Intimidade com o Pai

Mike Parsons
com Jeremy Westcott – 

À medida que nos aproximamos do dia da volta de Jesus, Deus está nos chamando à intimidade. E mesmo quando Ele trouxer as outras fases do Calendário Profético que Ele me mostrou, esse chamado a intimidade continuará, pois isso tem que ser nossa prioridade.

Eu sei que as pessoas têm dificuldade em ter um relacionamento íntimo com Deus, pois eu mesmo já tive. Quando me tornei cristão eu tinha uns 12 anos de idade e não tinha nenhum conceito de Deus como Pai, porque eu não tinha um relacionamento muito bom com meu pai terreno. Quando eu orava era sempre para Jesus ou para “o Senhor”. Eu nunca orava para o Pai, porque fui ferido pelo meu próprio pai. E assim eu protegia meu coração.

Todos nós precisamos de amor e aceitação, e eu buscava isso em relacionamentos (principalmente com meninas, como a maioria dos adolescentes fazem). E encontrei alguém que pensei que eu amava – meu ‘primeiro amor’ se vocês preferem. Então numa tarde fui muito ferido por ela. No ônibus, no caminho para casa eu jurei que nunca mais alguém me machucaria daquela forma. Coloquei uma barreira em meu coração para me proteger de qualquer ferida ou dano, e mantinha todos a um braço de distância. Isso me manteve seguro, mas me trancou numa prisão. Eu me tornei uma pessoa bem racional, eu usava meu intelecto para embalar as coisas, assim eu não tinha que lidar com as emoções. Eu nunca tinha um relacionamento íntimo com Deus ou com qualquer pessoa. Então quando Jesus dizia ‘Veja, eu estou na porta e bato’ (Ap 3:20), eu tinha dificuldade para abrir-la.

Ao longo dos anos, Deus encontrou comigo várias vezes e Ele começou a curar meu coração. Na primeira vez, eu estava em um grupo pequeno de pessoas adorando, quando Deus falou comigo e disse ‘Eu sou seu Pai’. Tive dificuldade com a ideia, assim como muitos temos por causa de nossos próprios pais, mas Ele rompeu isso e colocou Seus braços ao meu redor. Eu senti os braços Dele, e Sua presença, isso me ajudou a começar conversar com Ele como ‘Pai’.

Ainda me lembro, quando Hannah, nossa filha mais velha, tinha cerca de um ano e meio. Um dia eu estava sentado e ela veio andando até mim, olhou nos meus olhos e disse ‘Papai, te amo’. Aquilo quebrantou meu coração. Eu não sabia como receber esse gesto e como responder para ela. Fiquei em lágrimas.

Mas me desafiou a lidar com as coisas no meu coração. Aquilo que havia me protegido e me guardado, tinha também trancado meu coração de maneira que eu não conseguia sentir o amor de Deus. Temos que vencer os obstáculos na nossa vida que nos impedem de ter intimidade.

Se feridas e experiências do passado nos levam a autoproteção, isso vai nos impedir de entrar plenamente naquilo que Deus tem para nós. E se estivermos feridos, será difícil para nós cantar canções no nosso momento de adoração, que falam sobre encontrar Deus face a face, dançar com Ele, estar em um relacionamento íntimo com Ele.

Quando pensei que já tinha lidado com todas as minhas feridas, eu estava no céu conversando com Jesus, e Ele me disse ‘Você não me vê como o Pai’ e dentro de mim eu sabia que era verdade. ‘É porque você tem uma ferida em relação ao seu pai’ Ele me explicou. Eu ia questionar Ele – mas não adianta fazer isso. Mesmo assim eu disse, ‘Mas eu já perdoei todo mundo! Perdoei meu pai, já fui ministrado. E encontrei com o Pai’ (de fato eu tinha, mas não no céu). E Jesus disse ‘Você tem uma ferida em relação ao seu pai’. Ele me mostrou a figura do meu coração com uma cicatriz grande. Ele me perguntou, ‘Você vai deixar eu te curar?’ e eu disse ‘Ok’.

Então por cerca de 40 minutos o Pai veio até mim e disse as mesmas palavras várias vezes: ‘Eu te amo… Eu te amo… Eu te amo… Eu te amo…’. Cada vez que Ele falava meu coração ia sendo curado. Então olhei e a cicatriz tinha sumido. Tive momentos maravilhosos de intimidade com o Pai.

