Por que e como Ele me criou?’. Todas essas perguntas nos ajudarão a entender nosso destino.

Deus é eterno. Parece bem óbvio dizer isso, mas é importante compreender isso. Ele sempre foi, Ele é, e sempre será (Ap 1:8). Ele é onipotente, isto é, todo poderoso. Ele é luz (1 Jo 1:5). Ele é amor (1Jo 4:16). Ele é espírito (Jo 4:24).

Se meditarmos nessas escrituras, e outras semelhantes, começaremos a entender quem é Deus. E se conhecermos ao Senhor, e tivermos um relacionamento íntimo com Ele, isso nos ajudará a entender que nós somos.

‘Eu te conheci’

Aqui está um versículo chave sobre quem somos.

“Antes que te formasse no ventre te conheci, e antes que saísses da madre, te santifiquei; às nações te dei por profeta” (Jer 1:5).

Aqui Deus está falando com Jeremias, mas Ele também está falando com cada um de nós. Ele conheceu a mim e você, antes Dele te formar no ventre. Conhecer é algo muito íntimo. Deus não tinha simples uma ideia vaga sobre você. Antes que você viesse a existir, antes que você estivesse no útero, Deus já te conhecia. E como intimidade é tem duas vias, na verdade, você O conheceu também.

Ele consagrou você. Ele te separou. Ele tinha um propósito para sua vida que Ele e você conheciam, antes que você fosse formado. Isso faz parte do seu ser. Ele designou cada um de nós para um papel único, para uma tarefa, ou posição. Jeremias foi destinado a ser um profeta as nações. Para o que você foi designado? O que Ele te chamou para fazer? Quem Ele te chamou para ser?

A boa notícia é que você pode saber. Deus te conhecia, mesmo antes que seu corpo físico fosse formado, e Ele quer que você saiba.

Você pode perguntar a Ele, e Ele revelará a você.

Outros artigos de Freedom ARC
Artigo original (em Inglês)
Outros artigos de Freedom ARC (em Inglês)
Anúncios

Aqueles que trazem a imagem do celestial

Mike Parsons
com Jeremy Westcott

Fogo refinando e purificando

Já faz algum tempo que a igreja está naquele ponto no Calendário Profético de Deus que é caracterizado pela vinda do fogo, refinando e purificando, recolhendo e tirando as pedras de tropeço da igreja e das nossas vidas. Não é um tempo fácil. Essas pedras de tropeço podem ser ídolos, ou outras coisas – até mesmo pessoas – que estão impedindo o fluir do reino de Deus. Os anjos da colheita estão aqui, para ver se realmente desejamos abrir nossos corações, permitindo que eles removam essas pedras das nossas vidas. Podemos escolher se iremos cooperar ou não: mas será menos dolorido se cooperarmos.

O surgimento da Geração de Josué

Este é um tempo em que a Geração de Josué será levantada, um povo com um espírito diferente, uma geração de pessoas que irão possuir a terra e levar outra geração com eles. Josué e Calebe levaram uma geração inteira para uma terra física e geográfica, mas também para uma nova terra espiritual. Nós gastamos algum tempo nesse blog olhando as 40 Características da Geração de Josué, e é importante para nós sabermos se somos chamados para fazer parte dessa geração.

Esse é o lugar em que estamos agora. No entanto, sabemos que Deus está nos chamando para seguir em frente. O processo de ser refinado, purificado, e de entrar na fornalha da Presença de Deus é uma preparação para avançar com o Senhor.

Fogo do ourives

Eis que eu envio o meu mensageiro, que preparará o caminho diante de mim; de repente, virá ao seu templo o Senhor, a quem vós buscais, o Anjo da Aliança, a quem vós desejais; eis que ele vem, diz o SENHOR dos Exércitos. Mas quem poderá suportar o dia da sua vinda? E quem poderá subsistir quando ele aparecer? Porque ele é como o fogo do ourives e como a potassa dos lavandeiros. Assentar-se-á como derretedor e purificador de prata; purificará os filhos de Levi e os refinará como ouro e como prata; eles trarão ao SENHOR justas ofertas. (Mal 3:1-3).

Deus quer nos preparar para que sejamos a oferta do Senhor. O fogo do ourives é muito quente: o ponto de fundição é em torno de 1064°C (1945°F). Quando o calor é mantido, as impurezas sobem para superfície e podem ser retiradas. Se você estiver passando por isso, saberá exatamente do que estou falando – quando alguma coisa vem para superfície na sua vida você tem uma escolha: você pode permitir que Deus a remova, ou pode esconder tudo novamente. O problema é que até que você permita que o Senhor remova tudo, as coisas continuarão a subir para superfície. E a pior coisa que você pode fazer se você quer cumprir seu destino em Deus, é sair do fogo.

Quando o ouro é realmente puro, a superfície é como um espelho. Ele reflete com perfeição. E Deus nos quer refletindo a Ele, para que outros possam vê-Lo em nós. Mas durante esse processo temos que saber que o Senhor está conosco.

Nossa porta, Sua porta

“Escutem! Eu estou à porta e bato. Se alguém ouvir a minha voz e abrir a porta, eu entrarei na sua casa, e nós jantaremos juntos” (Ap 3:20).

