152. Recursos e Responsabilidades

Mike Parsons
com Jeremy Westcott – 

O primeiro passo em nosso ‘treinamento para reinar’, como vimos na última vez, é abandonar o controle de nossa própria vida e aprender a ser um servo obediente e disposto.

Mordomo

Além da servidão, há treinamento para ser um mordomo. Um mordomo tem responsabilidades – e acesso a recursos – que um servo não tem. Mordomia transporta um nível mais alto de autoridade e responsabilidade, e Jesus nos treinará para ser mordomos de todos os recursos que Ele nos disponibilizou para nossas vidas e para as obras que Ele preparou para nós fazermos.

Em Mateus 25, Jesus ensinou sobre a responsabilidade no reino:

Então o reino dos céus será comparável a dez virgens, que pegaram suas lâmpadas e saíram ao encontro do noivo. Cinco delas eram tolas e cinco eram prudentes. Porque quando as insensatos pegaram as suas lâmpadas, não levaram óleo consigo (Mt 25: 1-3).

Todas as dez foram encarregadas de uma tarefa, mas apenas cinco delas levaram sua responsabilidade a sério. Cinco não o fizeram, e a resposta de Jesus a elas foi ‘eu não te conheço’ (Mt 25:12). Eu não acredito que Ele quis dizer que elas não estavam em relação com Ele, Ele quis dizer que Ele não Se reconheceu nelas. Elas não estavam operando em boa administração.

Talentos

Pois é como um homem prestes a viajar, que chamou seus próprios servos e confiou seus bens a eles. A um ele deu cinco talentos, para outro, dois e para outro, um, cada um de acordo com sua própria capacidade (Mt 25: 14-15).

Fomos confiados às posses de Jesus enquanto Ele voltou ao céu. Todos nós temos chamados e destinos em Deus, que Ele nos dará os recursos para cumprir. Um talento era uma quantia em dinheiro, e cada um de nós precisa de um nível diferente de recursos para atingir nossa vocação específica.

Imediatamente, aquele que recebeu os cinco talentos foi e negociou com eles e ganhou mais cinco talentos. Da mesma forma, quem recebeu os dois talentos ganhou mais dois. Mas aquele que recebeu o único talento foi embora, e cavou um buraco no chão e escondeu o dinheiro do seu senhor (Mt 25: 16-18).

Negociar é pegar algo que Deus nos dá e colocá-lo para trabalhar para alcançar um resultado desejado. Aqui, os dois servos que negociavam com o dinheiro de seu amo agiam com responsabilidade e dobravam seu dinheiro para ele. Aquele que escondeu no chão era um mordomo irresponsável.

Tudo o que Deus deu, Ele deu para um propósito. Podemos escondê-lo de várias maneiras: “Não sou bom o suficiente”, “não sou digno”, “não posso fazê-lo por causa do meu passado” e assim por diante. Podemos inventar qualquer número de desculpas por que é muito difícil ou muito arriscado ir atrás de nosso destino em Deus, mas Jesus não aceitará nenhuma delas. Ele sabe o que Ele nos chamou para fazer e nos deu os meios para alcançá-lo. Ele espera que usemos nossos dons para a Sua glória.

Agora, depois de muito tempo, o mestre desses servos veio e estabeleceu contas com eles. Aquele que recebeu os cinco talentos subiu e trouxe mais cinco talentos, dizendo: ‘Mestre, você me confiou cinco talentos. Veja, ganhei mais cinco talentos. Seu mestre disse-lhe: ‘Bem feito, bom e fiel servo. Você foi fiel com algumas coisas, eu vou colocar você no comando de muitas coisas; entre na alegria do seu mestre. (Mat 25: 19-21)

Todos nós teremos que estabelecer a conta da nossa vida, diante do tribunal de Deus. Eu estive lá, e sei que não está em algum lugar que você queira ir se você estragou tudo, e não usou os recursos que Deus deu da maneira que Ele pretendia. Deus quer nos treinar para sermos fiéis em usar o que ele nos deu. Se formos fiéis com um pouco, Ele nos confiará mais. Esse é um princípio de boa mordomia no reino, e se aplica tanto nesta era como na era vindoura.