Isso é o que Ele quer para cada um de Seus filhos.

Trilha sonora: Abba por Jonathan David Helser (YouTube)

Artigo original em Inglês
Outros artigos de Freedom ARC

Facebook: Vida Sobrenatural (@umavidasobrenatural)
Facebook (em Inglês): Freedom ARC (@freedomarc.uk)
Instagram (em Inglês): freedom_arc

Anúncios

A Prova do Desejo

Mike Parsons
com Jeremy Westcott – 

Busca é a prova do desejo

‘Busca é a prova do desejo’, como nosso amigo Graham Jones diz. Se realmente queremos cumprir nosso destino, vamos focar nosso coração e nosso desejo nisso e buscar.

Vou colocar aqui alguns pensamentos sobre a busca do nosso destino, sem muitos detalhes agora, te encorajo a ler com o seu espírito, para que você veja o que te traz luz…

Dois caminhos

Há dois caminhos nas dimensões celestiais: o caminho do relacionamento e o da responsabilidade. Ambos oferecem oportunidades para transformação. Algumas vezes vou estar em um, algumas vezes no ouro, mas vou andar nos dois.

Intimidade

Não irei a lugar nenhum sem antes desfrutar de intimidade com Deus. Isso envolve ver, ouvir, sentir e experimentar quem Ele é e quem eu sou.

Ressoar

Não somos todos iguais, cada um tem uma canção e um destino. Preciso aprender a ressoar e entrar em concordância, e harmonia com toda a sinfonia do céu. Há um som maravilhoso nas dimensões celestiais que está começando a ser ouvido nessa dimensão, e posso ressoar e entrar em harmonia com ele, e assim contribuir com meu som e minha melodia única.

Permanecer em fé

Eu vou crer, e permanecer em fé. ‘Sem fé é impossível agradar a Deus’. Tenho que confiar Nele, e buscar.

O desejo pelo meu destino

Vou alimentar o desejo pelo meu destino, me alinhar, e submeter minha vida diariamente ao governo de Deus e senhorio de Jesus.

Desvendar meu livro

Vou viver para desvendar meu livro. Não me contentarei até ver que estou vivendo de acordo com ele. Não vou me acomodar com o segundo lugar, nem com a metade; quero viver plenamente meu destino.

Conhecer pela experiência

Há coisas que preciso conhecer pela experiência prática, e não pela leitura ou porque outros me falaram. Preciso conhecer o testemunho que está escrito no céu para mim. Preciso conhecer o sangue de Jesus como meu poder para vencer. Preciso ter revelação sobre minha filiação. Tenho que conhecer as cortes do céu, os jardins, a sala do tesouro, a sala dos vinhos, a sala dos registros, dos mantos e todos os outros lugares nas dimensões dos céus: lugares que eu já estive, ou outras pessoas estiveram. Tenho que conhecer.

Governar

Eu preciso saber o que está no céu para manifestar aqui na terra; preciso conhecer a autoridade que tenho lá, para governar aqui.

Viver nos céus e na terra

Então viverei nos céus e na terra, e manifestarei os céus na terra através de mim.

Artigo original em Inglês
Outros artigos de Freedom ARC

Facebook: Vida Sobrenatural (@umavidasobrenatural)
Facebook (em Inglês): Freedom ARC (@freedomarc.uk)
Instagram (em Inglês): freedom_arc

Ser Espiritual, Ser Vivo, Ser Humano

Mike Parsons
com Jeremy Westcott

Adão foi criado como um ser espiritual, de fato, todos nós fomos. Ele se tornou um ‘ser vivo’ quando Deus soprou Seu fôlego nele. Isto é algo diferente de um ser espiritual. Mas quando Adão pecou, ele se tornou apenas um ser humano, perdendo sua condição de ser vivo, e de ser espiritual, porque seu espírito morreu, separado de Deus.

Nós todos nascemos como seres humanos, com um destino. Cada pessoa nascida desde Adão até hoje, com exceção de Jesus, nasceu como um ser humano. Jesus não veio de um óvulo de sua mãe e um esperma de Deus, Ele veio, em um corpo humano, inteiramente de Deus.

