Portais Eternos

Mike Parsons
e Jeremy Westcott 

Entre os céus e a terra estão os portais eternos. Estes são os portais que estavam abertos quando Adão foi criado, para que ele pudesse manifestar a glória de Deus. A terra ainda tem a memória residual de quando eles estavam abertos – o padrão em grade das linhas de Ley, cujo poder é reconhecido por pessoas da Nova Era e por aquelas que praticam o oculto. Mas é apenas uma memória – agora esses portais estão guardados e bloqueados por espíritos territoriais na atmosfera da terra. Nós os encontramos no salmo 24, (e nós sempre cantamos uma canção baseada nessa passagem):

Erguei, ó portas, as vossas cabeças;
Levantai-vos, ó portas antigas;
E entrará o Rei da glória.

Quem é o Rei da glória?
 Jeová forte e poderoso, Jeová poderoso na batalha.

Erguei, ó portas, as vossas cabeças;
 Sim erguei-as, ó portas antigas;
E entrará o Rei da glória.

Quem é esse Rei da glória?
Jeová dos exércitos, Ele é o Rei da glória. (Selá)
(Salmo 24:7-10 SBB).

A Glória de Deus

‘Para que entre o Rei da Glória.’ O Rei da Glória entrará por esses portais, Ele virá das dimensões dos céus para essa dimensão, trazendo consigo a Glória de Deus. Isso acontece de tempos em tempos, e geralmente chamamos de reavivamento, transformação, despertar. Tudo isso são manifestações do poder de Deus e a presença Dele através dos anjos que vem por essas portas.

Nós somos as portas

Quem é o Rei da Glória? O Senhor, forte e poderoso, o Senhor, poderoso nas batalhas. Coisas começam acontecer quando levantamos nossas cabeças, como portais. Entendemos que cada um de nós é um portal para a manifestação da presença de Deus, um portal entre o céu e a terra.

Agora nós sabemos que temos que pensar com uma mentalidade hebraica e não grega, ou seja, observar a função e não a forma. Sua cabeça é o lugar de governo e autoridade. A função da cabeça é governar, sendo assim, erguer é governar de um nível maior. Uma vez que começamos erguer nosso governo para um nível mais elevado, então os portais eternos são levantados e a glória de Deus é manifesta.

Deus está na porta

Nos salmos, muitas vezes frases são repetidas, mas com mudanças sutis. Vemos isso no verso 9, que diz, ‘Sim erguei-as, ó portas antigas’.Uma vez que você foi erguido a uma dimensão celeste, o portal está aberto, Deus vem e fica na porta. Daqui a pouco vou te mostrar isso nas escrituras. Quando o Senhor vem e fica no portal eterno, toda aquela dimensão ergue o portal para um novo nível, pois Ele capacita as coisas a entrarem em um nível maior de autoridade no Reino de Deus.

Senhor dos Exércitos de Anjos

Quem é o Rei da Glória? Jeová dos exércitos, Ele é o Rei da glória.’ Agora temos um nome. Antes, tínhamos o que Ele fez, mas agora temos Seu Nome. Você entende o que significa o nome Senhor dos Exércitos? Significa ‘Senhor dos Exércitos de Anjos’. Quando começamos a operar nas cortes celestiais, o Senhor dos Exércitos de Anjos libera os seres angelicais para agirem no nosso meio. Alguns de nós conhecemos isso na prática. Na verdade, cada vez mais pessoas estão começando ver anjos, e experimentando a realidade da atividade angelical, e reconhecendo o que está acontecendo nessas dimensões. Ele é o Rei da Glória, e nesses dias o Rei da Glória vai se manifestar através dos anjos.

O sonho de Jacó

Onde nas escrituras vemos Deus no portão? Gênesis 28:12-15 fala sobre Jacó.

Então sonhou: estava posta sobre a terra uma escada, cujo topo chegava ao céu; e eis que os anjos de Deus subiam e desciam por ela; por cima dela estava o Senhor, que disse: Eu sou o Senhor, o Deus de Abraão teu pai, e o Deus de Isaque; esta terra em que estás deitado, eu a darei a ti e à tua descendência;
e a tua descendência será como o pó da terra; dilatar-te-ás para o ocidente, para o oriente, para o norte e para o sul; por meio de ti e da tua descendência serão benditas todas as famílias da terra.

Eis que estou contigo, e te guardarei por onde quer que fores, e te farei tornar a esta terra; pois não te deixarei até que haja cumprido aquilo de que te tenho falado.

Eu me encontrei com Jacó nas dimensões celestiais – ele foi o primeiro da ‘nuvem de testemunhas’ que conheci, um dos homens vestidos de linho fino, de gerações passadas, que estão lá para nos ajudar. Ele me falou sobre essa passagem e me disse para estudá-la e para entender como aquilo funciona. Então tenho observado sua experiência e sua vida (e conversado com ele sobre isso).

Aquela escada foi colocada aqui na terra, não no céu. Seu topo chega ao céu, o que significa que temos acesso aqui para entrar lá. Nessa passagem diz primeiro que os anjos ‘subiam’, isso significa que eles já estavam aqui. Eles estavam subindo, e voltavam trazendo o reino e a revelação da glória de Deus com eles. E é aqui que vemos o Senhor na porta: ‘por cima dela estava o Senhor’( v13) – Ele estava no topo da escada, e prometeu estar com Jacó e guardá-lo – o Rei da Glória começou a manifestar Sua presença.

Betel, a casa de Deus

E temeu, e disse: Quão terrível é este lugar! Este não é outro lugar senão a casa de Deus; e esta é a porta dos céus. (Gênesis 28:17 RIB)

Agora cada um de nós, como individuo, é a casa de Deus, porque Ele habita em nós. Também somos um portal do céu, e precisamos ser erguidos como um portal nas dimensões celestiais para manifestar a glória de Deus.