Quanto ao servo que não agiu responsavelmente com os recursos de seu mestre:

Mas seu mestre respondeu e disse-lhe: ‘Seu servo mau e preguiçoso … você deveria ter colocado meu dinheiro no banco, e na minha chegada eu teria recebido meu dinheiro de volta com juros. Portanto, tire o talento dele e entregue-o àquele que tem dez talentos. Pois a todos que têm, mais será dado, e ele terá em abundância; mas daquele que não tem, até o que ele tem será tirado. Jogue fora o servo sem valor nas trevas exteriores; naquele lugar haverá choro e ranger de dentes (Mt 25: 26-30).

Isto não é ‘inferno’, mas os tribunais exteriores. O choro e o ranger de dentes virão quando as pessoas perceberem como falharam em cumprir o chamado de Deus e desperdiçaram Seus recursos. A boa notícia é que podemos ir diante desse tribunal agora, arrepender-se e seguir nosso destino, começando a agir como mordomos fiéis. Então, não precisamos nos encontrar nessa situação.

Fiel

Quem é fiel em muito pouco é fiel no muito; e quem é injusto em muito pouco é injusto no muito (Lucas 16:10).

Deus nos testa. Ele nos dá oportunidades para demonstrar se vamos ser fiéis com o que ele nos deu. Aqueles de nós que estão procurando algo de Deus, seja unção, finanças, dons ou qualquer outra coisa, precisam ser fiéis com as pequenas coisas primeiro. Deus não nos dará um enorme ministério internacional de cura se não estivermos preparados para ministrar a cura à pessoa ao lado. O treinamento de Deus envolve nos dar oportunidades para crescer.

A autoridade vem como resultado de aprender a ser um bom administrador:

E ele disse-lhe: ‘Bem feito, bom servo, porque você tem sido fiel em uma coisa muito pequena, você deve estar em autoridade sobre dez cidades (Lucas 19:17).

Confiável

E aqui está Paulo, falando sobre as coisas que Deus revelou a ele quando foi para o céu e teve um encontro cara a cara com ele. Ele se vê como um mordomo, que sabiamente usaria esses recursos para trazer bênçãos aos outros:

Deixe um homem nos considerar dessa maneira, como servos de Cristo e mordomos dos mistérios de Deus. Neste caso, além disso, exige-se dos mordomos que se considere confiável (1 Cor 4: 1-2).

Deus quer nos confiar tudo o que Ele tem para nós, mas Ele nos inicia com um pouco, para que possamos aprender a ser fiéis, e adquirir a sabedoria para lidar com maior unção, maior revelação, maiores níveis de financiamento, maior honra.

Como cada um recebeu um dom especial, empregue-o em servir uns aos outros como bons mordomos da multiforme graça de Deus (1 Pedro 4:10).

Em nossas finanças, se pudermos ser fiéis ao que temos, Ele nos dará mais. Quando o honramos administrando um pouco fielmente, Ele é capaz de nos confiar tudo. Estamos usando fielmente nossos dons e habilidades, sejam espirituais ou naturais, para os propósitos para os quais Deus os deu? Como estamos usando nossos relacionamentos de aliança, uns com os outros e com Ele?

Atitude de coração

Tudo o que temos pertence a Deus e Ele quer nos treinar para sermos bons e fiéis mordomos. Afinal, somos apenas mordomos de tudo o que temos. Nosso dinheiro, casas, carros e posses pertencem a ele. Quando fazemos de Jesus Senhor, fazemos tudo o que temos disponível para o Seu uso. Se tudo isso pertence a ele, então ele tem primeiro direito sobre ele, seja qual for e quando Ele quiser. Quando Ele nos pede para dar algo, revelará a atitude do nosso coração (particularmente se Ele nos pedir para dar algo precioso).

Estamos dispostos a entregar tudo a ele? Uma atitude que diz “Tudo pertence a você” – essa é a marca de um bom e fiel mordomo.

Outros artigos de Freedom ARC

Página do Facebook: Vida Sobrenatural.
Grupo do Facebook: VIDA SOBRENATURAL (pedir para participar).

Artigo original em Inglês

 

117. A Prova do Desejo

Mike Parsons
com Jeremy Westcott – 

Busca é a prova do desejo

‘Busca é a prova do desejo’, como nosso amigo Graham Jones diz. Se realmente queremos cumprir nosso destino, vamos focar nosso coração e nosso desejo nisso e buscar.