Em outras palavras, Ele está oferecendo a nós um relacionamento íntimo com Ele, no qual Ele se revela a nós e nós estaremos perto Dele. Em alguns versículos adiante está escrito:

Depois destas coisas, olhei, e eis não somente uma porta aberta no céu, como também a primeira voz que ouvi, como de trombeta ao falar comigo, dizendo: Sobe para aqui, e te mostrarei o que deve acontecer depois destas coisas. Imediatamente, eu me achei em espírito, e eis armado no céu um trono, e, no trono, alguém sentado (Ap 4:1).

À medida que rendemos nossas vidas ao Senhor, e nos entregamos ao senhorio de Jesus (e nos submetemos ao processo de refino), Ele abre a porta nas dimensões dos céus para nós entrarmos e subirmos. Sei que, algumas pessoas têm sido transladadas fisicamente, mas para a maioria de nós será uma experiência espiritual, e é isso que estivemos vendo nesse blog em posts recentes.

Com a prática podemos aprender a acessar as dimensões do céu, porque o reino dos céus está aqui a nossa frente – ou tão perto de nós quanto se pusermos a mão em frente do nosso rosto. Podemos entrar e sair das dimensões do céu. Quando voltamos de lá, trazemos conosco o que está lá, e manifestamos aqui. É isso que entendemos como Venha o teu Reino. Que a tua vontade seja feita aqui na terra como é feita no céu! (Matt 6:10). O próprio Jesus trouxe o reino, e a vontade de Deus, como é no céu, para terra – e Ele quer que Seus discípulos façam o mesmo. Se for para trazermos os céus para terra, temos que acessar os céus – e a porta está aberta.

Trazendo a imagem do celestial

Como foi o primeiro homem, o terreno, tais são também os demais homens terrenos; e, como é o homem celestial, tais também os celestiais. E, assim como trouxemos a imagem do que é terreno, devemos trazer também a imagem do celestial. (1 Cor 15:48-49).

Da mesma forma que nascemos em um corpo terreno, nós nascemos de novo e por isso nosso espírito está ativo e vivo para Deus. Então agora trazemos a imagem do celestial. Nós precisamos trazer a imagem das coisas que estão acontecendo nos céus, e manifestá-las na terra. Deus está abrindo uma porta para nós entrarmos nas dimensões celestes, para que assim nós possamos ver e refletir o que está acontecendo.

Através da igreja… nos lugares celestiais

…e manifestar qual seja a dispensação do mistério, desde os séculos, oculto em Deus, que criou todas as coisas, para que, pela igreja, a multiforme sabedoria de Deus se torne conhecida, agora, dos principados e potestades nos lugares celestiais, segundo o eterno propósito que estabeleceu em Cristo Jesus, nosso Senhor (Ef 3:9-11).

Há tantas coisas para o Senhor nos mostrar, que nem somos capazes de imaginar. Ele é infinito e eterno, e Ele está trazendo uma revelação muito maior hoje do que já havia trazido antes. Ele está abrindo as dimensões dos céus para que Seu povo possa ver. Essa multiforme sabedoria de Deus é para se tornar conhecida através da igreja – através de nós – dos principados e potestades nos lugares celestiais

Aquele reino que está em trevas, também está perto de nós. Nós não precisamos fugir dele, temos que manifestar a multiforme sabedoria de Deus aos principados e potestades nos lugares celestiais. Essa sempre foi a vontade Dele:

…segundo o eterno propósito que estabeleceu em Cristo Jesus, nosso Senhor (v11).

Era para Adão ter desfrutado do livre acesso as regiões celestiais, mas ele escolheu um caminho diferente. Em Cristo, esse acesso foi restaurado para nós.

Outros artigos de Freedom ARC
Artigo original (em Inglês)
Outros artigos de Freedom ARC (em Inglês)

A favor dos que hão de herdar a salvação (Anjos – Parte 3)

Mike Parsons
com Jeremy Westcott

‘Angels’, uma pasta Pinterest de FreedomARC

Ainda, quanto aos anjos, diz: Aquele que a seus anjos faz ventos, e a seus ministros, labareda de fogo (Heb 1:7 RA).

Não são todos eles espíritos ministradores, enviados para serviço a favor dos que hão de herdar a salvação? (Heb 1:14 RA).

Nos posts anteriores, vimos que os anjos são mensageiros, guardiões e protetores. Eles são servos de Deus e nossos também. Eles fazem o cortejo celestial, adorando ao redor do trono, e o exército de anjos, que é o exército de Deus entra em guerra na terra e nos céus. E eles trabalham em nosso favor.

Aqui estão algumas funções dos anjos:

Cuidar e interagir com as igrejas

as sete estrelas são os anjos das sete igrejas ( Ap 1:20)

O anjo de nossa igreja (Freedom Church), Urandiel, tem mais de 15 metros de altura, com o rosto de uma águia e um leão. Frequentemente interagimos também com outros quatro anjos chamados Som de Muitas Águas, Ventos de Mudança, Transformação e Fogo que Refina, além desses interagimos também com o anjo do romper, e com o anjo do tanque de cura.