Deus disse a Jacó: —Apronte-se, vá para Betel e fique morando lá. Em Betel construa um altar e o dedique a mim, o Deus que lhe apareceu quando você estava fugindo do seu irmão Esaú. Então Jacó disse à sua família e a todos os que estavam com ele: —Joguem fora todas as imagens dos deuses estrangeiros que vocês têm. Purifiquem-se e vistam roupas limpas. (Gen 35:1-2)

Jacó chamou aquele lugar de Betel, que quer dizer ‘casa de Deus’, e Deus disse para ele ir morar lá. Nós temos que viver onde nós somos casa de Deus e onde nós somos a manifestação do portal do céu. ‘Construa um altar’, um lugar de sacrifício. ‘Joguem fora todas as imagens dos deuses estrangeiros que vocês têm. Purifiquem-se e vistam roupas limpas’ – essa é uma descrição do que está acontecendo conosco agora no Calendário Profético de Deus.

Está acontecendo um sacrifício, uma purificação, remoção de ídolos e uma troca de roupas. E pode ser um processo dolorido.

Outros artigos de Freedom ARC
Artigo original (em Inglês)
Outros artigos de Freedom ARC (em Inglês)

Atribuição de imagem: Detail from Jacob’s Dream [O sonho de Jacó] by William Blake (c. 1805, British Museum) – William Blake Archive, Public Domain, https://commons.wikimedia.org/w/index.php?curid=1869973

Sete Montes, Sete Tronos

Este diagrama é uma representação das dimensões do céu que temos explorado.

Mike Parsons
com Jeremy Westcott

Provavelmente você já ouviu pessoas falando sobre o primeiro, o segundo e o terceiro céus. No passado, isso pode ter nos ajudado a entender de onde somos, e como podemos interagir com o céu, mas esse ensino, na verdade, era muito superficial e falho. Com nossa mentalidade grega (ao invés de hebraica), nós assumimos que teríamos que ir para o segundo céu, para poder chegar ao terceiro, o que não é bem assim. Ao invés de pisos ou andares, como em um prédio, há reinos, ou dimensões. Anteriormente falamos sobre sete dimensões, três na terra, a atmosfera da terra, e três nos céus.

Sete dimensões

Olhando no diagrama acima, nós vivemos aqui no Reino da Terra, onde podemos experimentar a Presença de Deus. Nós estamos também conscientes da atmosfera da terra – lembre-se que Satanás foi chamado de ‘o príncipe da potestade do ar’. Há, de fato, três esferas de influência na atmosfera da terra: poderes, potestades e principados. Essas esferas foram criadas por Deus, mas nesse momento estão ocupados pelas forças do mal. Até agora, eles tem tido um sucesso razoável bloqueando o fluir da glória de Deus de chegar até nós através dos Portais Eternos (vamos falar sobre esses Portais no próximo post).

Ao entrar nas dimensões dos céus, vemos o Reino de Deus, o lugar do governo de Deus. Anjos caídos e forças demoníacas ainda tem acesso lá, mas não tem acesso ao Reino dos Céus. O Reino de Deus é onde está a corte, na qual Satanás acusa os irmãos. Mas Satanás e seus anjos só tem acesso a esse lugar. Eles não podem ir ao Reino dos Céus, nem ao Reino da habitação de Deus – mas nós podemos, pois é onde estamos assentados com Cristo em autoridade. E como você pode ver no diagrama, há outras dimensões além dessas.

Embaixo da terra também há três dimensões. Todas elas foram criadas por Deus, mas agora estão ocupadas pelos anjos caídos: Sheol é o lugar de morte; Tártaro é o lugar onde os ‘anjos que não permaneceram em seu devido lugar’ estão acorrentados; e o covil de Satanás. Há outros lugares aqui embaixo também, tal como a sala do troféu de Satanás, sobre a qual já escrevemos antes.

A intenção de Deus é que tomemos de volta todas essas dimensões que estão ocupadas pelo inimigo. Mas não é para enfrentarmos os anjos caídos – há o dobro de número de anjos de Deus do nosso lado que irão fazer isso por nós, se aprendermos a interagir com eles. Nosso papel é tomarmos nossos mantos e operarmos na autoridade que Deus nos chamou para exercer.

Sete montes, sete tronos

Nos lugares celestiais há montes, e tronos sobre esses montes. Isso quer dizer, há lugares de autoridade, e assentos de governo. Junto a esses montes e tronos há rolos: decretos, mandatos e recursos que podemos recorrer. A igreja Freedom tem sete montes e sete tronos. Esses tronos não estavam desocupados – gigantes estavam sentados neles, e tiveram que ser tirados de lá. De fato cada igreja (grupo específico de crentes) tem seus próprios montes e tronos relacionados ao seu chamado e propósito de Deus, sendo assim cada igreja, precisa de matadores de gigantes.

E todos de nós, como indivíduos, temos sete tronos, que precisamos ir e ocupar. Família, mercado de trabalho, dons, chamado, ministério, e etc. Há muitos tronos que podemos ter, e só poderemos descobrir quais são através de revelação, ou seja, Deus nos mostrando. Lembre-se, se não estamos sentados nele, outra coisa está, a qual terá que ser confrontada e destronada. Não é difícil matar um gigante, mas exige esforço: precisaremos fortalecer nossos músculos espirituais. Se o trono é seu por direito, você pode destronar o gigante e ocupá-lo. Mas você precisa de autoridade para governar lá – você não pode simplesmente ir e tomar o monte e o trono para outra pessoa.

Eu sei que tudo isso pode parecer um tanto estranho, um pouco de Senhor dos Anéis, mas na verdade Tolkien entendia algumas dessas coisas. Gigantes, dragões – você tem que cortar a cabeça deles, abrir suas barrigas, e tomar o despojo.

Um tipo diferente de autoridade

Com toda essa conversa sobre governo e autoridade, por favor, entenda, não estamos sendo arrogantes. No reino, os últimos serão os primeiros e os primeiros serão os últimos. O senhor será servo de todos. Não queremos governar para fazermos pessoas de servas. É um tipo diferente de autoridade. Temos que apoiar as pessoas, servi-las, ajuda-las a descobrir seus dons e os mandatos que Deus deu a elas, para levar essas pessoas onde estamos e além. A Geração de Josué é assim.