Vou colocar aqui alguns pensamentos sobre a busca do nosso destino, sem muitos detalhes agora, te encorajo a ler com o seu espírito, para que você veja o que te traz luz…

Dois caminhos

Há dois caminhos nas dimensões celestiais: o caminho do relacionamento e o da responsabilidade. Ambos oferecem oportunidades para transformação. Algumas vezes vou estar em um, algumas vezes no ouro, mas vou andar nos dois.

Intimidade

Não irei a lugar nenhum sem antes desfrutar de intimidade com Deus. Isso envolve ver, ouvir, sentir e experimentar quem Ele é e quem eu sou.

Ressoar

Não somos todos iguais, cada um tem uma canção e um destino. Preciso aprender a ressoar e entrar em concordância, e harmonia com toda a sinfonia do céu. Há um som maravilhoso nas dimensões celestiais que está começando a ser ouvido nessa dimensão, e posso ressoar e entrar em harmonia com ele, e assim contribuir com meu som e minha melodia única.

Permanecer em fé

Eu vou crer, e permanecer em fé. ‘Sem fé é impossível agradar a Deus’. Tenho que confiar Nele, e buscar.

O desejo pelo meu destino

Vou alimentar o desejo pelo meu destino, me alinhar, e submeter minha vida diariamente ao governo de Deus e senhorio de Jesus.

Desvendar meu livro

Vou viver para desvendar meu livro. Não me contentarei até ver que estou vivendo de acordo com ele. Não vou me acomodar com o segundo lugar, nem com a metade; quero viver plenamente meu destino.

Conhecer pela experiência

Há coisas que preciso conhecer pela experiência prática, e não pela leitura ou porque outros me falaram. Preciso conhecer o testemunho que está escrito no céu para mim. Preciso conhecer o sangue de Jesus como meu poder para vencer. Preciso ter revelação sobre minha filiação. Tenho que conhecer as cortes do céu, os jardins, a sala do tesouro, a sala dos vinhos, a sala dos registros, dos mantos e todos os outros lugares nas dimensões dos céus: lugares que eu já estive, ou outras pessoas estiveram. Tenho que conhecer.

Governar

Eu preciso saber o que está no céu para manifestar aqui na terra; preciso conhecer a autoridade que tenho lá, para governar aqui.

Viver nos céus e na terra

Então viverei nos céus e na terra, e manifestarei os céus na terra através de mim.

Artigo original em Inglês
Outros artigos de Freedom ARC

Facebook: Vida Sobrenatural (@umavidasobrenatural)
Facebook (em Inglês): Freedom ARC (@freedomarc.uk)
Instagram (em Inglês): freedom_arc

81. Suba aqui – Trazendo os Ceús para Terra

Mike Parsons

Nos últimos posts nós vimos as primeiras 20 características da geração de Josué. Antes de prosseguirmos nessa aventura e vermos as próximas 20, nesta semana quero explorar algo que eu tinha dado apenas uma pincelada.

A geração de Moisés

Você se lembra como a geração de Moisés falhou para entrar na terra? Eles saíram do Egito, mas ficaram andando em círculos ao invés de entrar na Terra Prometida, o porquê está registrado nas escrituras para que possamos aprender, e servir de exemplo.

Irmãos, eu quero que vocês lembrem do que aconteceu com os nossos antepassados que seguiram Moisés. Todos foram protegidos pela nuvem e passaram pelo mar Vermelho.Como seguidores de Moisés, eles foram batizados na nuvem e no mar.Todos comeram da mesma comida espiritual e beberam da mesma bebida espiritual. Pois bebiam daquela rocha espiritual que ia com eles; e a rocha era Cristo. Mas Deus não ficou contente com a maioria deles, e por isso eles morreram, e os seus corpos ficaram espalhados no deserto.

Tudo isso aconteceu a fim de nos servir de exemplo, para nós não querermos coisas más como eles quiseram, nem adorarmos ídolos, como alguns deles adoraram. Como dizem as Escrituras Sagradas: “o povo sentou-se para come e beber e se levantou para se divertir.” Não devemos cometer imoralidade sexual, como alguns deles fizeram. E, porque eles fizeram isso, vinte e três mil deles caíram mortos num dia só.Não devemos pôr à prova a paciência de Cristo, como alguns deles fizeram, e por isso foram mortos pelas cobras.Vocês não devem se queixar, como fizeram alguns deles, e por isso foram destruídos pelo Anjo da Morte. Tudo isso aconteceu com os nossos antepassados a fim de servir de exemplo para os outros, e aquelas coisas foram escritas a fim de servirem de aviso para nós. Pois estamos vivendo no fim dos tempos. (1 Cor 10:1-11).