Os casos das nações

Mas o príncipe do reino da Pérsia me resistiu por vinte e um dias; porém Miguel, um dos primeiros príncipes, veio para ajudar-me, e eu obtive vitória sobre os reis da Pérsia. (Dan 10:13).

Espíritos territoriais e governadores – tanto de Deus quanto das trevas – operam na atmosfera da terra.

O sistema judicial do céu

Os anjos tem um papel nas cortes do céu, na guerra e nas salas de estratégia.

Micaías continuou: — Agora escute o que o SENHOR Deus está dizendo! Eu vi o SENHOR sentado no seu trono no céu, com todos os seus anjos à sua direita e à sua esquerda. Ele perguntou: “Quem enganará Acabe para que ele vá a Ramote e seja morto lá?” Alguns anjos disseram uma coisa, e outros disseram outra, até que um espírito se apresentou e disse: “Eu enganarei Acabe.” (1 Kings 22:19-20).

Um rio de fogo manava e saía de diante dele; milhares de milhares o serviam, e miríades de miríades estavam diante dele; assentou-se o tribunal, e se abriram os livros (Dan 7:10).

Transformando e removendo pedras de tropeço

Aí um dos serafins voou para mim, segurando com uma tenaz uma brasa que havia tirado do altar. Ele tocou a minha boca com a brasa e disse: — Agora que esta brasa tocou os seus lábios, as suas culpas estão tiradas, e os seus pecados estão perdoados. (Isa 6:6-7).

O Filho do homem enviará os seus anjos, e eles ajuntarão do seu reino tudo o que serve de pedra de tropeço e os que praticam a iniquidade (Mat 13:41).

‘Praticar iniquidade’ é fazer as coisas do seu jeito, ou sem autorização. Então, cuidado! Anjos estão vindo remover essas pessoas, e Jesus não disse que é do mundo, mas sim do Seu reino.

Transferência depois da morte

Coisas diferentes acontecem com os dois homens dessa que Jesus contou:

O pobre morreu e foi levado pelos anjos para junto de Abraão, na festa do céu. O rico também morreu e foi sepultado. (Lucas 16:22)

Todos os anjos irão retornar com Jesus

Jesus terminou, dizendo: — Quando o Filho do Homem vier como Rei, com todos os anjos, ele se sentará no seu trono real. (Mat 25:31)

Colheita de almas

…A colheita é o fim dos tempos, e os que fazem a colheita são os anjos… No fim dos tempos também será assim: os anjos sairão, e separarão as pessoas más das boas (Mat13:39, 49).

O texto original grego diz que os anjos tirarão as pessoas más do meio dos justos. Podemos ver que o que Jesus falou é diferente do arrebatamento que muitos cristãos estão esperando!

Ministração

No período do Novo Testamento, anjos ministraram a Jesus (Mat 4:11, Lucas 22:43), rolaram a pedra do sepulcro (Mat 28:2), resgataram discípulos da prisão (Atos 5:19, 12:7-9), conduziram pecadores até os pregadores do evangelho (Atos 10:3), direcionaram pessoas de Deus aonde deveriam ir (Atos 8:26), e o que fazer (Atos 12:8). Há muitas outras referências a anjos no Novo Testamento, e eles estão prontos para ser instrumentos no nosso ministério hoje.

Formar uma cobertura de anjos

“Tu fizeste com que essas pessoas fossem um reino de sacerdotes que servem ao nosso Deus; e elas governarão o mundo inteiro.” Olhei outra vez e ouvi muitos anjos, milhões e milhões deles! Estavam de pé em volta do trono, dos quatro seres vivos e dos líderes (Ap 5:10-11).

Há uma cobertura de anjos sobre o trono de Deus que está envolvida em nossa missão de trazer o reino de Deus para terra:

cobertura-angelical-version-2
Este diagrama ‘Cobertura Angelical’ é baseado em um diagrama de Ian Clayton www.sonofthunder.org

De acordo com Ap 5:11 pode haver cerca de 100 milhões de anjos nessa cobertura.

Onde estavas tu, quando eu lançava os fundamentos da terra? Dize-mo, se tens entendimento…  quando as estrelas da alva, juntas, alegremente cantavam, e rejubilavam todos os filhos de Deus? (Jó 38:4, 7).

Os anjos bradaram de alegria quando eles viram o que Deus havia feito na criação, e eles nos reconhecerão quando entrarmos no nosso destino eterno. Eles administram o reino ao redor de nossas vidas, liberando provisão e proteção para nós.

Quando nos rendemos a Jesus como Senhor, e nossa vida pode ser vista como uma casa de oração, nós criamos uma atmosfera da presença de Deus ao nosso redor, sendo assim aquela mesma cobertura angelical desce sobre nós.

Damos boas vindas aos anjos

Tudo o que os anjos fizeram pelos patriarcas, pelos profetas, reis, por Jesus ou pelos discípulos, eles podem fazer por nós. Eles podem nos alimentar, fortalecer, proteger, nos enviar, nos direcionar, formar uma cobertura sobre nós, subir e descer sobre nossas vidas.