O céu para terra

A verdade nua e crua é que se temos que trazer o céu para terra, como dissemos antes, precisamos acessar o céu. Assim como Jesus fez. Ele trouxe o céu para terra na forma de milagres, libertação, cura, salvação, transformação, sinais e maravilhas – e Ele fez isso porque operava em duas dimensões (olhe o verbo estar em João 3:13, está no presente).

No reino de Deus há montes com níveis mais altos, e dragões que ocupam esses tronos. Eu já estive lá, lutei com dragões, mas não consigo fazer tudo isso sozinho. Ninguém consegue. Até agora só vi apenas algumas pessoas lá, mas chegou a hora de todos nós subirmos e começarmos a ocupar os lugares de autoridade que Deus nos deu.

Há ainda montes e tronos muito mais altos na dimensão do Reino dos Céus (e ainda um nível muito maior de autoridade e governo).

Na verdade os montes representam nossa posição governamental de autoridade, nós somos montes. Quando nós ocupamos o monte principal, nossa posição de governo, podemos governar todos os outros montes de lá.

Chegou a hora de todos nós assumirmos nosso papel como senhores, reis e filhos que fomos chamados para ser.

Outros artigos de Freedom ARC
Artigo original (em Inglês)
Outros artigos de Freedom ARC (em Inglês)

Aqueles que trazem a imagem do celestial

Mike Parsons
com Jeremy Westcott

Fogo refinando e purificando

Já faz algum tempo que a igreja está naquele ponto no Calendário Profético de Deus que é caracterizado pela vinda do fogo, refinando e purificando, recolhendo e tirando as pedras de tropeço da igreja e das nossas vidas. Não é um tempo fácil. Essas pedras de tropeço podem ser ídolos, ou outras coisas – até mesmo pessoas – que estão impedindo o fluir do reino de Deus. Os anjos da colheita estão aqui, para ver se realmente desejamos abrir nossos corações, permitindo que eles removam essas pedras das nossas vidas. Podemos escolher se iremos cooperar ou não: mas será menos dolorido se cooperarmos.

O surgimento da Geração de Josué

Este é um tempo em que a Geração de Josué será levantada, um povo com um espírito diferente, uma geração de pessoas que irão possuir a terra e levar outra geração com eles. Josué e Calebe levaram uma geração inteira para uma terra física e geográfica, mas também para uma nova terra espiritual. Nós gastamos algum tempo nesse blog olhando as 40 Características da Geração de Josué, e é importante para nós sabermos se somos chamados para fazer parte dessa geração.

Esse é o lugar em que estamos agora. No entanto, sabemos que Deus está nos chamando para seguir em frente. O processo de ser refinado, purificado, e de entrar na fornalha da Presença de Deus é uma preparação para avançar com o Senhor.

Fogo do ourives

Eis que eu envio o meu mensageiro, que preparará o caminho diante de mim; de repente, virá ao seu templo o Senhor, a quem vós buscais, o Anjo da Aliança, a quem vós desejais; eis que ele vem, diz o SENHOR dos Exércitos. Mas quem poderá suportar o dia da sua vinda? E quem poderá subsistir quando ele aparecer? Porque ele é como o fogo do ourives e como a potassa dos lavandeiros. Assentar-se-á como derretedor e purificador de prata; purificará os filhos de Levi e os refinará como ouro e como prata; eles trarão ao SENHOR justas ofertas. (Mal 3:1-3).

Deus quer nos preparar para que sejamos a oferta do Senhor. O fogo do ourives é muito quente: o ponto de fundição é em torno de 1064°C (1945°F). Quando o calor é mantido, as impurezas sobem para superfície e podem ser retiradas. Se você estiver passando por isso, saberá exatamente do que estou falando – quando alguma coisa vem para superfície na sua vida você tem uma escolha: você pode permitir que Deus a remova, ou pode esconder tudo novamente. O problema é que até que você permita que o Senhor remova tudo, as coisas continuarão a subir para superfície. E a pior coisa que você pode fazer se você quer cumprir seu destino em Deus, é sair do fogo.

Quando o ouro é realmente puro, a superfície é como um espelho. Ele reflete com perfeição. E Deus nos quer refletindo a Ele, para que outros possam vê-Lo em nós. Mas durante esse processo temos que saber que o Senhor está conosco.

Nossa porta, Sua porta

“Escutem! Eu estou à porta e bato. Se alguém ouvir a minha voz e abrir a porta, eu entrarei na sua casa, e nós jantaremos juntos” (Ap 3:20).

Em outras palavras, Ele está oferecendo a nós um relacionamento íntimo com Ele, no qual Ele se revela a nós e nós estaremos perto Dele. Em alguns versículos adiante está escrito:

Depois destas coisas, olhei, e eis não somente uma porta aberta no céu, como também a primeira voz que ouvi, como de trombeta ao falar comigo, dizendo: Sobe para aqui, e te mostrarei o que deve acontecer depois destas coisas. Imediatamente, eu me achei em espírito, e eis armado no céu um trono, e, no trono, alguém sentado (Ap 4:1).

À medida que rendemos nossas vidas ao Senhor, e nos entregamos ao senhorio de Jesus (e nos submetemos ao processo de refino), Ele abre a porta nas dimensões dos céus para nós entrarmos e subirmos. Sei que, algumas pessoas têm sido transladadas fisicamente, mas para a maioria de nós será uma experiência espiritual, e é isso que estivemos vendo nesse blog em posts recentes.

Com a prática podemos aprender a acessar as dimensões do céu, porque o reino dos céus está aqui a nossa frente – ou tão perto de nós quanto se pusermos a mão em frente do nosso rosto. Podemos entrar e sair das dimensões do céu. Quando voltamos de lá, trazemos conosco o que está lá, e manifestamos aqui. É isso que entendemos como Venha o teu Reino. Que a tua vontade seja feita aqui na terra como é feita no céu! (Matt 6:10). O próprio Jesus trouxe o reino, e a vontade de Deus, como é no céu, para terra – e Ele quer que Seus discípulos façam o mesmo. Se for para trazermos os céus para terra, temos que acessar os céus – e a porta está aberta.