Um bilhão de trabalhadores

A geração de Moisés não entrou na Terra por causa do que eles viram que teriam que enfrentar: gigantes. E quanto a nós, entraremos na nossa Terra Prometida? A geração de Josué vai equipar uma colheita de um bilhão de trabalhadores no sobrenatural para que o céu seja trazido na terra. Tais trabalhadores serão os ceifeiros que irão fazer a última colheita no fim dos tempos. A batalha contra as trevas vai se tornar cada vez mais intensa, por isso será necessário um número tão grande de trabalhadores, mas quando a luz resplandece em meio às trevas, as trevas são dissipadas. Esses ceifeiros são a geração de Jesus, aqueles que verão o retorno Dele.

Alguns daqueles que estão lendo isso serão da geração de Josué, e alguns serão da geração de Jesus. Espero que nenhum dos que estão lendo isto seja da geração de Moisés – eu não quero que você fique no deserto.

Assim na terra como no céu

Aqui estamos nós. Deus está manifestando Seus propósitos, e o fim dos tempos está chegando. Precisamos de revelação do Senhor se nós quisermos ver como as coisas são no céu para podermos trazê-las para terra. Isso é o que significa quando você ora “assim na terra como no céu”. Cabe a nós trazermos os céus para terra.

A geração de Josué será uma geração de precursores que espiaram a terra. Talvez o que nós não tenhamos compreendido plenamente é que isso não se trata apenas de coisas terrenas, para operarmos na plenitude do reino, precisamos operar tanto na terra quanto no céu. Parte da tarefa de espiar será feita na atmosfera terrena, e outra parte será feita no reino dos céus.

O Senhor ofereceu à geração de Moisés a terra prometida, mas a vasta maioria deles disse “Não podemos entrar”. No início da jornada para terra prometida, Deus queria que todo o povo de Israel se encontrasse com Ele no topo da montanha, mas eles tiveram medo dos relâmpagos, do fogo e da fumaça, então disseram para Moisés, “Você vai, e nos diga o que Deus fala”. Nós não podemos ir.

Hoje da mesma forma Deus oferece a todos nós acesso as regiões celestiais, porque Jesus abriu o caminho para nós, quando o véu foi rasgado no momento de Sua morte. O propósito do Senhor é que cada um de nós possamos experimentar tudo o que Ele tem para nós. No entanto há muitos que estão como o povo de Israel dizendo “Nós não podemos ir”.

Responsabilidade

O reino de Deus está relacionado com governo, autoridade e domínio. O Senhor quer que nós aprendamos a governar nossas vidas, e a governar no reino espiritual para que possamos trazer céu na terra. Além disso, precisamos aprender a liderar e equipar a geração de Jesus para possuir a terra prometida. A palavra hebraica para “possuir” significa “herdar através de domínio, desapropriação e se tornar herdeiro”. Nós fomos feitos como seres espirituais, para acessar o reino dos céus. Adão quando foi criado, tinha acesso ao reino espiritual. Não havia nada para impedi-lo. Somente o pecado o fez perder o acesso. A glória em que ele estava revestido foi removida, ou seja, é como se uma “conexão de internet banda larga” de revelação fosse tirada dele, sendo assim ele não poderia ver coisas que exigissem uma conexão melhor – o reino dos céus.

Algo importante que precisamos entender é que tudo a respeito do reino de Deus tem um começo e um fim, mas o começo e o fim são sempre os mesmos. O pensamento hebraico é sempre circular, não é linear como o pensamento grego. O pensamento linear apresenta o céu em camadas – primeiro céu, segundo céu e terceiro céu – mas o céu não é assim. Pode ter sido mais fácil para a mente ocidental raciocinar assim, mas é um erro. O céu não tem camadas, tem dimensões de autoridade. Quando lemos sobre o terceiro céu nas cartas de Paulo logo imaginamos que se há um terceiro céu, então certamente há o primeiro céu e o segundo. Todavia, o pensamento hebraico não quer dizer isso.