Jesus, o segundo Adão, venceu na cruz. Ele derrotou todos os principados e potestades, e todas as forças espirituais da maldade. Sua vitória nos deu a capacidade para nascer de novo, para ter um relacionamento com Deus, e para revindicar nosso destino.

Isso significa que podemos novamente nos tornar um ser spiritual.

No entanto, precisamos ir além e nos tornar um ser vivo. Precisamos que Deus venha e sopre Seu fôlego em nós, que Ele habite no nosso espírito. Como um ser espiritual, nós temos acesso ao nosso destino, e nosso rolo do destino que está em nosso coração começa vibrar, produzindo um som. Nós começamos, então, a ressoar com ele, e esse som começa a transformar nosso DNA físico e espiritual.

A santa ceia tem um significado muito mais profundo do que imaginamos. No partir do pão e compartilhar do vinho nós somos transformados, pois participamos do DNA de Deus (você pode ler o que Jesus disse sobre comer da Sua carne e beber do Seu sangue em João capítulo 6).

Somente a intimidade com Deus pode  nos mudar e nos transformar no ser vivo que Ele planejou para nós.

Outros artigos de Freedom ARC
Artigo original (em Inglês)
Outros artigos de Freedom ARC (em Inglês)

Rolo do Destino

Mike Parsons
com Jeremy Westcott – 

Antes que eu te formasse no ventre materno, eu te conheci, e, antes que saísses da madre, te consagrei, e te constituí profeta às nações (Jer 1:5).

Deus nos conhecia antes que fossemos formados no ventre, antes que tivéssemos um corpo físico. Ele nos conheceu como seres espirituais. Deus é espírito, e nós viemos de Dele. Nosso espírito é eterno, ou seja, nunca irá morrer, porque é da essência de Deus.

Por que estou aqui?

Vimos anteriormente que todos nós temos um destino. “Porque sou eu que conheço os planos que tenho para vocês”, diz o Senhor, “planos de fazê-los prosperar e não de lhes causar dano, planos de dar-lhes esperança e um futuro.(Jer 29:11 NVI). O plano de Deus para cada um de nós é que desfrutemos de paz e plenitude, e que tenhamos prosperidade e sucesso. Ele nos enche de esperança quando nos dá uma visão do nosso destino. E então, nós sabemos a razão de estamos aqui? Sabemos quem nós devemos ser? Sabemos nosso nome?

Isso pode até soar meio estranho, mas Deus tem um nome para nós que é o nosso nome verdadeiro, o qual engloba tudo o que somos e tudo o que Ele pretende para nós. É um nome celestial, designado para nós em concordância com nosso destino. Ele está nos nossos tronos e no nosso livro. Quando vi meu nome, eu sabia que era meu. Será assim com você também, seu espírito vai saltar testificando, assim como João saltou no ventre de Isabel quando ele sentiu Jesus no ventre de Maria. Isso é o que acontece quando aspectos do nosso destino se alinham a nossa volta. Coisas começam se mover e nosso espírito começa saltar.

Em seu livro

Nós existíamos antes de termos um corpo físico. As escrituras nos dizem que Deus nos viu quando éramos uma substância ainda informe.

Os teus olhos me viram a substância ainda informe, e no teu livro foram escritos todos os meus dias, cada um deles escrito e determinado, quando nem um deles havia ainda.

Que preciosos para mim, ó Deus, são os teus pensamentos! E como é grande a soma deles!
(Salmo 139:16-17).

Nosso rolo do destino não foi escrito antes que fossemos formados, mas sim antes de Deus criar os céus e a terra. Entender quem éramos então, mesmo quando éramos uma ‘substância ainda informe’, irá nos ajudar a compreender quem somos agora.Tudo o que somos chamados para ser agora, já estava escrito no nosso rolo.

Algumas vezes você descobrirá que fez as coisas que estão escritas nele, mesmo que nunca você o tenha lido. Isso acontecerá porque nosso destino está intrinsecamente ligado a quem somos. Quando escolhemos nos alinhar aos propósitos de Deus, e buscar a direção Dele, começamos a cumprir nosso destino.