Trazendo a imagem do celestial

Como foi o primeiro homem, o terreno, tais são também os demais homens terrenos; e, como é o homem celestial, tais também os celestiais. E, assim como trouxemos a imagem do que é terreno, devemos trazer também a imagem do celestial. (1 Cor 15:48-49).

Da mesma forma que nascemos em um corpo terreno, nós nascemos de novo e por isso nosso espírito está ativo e vivo para Deus. Então agora trazemos a imagem do celestial. Nós precisamos trazer a imagem das coisas que estão acontecendo nos céus, e manifestá-las na terra. Deus está abrindo uma porta para nós entrarmos nas dimensões celestes, para que assim nós possamos ver e refletir o que está acontecendo.

Através da igreja… nos lugares celestiais

…e manifestar qual seja a dispensação do mistério, desde os séculos, oculto em Deus, que criou todas as coisas, para que, pela igreja, a multiforme sabedoria de Deus se torne conhecida, agora, dos principados e potestades nos lugares celestiais, segundo o eterno propósito que estabeleceu em Cristo Jesus, nosso Senhor (Ef 3:9-11).

Há tantas coisas para o Senhor nos mostrar, que nem somos capazes de imaginar. Ele é infinito e eterno, e Ele está trazendo uma revelação muito maior hoje do que já havia trazido antes. Ele está abrindo as dimensões dos céus para que Seu povo possa ver. Essa multiforme sabedoria de Deus é para se tornar conhecida através da igreja – através de nós – dos principados e potestades nos lugares celestiais

Aquele reino que está em trevas, também está perto de nós. Nós não precisamos fugir dele, temos que manifestar a multiforme sabedoria de Deus aos principados e potestades nos lugares celestiais. Essa sempre foi a vontade Dele:

…segundo o eterno propósito que estabeleceu em Cristo Jesus, nosso Senhor (v11).

Era para Adão ter desfrutado do livre acesso as regiões celestiais, mas ele escolheu um caminho diferente. Em Cristo, esse acesso foi restaurado para nós.

Outros artigos de Freedom ARC
Artigo original (em Inglês)
Outros artigos de Freedom ARC (em Inglês)

Renda-se e Governe

Mike Parsons 
com Jeremy Westcott

Quando abrimos a porta do nosso coração, quando abrimos a Porta do Primeiro Amor e deixamos Jesus entrar, Ele entra e governa. Podemos governar aqui nessa dimensão em nosso próprio monte, em nossa casa, mas governamos através da rendição. Nós damos a Ele o governo de nossas vidas. A medida que nossa mente é renovada, e Ele começa a nos transformar, e nossas emoções e nossa alma são restauradas, o Senhor nos dá a tarefa de governar cada vez mais, assim nosso espírito começa a governar em nós como um co-herdeiro com Ele.

A princípio Ele vem e governa: entregamos nossas vidas a Ele. Ele, porém, começa a nos equipar, e por isso, gradualmente, Ele nos dá uma autoridade cada vez maior para governar com Ele como filhos do nosso Pai. Ele não pode nos entregar tudo logo no início, porque não saberíamos como lidar com isso. Seria o mesmo que dar uma metralhadora para uma criança. No entanto, o tempo vai passando, e quanto mais permitirmos que Deus nos transforme em sua imagem e semelhança, mais autoridade nós receberemos. Quanto mais deixamos Deus lidar com o que está em nossos corações e vemos a mudança nas nossas vidas, mais Ele começa a nos levar ao nível de autoridade associada com o nosso destino, para que a partir desse lugar nós governemos com Ele.

Qual é nosso destino?

Nós precisamos muito ler nosso rolo do destino (Salmos 139:16). Podemos pedir a Deus para nos mostrar o que está escrito nele. Eu já havia mencionado isso antes, e falarei mais sobre isso em outra ocasião.

Porquanto aos que de antemão conheceu, também os predestinou para serem conformes à imagem de seu Filho, a fim de que ele seja o primogênito entre muitos irmãos (Rom 8:29 RA).

Essa é a nossa ordenança e nosso destino: fomos chamados para ser conforme a imagem de Jesus, para ser como Ele. Não é para haver somente uma ou duas pessoas governando nos lugares celestiais: Jesus é o primogênito entre muitos irmãos. Todos nós deveríamos governar como co-herdeiros com Cristo. Nós apenas temos que tomar posse da nossa autoridade.

Governar como um senhor…

Então nos tornamos um senhor, quando desapropriamos os gigantes e governamos nos tronos dos montes no ‘reino de Deus’, na dimensão celestial. Desse lugar é que governamos a casa. Essa é a nossa casa, nosso nível de autoridade; nosso monte, nosso trono. Isso tem haver com nosso destino e nosso mandato. Nós podemos, até mesmo, nos tornar um senhor de senhores quando discipulamos e levantamos outros senhores. Nós damos aquilo que recebemos. Nós levantamos outros e os levamos a cumprir seus destinos também.

…um rei…

Então nos tornamos rei, quando despojamos o dragão e governamos no trono do monte no ‘reino dos céus’, na dimensão celestial. Nós começamos a administrar das cortes celestiais com bondade e justiça.

Quando começarmos a operar nas cortes, descobriremos que são lugares maravilhosos de autoridade. Há todo um sistema judicial, com cortes superiores e inferiores, eu mesmo já estive em muitas delas. Há cortes de divórcio, onde podemos legalmente nos separar das coisas do nosso passado. Há cortes de acusação, onde Satanás acusa os irmãos, e temos que ir lá para lidar com as acusações contra nós (lidamos com essas acusações, concordando com elas, aceitamos o julgamento de Deus, e saímos livres porque Jesus já pagou o preço por nós). Alguns dos que estão lendo isto são chamados para ser intercessores, sendo assim, eles são chamados para entrar nas cortes e lidar com as acusações em favor de lugares, pessoas ou regiões.