Para que o reino Deus venha na terra como é o no céu, teremos que cumprir o mandato de Adão, ou seja, exercer domínio no reino espiritual e em consequência disso influenciar o reino natural ou mundo físico. Quando cumprirmos esse mandato, veremos a glória do Senhor encher a terra (Num 14:21).

Nós temos que ter a experiência de operar no reino dos céus, se quisermos que outras pessoas experimentem isso. Deus está fazendo isso no meio do Seu povo agora mesmo. O Senhor está trazendo revelação, para que possamos ter acesso ao reino espiritual, e sendo assim operarmos em dois reinos, o terreno e o celestial. Precisamos aprender governar no reino dos céus, e então trazer aquilo que foi liberado no céu para terra.

Exerça autoridade

Antes que possamos governar na terra, nós precisamos exercer autoridade nas regiões celestiais.

Nós temos que subir e descer descer (subir ao Céu para obter autoridade e descer para terra para exercê-la), antes de seguir adiante. O problema é que temos tentado trazer os céus enquanto permanecemos ainda na terra. Essa é a razão pela qual temos sofrido tanta retaliação do inimigo, estamos tentando lutar contra os principados e potestades usando a dimensão terrena de autoridade que temos aqui. Precisamos buscar a autoridade celestial para derrotá-los. Esta é uma dimensão diferente de autoridade. Para exercermos autoridade celestial, temos subir aos céus e trazê-la para a terra conosco.

Na ilha de Patmos, em espírito, João ouviu uma voz dizendo “Suba aqui” (Ap 4.1). Essa mesma voz está falando conosco hoje. Você está ouvindo?

Outros artigos de Freedom ARC
Artigo original (em Inglês)

Este artículo también se encuentra disponible en Español

Trilha Sonora: Jesus Culture – Come Away legendado Inglês e Português (YouTube)

80. Características da Geração de Josué (#16-20)

Mike Parsons
com Jeremy Westcott –

Deus está levantando uma Geração de Josué nos nossos dias, uma geração que irá tomar posse da herança e capacitará outros a fazerem o mesmo. Nessa série de estudos estamos definindo as características dessa geração para que possamos verificar até que ponto elas podem ser vistas em nossa vida.

  1. A Geração de Josué será obediente à direção de Deus.

Seja forte e muito corajoso. Tome cuidado e viva de acordo com toda a Lei que o meu servo Moisés lhe deu. Não se desvie dela em nada e você terá sucesso em qualquer lugar para onde for (Josué 1.7).

Nós conhecemos e amamos nosso Deus, por isso nós queremos servi-lo, e fazer tudo aquilo que Ele está nos chamando para fazer. Nossa motivação em obedecer ao Senhor é o amor, a paixão e o desejo que temos por Ele.

No entanto precisamos ser cuidadosos: com maior revelação vem mais responsabilidade. Não podemos nos comportar de maneira tola com aquilo que Deus está nos mostrando. Situações como a de Ananias e Safira irão acontecer de novo, e não se surpreenda se pessoas que mentirem ao Espírito Santo caírem mortas no chão, por causa disso. Nos dias vindouros nós iremos operar na plenitude do poder de Deus, sendo assim o nível de santidade requerido de nós será muito maior. A razão disso tudo é o nível de revelação que começamos a entrar e o tipo de pessoas que precisaremos ser.

Para aqueles que ouvem, mas preferem virar as costas ao invés de obedecer, há um perigo e é necessário estarmos conscientes disso. A fim de evitar o perigo, precisamos estar prontos a fazer tudo que o Senhor nos chamar para fazer.

Não por medo, mas por amor.

  1. A Geração de Josué será próspera e bem sucedida.

Se formos capazes de meditar e buscar a revelação de Deus, e fazermos cuidadosamente aquilo que o Senhor nos revelar, seremos bem sucedidos. A geração de Josué quer buscar e receber. Nós aprenderemos vencer e prosperar.

A palavra prosperidade não está relacionada somente a finanças, o significado de prosperar é “tornar-se bem sucedido ao máximo”. Sendo assim, precisamos ser bem sucedidos ao máximo tanto no âmbito espiritual quando na atmosfera terrena, para isso temos que receber a máxima sabedoria e revelação, e consequentemente seremos prósperos e obteremos sucesso. Ainda que tudo ao nosso redor esteja desmoronando – o que irá acontecer quando os sistemas mundiais quebrarem – temos que  saber como operar no sistema de Deus, no reino de Deus.