Mas na verdade, se nós o lermos, podemos entrar no nosso destino em uma dimensão totalmente diferente. E Deus quer mostrá-lo para nós, embora não tudo, nem de uma vez. Seria muito para nós.

Se imaginarmos um rolo (como aquele do início desse artigo), nós podemos ver apenas uma parte dele, a que está aberta, mas ainda há muito mais para ser desenrolado para trás e para frente do trecho que estamos olhando. O mesmo ocorre com o livro: podemos ver as páginas que estão abertas, mas as outras são um mistério, até que cheguemos nelas. Se pedirmos Deus revelará uma porção ou um aspecto do que está no nosso rolo. Ele pode mostrar-nos, ler para nós, ou nos dizer de outra forma. Mas nós saberemos. E dependendo do que fizermos com aquela porção que Ele nos revelou, Ele irá nos mostrar mais.

Quão preciosos são seus pensamentos

O salmo 139 diz que Deus tem muitos pensamentos a nosso respeito, porque Ele nos conhece intimamente. Precisamos ter acesso a esses pensamentos, porque eles irão transformar a maneira como nos vemos. Imagine o quanto é transformador saber o que Deus pensa de nós. Posso garantir que nenhum de nós se vê com todo otimismo que Deus nos vê. Quanto mais permitirmos que os pensamentos de Deus ao nosso respeito influenciem a maneira como nos vemos, mais seremos transformados, e mais nos tornaremos parecidos com Jesus. Faremos tudo o que Ele fez, e coisas maiores que somos chamados a fazer.

Os pensamentos de Deus estão totalmente sintonizados com o que foi escrito em nosso rolo antes da fundação do mundo. Mas destino não é um fado. Nós temos uma escolha, concordar com Deus e buscar a vontade Dele, ou não. Nós já concordamos com Ele quando nosso rolo foi escrito. Se escolhermos concordar com Ele agora, é essencial nos descobrirmos os pensamentos Dele sobre nós e o que está escrito em nosso rolo.

Nota: A imagem do rolo no início deste post é da Wikipedia Netherlands (crédito da foto: Wikipedia)

Outros artigos de Freedom ARC
Artigo original (em Inglês)
Outros artigos de Freedom ARC (em Inglês)

Scroll of Destiny (Rolo do Destino) – @AnnaSophiasArt via Twitter

Questões do Destino

Mike Parsons
com Jeremy Westcott – 

Deus está fazendo algo muito emocionante na terra hoje: Ele está nos dando revelação de como entrar nas dimensões celestes. Ele está nos mostrando como nós podemos escolher a nos focar no Reino da Luz ao invés de focar no reino que está em trevas. Ele está nos encorajando a acessamos o que encontramos no reino dos céus – Sua presença, Seu poder, e todos os recursos do céu – e a manifestar essas coisas aqui na terra. Essa sempre foi a vontade Dele:

Venha o Teu reino
Seja feita Sua vontade
Assim na terra como no céu.

Há algumas chaves para conseguirmos fazer isso:

No último post, vimos como espíritos familiares procuram nos roubar de nosso destino. Se você ler ‘As cartas do inferno’ de C.S. Lewis, você vai entender rápido como os demônios planejam e trabalham para destruir nossas vidas. Mas nós vamos lutar contra os espíritos familiares. Vamos nos levantar e enfrenta-los, para que cada um de nós possa cumprir nosso destino.

Destino

Destino é algo que realmente mexe comigo, pois Deus me chamou para trazer a tona os destinos das pessoas. Todos nós temos um rolo do destino, que nos dá autoridade para governar nossas próprias vidas. O destino de cada pessoa é único. Para cada um de nós há certas palavras – ou visões ou sons, ou até mesmo cheiros, sensações ou experiências – que irão tocar, e testificar em nosso espírito, porque estão ligadas ao nosso destino.

Quando fui batizado no Espírito Santo, Deus derramou uma palavra em meu coração: reavivamento. Naquele tempo, eu nem sabia o que significava aquilo, mas testificou em mim, e ficou gravado no meu coração. Desde então, palavras como ‘restauração’, ‘renovação’, ou ‘reforma’ têm causado o mesmo efeito em mim: elas vibram no mais profundo do meu interior, e me agitam. E há coisas que começarão a te agitar também, pois estão ligadas com aquilo que Deus escreveu sobre você em seu rolo.