Nós podemos ser um rei de reis quando discipulamos e levantamos outros reis. Tudo é uma questão de reproduzir em outros o quê Deus produz em nós. Essa é a razão pela qual Jesus tinha discípulos ao redor Dele.

…um filho

Quando somos diligentes em governar como senhores e reis, Deus irá nos colocar em nosso lugar como filhos. Então governamos num monte, em um trono na dimensão celestial do ‘Céu’. E Deus nós manifesta como filhos da luz na terra (assim como no céu). Tanto no céu, quanto na terra: a aplicação disso é que à medida que governamos primeiro nos céus, então podemos exercer esse governo na terra. Não há como fazer isso de outro jeito.

Nós viveremos como manifestos filhos de Deus, restaurando a terra ao seu propósito original – o propósito original semelhante ao da primeira criação – para nos trazer a plenitude da filiação.

Outros artigos de Freedom ARC
Artigo original (em Inglês)
Outros artigos de Freedom ARC (em Inglês)

Imagem: Imperial Crown of Austria Globus cruciger Sceptre.jpg
By Yelkrokoyade (Own work) [GFDL (http://www.gnu.org/copyleft/fdl.html) or CC BY-SA 3.0 (http://creativecommons.org/licenses/by-sa/3.0)%5D, via Wikimedia Commons

Manifestação dos Filhos de Deus

Mike Parsons
com Jeremy Westcott – 

Lugares celestiais

Nesta série de posts estamos falando sobre os lugares celestiais. Nós vimos que há diferentes lugares ou dimensões nos céus, e que nós podemos acessá-los enquanto estamos aqui na terra, da mesma forma que Jesus fez.

Lembrem dos anjos que não ficaram dentro dos limites da sua própria autoridade, mas abandonaram o lugar onde moravam. Eles estão amarrados com correntes eternas, lá embaixo na escuridão, onde Deus os está guardando para aquele grande dia em que serão condenados (Judas v6).

Aqui está falando sobre os anjos caídos, os vigilantes, que deixaram seu devido lugar, e vieram para terra para produzir os Nefilins. Esses 200 anjos vigilantes estão presos, em um lugar chamado Tártaro. Eu já os vi lá, e eles estão amarrados por causa do que fizeram.

Ao citar versículos da Bíblia, estou tentando te mostrar que todos esses lugares diferentes nos céus tem uma base bíblica. Algumas vezes você vai ter que olhar mais atentamente para textos familiares, para ver que eles têm mais a dizer do que já havíamos visto. Da última vez, vimos que há uma sala de troféus de Satanás, onde podemos pegar de volta o que foi roubado, e agora estamos vendo que há um domínio onde há anjos amarrados.

Sete

Agora, sete é um número importante nas escrituras. Há sete dias da criação, há sete sistemas de governo. Sete é sempre o número da perfeição, do completo, e de Deus. Nós vimos que há sete dimensões, três nos céus, três na terra, e a sétima é a atmosfera da terra onde estão os principados, potestades e dominadores.

Mas a primeira dimensão de governo para nós tem que ser a nossa própria vida. Para que possamos governar nas dimensões celestiais, temos que colocar nosso espírito, alma e corpo no devido lugar. Somos a casa do Senhor, e governamos com Ele a partir do nosso espírito, não a partir de nossa alma, nem do nosso corpo, assim levamos nossa vida de volta a plenitude e completude. Por isso é que precisamos acessar nosso jardim, nosso lugar de contemplação, a câmara nupcial e a pista de dança – os quatro compartimentos do coração – para lidar com coisas na nossa própria vida. Há áreas de governos: em nós, através de nós, e nas dimensões celestes.

Rei dos reis e Senhor dos senhores

…o mesmo Deus que é o bendito e único Rei, o Rei dos reis e o Senhor dos senhores (1 Tim 6:15).

Pelejarão eles contra o Cordeiro, e o Cordeiro os vencerá, pois é o Senhor dos senhores e o Rei dos reis; vencerão também os chamados, eleitos e fiéis que se acham com ele. (Ap 17:14)

Jesus é descrito como Rei dos reis e Senhor dos senhores nessas duas passagens. Sendo assim há reis de quem Ele é Rei, e senhores de quem Ele é Senhor. O segundo versículo diz que aqueles que estão com Ele são chamados, eleitos e fiéis. Nós é que somos os chamados, eleitos e fiéis: nós somos os reis, e somos também os senhores.

Nós temos que assumir nosso lugar como senhores e reis que governam nos lugares celestiais. A batalha ainda está acontecendo, mas nós somos seguidores de Jesus, e triunfaremos sobre as obras do inimigo e teremos vitória e domínio.

O povo de Deus nunca acessou as dimensões celestiais de maneira correta, ou de forma consistente, sendo assim o inimigo tem reinado livremente, fazendo o que ele quer. Mas agora estamos começando a fazer isso, então o inimigo vai perder terreno, pois Deus nos faz vencer e tomar de volta o domínio.

Governar como senhores

A dimensão celestial chamada de ‘reino de Deus’ é o lugar de onde os senhores governam. Mas para governar, temos que derrubar os gigantes, pois eles ocupam nosso lugar de autoridade. Sendo assim, temos que fazer o mesmo que Calebe fez quando ele entrou na Terra Prometida, ele expulsou os filhos de Anaque do monte que era para ser sua possessão. Temos que fazer como Davi fez com Golias – após acertá-lo na cabeça com uma pedra que jogou com sua funda, ele cortou a cabeça do gigante (e foi isso que fez o exército inimigo fugir – já que não havia dúvida, que o campeão deles havia sido derrotado).