O sistema financeiro é apenas um exemplo disto, quem sabe um dia nós precisemos saber operar milagres e multiplicar as coisas como Jesus fez. Jesus pediu a Pedro para encontrar uma moeda na boca de um peixe para pagar os impostos deles. Poderá haver ocasiões em que nós também tenhamos que fazer algo parecido, e encontrar recursos sobrenaturalmente. Temos que parar de dizer “Ah, mas isso foi Jesus, só Ele pode”. Tudo o quê Jesus fez, Ele fez como um modelo daquilo que deveríamos fazer. Ele disse que nós iríamos fazer tudo o que Ele fez, e coisas maiores (João 14:12).

Não cesses de falar deste Livro da Lei; antes, medita nele dia e noite, para que tenhas cuidado de fazer segundo tudo quanto nele está escrito; então, farás prosperar o teu caminho e serás bem-sucedido (Js 1.8 RA).

  1. A Geração de Josué saberá que eles andam com Deus.

Precisamos andar com Deus diariamente como nosso estilo de vida.

Não to mandei eu? Sê forte e corajoso; não temas, nem te espantes, porque o SENHOR, teu Deus, é contigo por onde quer que andares (Josué 1.9 RA).

Quando nós estamos andando no caminho que Deus preparou para nós, e cumprindo nosso destino, temos a certeza de que Deus está conosco. Por essa razão é de vital importância que saibamos o que está escrito no nosso pergaminho, se não sabemos, é só pedir ao Senhor e Ele mostrará.

O salmo 23 é uma chave para o estilo de vida de andar com Deus. Precisamos saber que mesmo quando passarmos pelo vale da sombra da morte – e para ser honesto, isso se trata de vida diária, enfrentamos perigos a todo instante – o Senhor está conosco em todo percurso. Sua vara e Seu cajado (a Palavra e o Espírito), nós confortam. Ele nos unge; nosso cálice transborda. Quero te encorajar a tomar posse desse salmo, meditar e extrair as verdades dele. Deus é bom para nós, sua bondade e misericórdia, e o seu amor fiel nos seguirão, e moldarão a nossa forma de viver.

  1. A Geração de Josué será equipada para preparar provisões, para viver pela fé.

—Vão pelo meio do acampamento, dando esta ordem ao povo: “Arranjem comida porque daqui a três dias vocês vão atravessar o rio Jordão para tomar posse da terra que o SENHOR, nosso Deus, lhes dará” (Josué 1.11).

Nós temos que ensinar as pessoas a viverem debaixo da provisão de Deus. Cada um de nós tem a responsabilidade de possuir a nossa própria herança. Sendo assim necessitamos ser equipados com as armas, a revelação e o estilo de vida que iremos precisar. O Senhor proverá tudo que for necessário para tomarmos a terra, e para possuirmos aquilo que Ele reservou para nós e nos prometeu. Temos que saber como acessar essa provisão para nós, e ensinar a outros fazerem o mesmo.

  1. A Geração de Josué equipará as pessoas para serem consagradas (ou santificadas) – colocadas a parte, dedicadas e santas.

Josué disse ao povo: —Purifiquem-se porque amanhã o SENHOR fará grandes coisas entre vocês (Josué 3.5).

Aqui é onde muitos de nós estamos nesse processo. Quando o povo de Israel foi para Gilgal, eles trataram com as coisas do passado, receberam revelações frescas das verdades que haviam perdido de vista, e foram separados para os propósitos de Deus para a geração deles.

Você quer ouvir “Muito bem, servo bom e fiel”? Você quer ser lembrado da mesma forma que Davi, como alguém que serviu o propósito de Deus para sua geração? Eu quero. Eu quero servir ao propósito de Deus para essa geração, e acredito que Deus quer levantar um povo que deseje fazer o mesmo.

Purifiquem-se porque amanhã o SENHOR fará grandes coisas entre vocês.

Estamos na metade do caminho desta série sobre a Geração de Josué.
Vamos relembrar as questões que estamos perguntando:

  • Você está pronto para ser parte da geração de Josué?
  • Você está pronto para ser equipado pela geração de Josué?

Se sua respostar for sim, eu recomendo a você: tome posse dessas características e faça delas o seu alvo.

E nas próximas semanas observaremos mais 20 características para que você possa começar a buscar também.

Outros artigos de Freedom ARC

Artigo original (em Inglês)