Os anjos podem se manifestar na nossa dimensão natural, sendo assim algumas vezes podemos vê-los ou escutá-los com nossos sentidos naturais. A voz dos anjos pode ser escutada internamente pelo espírito humano ou entrar na mente humana como um pensamento.  Anjos podem ser vistos e ouvidos em sonhos, enquanto dormimos, ou em uma visão espiritual (aberta ou fechada).

Os anjos são atraídos pelos reflexos da glória de Deus. Quanto mais parecermos com o Senhor, mais anjos serão atraídos para nós. Cada vez que Deus é manifesto em nossas vista, e não apenas em nossas reuniões, anjos são atraídos pelas atitudes e atmosfera ao nosso redor, e pelas cores, fragrâncias e frequências sonoras que liberamos. Eles ficam ao redor do nosso louvor. Cores, movimentos e bandeiras podem abrir portais para eles se manifestarem. Atos proféticos e declarações ativam a ação angelical. Anjos podem sentir a fé, o amor, a alegria, a paz, e os outros frutos do Espírito.

Nós não vamos nos curvar diante de tradições religiosas que procuram negar o envolvimento de anjos nas nossas vidas. Jesus não tinha nenhum problema com eles, e muito menos a igreja primitiva. Então, por que nós deveríamos ter? Nós damos boas vindas a eles. Pela fé buscaremos um relacionamento com nossos anjos: teremos contato com eles, falaremos com eles e ouviremos o que eles têm a dizer. Descobriremos quem eles são, seus nomes, funções e mandatos. Cooperaremos e trabalharemos junto com eles.

Nós podemos ver anjos, falar com anjos, e receber direção e ministração deles. Podemos ter anjos ministrando junto conosco. Anjos respondem as nossas palavras e orações. Podemos cooperar com missões angelicais, e ter anjos cooperando com nossas atribuições.

Nós não adoramos anjos, mas eles estão envolvidos na nossa adoração. Não oramos a anjos, mas eles estão envolvidos em nossas orações. Não comandamos anjos de forma imatura de acordo com nossa vontade, mas podemos liberar anjos como filhos de Deus maduros.

Na dimensão do espírito não existe somente anjos, há outros seres. Nós podemos interagir com eles também:

Os sete espíritos de Deus

Imediatamente, eu me achei em espírito, e eis armado no céu um trono, e, no trono, alguém sentado; e esse que se acha assentado é semelhante, no aspecto, a pedra de jaspe e de sardônio, e, ao redor do trono, há um arco-íris semelhante, no aspecto, a esmeralda. Ao redor do trono, há também vinte e quatro tronos, e assentados neles, vinte e quatro anciãos vestidos de branco, em cujas cabeças estão coroas de ouro. Do trono saem relâmpagos, vozes e trovões, e, diante do trono, ardem sete tochas de fogo, que são os sete Espíritos de Deus. (Ap 4:2-5)

Veja também Isa 11:2; Ap 1:4; Ap 4:5; Ap 5:6

Os sete espíritos de Deus são tutores para nos ensinar e nos treinar na revelação de Deus. Eles são o espírito do Senhor, o espírito de sabedoria e de entendimento, o espírito de conselho e de fortaleza, o espírito de conhecimento e de temor do Senhor.

Eles são seres criados, com os quais podemos nos encontrar, conversar e interagir nas dimensões do céu. Na dimensão terrena eles podem se manifestar como cores ou tonalidades.

A nuvem de testemunhas

Assim nós temos essa grande multidão de testemunhas ao nosso redor… (Heb 12:1).

Nós podemos interagir com a nuvem de testemunhas no espírito. Elas nos rodeam. Eles são precursores do período do Antigo e do Novo testamento, e até dos dias de hoje. Eles querem passar os seus bastões e seus mantos para a geração que verá o cumprimento das promessas que eles receberam.

Essas testemunhas também são conhecidas como ‘homens vestidos de branco’, e você pode encontrá-los em toda Bíblia, por exemplo: Gen 18:1-3, Ez 10:2-3,7, Dan 12:4-13, Zac 1:10, Mat 17:3, Mat 27:52, Marcos 16:5, Lucas 24:4, e Atos 1:9-10.

Conheça seus anjos

Pai, eu oro para que o Senhor abra os nossos olhos
Para que possamos ver o que está acontecendo na dimensão espiritual que nos cerca
Para sermos capazes de interagir com os anjos que o Senhor enviou para nossas vidas
A fim de que possamos cooperar com eles, e eles conosco.

Acredito que o Senhor que apresentar esses anjos para você.

Agora mesmo, eles estão atrás de você, do seu lado direito e do seu lado esquerdo. Não vire para trás e olhe com seus olhos naturais, mas abra seu espírito para sentir a presença deles, e comece a interagir com eles. Pergunte o nome deles, se você não os conhece ainda.

Quando você ativar esse relacionamento, eles poderão te ajudar muito mais. E então você será capaz de cumprir o seu destino com mais eficácia, trazendo o reino de Deus dos céus para terra, e trazendo mais glória ao Senhor.

Outros artigos de Freedom ARC
Artigo original (em Inglês)
Outros artigos (em Inglês)

 

Características da Geração de Josué (#26-30)

Mike Parsons – 

Josué levou os filhos de Israel para sua herança. Se quisermos fazer o mesmo, que tipo de pessoas devemos ser?