Isso soa um pouco sangrento, eu sei, mas temos que cortar a cabeça dos gigantes, e abri-los, para que tudo o quê estava dentro deles venha à tona, tudo aquilo que eles haviam roubado de nós, e consumido. Dessa forma podemos pegar de volta o que é nosso e comer, colocando no nosso interior. Isso sempre foi para nós, e iremos precisar para começar a ocupar um lugar de autoridade e poder.

Não é difícil matar um gigante, desde que nós tenhamos a consciência: de quem somos, que autoridade temos, o que nos pertence, e qual é o nosso mandato. Precisamos saber qual é o nosso chamado, para que possamos cumpri-lo. Quando temos confiança na nossa identidade como filhos de Deus, e sabemos o que está escrito no nosso rolo (livro) sobre nós, podemos entrar no nosso destino. Não podemos pegar o rolo de outra pessoa, nem fazer o que é designado a outro, ou assumir o trono de alguém – isso não nos pertence. Precisamos nos apropriar do nosso destino em Deus, e lutar por ele.

Governar como reis

O ‘reino dos céus’ dimensão celestial, é onde reis governam, e também é onde os dragões estão. Eles operam num nível maior de autoridade, e eles têm mais coisas escondidas dentro deles. Novamente, na dimensão do espírito podemos ir e matar dragões, abrir a barriga deles e tomar de volta tudo o que deveria ser nosso. Eu já fiz isso, e outros irmãos aqui da Freedom também. A primeira vez, embora parecesse que não havia levado muito tempo, fiquei muito cansado depois! Então entendi que eu tinha que ficar mais forte, tinha que obter mais músculos espirituais, e mais resistência.

Assumindo a posição de Filhos

Existe, ainda, a dimensão celestial chamada simplesmente ‘Céu’, onde filhos governam. Nós temos tronos lá, e é onde estamos assentados com Cristo. Quando começamos a ocupar esse lugar, Deus começa a fazer nós nos manifestarmos como filhos na terra – e é isso o que estou buscando. E é nesse lugar onde começamos a ser transfigurados, e passamos a demonstrar a presença manifesta de Deus em nossas vidas, e onde as coisas ficam realmente empolgantes.

A maioria do que está nessas dimensões é ser realizado com a manifestação da autoridade do reino. Nos nossos rolos não há muito sobre expulsar demônios, curar os enfermos, ou fazer todo tipo de milagres. Pois isso é algo básico, que qualquer cristão deveria ser capaz de fazer. Nos nossos rolos há mandatos para cada um de nós fazermos tarefas específicas nas dimensões dos céus, eles conferem a cada um de nós responsabilidade para a administração das dimensões do céu.

No future, nós governaremos as galáxias: esse é o nosso destino. Se você ler o livro de Daniel, você poderá ver como ele se refere a diferentes níveis de autoridade nos céus. Da mesma forma, quando Jesus falou sobre servos bons e fiéis que governarão dez cidades, Ele estava falando sobre dimensões muito maiores do provavelmente havíamos entendido como ‘cidades’. Em cada galáxia há um buraco negro que está só esperando pela manifestação dos filhos de Deus para ir e ocupá-lo.

Geração de Josué, é para isso que fomos chamados:  andar nos caminhos do Senhor e obedecer aos Seus preceitos, para governar a Sua casa e também estar encarregado das  cortes, e começar a agir – ter um lugar entre estes – como filhos (Zacarias 3:7).

Outros artigos de Freedom ARC
Artigo original (em Inglês)
Outros artigos de Freedom ARC (em Inglês)

 

O que é um monte?

Mike Parsons
com Jeremy Westcott

Neste blog, nós temos falado sobre montes e tronos nas dimensões do céu. Agora vou te dar algumas escrituras sobre montes, o que eles representam, e como se aplicam aqui na terra.

Nós vimos essa passagem antes sobre a queda de Lúcifer, ou como o chamamos hoje, Satanás: “Tu eras o querubim, ungido para cobrir, e te estabeleci; no monte santo de Deus estavas, no meio das pedras afogueadas andavas. Perfeito eras nos teus caminhos, desde o dia em que foste criado, até que se achou iniquidade em ti. Na multiplicação do teu comércio encheram o teu interior de violência, e pecaste; por isso te lancei, profanado, do monte de Deus, e te fiz perecer, ó querubim cobridor, do meio das pedras afogueadas. (Ez 28:14-16 acf).

A partir desta escritura podemos entender que ‘o monte santo de Deus’ está no céu, é um monte de autoridade, e Deus governa de um trono nesse monte. Antes de sua queda, Satanás tinha acesso a tudo. Ele andava no meio das pedras afogueadas, ou de fogo. Nós podemos andar nessas pedras de fogo agora: elas são um lugar de revelação.

Deus aparece num monte

Quando Deus de repente começou a vir e aparecer para o homem, foi no topo de um monte.

O aspecto da glória do SENHOR era como um fogo consumidor no cimo do monte, aos olhos dos filhos de Israel. (Ex 24:17 RA).

O SENHOR Deus é grande e merece ser louvado na sua cidade, em Sião, o seu monte santo (Sl 48:1).

Os termos cidade de Deus e monte de Deus são sinônimos, se referem ao mesmo lugar. A bíblia usa vários termos diferentes para descrever como Deus governa e onde é Seu trono. Algumas vezes aparecerá templo, outras cidade, ou monte, mas tudo se referindo ao mesmo lugar. Sendo assim, quando falamos sobre governar sobre cidades, estamos usando o mesmo tipo de linguagem.

Monte Sião

Ele diz: “Já coloquei o meu rei no trono lá em Sião, o meu monte santo.” (Salmo 2:6).

A Sião celestial é o santo monte de Deus, o lugar de onde Ele governa. Nessa passagem Deus está dizendo que Davi e seu filho, seu descendente Jesus, seria rei no Seu santo monte. Esse monte está obviamente no céu, mas também aqui na terra: o monte da casa de Deus que será levantado (veja a seguir) se refere à igreja.