Para cada um de nós há pelo menos sete esferas de domínio, ou tronos, para governar em nossas próprias vidas, mas nós podemos, também, ser chamados para maiores níveis de autoridade. Todos nós precisamos ver onde estão nossos tronos, o que fomos chamados para fazer, e lidar com tudo aquilo que nos impede de cumprir nosso destino.

Atos proféticos

De uns anos para cá, tenho sido levado a fazer alguns atos proféticos com pessoas ou grupos quando estou ministrando para eles, atos que trarão a tona o destino e lugar de autoridade deles.

Eu coloquei coroas do destino na cabeça das pessoas; coloquei nossa bandeira de arco-íris em alguns como um manto, dando a eles unção de autoridade. Para outros dei cetros de autoridade – e é assim que Deus identificou aqueles que se tornariam parte de nossa liderança, apesar de eu não saber na época. No meu escritório, na parede, tenho uma espada grande que Deus me disse para eu obter. Geralmente uso essa espada para chamar a existência o destino das pessoas. Quando Lindy Strong veio aqui em 2014, ela fez algo parecido, convidou as pessoas para pegarem a espada, e profetizou sobre eles. Também dei para outras pessoas armas e objetos específicos, tais como machados, bastões, esferas e etc.

Tais coisas são muito mais do que um símbolo do que está acontecendo da dimensão espiritual. Não fazemos nada simbolicamente, mas sim profeticamente. Carregamos ou balançamos bandeiras de cores específicas, de modo específico. Marchamos ao redor do nosso prédio e ao redor da nossa pegada, como Deus direcionou. Esses atos proféticos movem algo na dimensão espiritual, abrindo coisas na dimensão dos céus para nós. Quando obedecemos fazendo um ato profético, isso se junta a alguma coisa no céu, e faz algo acontecer aqui na terra.

Temos que ser obedientes, pois não sabemos que portas eles vão abrir. Se você conhecer meu passado, saberá que não sou naturalmente inclinado a fazer esse tipo de coisas, mas eu sei que são eficientes quando Deus me direciona a fazê-las, então preciso ser obediente. E isso vale para todos nós.

‘Quem sou eu?’

Algumas da perguntas que as pessoas fazem quando se fala sobre destino são: ‘Quem sou eu?’, ‘De onde eu vim?’. Essas perguntas são boas. Precisamos saber de onde viemos, para que possamos entender porque estamos aqui hoje. Isso nos levará para onde iremos amanhã. Nosso destino se realiza assim, um dia de cada vez: ontem, hoje, amanhã.

Precisamos entender a natureza do nosso criador, e nossa criação. ‘Quem me criou?’, ‘Por que e como Ele me criou?’. Todas essas perguntas nos ajudarão a entender nosso destino.

Deus é eterno. Parece bem óbvio dizer isso, mas é importante compreender isso. Ele sempre foi, Ele é, e sempre será (Ap 1:8). Ele é onipotente, isto é, todo poderoso. Ele é luz (1 Jo 1:5). Ele é amor (1Jo 4:16). Ele é espírito (Jo 4:24).

Se meditarmos nessas escrituras, e outras semelhantes, começaremos a entender quem é Deus. E se conhecermos ao Senhor, e tivermos um relacionamento íntimo com Ele, isso nos ajudará a entender que nós somos.

‘Eu te conheci’

Aqui está um versículo chave sobre quem somos.

“Antes que te formasse no ventre te conheci, e antes que saísses da madre, te santifiquei; às nações te dei por profeta” (Jer 1:5).

Aqui Deus está falando com Jeremias, mas Ele também está falando com cada um de nós. Ele conheceu a mim e você, antes Dele te formar no ventre. Conhecer é algo muito íntimo. Deus não tinha simples uma ideia vaga sobre você. Antes que você viesse a existir, antes que você estivesse no útero, Deus já te conhecia. E como intimidade é tem duas vias, na verdade, você O conheceu também.

Ele consagrou você. Ele te separou. Ele tinha um propósito para sua vida que Ele e você conheciam, antes que você fosse formado. Isso faz parte do seu ser. Ele designou cada um de nós para um papel único, para uma tarefa, ou posição. Jeremias foi destinado a ser um profeta as nações. Para o que você foi designado? O que Ele te chamou para fazer? Quem Ele te chamou para ser?