26 A geração de Josué se tornará conhecida e chamará a atenção pública.

Notícias do mundo
Notícias do mundo

Antes do reavivamento que experimentamos em 2011, ninguém fora de North Devon nos conhecia. De repente, por causa do que Deus começou a fazer aqui, todos os tipos de pessoas, de todo país começaram a nos notar, e a procurar construir um relacionamento conosco.

Desde então outras coisas aconteceram – entre elas, Ian Clayton veio aqui, e fala de nós aonde ele vai – que nos tornaram conhecidos em todos os países do mundo. Nosso blog em Inglês é acessado por pessoas do Reino Unido, Europa, África, América, Austrália, e do Oriente. Temos contato com grupos de crentes de diferentes fusos horários via Google hangouts.

Quem poderia imaginar isso? Não planejamos nada. Mas isso é propósito de Deus. Ele quer que ajudemos outras pessoas a entrar na mesma revelação que recebemos, e quer que nós as equipemos e capacitemos elas a possuírem sua própria herança.

Assim o SENHOR Deus esteve com Josué, e a fama de Josué se espalhou por todo o país. (Josué 6:27)

Na verdade isso tudo não é sobre a nossa fama e sim a fama de Deus. Estamos aqui para fazer com que Deus seja conhecido em toda terra. Mas ao longo do caminho teremos reconhecimento público, e junto com ele batalhas públicas. Tais batalhas acontecerão por que o que estamos trazendo irá causar uma reação tanto na dimensão espiritual quanto na terrena.

Todos os tipos de críticas e acusações serão feitas por causa do que estamos fazendo. Para muitas pessoas é difícil entender e aceitar essa revelação acerca do acesso ao reino dos céus. Então muitos dirão que estamos usando a Nova Era ou Ocultismo. As pessoas disseram o mesmo sobre Jesus (Mateus 12:24-28), sendo assim temos que estar prontos para isso.  Precisamos estar seguros em relação a nossa identidade e a revelação que o Senhor nos deu. De um jeito ou de outro estaremos à vista do público. Dessa forma precisamos ter certeza de que não há nenhum orgulho naquilo que estamos fazemos. Temos que ser humildes e lembramos que somos apenas vasos usados pelo Senhor. Tudo o que fazemos é para Ele. Portanto devemos governar nossa casa, lidar com todo pecado e iniquidade que houver em nós, e remover qualquer pedra de tropeço que existir em nossas vidas.

Se tivermos necessidade de afirmação ou reconhecimento de homens, temos que tratar com isso, porque a única aprovação que realmente precisamos é a do Senhor. Todavia, se recebermos aprovação e reconhecimento das pessoas, vamos receber com um coração grato, mas então iremos e trocaremos no piso de negociações do céu. Vamos lançar nossa coroa diante Dele.

27 A geração de Josué irá se posicionar radicalmente contra o pecado

O pecado será exposto. Isto sempre aconteceu, mas vai acontecer de uma forma mais intensa, pois toda a dimensão dos anjos será ativada para expor pecados.

Levante-se e vá santificar o povo. Diga que se purifiquem para amanhã porque eu, o SENHOR, o Deus de Israel, digo isto: “Israelitas, vocês estão guardando algumas coisas que eu mandei destruir. Enquanto não se livrarem delas, vocês não poderão enfrentar os inimigos”…  Então aquele que o sorteio indicar que ficou com essas coisas será queimado: ele, a sua família e tudo o que possui. O que esse homem fez foi terrível: ele quebrou a aliança que o meu povo fez comigo.” (Josué 7:13, 15)

Nós não podemos ter no nosso meio nada que nos impeça de vencer o inimigo. Precisamos enxergar aquilo que tem que ser removido.  Essa é a função dos anjos da colheita, eles removem as pedras de tropeço do nosso meio. O Senhor quer nos levar a purificação, e ao refinamento: o calor da fornalha de Deus está aumentando, para trazer todas as impurezas do ouro para superfície. Então, quando as impurezas são removidas, a superfície do ouro se torna um espelho que reflete a glória de Deus. Isso é o que deve acontecer nas nossas vidas, devemos refletir a glória do Senhor, para que possamos refletir o céu, na terra.

Estamos entrando numa época em que será muito importante entender a história de Ananias e Safira (Atos 5:1-10). Eles mentiram ao Espírito Santo e caíram mortos. Quando começarmos experimentar as coisas que o Senhor está nos revelando, o nosso nível de responsabilidade irá aumentar. E com mais responsabilidade, certamente haverá mais poder e autoridade, mas o nível de pureza e santidade exigidos para operar nessa dimensão será muito maior.

Eu tenho que entrar no fogo de Deus por mim mesmo. E estou te ensinando o caminho, mas cabe a você decidir o que você vai fazer com isso. Estou fazendo a minha parte, você tem que decidir qual será sua resposta. Você vai entrar no fogo? Seja qual for sua escolha, você irá colher os frutos.

28 A geração de Josué terá o cuidado de sempre buscar o conselho do Senhor antes de tomar decisões.

Como vimos antes, fazer coisas na terra sem antes ter ido ao céu é perigoso. Não devemos fazer isso.