Em Hebreus 12:22, onde diz ‘Pelo contrário, vocês chegaram ao monte Sião e à cidade do Deus vivo, a Jerusalém celestial com os seus milhares de anjos’, a Nova Jerusalém é um monte. Vamos olhar as escrituras sobre a Nova Jerusalém num post futuro, mas posso te adiantar agora, não é o que a maioria das pessoas está pensando.

O monte da casa do Senhor

Acontecerá nos últimos dias que se firmará o monte da casa do Senhor, será estabelecido como o mais alto dos montes e se elevará por cima dos outeiros; e concorrerão a ele todas as nações.    (Is 2:2).

Isto é um reflexo do que está no céu. Os outeiros (pequenos montes) quando comparados aos montes representam menos autoridade, mas mesmo assim não são insignificantes. No entanto, as maiores autoridades, tanto as naturais quanto as autoridades espirituais das trevas, terão menos poder que a igreja. Desta forma, é que será nos últimos dias, quando Deus nos levantar e nos exercermos da maneira como o Senhor deseja, a autoridade que Ele nos delegou. O Senhor nos levantará assim que assumirmos nossa posição nas dimensões do céu – pois lá é o único lugar de onde vem a autoridade para governar. Não é uma autoridade terrena, nem liderança ou governo natural.

Jesus fala sobre como as figuras de autoridade na terra governam sobre as pessoas (Marcos 10:42), e sobre como Seu reino é totalmente diferente. Ele não veio para ser servido, mas para servir. Sendo assim governar no reino de Deus está relacionado a servir, e não a mandar. Os primeiros serão os últimos e os últimos serão os primeiros. Isso vem de encontro ao sistema do mundo, no qual as pessoas querem ocupar posições superiores para poder humilhar os outros e mantê-los sempre numa posição inferior. Com o quê muitos modelos de liderança da igreja se parecem: mundo ou reflexo do céu? No reino de Deus o objetivo da autoridade é levantar as pessoas.

Então sim, há um lugar para você governar, e é chamado de monte ou trono. Mas a verdadeira natureza do governo ao qual fomos chamados é erguer as pessoas, a fim de que elas ocupem seus lugares de autoridade e poder, e não mantê-las para baixo, e subservientes.

Na casa de meu pai há muitos aposentos

Jesus disse,

Na casa de meu Pai há muitos aposentos; se não fosse assim, eu lhes teria dito. Vou preparar-lhes lugar. (Jo 14:2 NVI)

Agora isso se refere a nós, como povo de Deus aqui na terra, mas também diz que há muitos aposentos no monte de Deus, a casa de Deus no céu. Eu já estive em alguns deles, e há muitos outros, tantos que nem sei sobre eles ainda. Há a sala de guerra, a sala dos mantos, a sala do tesouro, a sala dos livros, e etc. Em cada um desses lugares podemos obter revelação especifica sobre o quê precisamos para cumprir nosso chamado e propósito na terra. E temos permissão para acessar esses aposentos.

Um monte muito alto

Quando ele estava tentando Jesus, o Diabo levou Jesus para um monte muito alto, mostrou-lhe todos os reinos do mundo e as suas grandezas (Mat 4:8). Para onde você acha que Satanás o levou? Everest? Não, para o céu. Esse lugar não é a um monte físico, ele é celestial. Ele estava mostrando para Jesus todos os reinos do mundo. Não apenas os reinos naturais da terra, mas sim todos os níveis de autoridade nas dimensões do céu, que Satanás dominava.

Ele estava oferecendo um atalho para aquilo que Jesus conquistaria através da vitória na cruz, assim Ele iria governar tudo sem precisar sofrer e morrer. Jesus não cedeu a tentação, como Adão e Eva fizeram. Satanás tinha oferecido o mesmo – ‘faça isso do seu jeito, ao invés do jeito de Deus: na verdade, você pode fazer isso sem Deus.’

Satanás levou Jesus às dimensões do céu e mostrou-Lhe tudo. Como Deus, Ele já conhecia tudo, mas Satanás o levou lá como homem. E aqui está a chave, nós também podemos entrar nessas dimensões como homens e mulheres. Podemos entrar nas dimensões do espírito, ver a realidade da autoridade celestial, e começar a ocupar tronos e montanhas lá.

Jesus voltou para o monte

Em Seu ministério terreno, Jesus ia sempre para os montes.

Jesus ficou sabendo que queriam levá-lo à força para o fazerem rei; então voltou sozinho para o monte. (Jo 6:15).

Desta vez foi provavelmente um monte físico, mas não acho que Ele ficou na dimensão terrena. Você perceberá que Ele ia para os montes antes de fazer grandes decisões. Ele estava indo para o céu para obter a revelação que Ele precisava, e trazê-la para essa dimensão.

Depois de mandar o povo embora, Jesus subiu um monte a fim de orar sozinho. Quando chegou a noite, ele estava ali, sozinho. (Mat 14:23).

Aqui novamente acontece o mesmo. Ele estava orando, não para um Deus distante, mas na presença Dele. Jesus viveu em duas dimensões, céu e terra: isso nos mostra que em cada situação Ele podia ver o que o pai estava fazendo (João 5:19).

Jesus saiu dali e foi até o lago da Galiléia. Depois subiu um monte e sentou-se ali. (Mat 15:29). Talvez você pense que pelo fato de Jesus ter sentado Ele estava apenas descansando. Eu acredito que Ele estava tomando um assento de autoridade naquela dimensão. Temos que começar a ter uma mentalidade hebraica e não grega. Temos que pensar na função, não na forma – e isso é estranho para a mentalidade ocidental. A função de um monte é autoridade, e a função de um assento é um trono de governo. Todas as escrituras que olhamos mostram para o quê são os montes, sobre o quê são, e o quê eles representam. Quando nos depararmos com eles nas escrituras, podemos parar de pensar nos montes como grandes pedaços de rocha, coisas para escalar e colocar uma bandeira no topo?

Mais um exemplo: Jesus levou Pedro, Tiago e João para um monte alto e se transfigurou diante deles (Mat 17:1-9). O que era aquele monte alto? Moisés e Elias vieram também: não era na terra. Ele disse aos discípulos para não falarem para ninguém mais o que eles tinham visto até que Ele tivesse voltado para as dimensões do céu.