A boa notícia é que você pode saber. Deus te conhecia, mesmo antes que seu corpo físico fosse formado, e Ele quer que você saiba.

Você pode perguntar a Ele, e Ele revelará a você.

Outros artigos de Freedom ARC
Artigo original (em Inglês)
Outros artigos de Freedom ARC (em Inglês)

Investidura, Sucessão, Entronização, Coroação

Mike Parsons
e Jeremy Westcott  

Sacerdócio real

Vós, porém, sois raça eleita, sacerdócio real, nação santa, povo de propriedade exclusiva de Deus, a fim de proclamardes as virtudes daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz (1Pe 2:9).

Nós somos realeza e somos sacerdotes.

A função do rei é governar. E no post anterior vimos que, como sacerdotes, temos acesso às cortes do céu.

“O reino dos céus é tomado por esforço, e os que se esforçam se apoderam dele” (Mat 11:12). Isso não acontece com facilidade. Deus ordenou a Adão que ele subjulgasse a terra e a dominasse (Gen 1:28). Antes de governar, há uma batalha; você só dominará se houver algo para ser dominado. Em nossas próprias vidas, temos um monte de coisas que precisamos lidar e subjulgar.

Temos que ser militantes acerca disso. Não podemos sentar e ser passivos, esperando que um dia iremos governar. Cada um de nós tem um destino, e uma identidade, os quais só se tornarão uma realidade na nossa vida, se os agarrarmos, e lutarmos por eles. Paulo disse “mas continuo a correr para conquistar o prêmio, pois para isso já fui conquistado por Cristo Jesus” (Fl 3:12). O reino dos céus é tomado por violência, e os que se esforçam se apoderam dele. Há forças de oposição nas dimensões celestiais, cujo objetivo é nos impedir de governar, sendo assim temos que lidar com elas.

No fim de 2008 ou início de 2009, Deus me deu quatro palavras. Na época, eu as entendi até certo ponto, não compreendi de imediato todas as implicações delas. Essas palavras foram:

  • Investidura
  • Sucessão
  • Entronização
  • Coroação

Investidura

Deus quer nos investir com autoridade. Eu me lembro da investidura de Príncipe Charles como Príncipe do País de Gales em Caernarfon Castle em 1969. No Reino Unido, ser Príncipe do País de Gales significa que você é o herdeiro do trono.

Sucessão

Mas você tem que tomar posse daquela autoridade. O príncipe Charles ainda não subiu ao trono como rei porque a rainha ainda está viva e reinando. Ele só poderá sucedê-la quando ela morrer. Da mesma maneira, não poderemos subir ao trono nas nossas vidas e assumir a nossa autoridade, até que algumas coisas que nos governam morram. Algumas estão nas nossas vidas diárias, mas outras estão nas regiões celestes. Nós precisamos derrotas tais coisas, para que possamos assumir nossa posição.

Entronização

E a sucessão não é suficiente. Somos chamados para ocupar tronos, como já havíamos visto. De uma forma simples, tronos são onde governamos. Se deixarmos esses tronos desocupados, não haverá governo nessas áreas. Ou, pior, esses tronos serão usurpados por outros que querem reinar, e que recebem a autoridade deles do reino em trevas.

Coroação

Finalmente, Deus irá expor nosso governo na terra. Os filhos de Deus serão manifestos. O reino de Deus será na terra assim como é no céu. A autoridade celestial é maior que a terrena, por isso temos que governar nos céus. Ela é infinitamente maior que toda autoridade que opera aqui. As leis do mundo espiritual são mais elevadas (e tem precedentes sobre) as leis do reino natural.

A visão tradicional dos céus

A visão tradicional (grega) dos céus é algo assim:

Nós vivemos no primeiro céu. A bíblia diz que Paulo visitou o terceiro céu, a dimensão onde Deus está (2Co 12:2). Sendo assim, de acordo com o pensamento linear grego, deve haver um segundo céu, onde Satanás e seus anjos e demônios operam. O inimigo tem usado essa ideia errônea, para levar vantagem, pois se nós estamos no primeiro céu, e Deus no terceiro, então nós teremos que atravessar o segundo céu, cheio de trevas, para chegar até Deus. Esse padrão de pensamento nos levou a desistir da ideia de que poderíamos acessar as dimensões celestes.