Os homens de Israel aceitaram a comida deles, porém não pediram conselho a Deus, o SENHOR. Josué fez um acordo de paz com os gibeonitas, prometendo que não seriam mortos. E os líderes do povo de Israel juraram que cumpririam a sua palavra. (Josué 9:14-15)

Eles fizeram aliança com pessoas que os enganaram, fingindo que não eram habitantes da terra, e que tinham vindo de um lugar muito distante.  Josué não ergueu os olhos aos céus para ver. Essa aliança com os gibeonitas foi um grande problema para Israel por gerações. Eles fizeram aliança com o inimigo, por que não buscaram primeiro o conselho de Deus.

Nós não devemos tomar decisões baseadas no que parece bom. As aparências enganam. Não podemos confiar em nossa visão canal, precisamos ver na dimensão do espírito se estamos tomando a decisão correta. Isso nos manterá seguros.

29 A geração de Josué colocará o inimigo debaixo de seus pés.

O inimigo aqui não são pessoas. Não podemos por pessoas debaixo dos nossos pés. Não podemos pisar em pessoas, nem derrubá-las. Honramos e respeitamos as pessoas, e as tiramos do cativeiro, para que vivam em liberdade. Isso significa expulsar demônios, destruir fortalezas, e lidar com uma realidade espiritual que vai além do que vemos no natural. Precisamos ver os gigantes, os dragões, e todos outros principados, potestades e governadores das dimensões de trevas derrotados. É assim que colocamos o inimigo debaixo dos nossos pés.

Nessa passagem, os reis representam os governadores na dimensão espiritual:

…e os levaram a Josué. Josué chamou os homens de Israel e ordenou aos oficiais do exército que tinham ido com ele: — Venham aqui e ponham os pés no pescoço destes reis. Eles fizeram isso. Aí Josué disse: — Não tenham medo; não percam a coragem. Sejam fortes e corajosos porque o SENHOR fará isso com todos os inimigos que vocês enfrentarem. (Josué 10:24-25)

Através do poder e vitória da cruz, Jesus expôs publicamente ao desprezo os principados e potestades (Colossenses 2:15), e eles não tem mais autoridade. Temos autoridade sobre eles. Ainda não nos apropriamos devidamente da nossa autoridade, mas estamos começando. Temos que governar sobre eles, e colocar os governadores dessas dimensões de trevas debaixo dos nossos pés.

30 A geração de Josué fará grandes sinais e maravilhas.

No dia em que o SENHOR deu a vitória aos israelitas na luta contra os amorreus, Josué falou com ele. E, na presença dos israelitas, disse: “Sol, fique parado sobre Gibeão! Lua, pare sobre o vale de Aijalom!” O sol ficou parado, e a lua também parou, até que o povo se vingou dos seus inimigos. Estas palavras estão escritas no Livro do Justo. (Josué 10:12-13a).

Um acontecimento sobrenatural: o tempo parou. Isso deu a eles a oportunidade de derrotar seu inimigo.

(O livro do Justo mencionado aqui, foi excluído do canon das escrituras pelo Conselho de Nicéia, que estava sob a autoridade do imperador Constantino. Ele não queria que esse tipo de coisa fosse conhecida, porque ele não queria que crentes comuns soubessem que poderiam governar. Ele queria governar, através de pastores na igreja pagos por ele. Isso deu origem a estrutura institucional que conhecemos hoje, e que até agora tentamos nos livrar. Ian Clayton ministrou sobre isso. Eles tentaram também excluir I e II Pedro e Judas (que fala coisas interessantes que não há em nenhum outro lugar nas escrituras). Esses livros falam sobre entrar nas dimensões espirituais e operar com autoridade e poder nas regiões celestes. Há muitos outros livros que eram considerados inspirados que não fazem parte do nosso Canon das escrituras porque o inimigo não queria.)

O sol ficou parado no meio do céu e atrasou a sua descida por quase um dia inteiro. Nunca tinha havido e nunca mais houve um dia como este, um dia em que o SENHOR obedeceu à voz de um homem. Isso aconteceu porque o SENHOR combatia a favor de Israel. (Josué 10:13b-14).

Outros artigos de Freedom ARC

Artigo original (em Inglês)


	

Características da Geração de Josué (#21-25)

Mike Parsons

O véu está aberto: em espírito podemos entrar nas regiões celestiais através do véu que é a carne de Jesus. Então poderemos viver lá. Precisamos entrar nessa dimensão. A Terra Prometida não está relacionada somente com a terra, mas sim em trazer o céu para terra. Como vimos da última vez, se nós realmente quisermos ser agentes de mudança, temos que aprender a governar nos céus para que possamos trazer de lá a autoridade que precisamos para exercer na terra. Hoje voltaremos a observar as características da geração de Josué, sendo assim, quero te encorajar a olhar para elas tendo em mente essa necessidade de entrarmos nas dimensões celestiais.

Outro Josué

Antes, porém, deixe me falar um pouco sobre outro Josué, que viveu muito tempo depois, para nós ajudar a entender melhor. Este Josué era o Sumo Sacerdote que foi chamado para entrar na dimensão dos céus.