Eles acessaram algo do céu naquele dia. E no tempo certo eles seriam capazes de ensinar os outros a fazerem o mesmo.

Outros artigos de Freedom ARC
Artigo original (em Inglês)
Outros artigos de Freedom ARC (em Inglês)

Entrando na dimensão do céu

Deus deseja que nós entremos nas dimensões do céu, aqui e agora enquanto estamos vivendo na terra. Se você está pronto, hoje chegou o dia de ter essa experiência.

Mike Parsons
com Jeremy Westcott  

Nós já vimos em vários posts como Deus deseja que nós entremos nas dimensões do céu, aqui e agora enquanto estamos vivendo na terra.

Se você está pronto, hoje chegou o dia de ter essa experiência.

Entrando, saindo

Se você pode, por favor levanter-se e ore em línguas por um minuto – se for possível alto, só para ativar o seu espírito. Por favor, não pule essa parte. Se nesse momento você não pode orar alto, não tem problema continuar lendo, mas volte a esse post num momento que você possa fazer isso, por que esse post é muito prático. E é importante que você siga passo a passo as instruções.

Quando você tiver orando em línguas por um minuto ou mais (não pare, continue orando em línguas),

Veja que há uma porta aberta.
O Senhor está na porta,
E Ele está te convidando a entrar na dimensão dos céus

Há uma escada, com anjos subindo e descendo.
Mas você não tem que subir a escada para chegar à porta,
Porque Deus está te chamando para entrar, te dando boas vindas, te convidando para ir.

Então enquanto você ora em línguas,
Dê um passo para frente, um passo físico,
E entre na dimensão, onde está seu trono, nos céus.

Você está agora na presença de Deus.
A glória de Deus está te cercando,
A presença do reino de Deus está ao seu redor.

Entre e receba sua posição como senhor,
Entre como um senhor,
Você vai receber autoridade para governar
Na montanha que está operando com seu espírito

Você está nas dimensões do céu.
Você entrou na presença do Senhor
E Ele está te entregando
O direito e o poder para governar sua vida

Saia das dimensões do céu
(Dê um passo para trás)

E agora você tem autoridade,
E você pode exercê-la no seu monte
Para ver as coisas mudarem nessa dimensão, na terra.

Eu quero te encorajar, você pode entrar e sair das dimensões do céu quantas vezes você quiser por dia. Entre nas dimensões do céu; saia das dimensões trazendo com você autoridade para que você possa aplicar na sua vida.

Se surgirem problemas durante o dia, simplesmente entre nas dimensões do céu. Receba as vestes de justiça e então saia de lá e exerça autoridade na justiça de Deus, aqui na terra.

Pratique entrar e sair.
Ore em línguas intensamente.
Isso irá fortalecer o seu espírito para que você consiga entrar e sair.

Comunhão com Deus em nosso jardim

Nós temos um jardim em nossa alma. Nosso jardim é parte do nosso coração (há quatro recamaras do coração). Vamos começar a ter comunhão com Deus lá, quando nós abrimos a porta, aquele ‘portal eterno’ que está em cada um de nós, para deixar que o Senhor entre.

Então oramos em línguas por um minute ou dois, continue orando…

[2 minutos]

E agora nós vamos abrir aquela porta.

Abrimos a porta em nosso coração.
Damos boas vindas ao Rei da Glória para que Ele entre
E seja entronizado em nossa vida.

Recebemos seu senhorio, Sua autoridade em nosso espírito,
Para que nosso espírito governe nosso corpo, nossa alma e tenha autoridade.

Nós operamos na autoridade do reino: no céu, em nossas vidas, em nosso espírito.
Então desenvolvemos aquela conexão espiritual com Deus onde o Rio de Vida está fluindo,
Onde o jardim de Deus se torna o jardim em nosso coração.
Assim como no céu, é feito na terra, em nós e através de nós.

Você pode aprender entrar todo dia, abrir sua porta, deixar o Rei da Glória entrar. E Ele vai governar o trono da sua vida à medida que você render o governo dela para Ele.

Assim que começamos a fazer isso, Ele governa. Nós rendemos nossa vida a Ele. Então à medida que continuamos, Ele nos dá mais autoridade. Ele confia em nós para fazermos coisas na terra assim como no céu. Assim que aprendemos a render nosso espírito, alma e corpo, Ele nos dará o trono na nossa própria vida para governarmos com Ele.

Entre todo dia. Abra as portas. Deixe o Rei da glória entrar. Entronize-O na sua vida. Então comece a exercer o senhorio nos portões do seu corpo, da sua alma, e do seu espírito. Exercite para que suas portas sejam abertas e fluam livremente (você pode usar o diagrama do Ian Clayton a seguir para te ajudar). O Espírito de Deus começará a manifestar através de você no seu dia a dia.

Você pode sempre entrar e sair das dimensões dos céus, como Deus planejou.

Portas

No diagrama das portas do nosso espírito, alma e corpo de Ian Clayton, você verá que a Glória de Deus está no centro do nosso ser, e as portas são as maneiras de vermos Ele se manifestando em nossas vidas. Elas não são para que ‘Ele entre’, mas sim para que ‘Ele saia’, e se manifeste. Comece com a porta do Primeiro Amor, e continue uma por uma, peça ao Senhor para que Ele mostre se há alguma coisa bloqueando suas portas, e então exerça autoridade do céu para vê-las abertas e fluindo livremente. Quanto mais nossas portas estiverem abertas, mais Deus poderá se manifestar em nossa vida diária.

Em teu jardim

Essa é a música “Em teu Jardim” que você pode ouvir e entrar na presença Deus em seu jardim.

Também essa é uma música de Misty Edwards (em inglês) que geralmente usamos para entrar na presença de Deus em nosso jardim.

Outros artigos de Freedom ARC
Artigo original (em Inglês)