Algumas pessoas tentaram atravessar o segundo céu, mas foram retaliados, por que tentaram enfrentar um nível maior de autoridade, somente com uma autoridade terrena.

Um nível maior de autoridade

A realidade é diferente. O céu não é linear, e não precisamos atravessar nenhum outro lugar para entrar lá. Aqui novamente está minha representação de como são as dimensões do céu. Se essa é a primeira vez que você está vendo esse diagrama, talvez fosse interessante para você ler mais sobre ele, nos posts anteriores:

Como vimos antes, nós podemos escolher o reino da luz, ou o reino que está em trevas. Essa dimensão terrena está conectada a dimensão espiritual, da qual Deus a criou. De fato só a palavra de Deus que mantém essa dimensão unida.

Ele está nos convidando a entrar nas dimensões celestes, para que possamos trazer um nível maior de autoridade para essa dimensão. Quando fizermos isso, nada nesse mundo ou na atmosfera da terra será capaz de nos deter.

Outros artigos de Freedom ARC
Artigo original (em Inglês)
Outros artigos de Freedom ARC (em Inglês)

A porta do Céu está aberta

Mike Parsons
e Jeremy Westcott

No último post vimos o sonho de Jacó com a escada que chegava aos céus. Agora, vamos ver como isso funcionava na vida de Jesus.

“Eu afirmo a vocês que isto é verdade: vocês verão o céu aberto e os anjos de Deus subindo e descendo sobre o Filho do Homem”(João 1:51).

Isso é o que acontecia no ministério de Jesus, e essa era a razão Dele ser capaz de fazer o que Ele fazia. Nós também podemos fazer o que Ele fez, e coisas maiores (João 14:12). Se Jesus precisava de céus abertos e anjos subindo e descendo, Deus não espera que façamos coisas maiores sem essa ajuda sobrenatural.

Jesus viveu em duas dimensões

“Ora, ninguém subiu ao céu, senão aquele que de lá desceu, a saber, o Filho do Homem que está no céu” (João 3:13).

Jesus diz que Ele está no céu, ainda que estivesse naquele momento falando com Nicodemos na terra. Ele estava no céu aquele momento, e Ele está agora. Nós também podemos viver na dimensão dos céus e ao mesmo tempo na dimensão da terra. Nós podemos viver em duas dimensões de autoridade, manifestando os céus na terra, aqui e agora.

“Quem quiser me servir siga-me; e, onde eu estiver, ali também estará esse meu servo. E o meu Pai honrará todos os que me servem” (João 12:26).

Se Jesus está nos céus, nós podemos estar; lá é o lugar onde ocupamos nossos tronos e montes. E é de lá que vem nossa autoridade para reinar nessa dimensão terrena.

“Quando chegar aquele dia, vocês ficarão sabendo que eu estou no meu Pai e que vocês estão em mim, assim como eu estou em vocês” (João 14:20). O relacionamento que faz de nós a casa de Deus é: “Se alguém me ama, guardará a minha palavra; e meu Pai o amará, e viremos para ele e faremos nele morada” (v 23 RA).

Uma habitação de Deus

O reino de Deus está dentro de nós (Lucas 17:21). Nós somos a habitação de Deus – um lugar onde Ele mora, Pai, Filho e Espírito Santo. Estamos conectados a Deus, somos um portal para glória de Deus.

A chave para entendermos isso é que cada um de nós somos habitação de Deus aqui na terra, e aquela porta dos céus continua aberta, para cada um de nós acessarmos as dimensões celestes. Não só podemos experimentar as dimensões celestes, como também trazer a autoridade de lá para terra. Para que possa ser feito ‘na terra, como no céu’. Nós temos que manifestar o reino de Deus, do mesmo modo que Jesus fez.