“E ele disse a Josué: O SENHOR Todo-Poderoso lhe diz o seguinte: “Se você obedecer às minhas leis e cumprir os seus deveres conforme eu ordeno, você será o administrador do Templo. Cuidará do santuário e de todos os outros edifícios; e, como estes anjos que estão aqui, você terá o mesmo direito de estar na minha presença..” (Zacarias 3:6-7).

“Se você obedecer às minhas leis e cumprir os seus deveres conforme eu ordeno”, isso se refere às coisas que fazemos aqui nessa dimensão. O Salmo 119:1-40, nos ajuda entender melhor sobre os caminhos do Senhor, ou seja, Suas ordenanças, Seu caráter e Sua natureza. Se obedecermos ao Senhor agindo de acordo com Sua palavra, e de acordo com os princípios do reino aqui nessa dimensão, veremos a manifestação do reino aqui na terra como é no céu.

“…você será o administrador do Templo”, o Templo referido aqui é uma dimensão do reino dos céus, portanto administrar o Templo é algo que é feito nas regiões celestiais. E nós também somos o templo do Espírito Santo, a casa de Deus.

“…também tu julgarás a minha casa e guardarás os meus átrios…” (Zac 3:7 RA), os átrios dos céus é o lugar de onde o Senhor administra a justiça, e de onde a jurisdição do reino do reino de Deus, manifesta nos céus, pode ser aplicada aqui na terra.

“… e, como estes anjos que estão aqui, você terá o mesmo direito de estar na minha presença…”, ou seja, estar diante do trono, no céu. O Sumo Sacerdote tinha acesso para entrar na presença de Deus. Se nós formos capazes de administrar o Templo, e guardar os átrios, nós teremos acesso para permanecer na presença de Deus. É a diferença entre fumaça e fogo. Onde há fumaça, há fogo. A presença de Deus que experimentamos aqui na adoração é como a fumaça. Mas além da fumaça, há Deus em pessoa, que é o fogo. Esta passagem de Zacarias está descrevendo o protocolo que devemos seguir para sermos capazes de permanecer em pé no fogo.

Agora vamos voltar ao nosso Josué original:

21 A geração de Josué vai encorajar as pessoas a ouvirem diretamente a voz de Deus

Josué 3:9 Então Josué disse ao povo: — Venham cá e prestem atenção naquilo que o SENHOR, nosso Deus, vai dizer.

Para nós como indivíduos é importante entrarmos na presença do Senhor e ouvirmos o que Ele tem a nos dizer, e treinar outros a fazer o mesmo. Precisamos entrar diante do trono, ir aos átrios e administrar o templo. Minha intenção em fazer isso, e ensinar a você, e para que você tenha essa experiência.

Entrar no reino dos céus é para cada um de nós. Além disso, eu tenho um papel que é operar sinais milagres e maravilhas. Eu estou buscando isso para mim. Mas você, também precisa saber o que está escrito no seu pergaminho, e buscar isso para você. Cada um de nós precisa cumprir o que está escrito no pergaminho. Temos que encontrar nosso pergaminho nas regiões celestes, para que possamos ler, comer, colocar no nosso coração, e começar aplicar tudo que está nele.

22 A geração de Josué será honrada e respeitada pela próxima geração.

Haverá uma cultura de honra. Jesus disse, “Quem receber um profeta, porque este é profeta, terá uma parte da recompensa dele” (Mat 10:41). Temos que honrar os dons e o chamado das pessoas para que possamos receber a recompensa nas nossas vidas. Queremos honrar e receber um ao outro, por que cada um de nós têm um chamado e dons, sendo assim precisamos ajudar um ao outro a cumprir o chamado e exercitar os dons.

“Naquele dia o SENHOR fez com que o povo de Israel ficasse sabendo que Josué era um grande homem. E, durante a vida de Josué, eles o respeitaram assim como haviam respeitado a Moisés.” (Josué 4:14)

23 A geração de Josué irá libertar a próxima geração da culpa das gerações passadas e de suas consequências, para uma nova revelação sobre práticas antigas.

“A nação inteira ficou acampada até que sararam todos os que foram circuncidados. E o SENHOR disse a Josué: — Hoje eu tirei de vocês a vergonha de terem sido escravos no Egito. Foi por isso que chamaram aquele lugar de Gilgal. E este nome continua até hoje.  Os israelitas estavam acampados em Gilgal, na planície em volta da cidade de Jericó, e ali comemoraram a Páscoa na noite do dia catorze do primeiro mês.”(Josué 5:8-10)

Fizemos coisas para o reino de Deus e para igreja de acordo com o nível de revelação que tínhamos. Mas agora tudo está se movendo num nível mais alto.

Aqui eles celebraram a Páscoa e reinstituíram a circuncisão, que eles não fizeram no deserto. Eles se consagraram a Deus; o opróbrio do passado foi tirado, as pedras de tropeço removidas, a purificação e o refinamento aconteceram. Quando entramos num novo nível de revelação,  começamos a enxergar assuntos e coisas que antes eram familiares com um novo entendimento, a medida que o Senhor nos traz luz sobre aquilo.

24 A geração de Josué vai trabalhar junto com os anjos

Isto é algo que causa um monte de discussões sem necessidade entre os cristãos. Muitos dizem: “Por que precisamos dos anjos se eu já tenho o Espírito Santo?” Os anjos e o Espírito Santo são completamente diferentes. Os anjos têm um papel e um propósito diferentes do Espírito Santo. E na verdade, cada anjo tem uma função específica.

Por exemplo, em uma noite quando o Ian Clayton esteve aqui, ele derramou óleo de olíbano no chão, e o aroma encheu o lugar, então fui levado ao reino dos Céus e vi cobertura, e anjos grandes sendo liberados do trono. Eles tinham asas enormes, com penas que pareciam lâminas afiadas, parecia que eles iriam usá-las como armas. Eu sabia por instinto que eles eram anjos caçadores. Eles saíram para buscar uma colheita. Suas armas eram para cortar a cegueira dos olhos das pessoas, a cegueira que impedia as impediam de enxergar e responder a verdade. E Deus está liberando eles nesse momento. Eles eram diferentes da assembleia de anjos, dos anjos vigias, e outros anjos que vemos. Você percebe algo? Os anjos são descritos de acordo com sua função.

“Estando Josué ao pé de Jericó, levantou os olhos e olhou; eis que se achava em pé diante dele um homem que trazia na mão uma espada nua; chegou-se Josué a ele e disse-lhe: És tu dos nossos ou dos nossos adversários? Respondeu ele: Não; sou príncipe do exército do SENHOR e acabo de chegar. Então, Josué se prostrou com o rosto em terra, e o adorou, e disse-lhe: Que diz meu senhor ao seu servo? Respondeu o príncipe do exército do SENHOR a Josué: Descalça as sandálias dos pés, porque o lugar em que estás é santo. E fez Josué assim.” (Josué 5:13-15 RA)

Quando você lê “levantou os olhos”, quer dizer que ele estava olhando para os céus, e vendo em outra dimensão. Abraão também “levantou ele os olhos, olhou, e eis três homens de pé em frente dele”. (Gen 18:2 RA) e há outros exemplos desse “levantar os olhos” nas escrituras. Na passagem de Josué 5 o príncipe do exército do Senhor dá a Josué a estratégia que vai ajuda-lo a ser vitorioso e ter sucesso. Quando louvamos a Deus, os altos louvores liberam alguns desses anjos. Leia o salmo 149, e você verá mais sobre isso, e como nós executamos a sentença escrita e como exercer vingança contra o inimigo.

Nossa luta não é contra carne ou sangue. Estratégias terrenas não funcionam.

25 A geração de Josué ouvirá a Deus para receber estratégias de guerra

“O SENHOR Deus disse a Josué: — Olhe! Eu estou entregando a você a cidade de Jericó, o seu rei e os seus corajosos soldados. Agora você e os soldados israelitas marcharão em volta da cidade uma vez por dia, durante seis dias. Na frente da arca da aliança, irão sete sacerdotes, cada um levando uma corneta de chifre de carneiro. No sétimo dia você e os seus soldados marcharão sete vezes em volta da cidade, e os sacerdotes tocarão as cornetas. Quando eles derem um toque longo, todo o povo gritará bem alto, e então a muralha da cidade cairá. Aí cada um avançará diretamente para a cidade.” (Josué 6:2-5).

Quando Deus disse, “Olhe”, como Josué poderia ver aquilo, se ainda não tinha acontecido? A resposta é que Deus estava mostrando para ele nas regiões celestes o que iria acontecer. Da mesma forma como Jesus disse que via o que o Pai estava fazendo (João 5:19). Em que dimensão Jesus via o que Pai estava fazendo? O Espírito Santo mostrará as coisas que estão por vir, porque nós vemos  – e podemos entrar – em outra dimensão.

Novamente, quando essa passagem fala sobre uma cidade com seu rei e os seus corajosos soldados, podemos escolher entender como algo de uma dimensão terrena. Mas esse texto vai muito além, pois nas dimensões do céu, há também montanhas, governadores e reis. Na verdade, o que acontece na terra é um reflexo do que acontece no céu. Sendo assim, precisamos lidar com essas montanhas, governadores e reis nas dimensões do espírito para que possamos tratar com a representação deles aqui na terra. Como havia escrito antes, esta provavelmente é a razão histórica pela qual temos tido tanta dificuldade em prevalecer na dimensão terrena, não temos ido às dimensões celestiais primeiro. Temos que vencer nas regiões celestes primeiro, para que possamos prevalecer na terra.

Assim como Jesus, também precisamos ver o quê o Pai está fazendo, para trazer para terra. Se foi dessa maneira que Jesus exerceu seu ministério e operou milagres (e Ele nos disse que sim), então certamente é como devemos fazer também. Jesus vivia constantemente em duas dimensões, num relacionamento com o Pai.

A estratégia que Deus deu para tomar Jericó foi bem clara e detalhada. As instruções que Josué recebeu nas dimensões dos céus, tinham que ser executadas na terra. Precisamos aprender a fazer o mesmo todos os dias, e todo tempo.

Isso é o que significa viver em duas dimensões, ver o que o Pai está fazendo, e estar constantemente conectado.

E é assim que o céu é trazido para terra.

Outros artigos de Freedom ARC

Artigo original (em Inglês)