Reavivamento contínuo

Já faz algum tempo que nós aqui na Freedom estamos experimentando um portal eterno aberto. Um portal que está aberto sobre nós como igreja, e que é para manifestar a glória de Deus. Em nossa adoração usamos bandeiras, fitas, percussão e dança, e algumas vezes durante o louvor há flashes de luzes, e vislumbres da glória de Deus vindos das dimensões dos céus. Tornamos-nos uma pista de pouso para anjos. E isso está acontecendo porque um portal está parcialmente aberto, sobre uma igreja local. Imagine como seria se todos os sete portais estivessem totalmente abertos! Seria como o céu na terra.

A igreja de Deus ao redor do mundo precisa ter todos esses portais abertos, para que haja um reavivamento continuo que nunca irá cessar. Precisamos ver manifestações da glória de Deus sem restrição, para que haja cura, saúde, libertação e liberdade, e que nos capacite a entrarmos na plenitude do nosso destino. Para que isso aconteça todos são necessários. Nenhum de nós pode fazer isso sozinho; e nem podemos fazer com meia dúzia de pessoas. A igreja toda precisa estar envolvida. Deus está chamando todos nós para fazermos o que Jesus fez. Cada um de nós tem um mandato de Deus com autoridade para trazer os céus para terra.

Deus está te chamando

Vamos dizer isso claramente: Deus está te chamando para que você tome posse da autoridade que há no seu interior e nas dimensões celestiais, e comece a ocupar o reino de Deus, e traga-o para aqui na terra assim como é no céu. Você está pronto para isso?

Não pense, ‘Oh, isso não é para mim, eu nunca vou conseguir’. Comece trabalhando com Deus, no jardim que você tem em seu interior. Uma porta vai começar a abrir para você nas dimensões celestes: dê um passo e você começará a experimentar mais e mais.

Deus quer fazer isso com você. Isso é para cada pessoa que está lendo esse post. Começamos a escrever esse blog em 2011 por isso, confiando que Deus te ajudaria a encontra-lo. Nós fomos chamados por Deus para te apoiar e te encorajar, a fim de que você possa acessar as dimensões do céu e encontrar seu propósito. O tempo está acelerando, uma aceleração está acontecendo. Quando Deus de repente vai começar a fazer algo diferente, que antes levava anos, meses, semanas ou dias para acontecer.

Você vai correr com Ele?

Vamos orar.

Pai nós oramos para que todas as mentes esgotadas que estão lá.
Pelo seu Espírito, do espírito deles, traga revelação e conhecimento da verdade
Acerca da identidade de cada pessoa,
Como um senhor, um rei e um filho de Deus.
A plena dimensão de autoridade que cada pessoa tem,
Para manifestar o reino na terra assim como é no céu
Através das vidas deles
Para fazer as obras de Jesus aqui na terra.

Nós Te louvamos e Te agradecemos, Senhor Deus,
Por todas as coisas que o Senhor está fazendo nesses dias
Pelos tempos emocionantes em que estávamos vivendo
Tempos em que Seu reino virá e se manifestará
Na terra como é no céu.

Oramos para que o Senhor chame e escolha e invista
Na vida de cada pessoa que está lendo isso
Com a autoridade que eles têm nas dimensões celestes para ocupar aqueles tronos.
Que eles se assentem no trono e comecem a reinar
E manifestar Seu reino através da vida deles.

Que o Espírito de sabedoria, revelação e conhecimento de Deus
Abra os olhos dos nossos corações para que comecemos a ver
E experimentar a plenitude da nossa herança
Na terra, e nos céus.

Sonhos, visões, revelações: oramos para que sejam liberados
Onde está o Espírito do Senhor, há liberdade:
Liberdade para entrar na revelação de Deus
Para que possamos entrar no Seu reino
E sair do Seu reino pela fé a cada segundo do dia.

Agita-nos e atraia-nos para aquele lugar
Onde possamos ser plenamente filhos de Deus manifestos na terra
Espírito Santo, oramos para que você faça isso nas nossas vidas.
Leva-nos a intimidade, remove as pedras de tropeço
E que sejamos erguidos como portais do céu.

Amém.

Outros artigos de Freedom ARC
Artigo original (em Inglês)
Outros artigos de Freedom ARC (em Inglês)

Atribuição de imagem: Detail from Jacob’s Dream [O sonho de Jacó] by William Blake (c. 1805, British Museum) – William Blake Archive, Public Domain,
https://commons.wikimedia.org/w/index.php?curid=1869973